imagem google

Após cinco altas consecutivas, recua confiança do empresário da pequena e média indústria

Icei-SP é medido numa parceria entre a CNI e a Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

O Índice de Confiança dos Empresários Industriais (Icei-SP) teve recuo na passagem de setembro para outubro tanto para as pequenas, com 10 a 49 empregados (48,5 pontos, com queda de 0,9 ponto) quanto para as médias, com 50 a 249 empregados, em que o indicador caiu 0,6 ponto e ficou em 49,3 pontos. Com esse resultado o indicador interrompe a série de alta dos cinco levantamentos anteriores feitos em parceria entre a CNI e a Fiesp. Apesar da variação negativa, o resultado não deslocou a tendência de alta, ou seja, os empresários continuam dentro da trajetória de fortalecimento da confiança.

O resultado da pequena indústria paulista é reflexo de uma queda mais acentuada do indicador de condições atuais da empresa e do indicador de expectativa da empresa, que também registrou um recuo significativo.

Já o indicador de expectativas para os próximos seis meses da pequena indústria permaneceu praticamente estável de setembro para outubro, em 53,6 pontos (0,1 ponto de recuo), ainda acima da linha divisória, sinalizando que as expectativas são positivas para os próximos meses. No indicador de expectativas da economia brasileira para os próximos seis meses houve recuo de 5,2 pontos percentuais, para 33,9%. Houve um avanço de 1,1 ponto percentual dos empresários que acreditam que a situação da economia brasileira deva permanecer na mesma situação, representado por 36,9% dos empresários.

Entre as médias, o indicador de expectativas da empresa para os próximos seis meses teve 44,2% dos empresários apontando que estão confiantes para os próximos meses, avanço de 1,3 ponto percentual quando comparado com o mês de setembro. Nesse segmento, o indicador das condições da economia brasileira avançou 2 pontos (para 39,2) em outubro, mas ainda a 10,8 pontos da estabilidade.

Das médias empresas entrevistadas em outubro, 45% acreditam que as condições econômicas pioraram/pioraram muito, não houve alteração quando comparado com o mês de setembro.

Quando perguntado sobre as avaliações quanto as suas empresas, 39% dos empresários da média indústria acreditam que pioraram/pioraram muito no mês de outubro, e 11% apontaram que a situação melhorou.

Clique aqui para ter acesso à pesquisa completa.