Diretor do Deinfra participa de ‘Think Tank’ nos Estados Unidos

Juan Saavedra – Agência Indusnet Fiesp

Esforços crescentes de integração da infraestrutura América do Sul: um dos pontos da palestra de Carlos Cavalcanti no Woodrow Wilson Center.

“Uma perspectiva do setor privado sobre a energia do Brasil e desafio de infraestrutura”. Este foi o tema de palestra do diretor titular do Departamento de Infraestrutura (Deinfra) de Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Carlos Cavalcanti, em sua participação no “Think Tank” do Instituto Brasil do Woodrow Wilson Center e do Conselho Empresarial Brasil-Estados Unidos. O evento aconteceu na semana passada (10/07), em Washington, capital federal dos Estados Unidos da América (EUA).

Em sua palestra, Carlos Cavalcanti proporcionou uma visão geral sobre os mercados de infraestrutura, sobretudo os setores de transportes, telecomunicações e energia. Assinalou que a América do Sul tem se destacado não só pelo potencial de desenvolvimento nesses setores, mas também por seus esforços crescentes de integração. Apresentou ainda alguns dos planos encaminhados a partir da criação de organismos específicos no âmbito da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

“Nós [na América do Sul] temos ido além dos acordos comerciais. Estamos promovendo avanços concretos”, afirmou Cavalcanti, ressaltando a preferência da região pela energia limpa.

Crise e soluções

Para o diretor do Deinfra (à esquerda na mesa) crescente integração econômica entre os países é uma alternativa para a crise atual'.

O diretor titular do Deinfra ressaltou que, apesar do cenário ser repleto de incertezas em função da grave crise financeira e econômica mundial, a abertura ao comércio internacional e uma crescente integração económica entre os países ainda são alternativas para enfrentar a crise.

Cavalcanti disse que agora é o momento de mudança de paradigma, citando palavras do embaixador Samuel Pinheiro Guimarães:

“Infraestrutura é a base essencial para a expansão da atividade produtiva e comercial e para a formação de mercados doméstico e regional dinâmicos, capazes de absorver trabalho, agregar valor e aumentar o nível de renda e de desenvolvimento humano. Desenvolver  infraestrutura e gerar empregos é fundamental para reduzir a pobreza e criar condições para uma vida decente maioria da população a longo prazo.”

O representante da Fiesp encerrou sua palestra sustentando que o futuro será menos incerto se esse caminho for adotado. “Vamos aproveitar esta oportunidade e colher grandes benefícios”, concluiu.

A apresentação foi seguida de um debate com a participação de Paulo Sotero, diretor do Instituto Brasil do Woodrow Wilson Center; Christopher Garman, diretor do Eurasia Group; Reeve Woldford, diretor de Gestão para a América Latina do Altrius Grupo.

Veja a íntegra da palestra no site do Woodrow Wilson Center.


Think Tank

“Think tanks” são organizações que produzem pesquisas, análises, e conselhos orientados a política de temas domésticos e internacionais com a tentativa de executar decisões sobre políticas públicas em alguma matéria. O “Think Tank” do Woodrow Wilson Center é o único público dos EUA e é considerado um mais dos importantes do país e do mundo.