imagem google

Criatec Day, na Fiesp, seleciona empresas com potencial para capitalização e aceleração

Evento funciona como “esquenta” para o Acelera Startup Fiesp, que acontecerá em junho

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

“Participar do Acelera Startup da Fiesp mudou nossa vida”, afirmou o representante da Altave, Leonardo Mendes Nogueira, em entrevista após o Criatec Day – CAF/Fiesp, evento voltado para empresas e empreendedores com projetos inovadores, realizado na entidade, no último dia (26/4).

A Altave foi uma das 9 empresas escolhidas, entre 250, para nova fase de análise, que pode resultar em capitalização e aceleração. A seleção foi realizada pelo fundo de investimentos Criatec 2 em parceria com o Comitê Acelera Fiesp (CAF). “Para nós é uma honra participar de um evento deste porte. Temos consciência que a nossa exposição, depois de termos conquistado o Acelera, ajudou muito a captação de novos negócios”, enfatizou.

A Altave é uma empresa especializada em desenvolvimento de plataformas aeronáuticas, atualmente desenvolvendo rede de balões mais leves que o ar para múltiplas aplicações. A plataforma fará cobertura de sinal de telecomunicações e terá embarcados em seu sistema equipamentos como estações rádio-base (ERB) miniaturizadas, repetidores de sinal (celular e rádio) e câmeras de vigilância.

A apresentação da empresa impactou todos os participantes do evento. De acordo com Leonardo, a empresa busca investimentos entre R$ 6 milhões e R$ 10 milhões para ampliar sua plataforma de trabalho e alcançar o mercado internacional. “Já fechamos um contrato com o governo do Estado do Rio de Janeiro para as Olímpiadas. Agora é ampliar nosso suporte técnico e traçar um destino para o exterior, levando a nossa expertise em inteligência em segurança.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1652807415

Criatec Day - CAF/Fiesp, evento voltado para empresas e empreendedores com projetos inovadores. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Como funciona

O Fundo Criatec 2 é um fundo de investimentos focado no apoio às empresas de inovação e que conta com a participação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de outros cotistas. O fundo possui capital comprometido de R$ 186 milhões para investimento nas empresas de diferentes setores da economia. Entre seus objetivos estão a promoção da capitalização e do crescimento acelerado de empresas com faturamento líquido anual inferior a R$ 10 milhões.

Além do limite de faturamento e atuação na área de inovação, a empresa que submete seu projeto para avaliação precisa dar atenção a aspectos como dedicação da equipe, escalabilidade, barreira de entrada e a necessidade de investimento condizente com o valor a ser investido pelo fundo.

Os setores-alvo do projeto são Tecnologia de Informação e Comunicação, Agronegócios, Nanotecnologia, Biotecnologia e Novos Materiais. Entretanto, o fundo tem interesse em projetos e empresas ligadas a outros setores da economia como, por exemplo, Meio Ambiente, Saúde, Logística, Energia, Defesa & Segurança e Educação.

O Fundo Criatec 2 é gerido pela Bozano Investimentos e pela Triaxis Capital e conta com a participação do BNDES; BNB – Banco do Nordeste do Brasil; Badesul – Banco de Desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul; BDMG – Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais e Banco de Brasília.

Empresas selecionadas

As empresas IQX; Phi Innovations; EiTV; Piggy Peg; Genera; Convenia; Konduto e Ecosynth foram as outras oito selecionadas pelo projeto com objetivo de acelerar o crescimento, implementar boas práticas de gestão e incrementar outras ações. As apresentações, todas muito bem pautadas, mostraram pedidos de investimentos de R$ 3 milhões até R$ 10 milhões.

Ao ser investida, a empresa passa a ser uma Sociedade Anônima, e o Fundo Criatec 2 constitui-se como um de seus acionistas minoritários. Durante o período em que o fundo for acionista, oferecerá apoio profissional na gestão visando favorecer o crescimento da empresa. Após o período de maturação do investimento, o fundo buscará um comprador para a sua participação na empresa e deixará de ser acionista.

Com duração prevista de 10 anos, sendo que os quatro primeiros referem-se ao período de investimentos, o fundo poderá investir até R$ 2,5 milhões em cada empresa, em uma primeira rodada. Os empreendimentos que mais se destacarem poderão receber rodadas subsequentes no valor de até R$ 3,5 milhões. Por não se tratar de um empréstimo, o Fundo Criatec 2 não exige contrapartidas de recursos próprios e nem efetua a cobrança de juros.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1652807415


Pitacos

O Gestor Nacional do Fundo Criatec 2 e partner da Bozano Investimentos, Fernando Wagner Da Silva, sugeriu alguns caminhos para os participantes. “Você empreendedor é o líder da empresa. É fundamental aprender com os erros e valorizar os acertos. Tenha ótimos conselheiros, principalmente alguém que te tire da zona de conforto.”

Segundo ele, tudo isso pode ajudar no sucesso de uma empresa. Lembrou ainda que o empreendedor é o dono e não pode deixar para fazer amanhã o que pode fazer hoje. Por fim, completou: “se você quer chegar rápido, vá sozinho. Mas se quiser chegar longe, vá acompanhado”.

Durante o evento, o painel dos empreendedores mostrou a experiência de ser investido por fundos de venture capital. Participaram os investidores Reinaldo Coelho, Fernando Wagner da Silva e Rodrigo Comazzetto e os investidos Samy Menasce, da Brasil Ozônio, Mitikazu Koga Lisboa, da Hive, e Rodrigo Dantas, da Vindi.

Também participaram do Criatec Day – CAF/Fiesp o representante do BNDES, Carlos Augusto, e o diretor titular do CAF, Sylvio Gomide. Compareceram também os diretores-adjuntos do CAF, Ciro Bueno, Marcos Zekcer e Pierre Ziade e os diretores do CAF Ana Carolina Merighe, Cristiana Arcangeli, Leonardo Roriz Coelho, Lito Rodriguez, Marcos Lorençani, Melhem Skaf, Paolo Fraga e Ruy Barbosa.