imagem google

Emoção marca aula inaugural no Senai-SP para turma de egressos do sistema prisional

Parceria da Fiesp, Senai, AfroReggae e Sindipan dará curso de panificação e ajudará egressos do sistema prisional a reingressarem no mercado de trabalho

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

A segunda-feira (16/09) foi um dia especial na vida de uma turma de alunos da escola Horácio Augusto da Silveira, unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), especializada na área de alimentos e panificação.

Dez alunos – nove homens e uma mulher – deram o primeiro passo para o recomeço de suas vidas. Trata-se da primeira turma do curso de panificação formada por alunos egressos do sistema prisional.

O curso, o primeiro nesses moldes no estado de São Paulo, é fruto do projeto Empregabilidade, uma das iniciativas da parceria anunciada no mês de abril pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, em parceria com o Senai-SP e com a organização não-governamental AfroReggae.

A Fiesp tem o papel de mobilizar os sindicatos filiados para que os alunos saiam do curso profissionalizante do Senai-SP com a possibilidade de um emprego formal. A primeira entidade parceira é o Sindicato da Indústria de Panificação e Confeitaria de São Paulo (Sindipan).

Na cerimônia de boas vindas aos alunos, o diretor do Departamento de Ação Regional da Fiesp, Sylvio Alves de Barros Filho, se emocionou falar da iniciativa. “A oportunidade é muito importante, não só pelo projeto-piloto em si, mas, principalmente, por parte de vocês [alunos], que serão exemplos para que outras pessoas possam fazer o mesmo caminho”.

Sylvio de Barros explicou que os alunos contarão com uma bolsa-auxílio, com base nos recursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), além de todo um acompanhamento adequado à sua realidade. Leia mais.

Chinaider Pinheiro, coordenador de inclusão no mercado de trabalho da ONG AfroReggae, se disse  feliz por trazer o projeto para São Paulo, pois recebia muitos pedidos de pais e mães de ex-detentos que não conseguiam oportunidades de empregos aqui. “Sabia que iria ser difícil mas fiquei encorajado quando soube pelo José Junior [coordenador executivo do AfroReggae] que, aqui, havia outra instituição por trás nos fortalecendo, que é a Fiesp”.

Segundo Pinheiro, os alunos da turma inicial são protagonistas de uma nova história. “São vocês que conquistarão o espaço do projeto ‘Empregabilidade’ no estado de São Paulo. São vocês que vão trazer esperança para cada família de egresso que passa dificuldade na vida social.” Leia mais.

No rosto dos alunos, a emoção era visível. Em especial para M., a única mulher do grupo, e W., o mais velho da turma. Entre sorrisos e lágrimas, eles afirmaram, em entrevista à reportagem, que não vão desperdiçar a oportunidade. E garantem: vão fazer história. Seus nomes completos foram preservados, a pedido deles, que dizem sofrer preconceito. Leia mais.

Oportunidade para o setor

Abraçar a iniciativa é uma ação de responsabilidade social para as empresas do setor de panificação, acredita, com conhecimento de causa, o diretor técnico do Sindipan, Luís Carlos de Souza.  Ele citou sua bem sucedida experiência de empregar um egresso do sistema prisional e fala da importância da confiança neles, já que todos têm o direito a uma oportunidade.  Leia mais.

Souza parabenizou a Fiesp, o Senai-SP e o AfroReggae, mas principalmente, os alunos. “Sei que não é fácil tentar se reintegrar à sociedade e participar de um curso de 200 horas”, afirmou, dizendo que tem certeza que valerá a pena.

Para Ciro Bueno, diretor do Comitê dos Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, o projeto reflete a responsabilidade social de empresários empreendedores, como os do setor da panificação. A iniciativa, segundo ele, traduz a própria visão empresarial humanística do presidente da Fiesp, Paulo Skaf.

“A turma de panificação é o primeiro caso de sucesso. Mas temos certeza que terão vários outros e a gente vai atingir o êxito total nesse projeto”, afirma. Leia mais.