imagem google

Caminhada para sensibilizar importância da doação de órgãos: ação incentivada pela Fiesp e ABTO

Na caminhada, os médicos reforçaram que para ser um doador é preciso conversar com a família sobre o desejo de salvar vidas

Mariana Soares, Agência Indusnet Fiesp

Você sabia que um único doador de órgãos é capaz de salvar até 14 pessoas? Com o objetivo de celebrar o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, a Fiesp realizou, no último domingo (15/9), o +Saúde, que teve como ação central a caminhada Doando vida. Atualmente, existem 50 mil pessoas na fila, aguardando por transplante de órgãos no Brasil, de acordo com a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO). Durante a atividade, foram distribuídos materiais explicativos para alertar o público sobre a importância da doação de órgãos, além de informações de como ser um doador.

De acordo com Paulo Fernandes, presidente da ABTO, este ano a caminhada teve recorde de público, com 1.300 inscritos. “É muito importante que as pessoas manifestem o seu desejo aos seus familiares, que vão autorizar de fato a doação de órgãos. Só assim é possível se tornar um doador. A doação é um ato de amor, de cidadania. E vale ressaltar que a chance de você precisar de um órgão é quatro vezes maior do que a chance de você vir a ser um doador”, informou.

Para a coordenadora executiva do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia (ComSaude) da Fiesp, Gabriela Gazola, o principal objetivo da ação é levar informação de qualidade para as pessoas que pretendem tomar a decisão de doar órgãos de maneira consciente. “Todo o nosso trabalho é para encher a Paulista com essa onda verde, levando experiências de quem já recebeu um transplante, famílias que já autorizaram a doação e como isso mudou a vida delas e de outras pessoas”, diz.

O médico nefrologista José Medina, que é diretor do Hospital do Rim de São Paulo e membro do Conselho Superior Estratégico da Fiesp, alerta para a importância das ações de sensibilização em prol da causa. “Cerca de 70% das pessoas no Estado de São Paulo, quando abordadas, autorizam a doação. Ainda temos a possibilidade de dobrar o número de transplantes no Estado e no Brasil todo”, reforçou.

Transplantado há 16 anos, o aposentado Osvaldo Gonçalves foi até a ação + Saúde Doe Órgãos, Doe Vida para chamar a atenção de quem estava passando pela avenida Paulista sobre a importância de ser um doador. “Hoje faz 16 anos e 2 meses que eu tenho uma vida nova. Depois que ganhei um rim e um pâncreas saudáveis, eu vou para futebol com meus filhos, vivo uma vida normal. Um órgão que seja, uma córnea, por exemplo, tem o poder de salvar vidas”, contou.

Para a web designer Miriam Kunis, que também é transplantada, o domingo foi de agradecimento às famílias dos dois doadores que foram responsáveis por transformar a realidade dela. Tenho o sonho de conhecer essas pessoas que mudaram a minha vida e que me proporcionaram dias felizes, produtivos e cheios de esperança”, comemorou.

O +Saúde é uma iniciativa da Fiesp que, com o apoio de parceiros, promove a informação como forma de prevenção de riscos à saúde.

Os interessados em saber mais sobre como se tornar um doador de órgãos, podem acessar o site www.abto.org.br.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1575718322

Em caminhada na Avenida Paulista, adesão à campanha para doação de órgãos. Foto: Everton Amaro/Fiesp