imagem google

Ciesp: na maior rodada de 2013, negócios podem chegar a R$ 5 milhões

Mais de 200 empresas participaram da iniciativa, realizada nesta quinta-feira (07/11), na zona oeste da capital paulista

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

O Centro e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp e Fiesp) realizaram, nesta quinta-feira (07/11), sua maior rodada de negócios em 2013. Em encontro no Buffet Moreno’s, na zona oeste da capital, 36 grandes âncoras e cerca de 200 empresas ofertantes, associadas e não associadas realizaram 2,5 mil reuniões em uma tarde. O evento, promovido em conjunto pelas Distritais Leste, Norte, Oeste e Sul do Ciesp, deve gerar em torno de R$ 5 milhões em negócios futuros.

A Rodada de Negócios do Ciesp/Fiesp visa proporcionar o contato com empresas dos mais segmentos, promovendo os primeiros contatos das pequenas e médias com grandes empresas. O evento fomenta a relação comercial entre os participantes durante as reuniões agendadas previamente. É uma oportunidade única para dinamizar compras e vendas de produtos e serviços em um mesmo local. “Para 2014, traremos novas oportunidades para as empresas paulistas, na área de negócios”, adiantou o coordenador das rodadas e diretor de Produtos e Serviços do Ciesp, José Henrique Correa de Toledo.

De acordo com Toledo, a rodada na zona oeste marcou o início da descentralização do evento na capital. As próximas edições em São Paulo vão ocorrer sempre em uma região diferente da cidade. “Apesar da simbologia da sede na Avenida Paulista, temos que focar nas nossas bases, onde estão localizadas as empresas associadas”, pontuou o diretor. Toledo observou ainda que um dos objetivos principais das rodadas “é criar a cultura de negócios em todo o estado de São Paulo”.

Pragmatismo e simplicidade

Fausto Cestari Filho, segundo vice-presidente do Ciesp, que representou o presidente das entidades, Paulo Skaf, destacou o modelo de negócios criado pelas entidades da indústria. “A rodada traz o pragmatismo e a simplicidade do negócio oferecido às empresas. É eficaz e permite um retorno prático aos associados”, reforçou Cestari.

Os diretores das quatro distritais do Ciesp na capital também elogiaram a descentralização da rodada na cidade. O anfitrião, Sílvio Aparecido da Silva, diretor da Distrital Oeste, observou que a sua região foi a privilegiada desta edição do evento, mas ressaltou que a capacidade de atender bem as empresas é a mesma na demais distritais que irão realizar as próximas edições da rodada.

“Vendedor na porta do comprador não é comum, mas essa possibilidade é real nas rodadas do Ciesp”, frisou o diretor da Distrital Sul, Leonardo Ugolini. “Aqui não é porta em porta, mas cara a cara”, completou. O diretor do Ciesp na região Norte de São Paulo, Mario Sequeira, também destacou o papel da entidade industrial no apoio às empresas fornecedoras de produtos e serviços. “Um benefício também às empresas compradoras (âncoras); temos uma ferramenta de fazer negócios.”

Paulo Galli, Superintendente da Caixa Econômica Federal, principal patrocinador das rodadas de negócios, destacou a parceria duradoura com o Ciesp neste tipo de evento. “Estamos juntos nesta parceria de longo prazo, puxando a economia brasileira e incentivando a indústria.” Marcio Ferian, representante do Banco do Brasil, instituição que também patrocinou a rodada, disse que os empreendedores brasileiros são verdadeiros heróis que lutam, diariamente, contra a alta carga tributária e a burocracia nos negócios. “Apesar de todas as adversidades, não desistem dos seus sonhos. Por isso estamos aqui para apoia-los”, afirmou.

Visão das empresas

O entusiasmo entre os protagonistas da rodada não foi diferente da visão daqueles que proporcionaram o evento. Mesmo entre os que participaram pela primeira vez. Fernando Borges, representante da empresa Nexpack de Campinas, por exemplo, afirma que teve seu primeiro contato com as Rodadas de Negócios este ano, e, desde então, participou de quase todas as edições do evento. “A Rodada facilita e aproxima nosso caminho para chegar às grandes empresas e conseguirmos um contato mais pessoal”.

Buscando aumentar o “leque de fornecedores”, a Nitro Química participa pela segunda vez das rodadas de negócios.  “É um evento muito produtivo, que agrega pessoas e empresas de diversos segmentos”, afirmou William de Souza Machado, comprador técnico da empresa. Ele explicou que os contatos feitos na rodada são levados para a parte interna da empresa, e então são redirecionados para as áreas competentes: “Alguma coisa diferente, que nós não conhecíamos, sempre acaba aparecendo, e isso é muito positivo para a empresa”.

Machado: rodada integra empreendedores de diversas áreas. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Machado: Rodada integra empreendedores de diversas áreas. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Acostumados a participar de feiras e eventos de negócios, Samuel Garcia e Max Steiner, representantes da Melhoramentos CMPC, ficaram surpresos com o formato da rodada de negócios, que foi uma novidade para eles. “Aqui ficamos cara a cara com um possível fornecedor, temos um contato direto e podemos conhecer diferentes empresas e fornecedores que, aparentemente, podem não ter nada a ver com a nossa empresa, mas que depois negócios podem sim ser firmados”, disse Steiner. “Na rodada de negócios conseguimos aumentar o nosso portfólio de serviços”, completou Samuel Garcia.

Garcia e  Steiner ficaram surpreendidos com o formato “cara a cara” da Rodada de Negócios. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Garcia e Steiner aprovaram o formato “cara a cara” da Rodada. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Para Flora Fuji, representante da empresa espanhola Gibra, especializada em galpões industriais, a maior importância da rodada de negócios é a oportunidade de se conhecer novas pessoas, firmar contatos e fazer networking, para depois conseguir formar bons negócios.

Participando pela primeira vez do evento, Flora afirmou que não se decepcionou com as rodadas. “A rodada acaba sendo uma grande oportunidade para fazer negócios com grandes compradores, já que a Gibra chegou somente neste ano no Brasil”.