imagem google

Iniciativas Sustentáveis: Ambev – Parceria pela Saúde


Parceria para oferecer novos leitos em hospital da zona sul de São Paulo e produção de equipamento inédito ajudaram a combater a covid-19 no país.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1600615382

Por Karen Pegorari Silveira

Parcerias multissetoriais que mobilizem e compartilhem conhecimento, expertise, tecnologia e recursos financeiros é uma das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, criados pela Organização das Nações Unidas (ONU), e uma estratégia importantíssima para ajudar países em desenvolvimento e também para apoiar o governo e a sociedade em meio a uma pandemia como a que estamos vivendo. E essa foi justamente a estratégia utilizada pela Ambev para ajudar o Brasil durante a pandemia da covid-19.

Para atender mais pacientes com a Covid-19, a Ambev, a Gerdau e o Albert Einstein se uniram e construíram um anexo ao Hospital Municipal M’Boi Mirim – Dr. Moysés Deutsch, na zona sul de São Paulo, onde o Einstein já é responsável pela gestão e entregaram mais 100 novos leitos para os pacientes em tratamento da doença.

A Ambev contribuiu na gestão do projeto com sua experiência de processos ágeis além do custo da construção, a Gerdau ofereceu o aço – principal matéria prima para o método construtivo e o conhecimento que possui na montagem de estruturas metálicas, e o Hospital Israelita Albert Einstein colaborou com a sua expertise na gestão do atendimento do paciente.

Outra iniciativa da Ambev foi usar o etanol de suas cervejarias para produzir 1,2 milhões de unidades de álcool gel em embalagens de 237ml. Para a distribuição das primeiras 500 mil unidades foram priorizados hospitais públicos nas áreas mais afetadas das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Posteriormente, mais 500 mil unidades foram entregues às Unidades Federativas do país e outras 200 mil unidades para atender mais pessoas, expandindo a ajuda.

Teve ainda a fabricação de 3 milhões de máscaras do tipo face shield, que cobrem o rosto todo, para doar para profissionais de saúde do país. A produção é feita a partir do PET, mesmo material utilizado nas embalagens de Guaraná Antarctica. Até agora, já foram entregues mais de 1,4 milhões de unidades de máscaras, as quais estão sendo entregues ao Ministério da Saúde.

Outra importante parceria desenvolvida pela Ambev, com o Hospital Sírio-Libanês e Hospital das Clínicas da FMUSP, foi para a produção de equipamento médico em impressora 3D com
custo 270 vezes menor do que os importados.

Chamado de videolaringoscópio, o equipamento ajuda na introdução do tubo na traqueia de pacientes com a COVID-19 e insuficiência respiratória, minimizando a exposição dos profissionais de saúde ao vírus.

Utilizando sua fazenda de impressoras 3D na sua cervejaria em Guarulhos (SP), a Ambev e Sírio-Libanês desenvolveram o equipamento para ajudar a proteger os médicos que, normalmente, precisam se aproximar muito dos pacientes para intubá-los e correm o risco de se expor ao vírus. Com o videolaringoscópio é possível realizar o procedimento a uma distância segura.

Outra inovação nesta parceria, além da produção na impressora 3D, foi em relação à captação de imagem do videolaringoscópio. Ao invés de ter uma tela acoplada, utilizou-se uma câmera que conecta com o celular ou computador e que serve como tela para reproduzir as imagens captadas pelo aparelho. Como a produção na impressora 3D é feita camada por camada, isso traz uma versatilidade e agilidade muito grande de adaptação.

Atualmente, nenhuma empresa brasileira produz o equipamento. O modelo nacional foi desenvolvido pela startup Forge, que faz parte do ecossistema de inovação da Ambev, e idealizado por um grupo de médicos residentes do Hospital Sírio-Libanês, coordenado pela Dra. Claudia Simões do Serviço Médico de Anestesia (SMA), além de outros médicos de grandes instituições como o Hospital das Clínicas e o Hospital Tacchini, de Bento Gonçalves, RS.

O custo do videolaringoscopio foi reduzido a R$ 40 por unidade. Como referência, os modelos importados custam cerca de US$ 2 mil. Com esta parceria a empresa conseguiu um produto 270 vezes mais barato e produziu duas mil unidades para doar aos hospitais do Brasil.

O CEO da Ambev, Jean Jereissati, conta que deu uma missão a todos da empresa, “Desde o início da pandemia no Brasil, dei um desafio claro para todo o time: usar nossa capacidade e recursos para ajudar o Brasil a enfrentar esse momento. O time buscou parceiros no nosso ecossistema e encontrou essa solução incrível que protege os médicos e médicas que estão na linha de frente”, diz o executivo.

Sobre a Cervejaria Ambev

Com sede em São Paulo e presente em 18 países a empresa investiu R$ 17,5 bilhões no Brasil nos últimos cinco anos. Seu quadro de colaboradores chega a 30 mil e seu portfólio mantém cervejas, refrigerantes, chás, isotônicos, energéticos, sucos e água, das marcas Skol, Brahma, entre outras, além da AMA, a água mineral que destina 100% de seu lucro para projetos que levam acesso à água potável para famílias do semiárido brasileiro.