Evolução das instalações esportivas é tema do 2º Cidyr

Elcio Cabral, para a Agência Indusnet Fiesp

O vice-secretário da Federação Francesa de Atletismo e arquiteto do Ministério Francês da Saúde e do Esporte, François-Emmanuel Vigneau apresentou, na manhã da quarta-feira (20), a palestra Tendências da Gestão das Instalações de Esporte e Lazer, no 2º Congresso Ibero-americano de Instalações Esportivas e Recreativas (Cidyr), no Teatro do Sesi.

Vigneau versou sobre o progresso das instalações esportivas do país europeu desde o final do século XVIII, com a finalidade de “compreender o esporte e entender as perspectivas de sua evolução”.

Características

O Vigneau afirma que o esporte tem por característica evolução e diversificação. No século passado, o público praticante era de jovens do sexo masculino, voltado à competição. Hoje a preocupação é disponibilizar estrutura adequada em todas as faixas etárias, desde crianças até terceira idade, sem se esquecer dos deficientes físicos.

“Crianças e idosos são mais frágeis, e os equipamentos destinados a eles tem de ser mais seguros”, ressaltou. “Estimamos que, atualmente, metade da população francesa pratica algum tipo de esporte”, concluiu o vice-secretário. Ele informou também que o esporte é responsável por 1,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e por cerca de 375 mil empregos diretor e indiretos.

Passado e futuro

Nos anos 60, o governo francês percebeu a necessidade de criar espaços de convivência voltados ao lazer e esporte, principalmente nas periferias. Ele aproveitou a geografia local e usou lagos para desportos aquáticos, cercados com aparelhos destinados a outros tipos de atividade, como quadras e raias para corrida. “Eram parques de diversão seguros, voltados para a família, com atividades variadas.”

Mas, segundo o arquiteto, com o passar do tempo o esporte saiu de prédios específicos e se adaptou à vida urbana. Ele citou como exemplos a patinação, a corrida, o jogging e o skate. Ao mesmo tempo, a cidade foi se adaptando. “Em alguns locais as vias férreas foram transformadas em ciclovias e estacionamentos são usados para a prática de hóquei sobre patins (…) Hoje, o esporte ocupa um tempo cada vez maior na vida dos cidadãos, então temos de evoluir e nos adaptar de acordo com isso”, apontou.

Cidyr

O Congresso foi aberto oficialmente na terça-feira (19) e ocorrerá até sexta-feira. Na pauta estão discussões e apresentações de projetos para infraestrutura de megaeventos, como a Copa do Mundo de 2014, que será em diversas cidades brasileiras, e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Serão cerca de 40 palestras ministradas por profissionais de todo o mundo, que trazem experiência para boa orientação de como se deve fazer antes e depois desses eventos.

Para mais informações sobre o evento, clique aqui.