imagem google

Thomaz Zanotto comenta as mudanças nas regras de importação de insumos

Para o diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp, a medida do governo é um grande avanço

Agência Indusnet Fiesp

A  flexibilização do regime de “drawback suspensão” — medida que zerou os tributos de importação de insumos utilizados na produção de produtos que serão exportados — foi comemorada por vários setores da indústria.

Para o diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da entidade, Thomaz Zanotto, a iniciativa é uma antiga reivindicação da indústria e, portanto, há motivos para comemorar. “Sem dúvida essas novas regras são um avanço e facilitam muito a vida da empresa que quer exportar”, afirmou em reportagem ao Diário do Comércio.

Ao jornal O Estado de S.Paulo, Zanotto explicou a alteração na modalidade de isenção destinada à reposição de matéria-prima: “Não tem mais matéria-prima carimbada para exportação. Se a empresa tiver em estoque a matéria-prima, pode usar e depois importa. Não faz diferença desde que a conta feche”.

Para ler as reportagens na integra, acesse os portais do Diário do Comércio e do jornal O Estado de S.Paulo.