imagem google

Programação Especial – Consciência Negra


Imagem relacionada a matéria - Id: 1544852071

Galeria de Arte Digital do Centro Cultural FIESP

18/11, às 22h, até 21/11, às 6h.

Exibição de vídeo do acervo permanente de obras digitais referente a tema.  

——————————————-

18 de novembro  

domingo, 11h e 13h

Contação de Histórias

Espaço Café

Atividades lúdicas e literárias que permeiam as histórias ancestrais da cultura africana, com foco no público infantil. 

——————————————

21 de novembro

quarta, 20h

Quartas Musicais

Teatro do SESI-SP

Show: Dinho Nascimento e Nasi – Conexão Yorubá

 Show mistura representatividade, reflexão e a multiplicidade dos ritmos da musicalidade africana Na semana da Consciência Negra, a Conexão Yorubá revive a força da cultura e das tradições da África. Nesse evento, a proposta é discutir a importância e o impacto da cultura africana no Brasil, ao trazer diversos recursos que ilustram como os diversos grupos étnico-linguísticos dessa região influenciaram na formação da cultura e dos afrodescendentes brasileiros, principalmente da etnia Yorubá. Dr. Hédio Silva Jr., ex-secretário de Justiça e Cidadania de SP, começa o evento discutindo sobre a importância da defesa dos direitos de representação cultural de afrodescendentes no Brasil. A seguir, a projeção de um detalhado material de pesquisa em formato de documentário, denominado Conexão Yorubá, mesmo nome do evento. Antes, porém, o relato de experiência do diretor e cineasta, Thiago Zanato,  e do co-produtor do filme,  Nasi. Ao final do evento, o mestre de cerimônias (Nasi, da banda IRA!), chama ao palco o cantor e compositor Dinho Nascimento, conhecido por sua musicalidade provocativa que se inspira em diversos ritmos e estilos africanos.

Popular, 80 min. Mestre de cerimônias: Nasi | Palestrante: Hédio Silva Júnior | Música: Dinho Nascimento e banda

————————————-

25 de novembro

Domingo, 16h

Palco Externo

Domingo na Paulista

Show: Josi Lopes

Essência do Tambor

Josi Lopes é mulher, negra, mineira, que traz em seu trabalho cênico e musical as fortes referências de sua ancestralidade miscigenadas com as referências musicais contemporâneas; um hibridismo de música étnica, fortemente referenciada pelos tambores do congado mineiro. É atriz, percussionista, cantora, compositora que começou a trajetória nos batuques do Tambor Mineiro em 2008 em BH, mas apertou o passo da sua trajetória nos palcos de Sampa, misturando a música e o teatro. Se destacou como atriz principal de grandes musicais como O Rei Leão (Broadway), Mudança de Hábito, Ghost o Musical e Alegria Alegria com Zélia Duncan. Lançou seu EP “Essência” em 2016 em SP