imagem google

Em reunião da Fiesp, ex-atleta olímpica afirma que o esporte tem muito a ensinar

Fabiola Pulga Molina participou de reunião do Comitê da Cadeia Produtiva do Esporte

Alex de Souza, Agência Indusnet Fiesp

O Comitê da Cadeia Produtiva do Esporte da Fiesp (Code) ouviu a secretária nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social (SNELIS) da Secretaria Especial de Esportes do Ministério da Cidadania, Fabiola Pulga Molina, em reunião realizada na quarta-feira (28/4), por videoconferência, e dirigida pelo diretor do Code, Mario Frugiuele.

A ex-nadadora, que disputou três Olimpíadas, disse ter sido inesperada sua nomeação para a secretaria, mas por enxergar a possibilidade de contribuir com sua experiência dentro do esporte aceitou o cargo. “Trata-se de uma oportunidade única. Sabemos que não vamos mudar o Brasil por completo, mas algo que podemos fazer é plantar sementes, razão pela qual encarei o desafio”, explicou Fabiola, acrescentando que “ver as crianças atendidas faz tudo valer a pena”.

Embora sem qualquer experiência anterior na administração pública, Fabiola afirmou estar aprendendo muito na secretaria, e entende que o bom andamento do trabalho requer metas bem definidas, o envolvimento e a capacidade técnica de toda a equipe. “Ter pessoas qualificadas trabalhando com você faz toda a diferença, e além disso temos claros nossos objetivos, que são fomentar o esporte nacional de participação e lazer, e contribuir para o exercício da cidadania”, afirmou.

A secretaria tem forte viés de promoção da inclusão social e ampliação do acesso ao esporte educacional. Nesse sentido, Fabiola mencionou diversos programas, articulados em parcerias com órgãos municipais. “Em 2020 foram formalizadas 117 parcerias no âmbito do desporto educacional, perfazendo um valor total de R$ 61 milhões”, disse a ex-atleta.

Alguns dos principais programas e projetos apresentados por ela são o Segundo Tempo, Skate na Escola, Formando Campeões, Craque do Amanhã e o Esporte sem Fronteiras. E Fabiola também destacou ações conjuntas com outras pastas: “Temos programas interministeriais, parcerias com o Ministério da Justiça, Ministério da Educação, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e até mesmo com o Ministério da Defesa”.

A secretária explicou que, no âmbito do esporte educacional, 85% dos estados brasileiros possuem hoje um ou mais convênios vigentes, que totalizam 147 parcerias, 81 delas referentes ao programa Segundo Tempo. “Os esportes mais praticados nesse convênio são o futsal e o futebol, seguidos pelo voleibol, handebol e skate, nas primeiras cinco posições. E depois vem o basquete, atletismo, natação, jiu-jitsu, ginástica rítmica, judô e capoeira, no total de 70 modalidades atendidas”, contabilizou ela.

Por fim, Fabiola disse que uma das apostas para levar o esporte para mais pessoas é trabalhar forte com os Jogos Escolares Brasileiros, que são realizados em três níveis. “Se conseguirmos atrair grande número de participantes na etapa municipal, teremos competições de nível mais elevado nos âmbitos estadual e nacional”, completou a secretaria, afirmando que “o esporte tem muito a ensinar a nossas crianças e jovens, sendo uma ferramenta de promoção da cidadania”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1620697743

Secretária nacional de Esporte, Educação, Lazer e Inclusão Social participou de reunião na Fiesp e apresentou os programas e parcerias do órgão. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp