imagem google

‘Esse é um tema de extrema importância para o futuro, uma agenda propositiva para o combate à pobreza’, afirma diretor da Fiesp em workshop sobre desenvolvimento

Mario Hirose foi um dos participantes do evento Guia SDG Compass – Integração dos ODS na Estratégia Empresarial, realizado nesta quarta-feira (17/10)

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Tempo de pensar no futuro e fazer o que estiver ao alcance de cada um para que o mundo evolua. Com esse objetivo, foi realizado, nesta quarta-feira (17/10), na sede da Fiesp, em São Paulo, o Workshop do Guia SDG Compass – Integração dos ODS na Estratégia Empresarial. A meta era ajudar os empreendedores a colocar em prática os chamados 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, uma agenda focada em 2030.

O evento foi aberto pelo diretor da divisão de Economia Circular do Departamento de Desenvolvimento Sustentável (DDS) da federação, Mario Hirose.  “Esse é um tema de extrema importância para o futuro, uma agenda propositiva para o combate à pobreza”, disse. “Ninguém pode ficar de fora:  os 17 ODS são fundamentais”.

Hirose afirmou que a Fiesp assinou um acordo de cooperação técnica nesta terça-feira (16/10) com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços para conjugar esforços para promover os ODS no âmbito industrial. “Temos que compartilhar todas as informações para o desenvolvimento dessas diretrizes até 2030”, disse.

Ele citou como exemplo dessa tendência a decisão de uma Indústria de ajudar os funcionários a economizarem com a conta de luz em casa. “Cada colaborador apresentava a sua conta e a empresa ajudava a traçar uma estratégia de economia”, disse.

No dia a dia

Assessora na Rede Brasil do Pacto Global, Bárbara Dunin apresentou os ODS para os participantes do workshop. “É muito importante ter o apoio da Fiesp para esse treinamento em São Paulo”, disse. “Precisamos explicar o que são os ODS e como aplicar essas metas no dia a dia”.

Assim, o chamado Compass é um guia de cinco passos sobre como lidar com os ODS. “As empresas devem priorizar aqueles ODS mais ligados aos seus negócios e objetivos estratégicos”, disso. “Os 17 são importantes, claro, mas cada um pode cuidar daqueles ligados ao seu trabalho”.

Segundo Bárbara, o desenvolvimento sustentável tem que ser capaz de equilibrar inclusão social, desenvolvimento econômico e sustentabilidade ambiental.

Nessa linha, os 17 ODS foram apresentados na Semana Geral das Nações Unidas em setembro de 2015. “Agora temos uma agenda holística para 2030, sem deixar ninguém para trás”, disse. “Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável da ONU inclui os ODS”.

Para saber quais são os 17 ODS, é só clicar aqui.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544434211

Hirose, ao microfone, no workshop: necessidade de ação com foco no futuro. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp