imagem google

Entrevista: gestores falam sobre a participação paulista no Inova Senai 2014

Competição é uma das atividades da edição 2014 da Olimpíada do Conhecimento, em setembro

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Dos 50 projetos selecionados para a próxima edição do Inova Senai, competição que premia as melhores criações desenvolvidas em escolas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de todo o Brasil, um total de 19 tem origem na regional de São Paulo – o Senai-SP.

De acordo com o gerente de Inovação e de Tecnologia do Senai-SP, Osvaldo Lahoz Maia, o número representa um crescimento de 14% na participação paulista ante 2012. “Podemos afirmar que esse aumento é fruto de maior consciência de professores e alunos para a inovação bem como o desenvolvimento de novos produtos e processos”, analisa Maia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1603780600

Osvaldo Maia (gerente de Inovação e de Tecnologia do Senai-SP) e Renata Ponçano (coordenadora) lideram o Inova Senai na regional em São Paulo. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


No Inova Senai, que acontece de 3 a 6 de setembro, como parte da Olimpíada do Conhecimento, em Belo Horizonte, os projetos são apresentados ao público geral e a um grupo de especialistas em prospecção de mercado que avaliam o potencial de se tornarem um produto comercial.  O evento premia as criações mais bem avaliadas.

Os 50 projetos foram selecionados em um universo de 240 ideias analisadas por uma banca que levou em consideração critérios como viabilidade do projeto e inovação. E disputam prêmios, no valor de R$ 2 mil, nas categorias tecnologias industriais (produto e processo), tecnologias educacionais, tecnologias inclusivas e voto popular.

Nessa entrevista, Osvaldo Lahoz Maia e Renata Ponçano, coordenadora do Inova Senai do Departamento Regional de São Paulo (DR-SP), falam sobre a participação do Senai-SP na iniciativa.

Dezenove projetos desenvolvidos pela regional São Paulo foram selecionados para o Inova Senai. Houve um aumento do número de projetos em relação à edição de 2012? Esse aumento é representativo do investimento do Senai-SP no estímulo à prática inovativa em suas escolas? 

Osvaldo Lahoz Maia – Em relação à última edição da etapa Nacional do Inova Senai, ocorrida em 2012,  houve um crescimento de 14% na quantidade de projetos aprovados. Nesta edição, o Departamento Regional de São Paulo (DR-SP) [o Senai-SP] representa 38% do total da exposição, sendo a maior delegação de São Paulo já participante e a maior delegação desta edição no Inova Nacional. Com base nestes dados, com certeza, podemos afirmar que esse aumento é fruto de maior consciência de professores e alunos para a inovação bem como o desenvolvimento de novos produtos e processos.

A qualidade dos projetos melhorou em relação a anos anteriores? E em que aspectos?

Renata Ponçano –  Sim, sensivelmente. Pois houve melhor entendimento das necessidades da indústria e isso se refletiu na melhoria dos projetos e no desenvolvimento de suas tecnologias. A inserção e absorção de conceitos de inovação em toda a cadeia envolvida no desenvolvimento dos projetos proporcionou um aumento qualitativo nos resultados provenientes das ideias dos alunos que, cada vez mais, mostram-se aplicáveis à realidade das corporações.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1603780600

Osvaldo Maia e Renata Ponçano: inovação e empreendedorismo fazem parte do esforço do Senai-SP em formar melhores profissionais em nossos cursos. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Quantos projetos já tiveram ou estão em vias de pedir registro de patente? 

Renata Ponçano –  Atualmente contamos com 53 pedidos de patentes (invenção e modelo de utilidade) e/ou registros de desenhos industriais de projetos provenientes do Inova Senai. Dos projetos apresentados na edição Estadual de 2013, temos 29 em processo de proteção, dos quais 10 estarão presentes na etapa nacional do Inova Senai deste ano.

Como o Senai-SP tem incentivado, entre alunos e professores, uma mudança de visão na formulação de projetos, de um formato mais acadêmico para uma visão de mercado? 

Osvaldo Lahoz Maia – O Senai-SP tem feito diversas ações de incentivo neste sentido. Uma delas e de maior destaque são os cursos de recesso para docentes nas áreas de propriedade intelectual, projetos, criatividade e inovação que têm contribuído significativamente na melhoria da qualidade dos projetos e no melhor entendimento e direcionamento das tecnologias desenvolvidas às necessidades do mercado. Outra ação, desenvolvida no âmbito no Inova Senai Nacional e proporcionada pelo Departamento Nacional, é a participação de alunos e professores dos projetos classificados para a exposição em cursos de empreendedorismo desenvolvidos por empresas como a Endeavor e customizados para o público do Senai que prepara os envolvidos para a apresentação em um Fórum de Investimentos que ocorre durante o evento e do qual fazem parte grandes empresários.

Um dos objetivos do Senai-SP é preparar esses profissionais para integrar equipes de inovação nas empresas?

Osvaldo Lahoz Maia – Inovação e empreendedorismo fazem parte do nosso esforço em formar melhores profissionais em nossos cursos. Como resultado disso, nossos alunos, futuros profissionais, estão capacitados a compor equipes de Pesquisa e Desenvolvimento e gestão das empresas.

A ideia é que no futuro a indústria origine a demanda por inovação nas escolas do Senai-SP? De que modo?

Renata Ponçano –  Sim, em verdade isso já está acontecendo pois muitas das ideias de alunos e professores são inspiradas em demandas atuais e reais da indústria.