imagem google

Fiesp assina memorando de entendimento com entidade de comércio coreana durante Fórum de Cooperação Econômica Coreia-Brasil

Acordo foi assinado pelo Diretor do Departamento de Relações Internacionais da Fiesp e pelo vice-presidente da Korea International Trade Association

Mayara Moraes, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e a Korea International Trade Association (Kita) assinaram um memorando de entendimento durante o Fórum de Cooperação Econômica Coreia-Brasil, realizado na última terça-feira (21/5), no Intercontinental São Paulo Hotel.

Durante o evento, com representantes da Korea Trade Investment Promotion Agency (Kotra) e representantes da indústria e do governo brasileiros, foram discutidos os potenciais impactos do futuro Acordo Comercial Coreia-Mercosul e alternativas de cooperação bilateral entre Brasil e Coreia do Sul.

Em 2019, os dois países comemoram 60 anos de relações diplomáticas, e como forma de celebrar este marco, Brasil e Coreia programaram uma série de eventos que acontecem ao longo do ano.

Na última década, o diálogo Brasil-Coreia do Sul ocorreu por meio do Comitê Conjunto de Promoção de Comércio e Investimentos. Alguns dos temas tratados foram a cooperação em micro e pequenas empresas, facilitação de comércio, trocas de informações na área industrial e cooperação na área de investimentos. A corrente de comércio foi de aproximadamente US$ 8,8 bilhões em 2018.

Desde 1991, o Brasil e a Coreia possuem um Acordo para evitar a dupla tributação e prevenir a evasão fiscal em impostos sobre a renda dos dois países. Recentemente, o governo brasileiro promulgou um acordo assinado em abril de 2015 que revisa a Convenção de 1991.

O Brasil ocupa a 11ª posição entre os países que mais exportam itens agropecuários para a Coreia do Sul, o oitavo maior importador de alimentos do mundo. Em 2017, a Coreia do Sul foi um dos 15 principais emissores de investimento direto para o Brasil (US$ 454 milhões). Os investimentos sul-coreanos se concentram nos setores de tecnologia da informação, siderurgia e automotivo.

As principais exportações brasileiras desta categoria são de álcool etílico (22%) e minério de ferro processado (22%). Já as importações provenientes da Coreia do Sul se concentram em outras memórias digitais (9%), memórias digitais não montadas (8%) e partes de receptores de radiodifusão (5%).

Acordo Mercosul-Coreia do Sul

Em 11 de setembro de 2018, o Mercosul iniciou uma rodada de negociações com a Coreia do Sul para Tratado de Livre Comércio. A meta é alcançar um acordo comercial capaz de movimentar cerca de US$ 10 bilhões. Os quatro países do Mercosul exportaram US$ 3,7 bilhões em produtos agrícolas e aço para a Coreia do Sul em 2017. As importações chegaram a US$ 6,3 bilhões, fundamentalmente provenientes de produtos eletrônicos e veículos.

Durante a II Rodada de Negociações, realizada de 1º a 6 de abril de 2019, em Seoul, na Coreia do Sul, as partes debateram sobre os diferentes capítulos dos acordos de nova geração. As temáticas dos projetos incluem comércio de bens, serviços, compras governamentais, investimentos, comércio eletrônico, propriedade intelectual, barreiras técnicas, capítulo institucional, defesa comercial, concorrência e desenvolvimento sustentável

A próxima rodada deve ocorrer de 8 a 12 de julho, em Montevidéu, no Uruguai.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1576357529

Na foto, Thomaz Zanotto, diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, e Jin Hyun Han, vice-presidente da Kita, assinam memorando de entendimento durante o Fórum de Cooperação Econômica Coreia-Brasil. Foto: Karim Kahn/Fiesp