imagem google

Empreendendo em casal: empresários contam como conciliar a vida em casa e nos negócios

Aliar a vida afetiva e profissional exige equilíbrio e disciplina para separar os papéis atribuídos a cada um. Em compensação, é a oportunidade ideal para fortalecer a parceria e conquistar novos objetivos

Isabel Cleary, Agência Indusnet Fiesp

Para alguns casais, a responsabilidade da vida a dois transcende os cuidados com a casa, extendendo-se para o campo dos negócios. Trabalhar com o companheiro pode ser um grande desafio para os que desejam manter a boa relação no lar e na empresa e, consequentemente, desfrutar dos benefícios de uma boa sociedade. Foi pensando neste modelo de atividade que o Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp e o Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) do Ciesp promoveram, no último dia 17/11, o bate-papo on-line com casais empreendedores, que compartilharam suas experiências nos negócios a dois e como enfrentaram os desafios que ameaçam os objetivos da empresa.

Entre os convidados, Carla Sarni e Cleber Soares, fundadores da Sorridents, franquia de consultórios odontológicos, com cerca de 200 unidades só no estado de São Paulo. O casal, que mantêm a parceria há mais de 20 anos, contou que o início da sociedade foi marcado por diversos conflitos em casa e na empresa. Na ocasião, a solução encontrada foi contratar uma coach especializada, que auxiliou os sócios a encontrar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. “É utopia você achar que os conflitos na empresa não serão trazidos para casa. Para nos entendermos, foi necessário compreender como os nossos perfis são diferentes e como um complementa o outro na empresa”, explicou Sarni.

Para Cleber, um dos principais fatores para o sucesso da parceria é ter em mente que empreender em casal é fazer negócios em família, e isso deve estar alinhado à um propósito de vida comum. “Quando você olhar para trás e ver tudo o que o casal construiu junto, e entender a responsabilidade da empresa em prol da sociedade, da geração de emprego e principalmente em prol da família, é aí que o casal começa a ter respeito pela relação”, ressaltou.

O casal Adriana e Daniel Miglorancia, fundadores da rede Nutty Bavarian, que possui 140 franquias no país, também reforçou que as divergências são inevitáveis. Foi no início da pandemia da Covid-19 que o casal enfrentou um dos principais desafios da sociedade: com toda a operação localizada em shopping centers, aeroportos e rodoviárias, foi o momento de reinventar e buscar novas oportunidades para a empresa e a relação. “A minha maneira de ver toda a situação foi diferente da dela. A Adriana teve a ideia de separamos a empresa por mercados, e eu fui buscar novos negócios. Essa estratégia deu super certo e garantimos a nossa operação”, descreveu o empresário.

Para garantir a harmonia nos novos projetos e desafios, o casal ressaltou, ainda, a importância de ambos estarem alinhados nos valores éticos, pois eles transcendem os negócios. Outra dica foi manter a particularidade de cada um, ou seja, coisas que são importantes para um, que o outro não faça parte: viagens, cursos e projetos pessoais, por exemplo. Para Daniel, essas práticas fazem parte do caminho para o sucesso do empreender como casal, e que é importante persistir, pois os resultados são extremamente positivos. “Diferente do que imaginam, para mim é muito legal empreender em casal, e isso me ajudou a manter o casamento, pois uma conquista da empresa é também uma conquista do casal”, destacou.

Para assistir a live completa clique aqui.