imagem google

‘É fundamental retomar o crescimento industrial a curto prazo’, diz ministro da Indústria, Comércio e Serviços em seminário na Fiesp

Marcos Pereira foi um dos participantes, na manhã desta segunda-feira (19/09), do seminário “Perspectivas para a economia brasileira nos próximos anos”

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Em debate sobre como recuperar o crescimento econômico, na manhã desta segunda-feira (19/09), no seminário “Perspectivas para a economia brasileira nos próximos anos”, na sede da Fiesp, em São Paulo, o ministro da Indústria, Comércio e Serviços, Marcos Pereira, destacou a importância de investir em produtividade.

Pereira afirmou ainda que estão em andamento quatro reformas no país: trabalhista, tributária, previdenciária e política. “A previdenciária e a política são as mais urgentes, devem ser aprovadas com mais agilidade”, disse. “Estamos investindo em desburocratização”.

Entre essas ações, o ministro citou o programa “Brasil mais produtivo”, tocado em parceria por um conjunto de 22 órgãos públicos ou privados para dar consultoria para pequenas empresas. “Ajudamos essas empresas a rever seus processos produtivos e fazer uma manufatura enxuta”.

Para Pereira, tudo o que eleva o chamado custo Brasil atrapalha a produtividade das empresas. Entre as ações para minimizar esses problemas, ele citou o novo portal único de comércio exterior, criado para facilitar os processos de exportação e importação. “Precisamos elevar a eficiência também dos entes que trabalham com atividades de fiscalização e regulação”, afirmou. “É nessa linha que nós precisamos avançar”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1568984699

Pereira: desafio de aumentar a eficiência em todas as esferas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Ainda no que se refere às relações internacionais, o ministro citou as negociações de acordos bilaterais de comércio com a Colômbia e o Chile, um acordo automotivo com a Argentina e o aprimoramento do programa Reintegra, que prevê a reintegração de valores tributários.

“O nosso ministério quer construir uma política industrial realista, feita com as entidades de representação das indústrias, melhorar o ambiente de negócios e as exportações”, afirmou. “É fundamental retomar o crescimento industrial a curto prazo, aumentar o nível de emprego e de renda”.