imagem google

Campanha Empregue +1 é lançada na Fiesp com a missão de criar 1 milhão de vagas em janeiro

Geração de vagas poderá ser acompanhada pelo “empregômetro”

Por Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp 

Com o objetivo de criar uma onda crescente de fomento ao emprego no país, o Movimento Brasil 200 lançou nesta segunda-feira (17/12), em parceria com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a Campanha Empregue +1 – Empresários unidos a favor do emprego. O projeto, idealizado pelo industrial baiano Carlos Barduke, recebeu o apoio do Brasil 200 para transformá-lo numa campanha nacional contra o desemprego e, com isso, inaugurar uma agenda positiva para o país já no primeiro mês de 2019.

Presente no evento, o presidente da Polishop, João Appolinário, chamou atenção ao afirmar que ser empresário no Brasil é muito difícil, mas que cada um que empreende começa a ajudar a gerar oportunidades para outras pessoas. “O brasileiro é muito rico na capacidade de empreender. 2019 com certeza será um ano melhor em razão de toda essa agenda positiva criada. Estamos em um momento histórico”, disse.

Já Luciano Hang, presidente da Havan, anunciou que investirá R$ 500 milhões em 2019. “Vamos investir em centros de distribuição, novas lojas. Recentemente, contratamos 3,7 mil novos trabalhadores, totalizando 6 mil novos postos de trabalho em 2018. Quem cria emprego não é o governo, mas o empreendedor, as empresas. Nós temos que ser protagonistas do emprego”, destacou.

Segundo Lúcio Flávio Rocha, coordenador em Sergipe do Movimento Brasil 200, o objetivo do programa é criar um marco histórico de geração de emprego já em janeiro. “Em janeiro teremos a maior geração de empregos no país. Tivemos a ideia de gerar o “empregômetro”, disse. O “empregômetro” é uma plataforma para acompanhar os indicadores oficiais do Ministério do Trabalho e Emprego consolidados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O cronômetro de empregos será ligado em janeiro e alimentado mensalmente pelos dados do Caged.

Além disso, o site vai disponibilizar um cadastro nacional de empresas interessadas em contratar e um espaço para inserção de currículos de pessoas que estão procurando uma vaga no mercado de trabalho. Os departamentos de recursos humanos das empresas cadastradas poderão encontrar os candidatos de acordo com a localização geográfica de interesse. Portanto, além de lançar essa campanha positiva de geração de emprego e renda para o país, o Brasil 200 irá disponibilizar uma ferramenta gratuita para ofertar vagas e cadastrar currículos.

A meta, ainda de acordo com Rocha, é gerar 1 milhão de vagas geradas em janeiro. “Só em São Paulo temos 1,8 milhão de CNPJs ativos”, completou.

O deputado federal, Alexis Fonteyne (Partido Novo-SP), argumentou que os empresários não vão abandonar o país. “Vamos empregar. Precisamos de liberdade para empreender”.

Também presente no evento, Flávio Rocha, fundador do Movimento Brasil 200 e presidente das Lojas Riachuelo, lembrou que “o Brasil 200 cumpriu seu papel de pautar, provocar e instigar esse tema”.

Por fim, Joice Hasselman, deputado eleita pelo PSL/SP, afirmou que vai trabalhar em revogação de leis que sejam prejudiciais. “Nós vamos trabalhar nisso. Há uma força tarefa estudando um calhamaço de leis. Além disso, vou propor o corte férias no meio do ano”, declarou.