imagem google

Fiesp apoia essência da MP que visa modernizar os portos, diz Skaf em encontro com Dilma

Presidente da Fiesp e do Ciesp foi recebido na quarta-feira (27/02) em audiência pela presidente da República

Agência Indusnet Fiesp

Cumprindo agenda em Brasília (DF), o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, foi recebido em audiência nesta quarta-feira (27/02) pela presidente da República, Dilma Rousseff.

[640x440] Paulo Skaf em Brasília. Foto: Junior Ruiz

Paulo Skaf (na imagem, durante coletiva de imprensa) convidou Dilma Rousseff para um almoço na Fiesp no mês de março. A data ainda será definida de acordo com a agenda da presidente da República. Foto: Junior Ruiz

No encontro, Skaf disse que a Fiesp está ao lado do governo para apoiar a modernização dos portos. “A posição da Fiesp é de pensar na modernidade do Brasil”, explicou o presidente em coletiva à imprensa logo após a audiência, assinalando que a entidade apoia a essência da Medida Provisória 595/12.

O texto da MP cria um novo marco regulatório para o setor portuário e estabelece critérios para as concessões de terminais à iniciativa privada.

>> Leia também: Em discurso, Dilma reconhece pioneirismo da Fiesp na luta pela redução das tarifas de energia

Skaf convidou Dilma para um almoço na Fiesp no mês de março, em data a ser definida de acordo com a agenda da presidente da República. Aproveitou para apresentar a ferramenta on-line que permite o cálculo do desconto na conta de luz, instrumento desenvolvido pela Fiesp para que a população possa fiscalizar seus direitos. Disse ainda que, além da questão e energia, o Brasil precisa combater a burocracia e comentou o desempenho da economia em 2012 não foi bom, mas que sua expectativa para 2013 é de um crescimento da atividade econômica e industrial entre 2,5% e 3%.

Ao falar com a imprensa, o presidente da Fiesp informou que Dilma mostrou disposição de prosseguir reduzindo custos e impostos, visando aumentar a competitividade do país.

Na opinião de Skaf, o governo deveria incluir nas desonerações da folha de pagamentos os setores de manufaturas, têxtil e de alimentos e bebidas – esta última, ressaltou, por beneficiar diretamente o consumidor.

Ministros

Depois de participar da 40ª Reunião Ordinária do Pleno do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), Paulo Skaf teve encontros com os ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Celso Amorim (Defesa).