imagem google

‘Com MP dos Portos teremos terminais mais eficientes e redução de custos’, diz Skaf

'Não é possível que um projeto que seja do interesse do Brasil não seja aprovado', comenta presidente da Fiesp

Alice Assunção, Agencia Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1652805283

Paulo Skaf: com maior concorrência dos portos, teremos terminais mais eficientes e redução do custo. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A expectativa para aprovação da Medida Provisória 595, a MP dos Portos, é positiva, afirmou na segunda-feira (13/05), no WTC São Paulo, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

“Não é possível que um projeto que seja do interesse do Brasil não seja aprovado. Minha confiança é de que isso acontecerá nesta semana, sim”, disse Skaf em entrevista coletiva durante o 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha 2013.

A MP 595 institui novo marco regulatório para o setor portuário. Governo e sua base parlamentar têm até quarta-feira (15/05) para colocar a medida em votação na Câmara e no Senado.

“O governo está defendendo os interesses do Brasil. Nesse momento, ele defende a maior concorrência dos portos. Com ela, teremos terminais mais eficientes e redução de custos. Isso é a busca da competitividade”, explicou o presidente da Fiesp.

Negócios Brasil-Alemanha

Ao menos 2.000 empresários participam do 31º Encontro Brasil-Alemanha, que prossegue até terça-feira (14/05) na capital paulista, e esperam por oportunidades de negócios e investimentos de ambos os países.

Em seu discurso de abertura, o presidente da Federação das Indústrias da Alemanha (BDI), Ulrich Grillo, mencionou interesse de empresários alemães em investir em infraestrutura no Brasil (leia mais aqui).

Segundo Grillo, a Copa do Mundo em 2014 representa o primeiro desafio logístico para o Brasil. “Certamente há muito o que fazer. O governo brasileiro está atacando esse tema de forma intensa, mas [infraestrutura de transportes] é algo que sabemos fazer e gostaríamos de aplicar também ao Brasil”, disse.

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, recebeu bem as intenções de investimento por parte do empresariado alemão nesta área. “É muito bom. O Brasil tem grande necessidade de investimentos em infraestrutura. A participação dos alemães aqui no Brasil não é novidade e coincide com o momento no qual o Brasil vai investir fortemente na infraestrutura”, afirmou Skaf.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, também se manifestou favorável ao investimento alemão, mas ponderou que leva tempo para que esses investimentos gerem retorno para o país.

“Precisamos de duas coisas: recursos financeiros e empresas capacitadas. O arcabouço ideal é as empresas alemãs e brasileiras se unirem para fazer esses investimentos”, afirmou Robson de Andrade. “Não vamos resolver esses problemas num curto espaço de tempo. Realmente vai demorar”, concluiu.