imagem google

Dani Lins e Fabiana (Sesi-SP) dão show e Brasil é ouro em Londres

Atletas do Sesi-SP têm atuações brilhantes na conquista do bicampeonato olímpico – brasileiras venceram de virada a forte equipe do Estados Unidos por 3 sets 1. Outra jogadora do Sesi-SP também sobe ao pódio (Tandara)

Imagem relacionada a matéria - Id: 1611653950

Jaqueline (08), Thaisa, Sheilla, Dani Lins (camisa 3), Fabi (14) e Fernanda Garay.

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O Brasil é ouro no vôlei feminino. Em virada sensacional, a equipe do técnico José Roberto Guimarães superou o mau começo no primeiro set e bateu por 3 sets a 1 (11/25, 25/17, 25/20 e 25/17), no ginásio de  Earls Court, o até então invicto time dos Estados Unidos da América (EUA) em uma hora e quarenta minutos de jogo.

Entre os muitos destaques da equipe brasileira na partida está a atuação da levantadora Dani Lins, com atuação de gala. A atleta do Sesi-SP liderou a equipe, mostrando muita segurança nas variações de jogadas, tanto pelo meio de rede como pelas pontas, ajudando ainda com saques táticos que criaram dificuldades para o passe americano. A camisa 3 marcou ainda dois pontos.  

A central Fabiana Claudino, nova contratação do Sesi-SP para a temporada, foi outro destaque, com 14 pontos, sete de ataque e sete de bloqueio. A oposta Tandara, outro reforço do Sesi-SP, entrou em alguns momentos do jogo, marcando um ponto. A maior pontuadora do Brasil foi a atacante Jaqueline, com 18 pontos, seguida de Sheilla, com 15.

O título foi comemorado com uma roda de oração e cambalhotas no meio da quadra. Já no alto do pódio, muita alegria, emoção e lágrimas no momento do hino nacional. Ao final, com as medalhas no peito, as brasileiras homenagearam as cinco atletas que participaram dos treinamentos e foram cortadas na final – entre elas, Sassá, atacante do Sesi-SP.

O Brasil jogou com Dani Lins, Sheilla, Jaqueline, Fernanda Garay, Fabiana, Thaisa e a líbero Fabi. Entraram: Tandara, Paula Pequeno, Fernandinha e Adenízia. José Roberto Guimarães conquistou a terceira medalha de ouro olímpica como técnico.

Sob o comando de Hugh McCutcheon, os EUA entraram com Berg, Hooker, Harmotto, Akinradewo, Larson, Tom e a líbero Davis. Entraram: Hodge, Danielle Scott, Miyashiro e Haneef-Park.

O Brasil conquista a sua segunda medalha de ouro consecutiva no vôlei feminino – a primeira foi em Pequim-2008. Entre as bicampeãs está a central Fabiana (Sesi-SP). A medalha de prata ficou com a equipe dos Estados Unidos, também segunda colocada nos Jogos de 2008. A de bronze, com o Japão.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1611653950

Brasil e Estados Unidos ficaram com ouro e prata. O Japão, com o bronze.


No primeiro set, a equipe dos Estados Unidos mostrou seu volume de jogo, enquanto as brasileiras pareciam assustadas. O bloqueio americano funcionou, propiciando vários contra-ataques, abrindo vantagem de 05/01. José Roberto Guimarães pediu tempo, mas os Estados Unidos continuaram bem na defesa e no bloqueio, chegando ao primeiro tempo técnico em 08/03. Errando muitas jogadas de ataque e oportunidades de contra-ataque, o Brasil chegou ao segundo tempo técnico em enorme desvantagem: 16/07. Evitando encarar o bloqueio americano, o Brasil continuou errando muitas bolas – e a equipe de Hugh McCutcheon fechou o primeiro parcial com facilidade impensável: 25/11.

De volta para o segundo set, o Brasil mostrou uma postura mais confiante, abrindo três pontos. Os Estados Unidos empataram, mas o Brasil fez 06/03, forçando um pedido de tempo de McCutcheon, que reduziu para 07/05. Usando o meio de rede, Fabiana fez 08/05 e Jaqueline, 10/06. Em linda bola da levantadora Dani Lins, Fernanda Garay abriu 11/06 da linha dos três metros. Novo pedido de tempo americano funcionou, reduzindo a vantagem para 11/09.  As americanas chegaram ao empate em 12/12.  Sheilla, pela saída de rede, fez 14/12 e 15/12 em largada no fundo.  O segundo tempo técnico veio com 16/12 para o Brasil. Com Dani Lins no saque, o Brasil abriu para 18/12 com Jaqueline. Usando bem as jogadas pelo meio, o Brasil fez 20/14 com Thaisa. O Brasil seguiu bem na partida, abrindo sete pontos (22/15).  Aproveitando o contra-ataque, Fabiana fez 23/15 e chegou ao set point com Fabiana Garay (24/16). O empate veio em jogada do Sesi-SP: Dani Lins para Fabiana fechar em 25/17. Um a um em sets.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1611653950

A festa da equipe e da comissão técnica logo após o ponto final. Brasil 3 a 1 sobre os EUA.

No terceiro set, já aos gritos de “o campeão voltou” nas arquibancadas, o Brasil prosseguiu bem, abrindo 03/01 e 05/02 em bloqueio da principal pontuadora americana, Hooker. O Brasil chegou a 06/02, forçando o primeiro pedido de tempo americano. Os Estados Unidos reduziram a vantagem, mas o Brasil foi o para o primeiro tempo técnico na frente: 08/05. Virando as bolas de ataque, o Brasil chegou aos 12/08 em contra-ataque. O equilíbrio foi mantido e a equipe de José Roberto Guimarães chegou ao segundo tempo técnico com 16/13 em ataque de Fernanda Garay, explorando o bloqueio. Continuando bem em todos os fundamentos, o Brasil abriu quatro pontos de vantagem com 19/15. As americanas reduziram para 20/18. Mas Jaqueline, muito efetiva no ataque, fez 21/18. Sheilla, novamente bem no jogo, fez 23/19 e 25/20. Dois sets a 1.

No quarto set, as meninas brasileiras mantiveram a tranquilidade. Dani Lins fez 04/02 e Fabiana, de bloqueio, 05/02. Hooker errou um saque (06/03), mas os Estados Unidos encostaram em erro de Fernanda Garay (06/05). A própria Fe Garay se redimiu e aproveitou bola difícil para fazer 07/06. Jaqueline, maior pontuadora brasileira, fez o 08/06 para a primeira parada técnica. As americanas continuaram errando muito e o Brasil, exibindo segurança – Fabiana aproveitou contra-ataque para assinalar 13/09. A seleção brasileira chegou a seis pontos de vantagem em bloqueio de Dani Lins (16/10). Em bola de segunda, Dani Lins abriu vantagem para oito (19/11).  As americanas reduziram para 19/14, mas Dani Lins continuou desequilibrando, com boas variações de jogadas. O Brasil chegou a 23/14. O primeiro match point veio com uma Jaque inspiradíssima. O ponto do jogo e do bi olímpico foi assinalado por Fe Garay: 25/11 e Brasil de volta ao lugar mais alto do pódio.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1611653950

Muita emoção no pódio - o Brasil é ouro pela segunda vez consecutiva nos Jogos Olímpicos.