imagem google

Nota de esclarecimento – Cetesb pede informações à indústria para elaboração do novo inventário paulista


Agência paulista irá fiscalizar empresas que deixaram de preencher cadastro on-line

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) vem trabalhando no novo Inventário de Emissões de Fontes Industriais, ferramenta de planejamento e de controle ambiental.

Nesse sentido, solicita a cooperação do setor produtivo, a fim de conhecer o potencial das indústrias quanto à geração de emissões atmosféricas, efluentes líquidos e resíduos sólidos.

A agência paulista já havia disponibilizado cadastro eletrônico on-line. De um universo de 115 mil empreendimentos existentes no cadastro da agência, 1.369 indústrias foram selecionadas, considerando-se o potencial poluidor.

O Departamento de Meio Ambiente da Fiesp auxiliou no processo, por meio de comunicado feito aos seus associados.

A Cetesb informou, recentemente, que desencadeará nos próximos dias uma intensa fiscalização para exigir dessas empresas as informações necessárias à elaboração do inventário, sob pena de serem advertidas ou multadas por terem deixado de prestar os dados solicitados.

Entre essas empresas, encontram-se indústrias de grande porte do setor metalúrgico, químico, de papel e celulose, usinas de açúcar e álcool, do setor aeronáutico e galvanoplastias.

No entendimento da Cetesb, esse inventário, em conjunto com outros instrumentos, possibilitará melhor planejamento de ações da gestão ambiental no estado de São Paulo.

Um dos objetivos é a possibilidade de se elaborar diagnóstico, por setor de atividade ou por região, auxiliando na tomada de decisões relativas ao licenciamento de fontes industriais.

De acordo com a agência paulista, terá condições de aprovar com esses dados, por exemplo, a instalação de novos empreendimentos em áreas que ainda suportam novas atividades industriais ou planejar maior controle ambiental em regiões que estão em vias de saturação por poluentes.

O Departamento de Meio Ambiente da Fiesp permanece à disposição das empresas para intermediar eventuais questões junto ao órgão ambiental.