imagem google

Copagrem discute desafios do setor de papel, gráfica e embalagem e analisa cenário brasileiro

Em reunião plenária na Fiesp, professor do Insper destaca boa relação entre Executivo e Legislativo

Katya Manira, Agência Indusnet Fiesp

A reunião mensal do Comitê da Cadeia Produtiva do Papel, Gráfica e Embalagem da Fiesp (Copagrem), realizada na manhã desta segunda-feira, 13/6, na sede da entidade, reuniu representantes do setor para discutir o cenário econômico atual e suas consequências para as empresas ligadas às atividades gráficas.

O coordenador do comitê, Fabio Arruda Mortara, abriu o encontro falando sobre a reunião que o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, fez com o presidente interino Michel Temer, na última quarta-feira, 8/6, em Brasília. “Foi um momento muito importante, por isso é necessário transmitir que todos vocês foram representados”, explicou. “[Demos] um voto de confiança que o governo precisava nesse momento em que está sendo tão atacado.”

Na sequência, o diretor executivo da Total Express, Vito Chiarella, fez uma apresentação sobre os serviços e história da empresa e também exibiu dados do setor.  “O mercado de publicações teve queda de 6% no faturamento nos últimos anos, e para este ano vemos uma queda ainda mais desafiadora”, lamenta. “Do ponto de vista financeiro estamos sofrendo bastante.”

Também presente na reunião mensal, o diretor executivo da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Mansur Bassit, divulgou um vídeo sobre a 24ª Bienal do Livro que acontece de 26 de agosto a 4 de setembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Ele falou sobre a importância e o esforço que tem sido feito para que a feira deixe de ser totalmente B2C e aborde também o mercado B2B.

Já o diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp (Derex), Thomaz Zanotto, discursou sobre o cenário de comércio internacional e as mudanças do atual governo na forma de lidar e gerenciar a política de comércio exterior brasileiro. Sobre o novo ministro de Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, ele afirmou se tratar de uma personalidade “hábil, inteligente e com um discurso ideológico contrário ao do Partido dos Trabalhadores (PT)”.  Zanotto afirmou ainda que o câmbio é o principal e grande problema atual. “Há o câmbio, e o todo o resto. Temos que levar a mensagem de que o câmbio é vital para ajudar a resolver todos os outros problemas.”

Por fim, o cientista político e professor do Insper Fernando Schuler traçou um panorama preciso sobre o cenário atual da política brasileiro. De maneira categórica afirmou que “o governo não está em crise. O país está em crise, mas o governo não”.  Segundo Schuler, Temer conta a seu favor com a boa relação com os congressistas, o que favorece a implementação de medidas no governo transitório. “Fazia tempo que não víamos no Brasil um presidente com a maioria no Senado, e ele tem.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1620726438

Reunião plenária do Copagrem, da Fiesp, em 13 de junho, com a participação do professor do Insper Fernando Schuler. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp