imagem google

Estrela de ‘A Madrinha Embriagada’, Stella Miranda elogia iniciativa do Sesi-SP e da Fiesp; musical estreia dia 17/08

Em entrevista, protagonista do espetáculo fala sobre a proposta do Sesi-SP e da Fiesp, relata como estão sendo os ensaios e comenta como é trabalhar com o diretor Miguel Fallabella

Dulce Moraes e Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Apresentar um grande espetáculo de teatro musical, de modo gratuito, é um buquê de felicidade para a cidade de São Paulo. A opinião é da atriz, autora teatral e diretora Stella Miranda.

Depois de encarnar Carlota Joaquina (“Império”) e Carmen Miranda (“South American Way”), entre tantos outros papeis nos palcos, na tevê e no cinema, Stella Miranda prepara-se para interpretar a protagonista de “A Madrinha Embriagada”, espetáculo que estreia para o público em geral no dia 17 de agosto, no Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Stella Miranda: pronta para ser a madrinha do musical. Foto:  Ayrton Vignola/Fiesp

Stella Miranda: pronta para ser a madrinha do musical no Teatro do Sesi-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“A proposta do Sesi-SP e da Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] já é o grande diferencial. Oferecer um grande musical, de graça, para a população de São Paulo, independente do lado artístico, já é um diferencial”, comenta a atriz em entrevista, referindo-se ao projeto que inclui oficinas de vivência em teatro musical para alunos do Sesi-SP e a abertura, em 2014, de um curso de formação de atores para esse segmento.

Stella, que não se considera do ‘casting’ de musicais, diz estar honrada com a oportunidade de dividir o palco com um elenco de expoentes do teatro musical brasileiro. E que inclui nomes como Saulo Vasconcelos (“O Fantasma da Ópera”), Paula Capovilla (“Evita”), Kiara Sasso (“Mamma Mia!”), Sara Sarres (“Shrek – O Musical”) e Cleto Baccic (“Cats”), entre outros.

A atriz destaca ainda a importância do trabalho de Miguel Falabella, diretor e responsável pela adaptação do texto original para a montagem brasileira de “The Drowsy Chaperone”.

Lei a seguir trechos da entrevista de Stella Miranda.

Mergulho no trabalho

“Essa é uma produção muito grandiosa em todos os sentidos e de muita responsabilidade. O período de ensaios geralmente é mais difícil do que a temporada porque a sua vida fica totalmente voltada para isso. Sua vida pessoal fica bastante confusa, principalmente para mim, que moro no Rio e fico aqui [em São Paulo] a semana inteira, com apenas o domingo para voltar. É nesse período em que você realmente mergulha no espetáculo, na produção, no todo. Você participa do conjunto, dá muito de si. É o período em que o diretor cria o espetáculo e você, o personagem. Então, exige mesmo, mas é muito legal um trabalho em que você fique mergulhada 24 horas por dia”.

Um desafio

“A proposta do Sesi-SP e da Fiesp já é o grande diferencial. Mas é sempre um desafio. Primeiro, porque eu nunca fiz um grande musical em São Paulo. Eu sou paulista e moro fora daqui há milênios. Então, isso é bem legal. E é um desafio, também, porque é um musical canadense, adaptado para uma realidade brasileira, da Semana de 1922, o que mexe com os valores culturais da cidade de São Paulo, e fala sobre o amor aos musicais”.

Estrelas brasileiras

“Os grandes musicais que vêm com a cara do exterior são lindos e é muito bacana que o público assista. Mas quando se fala de uma realidade brasileira, no caso paulista, é muito mais próximo do público. E o público, que não tem acesso aos grandes musicais por não ter poder aquisitivo para assisti-los porque são muito caros – e têm que ser, porque as produções são caríssimas –, vai poder assistir a um grande espetáculo, com muitas das estrelas dos grandes musicais do Brasil no elenco. É um privilégio para o público ter acesso às grandes estrelas e assistir a essa peça brasileira, adaptada por Miguel Falabella, que é um artista brilhante e muito inteligente. A oportunidade que o Sesi-SP está dando é um buquê de felicidade para a cidade de São Paulo”.

Cultura de musicais 

“É uma felicidade participar de um musical que fala de musicais. No início dos anos 90 começou um ‘boom’ dos musicais brasileiros, mas não com essa dimensão de grandes produções. No Rio de Janeiro, havia uma série de musicais sobre cantores e compositores. Foi muito legal, mas não com esse diâmetro de grandes produções. Então, se agora os grandes musicais brasileiros tiverem o mesmo orçamento dos grandes musicais da Broadway, isso sim significa uma grande mudança da dramaturgia brasileira”.

Diva entre estrelas de musicais

“Eu sou uma atriz convidada para o espetáculo é há o desafio dessa delícia de se saber convidada. É um privilégio poder fazer a diva, o papel de “Madrinha”. É muito trabalho, mas é muita felicidade que vem junto. Eu vim excitada para trabalhar com esse elenco de estrelas de musicais. Não estou apreensiva porque sou muito adaptável e eles são muito profissionais e talentosos, não só a equipe artística, como todo o elenco. Então, é muito tranquilo de ir se encaixando e fazendo parte, embora eu não faça parte deste casting de musicais. Fui muitíssimo bem acolhida e me sinto muito feliz de ser madrinha desse elenco todo”.

Trabalhar com Miguel Falabella

“Trabalhei dezenas de vezes com o Miguel [Falabella]. Ele tem vários dons, mas o principal que vejo é que ele consegue agregar e sabe lidar com o sucesso. É uma característica dele. Ele não tem medo do sucesso. E isso é uma qualidade rara porque muitas pessoas se atrapalham com a possibilidade de sucesso. Parece mentira, mas é verdade. E o Miguel sabe fazer com que a coisa se torne um sucesso e sabe preparar as pessoas para darem seu melhor, porque o Miguel é uma estrela e gosta que todo mundo seja estrela e que o sucesso aconteça. Ele cria esse clima leve, pois não tem nada de grosseiro. Ele é muito moleque, profissional, muito light e divertido. Apesar de o clima ser rigoroso e cheio de horários, coreografias, canto, dança e etc, o Miguel cria uma atmosfera de leveza, em que as coisas fluem. Tenho certeza de que o musical vai ser um sucesso!”.

Saiba mais sobre o projeto educacional do Sesi-SP em teatro musical: www.sesisp.org.br/Cultura/teatro-musical-espetaculo.htm

Leia mais

>>> Em ritmo ‘puxado’, elenco de ‘A Madrinha Embriagada’ ensaia para estreia no Teatro do Sesi-SP

>>> Fio condutor em ‘A Madrinha Embriagada’, Ivan Parente fala sobre andamento dos ensaios antes da estreia