imagem google

Central de Serviços da Fiesp realiza reunião com executivos de sindicatos da indústria

No encontro foram apresentadas as principais ações e iniciativas da entidade em defesa dos interesses da indústria

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Nesta quinta-feira (09/10), Central de Serviços (Cser) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), promoveu a 5ª Reunião Plenária de Executivos onde foi apresentado um panorama das principais ações realizadas no ano de 2014 e que tiveram como reflexo no setor industrial.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1586023041

Reunião Plenária de Executivos dos Sindicatos de Industria com a Central de Serviços da Fiesp. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Na área trabalhista, o Departamento Sindical (Desin) da Fiesp fez um retrospecto das negociações coletivas de diversas categorias, realizadas desde o início do ano, e as perspectivas para o próximo ano. De acordo com Marco Aurelio Vizioli, gerente do Desin, tendo em vista  as perspectivas econômicas para o próximo ano, é possível que as negociações das primeiras datas-bases do próximo ano sejam bastante modestas.

Também foi apresentado pelo Desin um novo serviço de atendimento para esclarecimento de dúvidas sobre o Fator Acidentário Previdenciário (FAT) e Riscos de Acidentes Trabalhistas (RAT). Os participantes receberam, no evento, exemplares da cartilha “FAT-RAT-NTEP – Efeitos na Gestão Empresarial”, cuja versão online está disponível para download no site da Fiesp.

Questões ambientais

Imagem relacionada a matéria - Id: 1586023041

Anícia Pio: a Fiesp tem monitoriado todas as atualizações sobre a política de resíduos sólidos e crise hídrica de São Paulo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Da área ambiental, a gerente do Departamento de Meio Ambiente (DMA), Anícia Pio, apresentou os dados de dois temas que afetam diretamente a indústria: a logística reversa dos resíduos sólidos e a crise de abastecimento de água vivida no estado de São Paulo.

Quanto ao destino de resíduos sólidos, a maioria dos setores ainda dependem de regulamentação, de acordo com especialista ambiental. “Em termos de logística reversa os únicos setores que já estão regulamentados são as embalagens de agrotóxicos, pilhas e baterias, pneus e óleos lubrificantes”.

A gerente do DMA/Fiesp, destacou que as lâmpadas fluorescentes, produtos eletroeletrônicos e descarte de medicamentos ainda estão em negociação e análise pelo governo. “A única novidade é para o segmento de embalagens diversas. Está em consulta pública a proposta da chamada ‘coalizão’, que reúne vários setores. Até o dia 15 de outubro os setores podem se pronunciar sobre essa proposta de acordo setorial, assim como a de lâmpadas fluorescentes”, ressaltou.

Outro ponto levantado pela especialista é que no âmbito estadual a destinação dos resíduos e a logística reversa dependem dos acordos setoriais com a Secretaria de Meio Ambiente. Segundo ela, quando um sindicato assina um acordo com a Secretaria as empresas associadas a eles estarão cobertas. Para tanto, deverão informar os CNPJs dessas empresas.  “Diferentemente dos decretos de lei, esses acordos não são obrigatórios a toda a categoria ou setor, mas apenas aos seus signatários”, explicou.

Para o diretor titular do Cser da Fiesp, Paulo Schoueri, detalhes como esses devem ser vistos como oportunidades para os sindicatos. “Isso é bastante importante para o associativismo, pois um acordo bem estabelecido para atender ao setor irá atrair as empresas para o sindicato”, afirmou.

Anicia também deu um amplo panorama da crise hídrica vivida pelo estado de São Paulo, apresentando o mapeamento feito pela Fiesp sobre as regiões com escassez de água. “Dos 21 comitês de bacia hidrográfica que a Fiesp tem representação, oito regiões já estão sofrendo com a escassez de água e 31 municípios já decretaram racionamento.”

Segundo a especialista, a situação é extremamente crítica e está no radar de preocupação da Fiesp e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) desde o começo do ano. Ela enumerou uma série de ações realizadas pelas entidades, como o diário acompanhado das portarias e decisões sobre restrições para uso da água, produção de materiais informativos para as indústrias, como cartilhas e campanhas de orientação sobre economia e reuso da água, além de campanhas de conscientização e o Prêmio de Conservação e Reuso da Água.

O engenheiro e membro do Conselho Superior de Meio Ambiente da Fiesp, engenheiro Batista Galvão Filho, solicitou aos representantes de sindicatos a colaboração para construção de um benchmarking de melhores práticas e de propostas para melhoria da questão de controle da emissão atmosférica e poluição do ar.

Acompanhamento do legislativo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1586023041

Em encontro na Fiesp, Cser abre diálogo com Secretários Executivos de Sindicatos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O evento contou ainda com a participação de Marcos de Castro Lima, chefe do escritório da Fiesp em Brasília, que comentou os serviços disponibilizados por essa unidade aos empresários paulistas e apresentou sua análise sobre as expectativas e resultados das eleições de 2014.

A coordenadora do Núcleo de Acompanhamento Legislativo (NAL) da Fiesp, Alessandra Cristina Nascimento da Mota, comentou os principais Projetos de Leis em tramitação no Congresso que afetam o setor industrial e têm sido alvo de atenção e acompanhamento da Fiesp.

A advogada também mostrou um quadro atualizado das negociações em curso sobre as Normas Regulamentadoras e os PLs e sobre outros temas como notificação na justiça do trabalho e Bloco k do Sped Fiscal.

A reunião foi finalizada pelo diretor titular da Central de Serviços da Fiesp, Paulo Schoueri, que pontuou o posicionamento sobre os vários projetos da entidade que estão em andamento, como os programas de Excelência Sindical, de divulgação de cursos do Sesi-SP e Senai-SP para as empresas associadas, o edital da Contribuição Sindical 2015, o Encontro Nacional da Indústria (Enai), a solenidade de entrega do Prêmio Melhores Práticas Sindicais, entre outros.