imagem google

Ana Marcela quer a vitória no Canadá para aumentar a liderança e se aproximar do tri

Nadadora do Sesi-SP tem 18 pontos de vantagem para segunda colocada

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Faltando apenas quatro provas para o final da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas de 10km, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, nada em liderança folgada, com 74 pontos, 18 à frente da segunda colocada, Poliana Okimoto.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1566345411

Ana Marcela: "Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas." Foto: Arquivo Pessoal.

Como sua rival brasileira não disputará a próxima etapa em Lac Magog (Canadá), nesta sexta-feira (01/08), a chance de Ana Marcela aumentar sua vantagem para as demais e se aproximar do título fica consideravelmente maior. A terceira colocada no ranking atual é a italiana Martina Grimaldi (34 pontos).

Mesmo com uma vantagem tão boa, a nadadora não quer saber de relaxar ou mudar a estratégia. Ela garante que entrará na água fria de Magog para vencer e ampliar ainda mais a distância no ranking.

“Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas. O primeiro lugar é o mais importante e não importa contra quem estamos nadando, o que importa é vencer”, disse Ana Marcela, apoiada pelo treinador Fernando Possenti, que destaca a possibilidade de um feito histórico pela atleta.

“Nunca uma nadadora que venceu a Copa esteve em todos os pódios da temporada. Nem mesmo a Ana, que ganhou em 2010 e 2012, conseguiu. Então queremos esse diferencial”, completou Possenti.

Entre as principais rivais na prova, Ana Marcela já elegeu sua maior concorrente. Para a bicampeã mundial, a chilena Kristel Kobrich, campeã sul-americana de 2014, tem algumas vantagens em Magog, mas nada que a experiência não possa superar.

“Aqui não venta muito e a água é mais parada, como ela gosta. Mas ainda não sabemos como será a prova. Já ouvi boatos sobre 10 voltas de 1km cada, mas só vamos saber mais pra frente. Acho que pela temperatura prevista, vai ser um pouco mais frio, o que para mim é melhor. E se tiver muita bóia, melhor também, pois exige mais técnica e experiência para fazer os contornos”, disse a líder do ranking.

Após nadar em Magog, Ana Marcela terá mais uma etapa no Canadá, no tradicional Lac Megantic, dia 09/08, antes de voltar ao Brasil para se preparar para o Troféu José Finkel, em setembro.