imagem google

‘A melhor maneira de encontrar o consumidor é ser encontrado por ele’, diz consultora no VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria

Especialista em marketing digital, Martha Gabriel destacou como a internet mudou a relação das empresas com os seus clientes, trazendo novos desafios e possibilidades

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A mudança de cenário trazida pelo marketing digital para as empresas, com todas as suas possibilidades e desafios, foi apresentada, na tarde desta quinta-feira (10/10), em painel do VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria, no Hotel Renaissance, em São Paulo, pela consultora Martha Gabriel. Ela é coordenadora e professora do curso de MBA em Marketing da HSM Educação, além de autora de livros na área, como o recém-lançado “Marketing na Era Digital”.

O VIII Congresso da Micro e Pequena Indústria é uma iniciativa do Departamento de Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi) da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Segundo Martha, a era digital veio acompanhada “da inversão do vetor do marketing”. Ou seja, agora os consumidores não são meros receptores das mensagens e conteúdos das marcas, mas se relacionam de forma ativa com elas, principalmente por meio das redes sociais. “O marketing agora é das pessoas para as marcas quando antes era das marcas para as pessoas”, explicou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1614929880

Martha Gabriel, autora do livro "Marketing na Era Digital".Foto: Beto Moussali/Fiesp

Nessa linha, para a consultora, “a melhor maneira de encontrar o consumidor é ser encontrado por ele”. “Hoje, 79% das pessoas impactadas pela mídia tradicional buscam mais informações no digital depois”, explicou. “A gente se acostumou a ser interativo e quem não levar isso em consideração não vai conseguir ganhar o consumidor”.

Outras regras de ouro para as pequenas e médias indústrias se relacionarem com os seus clientes: ter sites bem resolvidos para o acesso a partir de celulares e  desenvolver o “senso de humor”. “A gente ainda não aprendeu a ter senso de humor, o que envolve humildade, honestidade, valores e ponto de vista”, explicou. “Não adianta nada ficar com raiva e brigar com o consumidor que fez reclamações nas redes sociais. A internet força as empresas a adquirirem intimidade com os seus consumidores”.

Alguém que não gosta de você

Para deixar bem clara a sua avaliação dessa mudança total de postura, Martha lembrou que a internet “muda tudo e subverte as hierarquias”. “Por isso é tão importante ouvir o que as pessoas estão dizendo e tentar melhorar, sempre vai ter alguém que não gosta de você”.

Assim, para sobreviver ao desafio do marketing digital, é importante, além de ouvir o cliente, oferecer conteúdo relevante e atrair a atenção. “Atenção é mais importante do que audiência”, disse. E tem mais: “as entidades mais influentes da web são os sites de busca”.

De olho nas tendências

Além do cuidado de oferecer sites facilmente acessíveis por telefones (“o mobile é a grande tendência que alavanca as outras”), a consultora afirmou que produzir vídeos é outra estratégia que só tende a ganhar força. “Os vídeos how to (como fazer) são os mais acessados da internet”, afirmou.

Quer investir em redes sociais e não sabe muito bem por onde começar? Então já para o Twitter e o Facebook. “Cerca de 80% dos conteúdos publicados em mídias sociais estão no Facebook e no Twitter”, disse.

Mas isso, claro, sem perder jamais o foco nas novidades. “O que vale hoje não serve mais amanhã”, explicou Martha.

Saiba o que você quer

Ao concluir a sua apresentação, a consultora lembrou aos empreendedores presentes que de nada adiante estar atento aos rumos do marketing digital se a empresa não tiver um plano de marketing bem definido. “O que não mudou no marketing? A metodologia”, explicou. “O digital não resolve o problema do marketing ruim, é apenas um megafone do que a empresa faz”.

Ainda sobre esse ponto, Martha reforçou que “ideias ruins não se tornam melhores on line”. “É preciso identificar qual a sua estratégia para o marketing digital”, afirmou. “Conheça o seu público, saiba o que você quer, desenvolva um plano de marketing e escolhas as plataformas que vai usar”, orientou.

Acima isso tudo, segundo a especialista, há outra recomendação importante: “ser consistente”. “É mais importante ser consistente do que estar em muitas plataformas”, finalizou.