imagem google

Em evento pela infância com Temer e o rei da Suécia, Skaf afirma que reformas criarão grandes oportunidades para as crianças

Presidente brasileiro elogia trabalho do Sesi-SP e do Senai-SP na educação durante o Global Child Forum, realizado na Fiesp

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

“Nossas crianças poderão ter no futuro grandes oportunidades graças às mudanças pelas quais o país está passando”, disse nesta terça-feira (4 de abril) o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, ao abrir o Global Child Forum on South America. Realizado no prédio da Fiesp, o evento teve a participação do rei da Suécia, Carl XVI Gustaf, e do presidente do Brasil, Michel Temer.

Em seu discurso, Skaf agradeceu a Temer e à primeira-dama Marcela a ida à Fiesp – a casa da produção, do emprego, da inovação, do desenvolvimento, destacou – e saudou o presidente pelas reformas em curso, que, lembrou, darão oportunidades a milhões de crianças brasileiras no futuro. Cumprimentou Temer “pela coragem, pela determinação em promover as reformas estruturais tão necessárias ao Brasil e que vão criar condições favoráveis à retomada do crescimento econômico, com geração de empregos, renda, oportunidades de empreendedorismo.”

Skaf frisou a importância do fórum, por debater a proteção às crianças do Brasil e do mundo. “São o nosso maior patrimônio e precisamos cuidar bem delas, combatendo a prostituição infantil e qualquer tipo de agressão às crianças.” Também, afirmou, é preciso criar condições e oportunidades para que elas tenham um futuro.

“Além desta casa representar os setores da produção e do emprego, temos um trabalho muito forte direcionado às crianças do nosso país, especialmente do Estado de São Paulo”, disse Skaf, referindo-se ao Sesi-SP e ao Senai-SP, ambos presididos por ele. As escolas do Sesi-SP e do Senai-SP, com professores dedicados e capazes, dão educação de qualidade, afirmou Skaf – e não apenas na sala de aula. Nas quadras também, com esporte, nas atividades culturais e na boa alimentação. “É aquela educação completa, que vai formar o bom cidadão do futuro.”

No dia a dia, a indústria de São Paulo, com mais de um milhão de alunos a cada ano nas escolas do Sesi-SP e do Senai-SP, dá a eles conhecimento e educação de qualidade, disse Skaf.

Em seu discurso, o presidente Michel Temer reconheceu o valor do Sesi-SP e do Senai-SP. “Homenageando a Fiesp e o presidente Paulo Skaf, eu quero ressaltar o trabalho que o Sesi e o Senai fazem em prol das crianças brasileiras, dando educação, saúde e alimentação”, disse Temer.

O presidente da República sancionou no palco do Teatro do Sesi-SP, local da cerimônia de abertura do Global Child Forum, lei que amplia a proteção a crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência. De autoria da deputada Maria do Rosário, explicou Temer, o projeto foi relatado no Senado por Marta Suplicy.

Temer se referiu a Skaf no início de seu discurso. Afirmou ser uma honra especialíssima participar da abertura do fórum, que, destacou, era realizado pela primeira vez na América do Sul. A criança, disse, deve ocupar lugar especialíssimo. “Ela representa o futuro e personifica a esperança; ao mesmo tempo é vulnerável e requer proteção”, afirmou. “Amparar a criança é cultivar o presente para um amanhã melhor.”

Antes de tudo, esse amparo é dever do Estado, mas é também dos empresários, das ações civis, dos trabalhadores, dos acadêmicos e outros setores que o fórum mobiliza em torno da grande causa comum, que é a defesa da infância, que precisa se estender a vários aspectos. Há múltiplas responsabilidades, afirmou, porque são múltiplos os desafios e as ameaças.

Skaf com a rainha Silvia, o rei Carl XVI Gustav, o presidente Michel Temer e Marcela Temer durante o Global Child Forum. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Skaf com a rainha Silvia, o rei Carl XVI Gustaf, o presidente Michel Temer e Marcela Temer durante o Global Child Forum. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


No Brasil, lembrou Temer, essa proteção tem sido há muito tempo política de Estado. O avanço vem de longa trajetória. Citou a proteção constitucional e o Estatuto da Criança e do Adolescente, além do programa dos anos 90 de erradicação do trabalho infantil e da universalização do Ensino Fundamental. Citou os primeiros programas de transferência de renda atrelada ao aproveitamento escolar e ao acompanhamento da saúde pré-natal. Depois, o fortalecimento do Bolsa Família, e mais recentemente, a complementação de renda para famílias com filhos na primeira infância. E até o final de 2018, 4 milhões de crianças de 0 a 3 anos serão acompanhadas semanalmente por visitadores, graças ao programa Criança Feliz.

O trabalho infantil diminuiu vertiginosamente nos últimos 20 anos. Também a mortalidade infantil e o número de crianças na extrema pobreza tiveram redução muito significativa. Mas, frisou, “muito resta a fazer”.

Não deve haver nenhuma criança sem educação de qualidade nem sem atendimento de saúde. “Não podemos nos distrair”, afirmou. O Brasil começa a sair de sua maior crise, que afetou mais fortemente os segmentos mais vulneráveis da população. “As crianças não foram exceção”, disse, citando o preocupante crescimento da incidência do trabalho infantil de 2013 a 2015.

“O bem-estar das crianças exige eterna vigilância”, o que pressupõe um Estado com as contas em dia, com condições de investir em programas sociais. “Exige responsabilidade social”, disse Temer, e a necessidade de responsabilidade fiscal. Continuamos a construir nas bases das últimas décadas. O Brasil continua agindo em favor de suas crianças, disse, Lembrou a saúde, com a ampla distribuição de vacinas gratuitas. A Rede Cegonha deve cobrir 100% das gestantes, para atenção ao parto e à saúde da criança. Universalizado o acesso ao Ensino Fundamental, agora se persegue o mesmo no Médio, que passa por reforma,

Trabalho infantil teve mais de 5.700 inspeções em todo o Brasil. Crimes envolvendo crianças, inclusive a violência doméstica e exploração sexual, são combatidos. A deputada Maria do Rosário criou projeto, relatado por Marta Suplicy no Senado, a ser sancionado no mesmo dia, disse se dirigindo a Skaf, para reforçar as garantias a jovens vítimas ou testemunhas de violência. Assinou a lei no palco.

Olhando para a frente se veem muitos desafios, disse Temer, que serão enfrentados com muita determinação. É nosso dever manter viva a esperança criada quando nasce uma criança, disse. “Contem com todo o apoio do governo brasileiro e de toda a sociedade brasileira” na jornada de proteção à infância, finalizou, dirigindo-se aos participantes do fórum.

O rei da Suécia, presidente honorário do Global Child Forum, agradeceu a Temer por ter posto em sua agenda a proteção à criança brasileira. “Nossa visão é de um mundo em que os direitos das crianças sejam respeitados”, afirmou. Governos são importantes, mas também é necessário o envolvimento das empresas, daí o Global Child Forum abranger os empreendedores, explicou. Pediu fortemente a todos que aproveitassem o fórum para se conectar e trocar ideias.

Criado em 2009, o Global Child Forum apoia a Convenção da ONU sobre os Direitos das Crianças. Seu objetivo é reunir líderes de empresas, especialistas, ONGs, governo e universidades num esforço conjunto para implementar e discutir os direitos das crianças e como novos modelos de negócios podem ser desenvolvidos para enfrentar os crescentes desafios.