imagem google

Com Fabiana e Serginho, seleções brasileiras vencem sul-americano feminino e masculino

O líbero ainda foi eleito o melhor atleta do campeonato masculino

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O Brasil comemorou neste fim de semana a conquista de dois títulos em competições internacionais. Contando com Fabiana e Serginho (atletas do Sesi-SP) em quadra, as seleções brasileiras feminina e masculina de vôlei garantiram o título do Campeonato Sul-Americano 2015. No feminino, essa foi a 19ª conquista. Para os homens, foi o 30º título na competição.

O primeiro grupo a levantar o troféu na noite de sábado (3) foi o feminino, após vencerem o Peru por 3 sets a 0 (25/17, 25/21 e 25/13), em Cartagena, na Colômbia. O Brasil terminou a competição com cinco vitórias em cinco jogos e nenhum set perdido. A Colômbia ficou com a medalha de bronze ao superar a Argentina por 3 sets a 2 (25/21, 26/24, 19/25, 23/25 e 15/6).

Natália foi a maior pontuadora, com 16 acertos. A ponteira Gabi, com 11, e as centrais Juciely e Fabiana, com oito cada, também pontuaram bem pelas brasileiras. Pelo lado do Peru, a atacante Ângela Leyva foi quem mais marcou, com 11 acertos.

Na manhã de domingo (4), foi a vez da seleção masculina levantarem o caneco. A equipe derrotou a Argentina, também por 3 a 0 (25/16, 25/19 e 25/16), na decisão do Sul-Americano realizado em Maceió e pela 30º vez sagram-se campeões. Esta foi a 31ª edição da competição.

A seleção dirigida pelo técnico Bernardinho venceu o Peru por 3 sets a 0, o Chile por 3 a 1 e a Venezuela por 3 a 0, pela fase classificatória. Classificado para a semifinal, o Brasil bateu a Colômbia por 3 sets a 0 e garantiu a vaga na final. A Argentina também chegou invicta depois de vencer Guiana, Uruguai, Colômbia e Venezuela.

Além do título, o Brasil apareceu em quatro premiações individuais. Bruninho foi o melhor levantador, Evandro, o melhor oposto, Isac, o melhor central e o líbero Serginho foi eleito o melhor jogador do Campeonato Sul-Americano. Outros premiados foram os ponteiros Quiroga, da Argentina, e Jimenez, da Colômbia. O central Imhoff e o líbero Santucci, ambos da Argentina, também foram reconhecidos.

Melhor jogador da competição, o líbero Serginho falou com a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) após a partida. “Esperávamos um jogo mais duro, mas foi importante imprimir nosso ritmo. Estudamos bastante o time deles e acho que, por isso, o jogo se tornou fácil. A Argentina sempre é uma equipe de respeito, que sabe jogar muito bem. Entramos em quadra respeitando muito o time deles e agora estou muito feliz com essa premiação”, disse o líbero do Brasil.

Campanha Feminina:
(29.09) – Brasil 3 x 0 Uruguai (25/14, 25/11 e 25/15)
(30.09) – Brasil 3 x 0 Chile (25/16, 25/6 e 25/15)
(01.10) – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/17 e 25/14)
(02.10) – Semifinal – Brasil 3 x 0 Colômbia (25/17, 25/12 e 25/12)
(03.10) – Final – Brasil 3 x 0 Peru (25/17, 25/21 e 25/13)

Campanha Masculina:
(30.09) – Brasil 3 x 0 Peru (25/8, 25/9 e 25/15)
(01.10) – Chile 1 x 3 Brasil (25/23, 18/25, 14/25 e 23/25)
(02.10) – Brasil 3 x 0 Venezuela (25/16, 25/8 e 25/14)
(03.10) – Semifinal – Brasil 3 x 0 Colômbia (25/19, 25/14 e 25/10)
(04.10) – Final – Brasil 3 x 0 Argentina (25/16, 25/19 e 25/16)