imagem google

Expedições do oceanógrafo Jean-Michel Cousteau ganham exposição inédita no Brasil

Da Indonésia à Amazônia - Expedições de Jean-Michel Cousteau é dividida em seis grandes capítulos com 60 fotografias da vida marinha. A abertura foi realizada em 4/6, no Centro Cultural Fiesp, durante a semana do Meio Ambiente

Raisa Scandovieri, Agência Indusnet Fiesp

Ao antecipar as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6) e do Oceano (8/6), o Centro Cultural Fiesp inaugurou a exposição Da Indonésia à Amazônia – Expedições de Jean-Michel Cousteau no dia 4/6, em sua Galeria de Fotos. A exposição fica em cartaz até 4 de agosto, com entrada gratuita.

Inédita no Brasil, a curadoria traz cerca de 60 fotografias da vida marinha de países como Indonésia, Fiji, Papua-Nova Guiné, Nova Zelândia, Bahamas, Brasil, entre outros. As imagens são fruto das expedições realizadas pela equipe da Ocean Futures Society, ONG chefiada pelo ambientalista, ativista e produtor cinematográfico Jean-Michel Cousteau (81 anos), filho do famoso explorador Jacques-Yves Cousteau, conhecido por seu significativo trabalho de estudo dos oceanos durante mais de 60 anos.

Para Jean-Michel, todo material coletado nas expedições tem a finalidade de documentar a situação em que se encontram os oceanos e sensibilizar as pessoas sobre a importância de protegê-los, assim como todo tipo de vida que abrigam. “Os recursos naturais são vitais para as futuras gerações e a contribuição dos oceanos é fundamental para a manutenção do equilíbrio no planeta”. Toda a experiência vivida durante suas viagens também será retratada na mostra através de um vídeo feito pelo próprio explorador.

Em Da Indonésia à Amazônia – Expedições de Jean-Michel Cousteau, o público poderá ver os registros únicos, selecionados especialmente para a exposição, de diferentes tipos de baleias, golfinhos, manatis, polvos, tubarões, tartarugas, lontras, moluscos e peixes, assim como toda a variedade de flora e fauna marinhas e making off das expedições, divididos em seis grandes capítulos: Gigantes do Oceano, Florestas do Mar, Sem Ossos, Hábitos Marinhos, Camuflagem & Sexto Sentido e Amazônia.

O objetivo é chamar a atenção para a importância da manutenção do ciclo da água na redução dos efeitos das mudanças climáticas e de toda a problemática da poluição nos oceanos. “É importante termos consciência de que os impactos ambientais causados em áreas urbanas distantes da costa também impactam o oceano”, ressalta Leda Bozaciyan, presidente da Ocean Futures Society Brasil e responsável pela curadoria ao lado de Jean-Michel e João Kulcsár.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571757652

Foto: Ayrton Vignola/Fiesp












SOBRE OS CURADORES

Jean-Michel Cousteau

Explorador e ativista ferrenho pelo meio ambiente, educador e produtor cinematográfico, Jean-Michel Cousteau vem trabalhando pela preservação do meio ambiente há mais de cinco décadas. Filho do famoso explorador Jacques-Yves Cousteau, Jean-Michel fundou a Ocean Futures Society em 1999 para levar adiante o trabalho pioneiro de seu pai. Produziu mais de 75 filmes, tendo sido agraciado com prêmios Emmy, Peabody, 7 d´Or e Cable ACE. É autor de centenas de artigos e vários livros, incluindo o premiado America’s Underwater Treasures (Tesouros Submersos da América). A avant-première do documentário America’s Underwater Treasures foi realizada na Casa Branca com a presença do Presidente Bush e sua família. Sensibilizado pelo relato de Jean-Michel, o então presidente declarou a região noroeste das ilhas do Havaí área protegida, criando o Northwestern Hawaiian Islands National Monument.

Leda Bozaciyan

Presidente da Ocean Futures Society do Brasil desde 2004, Leda conhece a família Cousteau desde o início dos anos 80, quando colaborou com a Fundação Cousteau durante sua expedição à Amazônia.  Foi responsável pela implementação e operação do primeiro acampamento de educação ambiental de Jean-Michel Cousteau na América Latina, o Embaixadores do Meio Ambiente, em Guarujá/SP.  Promoveu exposições itinerantes de fotos de expedições de Jean-Michel Cousteau em São Paulo, Rio de Janeiro e Manaus. Coordenou a edição de livros de Jean-Michel Cousteau, no Brasil, Meu Pai, o Comandante e Retorno à Amazônia. Atualmente está envolvida em projetos do Banco Mundial em São Paulo no que diz respeito aos impactos ambientais de empreendimentos de infraestrutura urbana.

João Kulcsár

Curador de diversas exposições fotográficas no Brasil desde a década de 1990, dentre elas destacam-se Claudia Andujar (2004 e 2009); Cristiano Mascaro (1999); David Drew Zingg (1999) Maureen Bisilliat (1999); Thomaz Farkas (2000);  Magnum 60 anos (2008); Observadores – Fotografia da Cena Britânica desde 1930 até hoje (2012, vencedora do Prêmio APCA melhor exposição fotográfica do ano); e da série de exposições em homenagem aos 70 anos da Magnum Photos (2017) – Magnum no Cinema; Retratos, diálogos da identidade; Henri Cartier-Bresson, primeiras fotografias; e Elliott Erwitt: vida de cão. No exterior, foi curador de exposições em Portugal, Estados Unidos, Cuba, Inglaterra, Itália e Suíça. Desde 2008, trabalha com projetos e consultoria de acessibilidade, fotografia e pessoas deficientes visuais, além de coordenar projetos de alfabetização visual, atividades de fotografia e educação em diversas instituições do Brasil, Suíça, Portugal, México e EUA.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571757652

Foto: Ayrton Vignola/Fiesp












SOBRE OS FOTÓGRAFOS

Richard Murphy

Diretor de Ciência e Educação da Ocean Futures Society e Ph.D. em Ecologia Marinha pela University of Southern California, o Dr. Richard Murphy trabalha com Jacques e Jean-Michel Cousteau desde 1968. Atua como cientista-chefe, fotógrafo, escritor, educador e diretor de projetos, e cria programas educativos para jovens em países desenvolvidos e em desenvolvimento. Seu livro Coral Reefs: Cities Under the Sea (Recifes de Coral: Cidades sob o Mar) traz uma visão única sobre como o exemplo do funcionamento dos recifes de coral podem ajudar a tornar as comunidades humanas mais sustentáveis.

Carrie Vonderhaar

Fotógrafa conhecida por seus insights para captar imagens envolventes de vida selvagem e temas ligados à conservação ambiental. Vem fotografando sob a água e em terra na posição de fotógrafa-chefe de expedições para a Ocean Futures Society pelos últimos 12 anos; suas fotografias têm ocupado as capas de diversas revistas, jornais e o premiado livro America’s Underwater Treasures. Seus trabalhos são exibidos ao redor do mundo, incluindo uma exposição solo de fotos da Expedição da Amazônia idealizada e realizada pela Ocean Futures Society do Brasil em parceria com a Fundação do Príncipe Albert II na Gallerie des Pêcheurs em Mônaco. A serviço da OFS, Carrie já viveu em aldeias remotas da Amazônia, ajudou no resgate de uma orca na Nova Zelândia, viajou de helicóptero, avião anfíbio, canoa, tudo para conseguir uma foto. Atualmente as fotografias de Carrie são representadas com exclusividade pela National Geographic.

Holly Lohuis

Holly é bióloga marinha com graduação na Universidade da Califórnia, em Santa Barbara, e tem mergulhado ao redor do mundo com Jean-Michel Cousteau por mais de 15 anos. Integrante-chave das expedições, Holly atua como elo entre a equipe e pesquisadores, responsável por checar os fatos para o conteúdo dos documentários da Ocean Futures Society. Também realiza atividades de educação ambiental com crianças e adultos destacando as maravilhas e a fragilidade dos ambientes aquáticos e a importância de protegê-los para as gerações futuras.

Serviço:

Da Indonésia à Amazônia – Expedições de Jean-Michel Cousteau

Período: 4 de junho a 4 de agosto de 2019

Local: Galeria de Fotos do Centro Cultural Fiesp (Avenida Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)

Horários: terça a sábado, das 10h às 22h; domingos, das 10h às 20h

Classificação indicativa: livre

Agendamentos escolares e de grupos: ccfagendamentos@sesisp.org.br

Grátis. Mais informações em www.centroculturalfiesp.com.br