imagem google

Caixa de Cultura do Sesi-SP é semifinalista do Prêmio Jabuti 2019

Projeto de difusão literária para a indústria e seus funcionários existe há mais de 70 anos e concorre na categoria Inovação – Fomento à Leitura, da principal premiação do mercado editorial brasileiro

Núcleo de Comunicação 

A Caixa de Cultura, programa do Sesi-SP que fomenta a prática da leitura e promove espaços de mediação cultural na indústria, é um dos semifinalistas do Prêmio Jabuti 2019. O projeto concorre na categoria Inovação – Fomento à Leitura, que referencia ações de promoção à leitura no Brasil e sensibilização da importância do hábito de ler e de ter acesso a livros.

Criada em 1948, a Caixa de Cultura tem como missão formar novos e bons leitores entre os trabalhadores da indústria paulista. Para atingir o seu objetivo, sempre esteve vinculada e próxima ao ambiente de atuação desses colaboradores, do chão de fábrica aos setores administrativo e de qualidade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571877977

Caixa de Cultura: Acervo de até 100 livros e exposição itinerante

Em uma biblioteca itinerante, com acervo de até 100 exemplares de diferentes gêneros literários, a Caixa de Cultura oferece ao leitor muito mais que livros, mas a oportunidade de seu desenvolvimento como profissional e cidadão. Tudo isso com uma curadoria própria da área de Difusão Literária do Sesi-SP, que conta com o apoio de mediadores culturais espalhados por todo o Estado de São Paulo, profissionais que realizam ações para estimular o hábito da leitura.

No ano passado, por exemplo, a Caixa de Cultura realizou mais de 93 mil empréstimos de livros em cerca de mil empresas atendidas pelo serviço, que é oferecido sem custo algum para a indústria ou funcionário.

De Acordo com Josilma Amato, analista da área de Difusão Literária do Sesi-SP, a indicação vem como reconhecimento de um trabalho ininterrupto e vital para o indivíduo, principalmente em tempos em que a cultura e o pensamento crítico devem ser ainda mais valorizados e presentes na sociedade. “Fomos indicados na categoria Inovação e, pensando nesta palavra e na trajetória da Caixa de Cultura, é muito simples afirmar que é um desafio ser inovador aos 70 anos de vida, ainda mais quando falamos de uma linguagem, infelizmente, pouco midiática no Brasil, como a literatura. Mesmo assim, buscamos a renovação, tanto do gosto e interesse dos nossos leitores, como do próprio acervo. Este é o mais longevo e continuado programa de incentivo à leitura do País. Temos orgulho de fazer parte desta história e de chegarmos realmente aonde o trabalhador da indústria está”, declara Josilma.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1571877977

Leitura para o trabalhador da indústria: em 2018 mais de 93 empréstimos de livros