imagem google

Conselho da Construção (Consic) debate estratégias para modernização da cadeia

Conselho reuniu-se nesta terça-feira (16) para apresentar trabalho em desenvolvimento para aumentar competitividade da cadeia produtiva

Imagem relacionada a matéria - Id: 1660757100

Fulbio Vitorino, João Fernando Gomes de Olivera e João Claudio Robusti

Com o objetivo de fortalecer a competitividade do setor da Construção e promover ações estruturantes que modernizem o setor, realizou-se um convênio de cooperação técnica para criar estratégias de ações políticas industriais voltadas ao setor.

Entre as entidades engajadas nesse projeto estão a Fiesp, o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Caixa Econômica Federal (CEF).

Os pontos de destaque são inicialmente nove, sendo que seis desses projetos já estão em andamento:

  • Marco Regulatório das Edificações;
  • Mecanismos de Reinserção de Lotes ociosos no mercado imobiliário;
  • Sistema de licenciamento on-line (Silo);
  • Coordenação Modular na construção;
  • Normatização BIM (Building Information Modeling);
  • Análise de alternativas para infraestrutura urbana.

O professor e supervisor geral dos projetos, Sérgio Leusin, apresentou o programa, nesta terça-feira (16), em reunião do Conselho Superior da Industria da Construção (Consic). E aproveitou para chamar atenção sobre a importância da normatização BIM.

Dentre os tópicos importantes tratados, Leusin destacou a normatização do setor com algo imprescindível a se fazer: “Já temos a tradução da norma ISO 9002/2, de estrutura da normatização, que define como a informação da construção deve ser organizada”, explicou.

“Agora estamos desenvolvendo a segunda norma, de sistema de classificação para a construção. Isso é primordial para qualquer sistema, não só de especificação como de gestão de obras e, em particular, gestão de custos”, acrescentou.

Segundo o supervisor geral, já estão ocorrendo reuniões com especialistas de sistemas, o Sistema Nacional de Preços e Índices para a Construção Civil (Sinapi).

“Mesmo sabendo que eles atuam apenas com componentes e possuem resultados parciais, temos neles grandes parceiros para esse trabalho, pois já são de uso obrigatório aqui no Brasil, determinado pelo Tribunal de Contas da União (TCU)”, concluiu Sérgio Leusin.