imagem google

Iniciativas Sustentáveis: IBM – Diversidade e Inovação Lado a Lado


Esta companhia de tecnologia aposta na diversidade para atrair talentos e oferece um ambiente corporativo de inclusão e respeito para todos

Imagem relacionada a matéria - Id: 1606701166

Por Karen Pegorari Silveira

Muitas empresas já perceberam que a diversidade é um diferencial competitivo no mercado, trazendo mais inovação e globalização para os negócios, além de atrair e reter os melhores talentos. Nas companhias de tecnologia esse tema é mais relevante ainda já que a inovação é uma das premissas desse segmento.

Como solução para essas questões, a IBM, gigante americana de tecnologia com atuação no Brasil, desenvolveu algumas iniciativas com o intuito de aumentar as possibilidades de contratação e tornar seu quadro de colaboradores o mais diverso e inovador possível.

Para discutir sobre a diversidade de forma geral, a empresa realiza algumas ações, como o BRGs (Business Resource Groups) ou Grupo de Afinidades (LGBT, afro, mulheres e PcDs), onde acontecem reuniões periódicas com funcionários voluntários para debater assuntos de interesse, compartilhar experiências e dificuldades e pensar em ações que promovam o respeito e empoderamento desses grupos tanto na empresa como na sociedade. Dessa iniciativa surgiu o ‘pós-natal’ para pais – que permite que os colaboradores pais possam trabalhar até 3 vezes por semana em casa até os 4 primeiros meses do filho.  Há também o Comitê de Diversidade – conselho com o presidente e líderes para discutir métricas e dar direcionamento às ações de diversidade.

Para os colaboradores que fazem parte dos LGBTQI, a empresa criou banheiros neutros; e também os apoia nos processos de transição e direitos em relação a mudança de gênero, como o uso do nome social. No final de 2017, a companhia lançou o PAT (Programa de Assistência à Pessoa Trans) que além do apoio médico, psicoterápico e psicoterapêutico, também concede subsídio de 75% na compra da terapia hormonal, com extensão também aos filhos/dependentes legais de seus funcionários que sejam transgêneros. A IBM também é uma das empresas signatárias ao Fórum de Empresas e Direitos LGBT, criado em 2013, uma organização informal que reúne grandes companhias em torno do compromisso com o respeito e a promoção dos direitos humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais e tem como objetivo influenciar o meio empresarial e a sociedade sobre a temática.

Para a inclusão de pessoas com deficiência (PcD), existe a iniciativa Squad PcD, onde a empresa estimula a inclusão e conta com um time dedicado para atrair, contratar, dar boas-vindas, monitorar performance e desenvolver pessoas com deficiência por meio de treinamentos para equipe e líderes. Também disponibilizam acesso e ferramentas que desenvolvam esses colaboradores. No começo de 2018, a companhia recebeu seu primeiro funcionário com cão guia. Há também o PcD Day – programa de recrutamento de pessoas com deficiência.

A equidade de gênero e consequentemente a Primeira Infância também contam com ações na IBM, que é signatária do WEP’s (Women Empowerment Principles) da ONU Mulheres, e segue uma série de iniciativas para garantir o avanço na igualdade, como o Programa de aleitamento materno – que garante a todas as colaboradoras (efetivas e temporárias) em território nacional o direito de amamentar seus filhos durante o horário de expediente, até que eles completem 6 meses de vida. O benefício funciona com concessões diárias de intervalos de meia hora para a amamentação e a IBM custeia 100% das despesas de locomoção (ida e volta à creche) para esta finalidade. As Salas Para Lactantes, um espaço equipado com pia e geladeira para manter o leite em um bom estado para o bebê. Outra iniciativa voltada para as colaboradoras é a Central de Saúde IBM Baby, que tem o objetivo de contribuir para uma melhor gestação e orientar sobre a saúde da gestante e do bebê durante a gestação e o desenvolvimento da criança ainda na barriga e ajudar a futura mãe com os cuidados necessários, controlando e prevenindo potenciais riscos, trazendo segurança, conforto e tranquilidade para a família. Uma equipe de médicos, pediatras e enfermeiras oferece suporte e informação antes, durante e após o parto para que, tanto a mãe, quanto a família estejam bem preparados para a chegada do bebê. Após o parto, a Central de Saúde IBM acompanha o desenvolvimento, o crescimento e a imunização do bebê até completar dezoito meses. Além de contatos periódicos com a gestante, o IBM Baby inclui uma comunicação orientada e atividades complementares como o Curso de Gestantes e o programa de Retorno ao Trabalho. Há também atendimento 24 horas, medicamento facilitado, material informativo de apoio impresso e online, e o acompanhamento personalizado; e ainda a participação de IBMistas como mentoras de meninas em tecnologia, como as das iniciativas Laboratoria e Reprograma.

Ações voltadas à raça e etnia também fazem parte do escopo da empresa. Em parceria com a EmpregueAfro e Transempregos, por exemplo, realizam atividades de networking e contratação de pessoas, e workshops como o Black in Tech – com duração de 6 horas, voltado ao empoderamento afro de meninos e meninas em tecnologia; na ação Carreiras de Sucesso, em parceria com Negras Plurais, dialogam com mulheres (re)ingressando no mercado de trabalho.

Além de todas essas ações, há ainda o Programa “Respeito em Foco” com palestras e interações em instituições de ensino para levar reflexão sobre respeito e diversidade, onde realizam também ações para atrair novos talentos, e workshops entre jovens estudantes e executivos da companhia, que contam suas histórias e rotinas dentro da IBM; e o programa de Mentoria reversa – “Reverse Mentoring”, implementada no Brasil em 2016, onde acontece uma reunião de representantes de grupos de afinidades como mentores de executivos e lideranças da empresa. Eles compartilham com os líderes da IBM suas experiências de vida e profissionais dentro e fora do ambiente organizacional, como suas conquistas, desafios, carreira e seu dia-a-dia como negros, mulheres em tecnologia, LGBTs ou pessoas com deficiência. Existe ainda um canal de denúncias onde funcionários podem reportar qualquer tipo de quebra no código de conduta. Por fim, há uma Semana da Diversidade – evento realizado simultaneamente nos escritórios da IBM em São Paulo, Hortolândia e Rio de Janeiro, apresentando palestras, painéis, workshop, entre outras atividades, com foco no tema Diversidade e Inclusão.

De acordo com Fabiana Cardoso, líder de Diversidade e Inclusão da IBM Brasil, “a diversidade e a inclusão fazem parte do DNA da IBM desde a sua fundação. Desde então, temos implementado uma série de iniciativas para promover um ambiente diverso e inclusivo para que pudéssemos construir uma força de trabalho com oportunidades igualitárias, onde todos os nossos colaboradores possam ser eles mesmos, atingindo seus potenciais. Acreditamos que a diversidade é essencial para o sucesso dos negócios, pois construir equipes inclusivas e incentivar a pluralidade de origens, experiências e ideias, nos ajuda a causar maior impacto em inovação para nossos clientes e o mundo”, conta a executiva.

Sobre a IBM

A IBM foi pioneira em iniciativas de inclusão. Nos EUA, em 1935, a empresa abriu a primeira escola de treinamento para mulheres. Em 1914, contratou o primeiro funcionário cego. No ano de 1943, uma mulher ocupou o cargo de vice-presidente. Em 1946, em um ano em que os direitos civis para os negros ainda eram negados pelo governo norte-americano, a IBM foi a primeira empresa a contratar um vendedor negro. No Brasil, em 2004, a empresa adotou o programa Domestic Partner, iniciativa que oferece direitos aos casais homoafetivos de incluir companheiros de mesmo sexo no plano de saúde. Hoje a companhia já possui banheiros de gênero neutro, dando suporte aos funcionários em transição de gênero.