imagem google

Brasil precisa investir R$50 bi ao ano em pesquisa e desenvolvimento

Em encontro na Fiesp, Glauco Arbix afirmou que vai defender ritmo dos investimentos em inovação apesar de ajuste fiscal

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A economia brasileira ainda é pouco inovadora e o país tem uma necessidade “gigantesca” por investimentos de ao menos R$50 bilhões por ano em pesquisa e desenvolvimento, afirmou nesta sexta-feira (6/2) o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Glauco Arbix.

“Essa é uma questão chave que entra em atrito com a agenda de ajuste fiscal. Educação, ciência e tecnologia não merecem entrar na linha de corte como normalmente é feito pelos programas de ajuste, estamos defendendo muito para manter pelo menos o ritmo [dos investimentos] para atender a demanda de empresas e universidades”, disse Arbix.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1586026580

Glauco Arbix, presidente da Finep: Educação, ciência e tecnologia não merecem entrar na linha de corte. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Ele apresentou na tarde desta sexta-feira alguns programas da Finep  durante a reunião do Comitê da Cadeia Produtiva da Bioindústria (BioBrasil) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O encontro foi conduzido pelo coordenador do BioBrasil, Ruy Baumer.

Até outubro de 2014, os recursos contratados pela Finep e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), somavam R$29,3 bilhões. Somente a Finep contratou R$14,5 bilhões.

Segundo Arbix, o Brasil precisa dobrar o investimento em inovação até 2018. Ele sugeriu ainda que a Finep deve procurar a Fiesp para a consolidação de fundo de venture capital para diversas empresas startups.