imagem google

Iniciativas Sustentáveis: Heineken – Foco no pilar Social do ESG


Indústria de bebidas holandesa reforça sua atuação social do ESG com criação do primeiro instituto do grupo no mundo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1653197402

Por Karen Pegorari Silveira

Os últimos dois anos no Brasil foram marcados pela pandemia de covid-19, pelo medo, perdas e crise, mas também por um engajamento e solidariedade nunca vistos antes entre a sociedade civil e as organizações empresariais do país. Em 2020 chamou a atenção o alto volume de doações realizadas por empresas – um total de R$ 7,2 bilhões de 732 mil doadores – número considerado histórico para os padrões brasileiros segundo o monitor de doações da ABCR (Associação Brasileira de Captadores de Recursos).

Diversas empresas se movimentaram para apoiar o poder público contra a doença, como foi o caso da Heineken, que se uniu ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No total, R$ 9 milhões, que seriam usados para a realização de um festival de música, foram destinados ao sistema de saúde com a compra de cilindros, CPAPs (aparelhos de suporte às vias aéreas), equipamentos de proteção individuais para profissionais da linha de frente em pelo menos 40 hospitais filantrópicos de todo País e na instalação de quatro usinas de oxigênios.

Neste ano, para reforçar seu compromisso com o pilar social da agenda ESG, o Grupo Heineken anunciou também o lançamento do primeiro Instituto Heineken no mundo com o objetivo de impactar a sociedade por meio do equilíbrio. Em linha com uma das principais problemáticas do país, como a desigualdade social, a organização tem foco em vendedores ambulantes, catadores e jovens em situação de vulnerabilidade.

O primeiro Instituto da companhia no mundo pretende impactar 10 mil vendedores ambulantes e catadores e 1 milhão de jovens direta e indiretamente até 2025, por meio de programas e iniciativas que atuarão no desenvolvimento de habilidades socioemocionais e empreendedoras, capacitação, geração de emprego e renda e promoção do consumo responsável de álcool.

Segundo Beatriz de Sá, gerente executiva do Instituto “ao olharmos mais cuidadosamente para o S da sigla ESG, identificamos a oportunidade de expandirmos a nossa atuação. Queremos que os nossos produtos sejam consumidos de maneira equilibrada e responsável e, para além disso, queremos que as comunidades nas quais estamos inseridos evoluam e prosperem junto conosco”, diz.

Na atuação com jovens em situações de vulnerabilidade, desde 2019, a companhia já conta com o WeLab, programa voltado à promoção do consumo responsável entre jovens de 18 e 24 anos. O Instituto será responsável não só por expandi-lo, mas também por impactar jovens em situações de vulnerabilidade na perspectiva da empregabilidade, por meio de projetos feitos em rede ou ecossistemas.

Para os vendedores ambulantes e catadores de materiais recicláveis, o Instituto pretende criar e aportar projetos de capacitação e inclusão produtiva com foco na geração de emprego e renda.

Outro compromisso social já assumido pela empresa é com o pilar de Inclusão & Diversidade, em que até 2026 terá 50% dos cargos de liderança ocupados por mulheres e 40% por pessoas negras até 2030.

Sobre o Grupo Heineken Brasil

O Grupo chegou ao Brasil em maio de 2010, após a aquisição da divisão de cerveja do Grupo FEMSA e, em 2017, adquiriu a Brasil Kirin Holding tornando-se o segundo player no mercado brasileiro de cervejas. O Grupo gera mais de 14 mil empregos e tem 14 unidades produtivas no país, sendo 12 cervejarias.