imagem google

Anufood: oferta de alimentos deve crescer 20% em 10 anos. Brasil será estratégico para a segurança alimentar mundial

Como país estratégico para a segurança alimentar do mundo, Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas acontece pela primeira vez no Brasil.

Cristina Carvalho, Agência Indusnet Fiesp

Realizada pela primeira vez no Brasil, a Anufood Brazil – Feira Internacional Exclusiva para Alimentos e Bebidas, que contou com o apoio da Fiesp e do Senai-SP, teve a presença da ministra da Agricultura, Teresa Cristina, em um dos painéis do Congresso realizado nesta terça-feira (12/3) durante a feira.

Roberto Rodrigues, coordenador do Centro do Agronegócio da FGV, falou sobre a necessidade de alimentar o mundo, apontando dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que indicam que a oferta de alimentos deve crescer 20% em 10 anos. “Nesse período, o Brasil vai expandir sua produção de alimentos em 41%, enquanto que os Estados Unidos apenas 10%, União Europeia em 12% e China em 15%. Estamos muito otimistas. Mas é uma ilusão pensar que os acessos aos novos mercados já foram dados. É preciso ser conquistado. Nós temos que arrumar estratégias para atender essa demanda, vender para outros países, outros mercados. Todos os países do mundo almejam esse mercado. Estamos em uma disputa gigantesca”, disse.  Dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostram que a produção de alimentos precisa crescer 50% até 2050.

Ainda em sua fala, Rodrigues apresentou alguns dados do Outlook, estudo do departamento do agronegócio da Fiesp. “Os estoques de milho tendem a cair. Temos que olhar esse mercado e encontrar nele nichos para trabalhar. Temos de sair da posição modesta de vender matéria prima”, concluiu.

“A FIESP e o SENAI-SP reconhecem a importância global da feira Anuga de Colônia, na Alemanha. Por isso, as duas entidades, diante de seu posicionamento estratégico relacionado à indústria de alimentos e bebidas, estão apoiando a Anufood Brazil, a primeira feira dedicada exclusivamente a esse setor”, afirmou Antônio Carlos Costa, gerente do departamento de Agronegócio da FIESP, sobre o apoio a esse evento que estimula a troca de conhecimento relevante entre os principais agentes do setor.

De acordo com a ministra Teresa Cristina, a estimativa é que a safra brasileira deste ano alcance 234 milhões de toneladas. O crescimento está, principalmente, no interior do país, gerando emprego e renda para os municípios. “Essa feira mostra onde chegamos e todo o potencial que o Brasil possui em segurança alimentar. Segurança alimentar é importante para a estabilidade política e também é estratégica para a imagem e competitividade no mercado internacional. Por essa razão, cabe ao produtor adotar as melhores práticas, capacitar-se continuamente, escolher os melhores insumos e cuidar da higiene, enquanto que ao governo cabe regular todos os elos da cadeia para que os produtos tenham sempre mais qualidade de produção”, apontou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1563465572

Fiesp e Senai-SP participam de Congresso Internacional de Alimentos e Bebidas. Foto: Everton Amaro/Fiesp