‘A Madrinha Embriagada’: musical em cartaz no Centro Cultural Fiesp é elogiado em crítica da Folha de S. Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O jornal Folha de S. Paulo, publicou, nesta quinta-feira (05/12), no caderno Ilustrada, crítica elogiosa ao musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista, e financiado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A peça foi adaptada e dirigida por Miguel Falabella a partir do espetáculo canadense “The Drowsy Chaperone”.

Em seu texto, o crítico Marcio Aquiles destaca o tom de paródia da trama e afirma que “Falabella se sai bem ao transpor a história para São Paulo. Adapta nomes e lugares, brinca com sotaques paulistas e regionaliza o enredo sem fazê-lo perder o charme”.

Os figurinos, assinados pelo estilista Fause Haten, também mereceram elogios: “O belo figurino de Fause Haten tem trajes femininos com silhuetas tubulares e cós baixo, fidedignos ao vestuário do final da década de 1920”.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, típicas dos anos 1920. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

E isso não foi tudo: o elenco também foi destacado. “Além de técnica vocal, o elenco tem versatilidade. Frederico Reuter canta, dança, sapateia e anda de patins. Cleto Baccic destaca-se com uma interpretação hilária para Aldolpho, conquistador argentino cheio de trejeitos.”

Para ler a crítica completa, só clicar aqui.

“A Madrinha Embriagada” é um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’
Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

‘Fiesp e Sesi-SP se dedicaram de corpo e alma a esse projeto’, afirma diretor da Fiesp sobre ‘A Madrinha Embriagada’

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Com tudo pronto para a grande estreia, foi realizada nesta terça-feira (13/08) a coletiva de imprensa com os responsáveis pelo espetáculo musical “A Madrinha Embriagada”.

Participaram do encontro com os jornalistas representantes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), diretores e equipe técnica, autores da peça original e o elenco.

“Nós não podíamos estar mais contentes”, declarou o diretor titular do Departamento de Infraestrutura da Fiesp (Deinfra), Carlos Cavalcanti, ao falar da grande procura pelos ingressos do espetáculo. Os ingressos para as apresentações de agosto esgotaram em 36 horas depois de serem disponibilizados para reserva on-line.

“Nosso objetivo está sendo cumprido que é o de oferecer um espetáculo de primeira qualidade para atingir um público que seja tocado por essa experiência e alimente a indústria de teatro musical. A Fiesp e o Sesi-SP se dedicaram de corpo e alma a esse projeto.”

O superintendente operacional do Sesi-SP, Walter Vicioni Gonçalves, citou o espetáculo como um típico caso da chamada “pedagogia do exemplo”, conceito seguido pela instituição.

“Para começar nosso projeto educacional em teatro musical, precisávamos de uma peça como essa, um exemplo de atores, diretores, músicos e todas as manifestações artísticas”. Ele também falou sobre as outras atividades do projeto: workshops de teatro musical nas escolas do Sesi-SP e o curso de formação de atores.

Criação e adaptação

A coletiva de imprensa do musical no Teatro do Sesi-SP: dedicação total ao projeto. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Responsável pela adaptação da peça original e diretor do espetáculo, Miguel Falabella reforçou sua emoção por fazer parte do projeto do Sesi-SP. “Quantas pessoas, que nunca foram ao teatro, virão e assistirão um musical pela primeira vez?”

O diretor também falou sobre a ideia de adaptar a peça original “The Drowsy Chaperone” para a realidade brasileira. “O musical é uma homenagem à revista musical e aos atores e profissionais de comédia musical. Como a peça se passa em 1928 e estamos na avenida Paulista, em frente ao Masp, não faria sentido fazer esse espetáculo sem mostrar o modernismo que explodiu nos anos 20 na cidade de São Paulo.”

Falabella também falou sobra a facilidade de trabalhar com o experiente e talentoso elenco do espetáculo. “Temos a nata do musical brasileiro no palco. Trabalhar com essas pessoas é como jogar futebol com profissionais. A bola vem no pé, já vem pronto para fazer o gol. Com essas pessoas desse nível e o bom material dramático que temos, tudo funciona.”

Para o autor do texto original, Don McKellar, ver a peça encenada no Brasil é a conquista de um sonho. “Os musicais dos anos 20 sempre terminavam no Brasil, porque nessa época a música brasileira começou a chegar e conquistar as pessoas nos Estados Unidos e na Europa. Para mim, estar no Brasil com esse texto é o encerramento perfeito do ciclo de ‘The Drowsy Chaperone’.”

A autora das canções originais, Lisa Lambert, disse estar ansiosa para ver a versão brasileira. “Vi duas cenas do musical e achei maravilhosas. Estou muito feliz por fazer parte desse projeto. Ainda não vi tudo, mas confesso que prefiro a tradução ‘Surpresa Fatal’ do que a versão original, ‘Toledo Surprise’.”

Musical que inspirou ‘A Madrinha Embriagada’ foi o mais premiado da Broadway em 2006

Agência Indusnet Fiesp

“A Madrinha Embriagada”, espetáculo que vai estrear no dia 17 de agosto para o público no Teatro do Sesi-SP, é uma adaptação do musical mais premiado da Broadway em 2006, com cinco prêmios entre as 13 indicações recebidas: “The Drowsy Chaperone”, de Bob Martin e Don McKellar. Dirigido por Miguel Falabella, “A Madrinha Embriagada” é fruto da iniciativa do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

O espetáculo é conhecido em todo o mundo e estreou em 1988, em Toronto, no Canadá, chegando à Broadway em maio de 2006. De lá para cá, além do Canadá e dos Estados Unidos, foram várias montagens em países como a Inglaterra e o Japão.

Atores durante ensaio de "A Madrinha Embriagada": montagem brasileira tem direção de Miguel Falabella. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Atores durante ensaio de "A Madrinha Embriagada": direção de Miguel Falabella. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Os cinco Tony Awards recebidos por “The Drowsy Chaperone” em 2006 representam o principal reconhecimento que a obra poderia receber na área, na cena norte-americana.

Ambientada nos anos 1920, mais exatamente em 1928, a comédia musical traz, além do charme daquela época, um narrador nada convencional: o “homem da poltrona”. De quem se trata? De um fã de musicais que, uma determinada noite, decide parar para ouvir um de seus discos prediletos, chamado “A Madrinha Embriagada”. Dessa forma, os personagens das canções terminam invadindo a sua casa. E tem início a trama.

Na montagem brasileira, o “homem da poltrona” será interpretado por Ivan Parente, conhecido, entre outros trabalhos, pela sua participação em “Alô Dolly”, “Pinóquio” e “O Mágico de Oz”. Parente não é a única estrela do espetáculo, formado por um time de 25 estrelas conhecidas de musicais, como Stella Miranda (a madrinha embriagada), Saulo Vasconcelos (Feldzieg) e Kiara Sasso (Kitty), apenas para citar alguns nomes.

Mesmo permanecendo fiel à essência irreverente do original, Miguel Falabella se encarregou de dar um toque brasileiro à obra. Brasileiro e paulistano, mais exatamente. Tudo para que o público se reconheça na São Paulo dos anos 1920 apresentada no palco.

As músicas e letras são de Lisa Lambert e Greg Morrison, com figurinos de Fause Haten.

Elenco de ‘A Madrinha Embriagada’ tem grandes nomes do teatro musical brasileiro

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp 

Durante o lançamento do programa Teatro Musical pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), nesta segunda-feira (20/05), o ator e diretor Miguel Falabella apresentou o elenco do espetáculo “A Madrinha Embriagada”. O musical, que faz parte do programa, tem estreia prevista para dia 14 de agosto, no Teatro do Sesi-SP, com entrada gratuita.

 

Elenco de 'A Madrinha Embriagada' durante o lançamento do Projeto Educacional do Sesi-SP em Teatro Musical. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A peça fica em cartaz na cidade por 11 meses, em um total de 325 sessões (oito sessões por semana, sendo duas exclusivas para agendamentos de instituições de ensino públicas e privadas). O projeto está orçado em R$ 12 milhões, bancados pela Fiesp/Sesi sem utilização de leis de incentivo.

“A Madrinha Embriagada” é uma adaptação de Miguel Falabella do texto original “The Drowsy Chaperone”, espetáculo mais premiado na Broadway em 2006. Dirigido por Falabella, o musical terá elenco de 25 atores e orquestra com 15 músicos.

Quem interpreta a madrinha embriagada que dá nome ao espetáculo é a atriz Stella Miranda. “Ter sido convidada para participar desse projeto super pioneiro é uma honra e uma felicidade”, declarou a atriz, que recentemente interpretou Carmem Miranda em “Miranda por Miranda”.

“Espero que essa parceria da Fiesp e do Sesi-SP com o teatro musical seja o início de uma longa amizade” , disse a atriz.

Paula Capovilla, protagonista do musical “Evita”, também está no elenco do musical e destacou o fato dos espetáculos serem gratuitos. “Vai transformar a vida de muitos jovens e muitos adultos, que nunca vivenciaram essa experiência. No Brasil, muita gente nunca foi ao teatro. Por isso esse projeto é tão especial: porque ele é feito para tocar a vida das pessoas.”

Outros nomes conhecidos no teatro musical brasileiro – Kiara Sasso, Fred Reuter e Saulo Vasconcelos – compõem o elenco de “A Madrinha Embriagada”.

Intérprete do protagonista de “O Fantasma da Ópera” e “A Bela e a Fera”, Saulo faz parte da coordenação do curso de formação de atores do programa e considera que o lançamento foi um marco na história do teatro brasileiro.

“É uma parceria incrível de bons professores, grandes nomes do teatro musical com o Sesi-SP dando todo o apoio. Vai ser referência no Brasil e esperamos que seja referência mundial , em termos de educação”, afirmou o ator.