imagem google

Fiesp apoia inovação tecnológica para implantar plano nacional de resíduos sólidos

Atos como diminuir o tamanho das embalagens podem tanto reduzir custos de produção quanto favorecer a nova política para a área

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1603273547

Eduardo San Martin, diretor do Departamento de Meio Ambiente da Fiesp, fala durante abertura da 3º Audiência Pública sobre Resíduos Sólidos



A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) é sede da terceira audiência pública do Plano Nacional de Resíduos Sólidos, Região Sudeste, que acontece até esta terça-feira (11). Durante a abertura, a entidade reforçou seu apoio ao plano que prevê ganhos não só para a sociedade, mas também para o setor produtivo com a redução de gastos.

“Nosso papel é orientar sobre o que a lei estabelece e envolver todos os setores neste processo”, afirmou Eduardo San Martin, diretor de Meio Ambiente do Ciesp e diretor-titular adjunto do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp. “Hoje, jogamos dinheiro no lixo. O cumprimento da lei será um ganho”.

San Martin alerta que um ato como diminuir o tamanho das embalagens dos produtos pode ser uma atitude que tanto reduz os custos de produção quanto favorece a nova política de resíduos sólidos.

“A quantidade de resíduos que se joga fora aumentou em relação ao passado por conta do formato das embalagens. Os setores produtivos precisam pensar em outra forma de embalar seus produtos”, disse San Martin. “Isso é inovação tecnológica. É isso o que a Fiesp apoia”, acrescentou.

Nesta segunda-feira (10), houve a apresentação da versão preliminar do Plano Nacional de Resíduos Sólidos e durante a tarde, grupos discutirão estratégias gerais, diretrizes, metas e temas transversais, como educação ambiental, logística reversa e instrumentos econômicos.

No segundo e última dia de debates, terça-feira (11), será dada continuidade às atividades dos grupos e, ao final da tarde, acontece uma plenária para apresentação das contribuições. O documento estará disponível para consulta pública na internet até 7 de novembro, a fim de receber contribuições.

Novo plano

Imagem relacionada a matéria - Id: 1603273547

Nabil Bonduki, secretário do Meio Ambiente (à esq.), e Eduardo San Martin, diretor da Fiesp

A Política Nacional de Resíduos Sólidos, criada pela Lei 12.305 de 2010,instituiu como um de seus principais instrumentos o Plano Nacional de Resíduos Sólidos e, conforme previsto em lei, terá vigência por prazo indeterminado e horizonte de 20 anos, com atualização de quatro em quatro.

Uma das metas propostas pelo plano e prevista na lei é eliminar totalmente os lixões até 2014 e mantê-los nesta condição até 2031.

Já foram realizadas audiências em Campo Grande (MS) e em Curitiba (PR). As próximas acontecem nos dias 13 e 14/10, em Recife (PE), e 18 e 19/10, em Belém (PA). O encontro nacional está marcado para dezembro, na Capital Federal, nos dias 30/11 e 1º/12/11.