imagem google

Iniciativas Sustentáveis: Lola Cosmetics – Beleza Real


Criar produtos que atendam a demanda de muitas mulheres brasileiras e que não agridam os fios crespos e cacheados é a aposta desta indústria de cosméticos carioca

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544852491

Por Karen Pegorari Silveira

O Brasil é o país que tem mais pessoas negras fora da África no mundo. Dos mais de 207 milhões de brasileiros, atualmente, 56% são negros, segundo o IBGE. Em 2017, em meio à crise econômica que atingiu o país, a população negra movimentou R$ 1,6 trilhões, o que equivale a 24% do PIB e, de acordo com pesquisa realizada por uma consultoria especializada no estudo do comportamento e dos hábitos de consumo da população negra, famílias chefiadas por negros movimentam 3,2 bilhões de reais por ano na capital paulista.

Este potencial consumidor levou muitas empresas a se reinventarem e também deu oportunidade para tantas outras empresas nascerem, como foi o caso da Lola Cosmetics, que ganhou o público ao oferecer produtos diferenciados e de qualidade para os cuidados dos cabelos crespos e cacheados.

Com foco no empoderamento feminino e na valorização da beleza real, a marca reforça a autoestima das consumidoras com produtos que cuidam, modelam, hidratam e renovam os cachos naturais, além de se preocupar com as questões ambientais – não realizando testes em animais e utilizando somente produtos orgânicos, e com a identidade visual das suas embalagens, a Lola se tornou queridinha das mulheres negras, que se sentiram representadas ao encontrar produtos para o seu tipo de cabelo.

Colocar modelos reais nas embalagens, fazendo com que suas consumidoras se sentissem parte da empresa e aproximando-se delas foi outro acerto. Amigas, familiares e até as próprias funcionárias estampam produtos da marca, como o shampoo “Rebelde com Causa”, por exemplo, com a representação da filha de Dione Vasconcellos, idealizadora da marca, ou o creme “Poderoso Cremão” com a Renata, diretora de projetos da empresa, simbolizando uma pin-up.

A valorização das características naturais, do ser humano como ele é, não fica por conta somente dos produtos da Lola. No ambiente interno da empresa, segundo a coordenadora de Marketing e Relacionamento, Renata Antunes, não há efetivamente uma política de diversidade. “Mas o ser humano, o profissional, independente de raça, religião ou opção sexual é sempre muito valorizado por aqui. Eu mesma, mulher negra, comecei como assistente de SAC e tive a oportunidade de crescer e conquistar o meu espaço”, diz.

Empresas como a Lola, que têm a diversidade como causa, são uma forte tendência e são as que demonstram mais crescimento, segundo estudo realizado pela Hay Group, consultoria global de gestão de negócio. Nas 170 companhias pesquisadas entre 2010 a 2014, em que a diversidade integra a pauta de discussões e a agenda estratégica, os colaboradores se mostram 17% mais motivados – inclusive para realizar entregas além das suas responsabilidades – quando comparados a quem trabalha onde o tema não é relevante. E organizações com times mais engajados apresentam, em média, receita líquida 4,5 vezes superiores às das demais.

Sobre a Lola Cosmetics

A história da Lola começou em 2008, quando Dione e seus sócios compraram uma fábrica de produtos de beleza e higiene pessoal. Nos primeiros anos, eles produziam shampoos e condicionadores para marcas nacionais e estrangeiras. Três anos mais tarde, eles deram os primeiros passos para a criação de uma marca própria, a Lola. Sua sede está localizada na cidade do Rio de Janeiro e a marca tem 240 colaboradores, sendo 80% mulheres.