imagem google

Exposição apresenta retratos de personalidades do circuito artístico-cultural das décadas de 1940 e 1950

Mostra inédita “Kurt Klagsbrunn: faces da cultura, retratos de um tempo” estreia no Centro Cultural Fiesp dia 28/8, com entrada gratuita. Dentre as 84 fotografias, as de Candido Portinari, Oscar Niemeyer, Di Cavalcanti, Iberê Camargo, entre outros

Agência Indusnet Fiesp

O olhar atento do fotógrafo austríaco Kurt Klagsbrunn (1918-2005) ganha destaque na exposição inédita Kurt Klagsbrunn: faces da cultura, retratos de um tempo, que estreia na Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp, em São Paulo, em 28 de agosto. A curadoria de Helouise Costa e Joaquim Marçal Andrade apresenta registros de personalidades que contribuíram para a ampliação do circuito artístico e cultural das capitais paulista e carioca durante as décadas de 1940 e 1950. A mostra fica em cartaz, com entrada gratuita, até o dia 15 de dezembro.

De acordo com os curadores, a exposição visa divulgar a trajetória e a produção de um fotógrafo austríaco que chegou ao Brasil como refugiado, em 1939, que ainda é pouco conhecido e foi responsável pelo registro de personalidades atuantes no período do pós-guerra.

Os 84 retratos em preto e branco revelam personalidades hoje consideradas fundamentais para a história da arte e cultura nacionais, como Assis Chateaubriand, Cecília Meirelles e Oscar Niemeyer, além de outras que acabaram esquecidas, apesar da relevância conquistada naqueles tempos. Muitos dos cliques inéditos foram feitos em eventos sociais, ateliês e exposições, evidenciando a existência de redes ativas e organizadas de artistas e intelectuais em um momento de grande repressão às artes. “Não se trata de promover o culto à personalidade, mas de tentar compreender as múltiplas ramificações e entrecruzamentos dos círculos culturais e artísticos da época”, afirmam Helouise e Joaquim.

O público também poderá conferir alguns documentos da biografia de Kurt Klagsbrunn e exemplares de algumas das revistas nas quais ele publicou suas imagens, como a Life, a mais importante publicação ilustrada da época, e revistas nacionais como Sombra e Rio Magazine, que contextualizam as relações existentes entre os fotografados.

Um recurso adicional, para conferir dinamismo ao espaço expositivo, é a montagem de um painel com retratos de fotógrafos tirados por Kurt Klagsbrunn, além de alguns de seus autorretratos, como uma homenagem a esses profissionais que registraram diversas facetas do Brasil moderno, deixando como legado importante patrimônio visual sobre o período.

Sobre o painel Faces da Fotografia
“As décadas de 1940 e 1950 foram marcadas pela ampliação do mercado da fotografia, pela profissionalização do campo e pela consequente valorização do fotógrafo. Naqueles anos, surgiram novas demandas e novos usos para a imagem fotográfica no fotojornalismo, na moda, na publicidade, na arquitetura e na indústria. Alguns fotógrafos passaram a frequentar os mesmos ambientes das elites e a conviver com personagens importantes da cena política e artística do período. A dimensão mais visível desse fenômeno foi a difusão da imagem pública desse profissional que muitas vezes se dedicava à autorrepresentação e ao registro de seus pares.

O arquivo de Kurt Klagsbrunn guarda autorretratos, além de retratos de diversos fotógrafos, como José Medeiros e Jean Manzon, da revista O Cruzeiro, Earl Leaf, norte-americano de passagem pelo Brasil, ou, ainda, de raras mulheres fotógrafas, como Ingeborg de Beausacq, que atuou no mundo da moda e como retratista da alta sociedade carioca”, comentam Helouise Costa e Joaquim Marçal, no texto curatorial.

Sobre o artista
Kurt Klagsbrunn nasceu em 1918 em Viena, Áustria. Integrava uma família de judeus que veio para o Brasil por ocasião da invasão nazista em 1939. No Rio de Janeiro, passou a dedicar-se à fotografia. Depois de trabalhar para a União Nacional dos Estudantes começou a atuar no fotojornalismo e na publicidade, tornando-se correspondente da revista Life e colaborador de outros periódicos, entre os quais as Revista da Semana, Sombra e Manchete. A partir de 1969 diminuiu suas atividades por problemas de saúde, mas continuou fotografando até 1980. Faleceu em 2005, deixando um arquivo de mais de 150 mil itens, ainda pouco explorado, e conservado por seu sobrinho, Victor Klagsbrunn.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1573654641

Serviço:
Exposição Kurt Klagsbrunn: faces da cultura, retratos de um tempo
Período expositivo: de 28 de agosto a 15 de dezembro de 2019
Horários: terça a sábado, das 10h às 22h, e domingos, 10h às 20h
Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp
Endereço: Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô
Classificação indicativa: livre
Agendamentos escolares e de grupos: ccfagendamentos@sesisp.org.br.
Entrada gratuita. Mais informações em www.centroculturalfiesp.com.br