imagem google

Entre sorrisos e lágrimas, vencedores comemoram ouro na São Paulo Skills

Emocionados, medalhistas dedicam conquista a professores e familiares. E já estão de olho no Mundial de 2015

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Beatriz Luna Lourenço não conseguia disfarçar a tensão momentos antes do anúncio que provocou uma explosão de alegria de seus colegas da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) em Bauru.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1615288828

A vencedora Beatriz Luna, emocionada, é cumprimentada pelos medalhistas de prata Willian Carvalho Santarello e Kelvin de Amorim Andrade Lopes. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


A menina, de apenas 17 anos, vencedora em Impressão Off-set, integra a lista de medalhistas de ouro em 55 modalidades do São Paulo Skills, maior torneio de educação profissionalizante do país. A cerimônia de premiação aconteceu na tarde de domingo (29/09) no Palácio de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

“É a conquista da minha vida. É a partir do meu esforço”, resumiu ao falar com a reportagem, ainda com as lágrimas escorrendo sobre o rosto.

Ela dedica a conquista ao seu padrinho, que há cerca de dois anos a inscreveu na escola “João Martins Coube”.

Os treinos começaram há sete meses. Dali saiu para o alto de um pódio composto por competidores masculinos. “Começava o dia às sete da manhã e terminava somente às 10h30, todo dia.”

>> Veja a lista completa com todos os medalhistas nas 55 modalidades no São Paulo Skills

Outra competidora, Luciana Martinez de Oliveira, da escola “Horácio Augusto da Silveira”, unidade do Senai-SP no bairro da Barra Funda, em São Paulo, ouro em Panificação, disse ter ficado surpresa com a premiação. “Achava que outra pessoa ia ganhando”, reconheceu. “Agora tenho que treinar mais. Vou para o Nacional e quero o primeiro lugar de novo”, disse, sem esconder a confiança, depois de dedicar a medalha à família e ao treinador, Wilson Pagiatto.

Yuri Durighetto Coelho De Oliveira, da escola “Ary Torres”, de Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, superou 16 concorrentes na modalidade Metrologia Dimensional. “É inacreditável. Foi a melhor coisa da minha vida. É muita emoção. Larguei mão de família e amigos só para ficar treinando”, disse ele, que promete dedicação integral para ganhar seu lugar na competição nacional. “Dedico essa medalha à minha família e, principalmente, à minha escola, base para tudo.”

Melhor que o Corinthians

Na opinião de Fernando Marcos José Reis Silva, ouro em Funilaria Automotiva, a sensação de subir no alto do pódio é melhor que a de ter visto seu clube de futebol, o Corinthians, vencer o Mundial da Fifa em 2012.

“Eu nunca vou me esquecer desse dia”, jurou o estudante da escola do Senai-SP “Conde José Vicente Azevedo”, no bairro do Ipiranga, atribuindo metade da medalha ao professor Francisco Ivo, responsável pelo treinamento.

Os também corintianos Felipe de Oliveira e Gabriel da Silva Lopes Sousa, ambos da unidade “Frederico Jacob”, no Tatuapé, concordam. “Aqui é você, é o resultado do seu esforço”, comparou Felipe, explicando que não é um torcedor fanático.

Felipe, ouro em Mecânica de Manutenção, disse que, apesar de ser referência nesse ocupação, sua escola ainda não tinha conquistado o lugar mais alto do pódio na modalidade. Ele disse que sabia ter feito uma boa competição, mas achou que seu desempenho ruim na prova final poderia comprometer o resultado.

“Achava que nem medalha eu ganharia. Graças a Deus eu consegui. Sempre fui um aluno dedicado. Sou de família humilde. Sempre priorizei o estudo. Quero melhorar muito e dar uma condição melhor para a minha família. Conhecimento é algo que ninguém tira de você”, observou o rapaz de 18 anos, recordando onde surgiu a motivação para participar da competição. “No primeiro dia de aula no curso profissionalizante eu vi uma faixa cumprimentando uma aluna por uma medalha. Eu disse para mim mesmo: ‘um dia quero estar nesse lugar. Eu nem sabia direito o que era”, admitiu, rindo.

Seu companheiro de escola, Gabriel, ouro em Eletrônica Industrial, de apenas 17 anos, teve que superar outros 28 competidores. “Nem estava tão confiante. Só quando recebi a medalha é que caiu a ficha. Aí passou pela cabeça todo o treinamento, as adversidades”, disse ele, elogiando os competidores que derrotou. “Todos são alunos bons. O preparo psicológico é que diferencia”, afirmou, explicando que ter feito um simulado sob o olhar de outras pessoas contribuiu muito para que ele pudesse suportar a pressão de participar da São Paulo Skills em pleno Anhembi.

Dedicação para realizar sonhos

Vencedor em Design Gráfico, Carlos Eduardo Camargo de Araújo Silva, de 17 anos, contou que foram oito meses de treinamento, dos quais 45 dias da reta final em período integral, inclusive aos domingos.

“O nome dessa medalha é dedicação. Com dedicação você realiza seus sonhos”, destacou o aluno da escola “Suíço-Brasileira Paulo Ernesto Tolle”, unidade do Senai-SP em Santo Amaro, no bairro paulistano na zona sul.

Primeiro aluno a colocar a medalha no pescoço na cerimônia de premiação, Thiago Augusto Blanco da Costa dedicou a medalha aos seus companheiros de equipe da escola “João Martins Coube”, do Senai-SP de Bauru.

Ele foi o campeão em Aplicação de Revestimentos Cerâmicos. Mas chegou a temer pelo resultado no último dia. “Minha adversária não estava muito bem, mas foi bem no último dia e chegou perto da minha pontuação.”

“É uma sensação que não dá para descrever”, disse, sobre o momento em que ouviu seu nome anunciado pelo mestre de cerimônias.

Mailson Valério de Oliveira, da escola “Roberto Simonsen”, no bairro do Brás, na zona leste de São Paulo, foi o vencedor em uma modalidade estreante, Construção de Moldes – CNC, em que os competidores trabalham com moldes, injeção de peças em polímero. “Foi uma surpresa. Estava muito disputado entre eu e o representante de Osasco. Na hora que ouvi meu nome, comecei a chorar”, confessou o vencedor, dedicando a medalha à família, à equipe e ao professor Bruno Yuji.

Outro representante da “Roberto Simonsen”, Abner Colombati Pereira, disse que foi um desafio vencer por uma escola que tem como principal vocação os cursos na área mecânica. “Cada gota de suor se transformou nisso aqui. É sensacional”, disse, segurando a medalha. Ele dedica a medalha à treinadora Alessandra Wozniak Lira. “Eu me preparei bastante para tornar isso possível. Meu maior sonho, agora, é ser campeão no Mundial de 2015.”

Jonas Lucas dos Reis Teixeira, da escola “Oscar Rodrigues Alves”, unidade do Senai-SP no bairro do Ipiranga, em São Paulo, ganhou em Mecânica de Refrigeração. “Essa medalha mostra que a gente tem que correr atrás quando acha que algo pode acontecer.”

Clique aqui e conheça todos os vencedores do São Paulo Skills 2013.