Elias Gleizer no InteligênciaPontoCom: ‘No Sesi-SP, aprendemos a respeitar o público’

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

“É uma grande emoção voltar a este palco maravilhoso”, afirmou o ator Elias Gleizer, que subiu ao Teatro do Sesi São Paulo, na capital paulista, na noite desta segunda-feira (16/06), ao lado da atriz Bárbara Paz e da jornalista Rogéria Gomes para um bate-papo descontraído em mais uma edição do InteligênciaPontoCom, que celebrou os 50 anos do Teatro Popular do Sesi-SP.

InteligênciaPontoCom celebra 50 anos do Teatro Popular do Sesi-SP com plateia lotada e bate-papo entre o ator Elias Gleizer, a jornalista Rogéria Gomes e a atriz Bárbara Paz. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

“Eu estreei ‘O Poeta da Vida’ neste teatro, mas não havia poltronas e o primeiro público eram os peões da obra do teatro”, lembrou Gleizer ao relatar que, embora a lotação do teatro seja de aproximadamente 450 pessoas, ele já se apresentou para mais de 800 pessoas.

“Havia brigas na porta. Tínhamos medo de aparecer a fiscalização, mas isso para o ator é muito gratificante. O Sesi-SP ensina o ator a improvisar”, disse. “Cheguei para substituir o Claudio Correa e Castro e fiquei aqui por 11 anos”, contou.

“Nós aqui no Sesi-SP aprendemos a respeitar o público, qualquer público”, afirmou Gleizer ao lembrar que os espectadores tinham que trazer as cadeiras de casa. “Eles traziam os filhos pequenos e cachorros, porque não tinham com quem deixar e vinham de muito longe para assistir às peças. Nós aprendemos a respeitar esse público.”

Para o povo 

Para Rogéria, a importância do Teatro do Sesi-SP está na essência de sua criação, pois ele já foi pensado para o povo, para o operário. “Um teatro com ingresso gratuito e elevado teor artístico nas realizações: isso para nós é uma celebração”, afirmou a jornalista ao ressaltar que tudo começou de forma amadora e foi se profissionalizando. “Hoje passam por aqui diretores da maior qualidade. Qualquer ator precisa passar por esse palco para entender o que é o teatro. O Teatro Popular do Sesi-SP é o Brasil que dá certo”, disse.

Barbara Paz concorda. “O Teatro do Sesi-SP é um formador de público de teatro. Até hoje sou reconhecida pela primeira peça em que atuei aqui há 15 anos. Isso é incrível!”, contou a atriz, que elogiou a infraestrutura que o Sesi-SP oferece para os atores: “as pessoas têm carência por teatro e quando encontram espetáculos gratuitos, com a estrutura que o Sesi-SP, todo dia tem público”, disse.

“O que a gente recebe do público aqui é alimento para a nossa carreira. Não quero nunca que o Sesi-SP saia da minha vida.”

Alimento da alma

“O teatro me formou não só como atriz, mas como ser humano. Com o teatro, aprendemos a escutar, porque teatro não se faz sozinho”, explicou Barbara Paz, que acredita que a peça pode ser a mesma, mas nenhum espetáculo é igual ao outro.

“O ator é movido pela paixão. Eu descobri no teatro um espaço para onde eu podia voltar sempre e ser várias pessoas”, disse a atriz que teve o apoio de Rogéria: “teatro talvez seja a arte que mais se aproxima da vida do ser humano, porque vivemos o drama e a comédia”.

Para a jornalista, uma prova clara disso era o teatro quase lotado durante o evento: “Copa do Mundo e plateia cheia: o teatro está batendo um bolão”, brincou.

Antes e depois

Na opinião dos convidados, o teatro de 50 anos atrás é diferente daquele feito nos dias de hoje, não só no que se refere à infraestrutura, mas em relação aos atores também. “Hoje em dia, os atores são mais responsáveis. Antigamente, você saía de um espetáculo e ensaiava a outra. Daí havia confusão com as falas”, explicou Gleizer.

Para ele, o ensaio é muito mais importante no teatro do que na televisão. “Não dá para se fazer uma peça em um dia. Na televisão você adquire a experiência do improviso, o que é muito importante para o teatro, onde muitos vezes temos brancos e causa um pânico no elenco todo. Fiz muito teleteatro também, que era ao vivo e você tinha que improvisar”, disse.

Para Bárbara, a televisão é um estudo muito solitário, ao contrário do teatro, que é um trabalho em conjunto. “Eu não decoro os textos, eu estudo a peça. Isso ajuda no improviso”, disse a atriz.

Rogéria lembra que, antigamente, as filas do Teatro do Sesi-SP eram tão grandes que as pessoas achavam que era fila de busca por empregos. “Naquele tempo, as companhias de teatro trabalhavam de segunda a segunda, com pouquíssimas folgas, além dos ensaios. Hoje em dia, as companhias se esvaziaram. Mas uma coisa ainda é comum às épocas: o ator não desiste do teatro”.

InteligênciaPontoCom celebra 50 anos do teatro brasileiro

Agência Indusnet Fiesp

Em junho, o bate-papo cultural InteligênciaPontoCom será uma comemoração aos 50 anos do teatro brasileiro. A atriz Bárbara Paz, o ator Elias Gleizer e a jornalista Rogéria Gomes são os convidados do encontro, que acontece no dia 16 de junho, segunda-feira, às 20h. A entrada é gratuita.

Nesta edição, o InteligênciaPontoCom vai discutir e lembrar momentos inesquecíveis do teatro nacional, além de traçar linhas que apontam para o futuro das artes cênicas em São Paulo e no Brasil. Para isso, vai reunir três personalidades ligadas aos palcos.

No teatro, Bárbara Paz protagonizou espetáculos como “Madame de Sade”, “A Importância de Ser Fiel” com Grupo Tapa, “Hell” e “Os Sete Gatinhos”. A atriz fez parte dos grupos Parlapatões e do CPT (Centro de Pesquisa Teatral) do diretor Antunes Filho. Atualmente está em cartaz com a comédia da Broadway “Vênus em Visom” de David Ives e direção de Hector Babenco. Em 2013 recebeu do Ministério da Cultura a Medalha Cavaleiro pela sua trajetória como atriz.

Veterano dos palcos e da TV, Elias Gleizer começou no teatro amador, participando de festivais estudantis, onde ganhou prêmios e foi revelado. Sua carreira profissional decolou na TV Tupi em 1959, na novela José do Egito. Desde então, atuou em cerca de 60 novelas, mas não deixou o teatro e atuou em peças de grande relevância, como O Poeta da Vila e Seus Amores, de Plínio Marcos (1977), A Falecida, de Nelson Rodrigues (1979) e Chiquinha Gonzaga, Ó Abre Alas, de Maria Adelaide Amaral (1983), todas encenadas no Teatro do Sesi-SP.

Jornalista, apresentadora, editora, roteirista e pesquisadora, Rogéria Gomes criou o Programa “Teatro Em Cena”, na rádio Roquete Pinto – 94.1FM – RJ. Pós graduada em Docência Superior e Especialista em Jornalismo Cultural, trabalhou em diversos veículos da mídia impressa e é autora do livro “As Grandes Damas e um Perfil do Teatro Brasileiro”.


Serviço

InteligênciaPontoCom – 50 anos do Teatro Brasileiro
Data e horário: 16 de junho, segunda-feira, às 20h
Local: Teatro do Sesi-São Paulo (Avenida Paulista, 1.313 – Metrô Trianon-Masp)
Entrada gratuita
Reservas antecipadas em http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Transmissão ao vivo pelo site www.fiesp.com.br/online

‘Se trata de colocar os estádios a serviço das pessoas’, diz diretor da Fiesp em seminário

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Aconteceu na tarde desta terça-feira (25/02) o encerramento do 2º Seminário Geral de Segurança para a Copa do Mundo Fifa 2014, no Teatro do Sesi São Paulo. O evento contou com a participação do diretor do Departamento de Segurança (Deseg) da Federação das  Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Ricardo Franco Coelho.

“Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais, com um grande desafio de governança, que exige forte integração entre todos os participantes”, disse. “Isso de modo tal que as competências sejam preservadas, mas que o público e os convidados enxerguem um único processo”, avaliou.

Para ele, a análise conjunta dos planos desenvolvidos para as diferentes cidades-sede é uma importante ação de integração. “Os princípios, práticas e conceitos aplicados no planejamento da segurança desse grande evento representam uma consolidação, pela entidade organizadora, das melhores práticas internacionais”.

Coelho: “Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Coelho: “Foram estabelecidas as políticas operacionais, funcionais e institucionais”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Coelho acredita que essas práticas estão em uso em inúmeras instituições públicas e privadas no Brasil, mas sua aplicação nem sempre é cotidiana. “A Copa coloca tudo isso na mesa, diante dos tomadores de decisão, como condição para a estruturação inteligente de grandes ações”, destacou.

Na visão do diretor do Deseg há um paralelo entre a Copa de 2014 e as escolas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). “Nas ações educacionais do Sesi-SP, o que está em jogo não é colocar as crianças na escola, mas sim colocar a escola a serviço da criança”, explicou. “Com relação à Copa, não se trata de colocar pessoas nos estádios, mas sim de colocar os estádios a serviço das pessoas, mantendo como política as ações de planejamento, organização, mobilidade e segurança desenvolvidas nessa grande jornada”, ponderou.

Ao finalizar, Coelho aconselhou: “A vida é um grande evento. Como estratégia sem ação não é nada, mãos à obra”.

O seminário na Fiesp: debate sobre a necessidade de integração das ações de segurança para a Copa. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O seminário na Fiesp: debate sobre a necessidade de integração das ações de segurança para a Copa. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Também presente na cerimônia, o gerente geral de Segurança do Comitê Organizador Local (COL), Hilário Medeiros, agradeceu à Fiesp pela oportunidade de realização do evento. E falou sobre os próximos passos, fazendo um balanço positivo sobre o encontro. “O chamado padrão Fifa de Copa, no Brasil, vai ser um modelo de integração, profissionalismo e alegria”, encerrou.

Peça exibida no Teatro do Sesi São Paulo, L’Illustre Molière vence em três categorias do Prêmio Shell

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Peça retrata vida e obra do dramaturgo francês Molière. Foto: Divulgação.

O espetáculo teatral “L’illustre Molière” – da Companhia D’ Alma – foi o grande vencedor da 25ª edição do Prêmio Shell, o mais importante do país na área teatral.

A peça, que ficou em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo de 2 a 26 de fevereiro de 2012, foi premiada em três das nove categorias: melhor ator (Guilherme Sant’Anna); melhor figurino (Zé Henrique de Paula) e melhor música (Fernanda Maia)

A cerimônia de premiação foi realizada na noite desta terça-feira (12/03), no espaço Estação São Paulo. Os premiados receberam uma escultura de metal feita pelo escultor Domenico Calabroni e R$ 8 mil.

Sobre o espetáculo

Ambientada no séc. XVII, a peça retrata momentos marcantes da vida e obra do dramaturgo francês Molière (1622-1673). Cada cena tenta recriar a efervescência da criatividade do autor, a trajetória artística de sua companhia teatral e as particularidades de sua época.

Panorama Sesi de Dança 2012 apresenta espetáculos nacionais e internacionais

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

São Paulo é capital da dança contemporânea. E com objetivo de popularizar essa importante manifestação artística, o Sesi-SP promove, entre os dias 05 e 16 de dezembro, a 12º edição do Panorama Sesi de Dança.

Com curadoria de Ana Francisca Ponzio, o evento reúne nove companhias de dança nacionais e internacionais, com espetáculos que já percorreram o mundo, com grande sucesso de público e crítica.

 

Destaque desta edição, o grupo Käfig Brasil exibe, entre os dias 05 e 06 de dezembro, o espetáculo inédito Correria Agwa.A produção é inspirada nas comemorações do Ano do Brasil na França. Além disso, o público tem a oportunidade de conferir o trabalho do coreografo francês Mourad Merzouki, que mostra um espetáculo com elenco 11 bailarinos brasileiros do Rio de Janeiro, muito deles moradores de comunidades carentes.

Nos dias 08 e 09 de dezembro, o consagrado grupo alemão Cia. Toula Limnaios sobe ao palco com o espetáculo Wut, palavra esta que significa raiva em alemão. De acordo com o responsável grupo, Toula Limnaios, o espetáculo abordará temas como choque e protesto.

“Nesta época de uma dimensão sensorial sobrecarregada, em que os ponteiros dos relógios giram cada vez mais rápido e massas de informação ameaçam nos esmagar, Wut é uma posição de resistência contra o estado nebuloso de nosso tempo”, afirma Limnaios.

Confira aqui a programação completa
http://www.sesisp.org.br/cultura/danca/1-programacao-2012.html

Serviço
Panorama Sesi de Dança 2012
Local: Teatro do Sesi São Paulo
Endereço: Avenida Paulista, 1313 – em frente a estação do metrô (linha verde) Trianon Masp
Entrada gratuita. O par de convites pode ser retirado na bilheteria, no dia da apresentação, a partir das 12h.
Informações pelo telefone: (11) 3146- 7405/7406

Saiba mais no site http://www.sesisp.org.br/cultura/

Nelson Rodrigues 100 anos: confira os destaques da exposição

Agência Indusnet Fiesp

Entre os destaques da exposição Nelson Rodrigues 100 anos, que acontece no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso de 11 de outubro a 16 de dezembro, há um filme raro dirigido por João Bethencourt (1924-2006). A película, descoberta pelo historiador da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Carlos Fico, no Arquivo Nacional dos Estados Unidos, recupera cenas do cotidiano de Nelson em casa e na redação, em 1968, aos 56 anos.

 

Vestido de Noiva, a peça que revolucionou o teatro moderno brasileiro, é apresentada em grande painel com texto e imagens que evocam o cenário da montagem original: um hospital. Na voz do escritor Ruy Castro, Nelson continua a falar com o visitante que ouve suas frases emblemáticas ao longo da exposição.

O Nelson desportista, tricolor fanático, aparece torcendo no estádio do Maracanã, numa foto; em outra, apresenta-se ao lado dos companheiros do programa esportivo Grande Resenha Facit, primeira mesa-redonda de futebol da TV Globo, um sucesso da emissora exibido de setembro de 1966 a janeiro de 1971. Eclético, por uma única vez foi também ator, e a mostra revela Nelson em cena na peça Perdoa-me por me Traíres.

O autor, muitas vezes provocador, mostrou A Vida como Ela É... Histórias de ciúme, dilemas morais, inveja, adultério e morte foram passando, a partir de 1950, das páginas do jornal Ultima Hora para programa de rádio, filme, peça de teatro e série de televisão.

O visitante pode folhear virtualmente duas fotonovelas digitalizadas – Véu de Noiva e O Justo – em edições raras de 1960.

A exposição ainda apresenta imagens de encenações antológicas do dramaturgo: a primeira montagem de Vestido de Noiva, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, dirigida pelo exigente polonês Zbigniew Ziembinski, em 1943, e imagens de outras produções, como a tragicomédia carioca O Beijo no Asfalto, com Fernanda Montenegro, escrita a pedido da atriz, em 1960.

O ilustrador Marcelo Monteiro, seu antigo parceiro no jornal O Globo, criador dos inesquecíveis Sobrenatural de Almeida, Gravatinha e a Grã-Fina das Narinas de Cadáver, desenhou dez personagens rodriguianos especialmente em cores para a exposição.

Em aparelhos de MP3, os visitantes ouvirão os contos O Monstro e A Noiva da Morte, interpretados pelo elenco da Rádio nacional, em gravações de 1960.

Esse caminho de passagem termina em um grande painel no foyer do Teatro do Sesi São Paulo com uma versão fictícia da primeira página do jornal Última Hora, concebida por Ruy Castro e pelo artista gráfico Hélio de Almeida.

 

Serviço:

Exposição Nelson Rodrigues 100 anos
Local: Térreo Inferior do Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (av. Paulista, 1.313 – Metrô Trianon-Masp)
Período expositivo: de 11 de outubro a 16 de dezembro de 2012
Datas e horários: todos os dias, das 11h às 21h, com entrada até 20 minutos antes do fechamento.
Agendamentos escolares e de grupos: de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h, pelo telefone (11) 3146-7396
Classificação indicativa: livre

Confira o espetáculo juvenil ‘Amado’ no Centro Cultural Fiesp- Ruth Cardoso

Agência Indusnet Fiesp

História mistura circo, comédia, drama e tragédia, em seus variados sotaques e trejeitos

 

Inspirada na vida e obra de Jorge Amado, a peça Amado, escrita e dirigida por Rosane Almeida para o público jovem, faz uma leitura sobre diversos protagonistas criados pelo famoso autor baiano, cujo centenário de nascimento comemora-se neste ano.

O espetáculo, com entrada gratuita, está em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo, no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso. A temporada vai até 2 de dezembro com apresentações para o público em geral aos sábados e domingos, às 16h. Às quintas e sextas, haverá sessões exclusivas para escolas.

Homenagem 

Difícil encontrar um brasileiro que não tenha se envolvido com as tramas do escritor, seja por meio de um de seus 45 livros publicados ou pelas versões de suas obras, adaptadas para o teatro, o cinema, as novelas e até aos enredos de escolas de samba. Na história de Amado, o circo, a comédia, o drama e a tragédia, em seus variados sotaques e trejeitos, são partilhados com o público.

Nove artistas que integram o Instituto Brincante – do qual também faz parte a diretora Rosane Almeida – reinventam personagens e conflitos presentes nas obras do escritor baiano, dentre elas Dona Flor e Seus Dois Maridos, Quincas Berro D’água, Gabriela, Cravo e Canela e Capitães de Areia. E, dessa forma, homenageiam a obra de um escritor que soube traduzir como poucos a alma coletiva do povo brasileiro.

“Para criar sua vasta obra, Jorge Amado inspirou-se em pessoas de reais do cotidiano, que via perambulando pelas ruas, subindo e descendo as ladeiras de Salvador. A baiana, o pescador, o bêbado, o capoeirista, o entalhador e o malandro sedutor ganharam nome e sobrenome em sua literatura”, destaca Rosane Almeida.

Instituto Brincante

Brincante é como os artistas populares se autodenominam. Não se dizem músicos, atores ou bailarinos. São Brincantes, e os seus espetáculos são a sua brincadeira, o seu brinquedo. Essa visão lúdica do fazer artístico está presente tanto na metodologia como nas atividades que se desenvolvem no Instituto Brincante. Durante 20 anos de trajetória, a instituição consolidou-se como um lugar de pesquisa, assimilação, criação e principalmente como um espaço de encontros e trocas que possibilitam compartilhar a riqueza da nossa cultura e sua importante diversidade. Todos esses são caminhos que tradicionalmente ajudaram o ser humano a entender seu espaço e a interferir na ordem social. Caminhos que levam ao conhecimento do potencial humano e de sua capacidade única de criação. Ao criar, o ser humano se inventa e pode inventar também a sociedade que deseja para si.

Nove artistas do Instituto Bricante reinventam personagens e conflitos das obras de Jorge Amado

 

Ficha técnica
Direção e roteiro: Rosane Almeida
Texto: Marcelino Freire em colaboração com Luan Maitan e elenco
Assistente de direção: Antônio Meira
Direção musical: Leonardo Gorosito
Consultoria artística: Antonio Nóbrega
Elenco: Alencar Martins, Antônio Meira, Carla Passos, Cristiano Meireles, Fláira Ferro, Flora Popovic, Leonardo Gorosito, Rosane Almeida e Saulo Bortoloso.
Produção Executiva: Fernanda Assis

Serviço
Espetáculo Amado
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313, Metrô Trianon-Masp, Capital
Temporada: de 23 de agosto a 2 de dezembro de 2012
Datas e horários: aos sábados e aos domingos, às 16h. Às quintas e às sextas-feiras, as sessões são exclusivas para agendamento escolar
Agendamentos escolares e de grupos: de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e das 14h às 17h, pelo telefone (11) 3146-7439
Capacidade: 456 lugares
Duração: 75 minutos
Classificação indicativa: livre
Informações: (11) 3146-7405
Entrada franca – a distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria, no dia do evento. Podem ser retirados dois ingressos por pessoa
Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta a sábado, das 12h às 20h30; e aos domingos, das 11h às 20h.

Leia mais

Teatro do Sesi-SP sedia 2ª etapa do ‘Plataforma Liderança Sustentável’

Agência Indusnet Fiesp

Começa nesta terça-feira (14/08), às 19h30, no Teatro do Sesi São Paulo, na Av. Paulista, na capital, a segunda etapa do movimento Plataforma Liderança Sustentável – encontro para convidados que reunirá dez dos mais importantes líderes empresariais brasileiros.

Para apresentar experiências sobre como suas organizações estão envolvendo e educando lideranças para a sustentabilidade, estarão presentes no evento: Britaldo Soares (AES Brasil), Andrea Alvares (Pepsico), Ricardo Pelegrini (IBM), Oscar Clarke (HP), Marcelo Lyra (Braskem), Eduardo Leduc (Basf), Marise Barroso (Masisa), Luiz Barreto (Sebrae) e Marcelo Cardoso (Natura).

O encontro será estruturado numa série de palestras curtas e ilustrativas, nas quais os presidentes e vice-presidentes convidados compartilharão suas crenças e o que estão aprendendo no esforço de inserir a sustentabilidade na gestão do negócio, nas estratégias e na cultura organizacional.

Plataforma Liderança Sustentável

Lançada em junho de 2011, a Plataforma Liderança Sustentável tem como missão inspirar, conectar e educar jovens líderes para a sustentabilidade. A iniciativa nasceu junto com o lançamento do livro Conversas com Líderes Sustentáveis, de Ricardo Voltolini, baseada na ideia de disseminar as histórias inspiradoras de dez líderes que fizeram importantes transformações para a sustentabilidade em suas empresas – Fábio Barbosa (Abril S.A. e ex-Santander), Guilherme Leal (Natura), Franklin Feder (Alcoa), José Luciano Penido (Fibria), Luiz Ernesto Gemignani (Promon), Paulo Nigro (Tetra Pak), Héctor Núñez (Ex-Walmart, hoje Ri Happy), José Luiz Alquéres (ex-Light), Kees Kruythoff (Unilever) e Miguel Krigsner (Grupo Boticário).

No seu primeiro ano de existência, a Plataforma já levou a sua mensagem para mais de três milhões de pessoas no Brasil e em países como Canadá, Portugal e França. Com mais de 80 encontros realizados nas principais cidades brasileiras, impactou cerca de 24 mil líderes empresariais. As palestras dos presidentes gravadas em vídeo já foram vistas por 100 mil pessoas.

Serviço:
Lançamento da segunda etapa da Plataforma Liderança Sustentável (PLS 2012)
Data/Horário: 14/08/2012, às 19h30
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313

Nelson Rodrigues Filho, Otávio Frias Filho e Pedro do Coutto debatem a política de Nelson Rodrigues

Danusa Etcheverria, Agência Indusnet Fiesp

Para falar com propriedade sobre as posições políticas de Nelson Rodrigues estarão reunidos nesta quarta-feira (08/08), no Teatro do Sesi São Paulo, às 20h30, Nelson Rodrigues Filho, um declarado adversário do regime que o pai defendia; Pedro do Coutto, veterano jornalista político carioca, fraterno amigo de Nelson e testemunha de muitas passagens envolvendo o dramaturgo e os militares; e Otavio Frias Filho, diretor de redação da Folha de S. Paulo.

Anticomunista feroz com forte apego ao indivíduo e profunda aversão a qualquer forma de coletivismo, Nelson Rodrigues nunca deixou que a política contaminasse seu teatro. Era autêntico em suas ideias e ações. O debate “Nelson VS. Mark – O reacionário libertário” terá entrada gratuita e é parte da programação do projeto Nelson Rodrigues 100 anos – uma homenagem do Sesi-SP ao centenário de nascimento do dramaturgo.

O projeto do Sesi-SP em comemoração ao centenário de Nelson Rodrigues inclui espetáculos, leituras dramáticas, exposições, debates e oficinas.

Os destaques do projeto, que tem curadoria de Ruy Castro, biógrafo de Nelson, e direção artística de Marco Antônio Braz, especialista na obra rodriguiana, são a abrangência da programação, a participação de personalidades (inclusive de pessoas que conviveram com ele), a abordagem de aspectos menos conhecidos do dramaturgo – como jornalista, escritor, cronista esportivo e folhetinista – e o caráter pedagógico das ações com os mais de 400 alunos de iniciação teatral dos Núcleos de Artes Cênicas do Sesi-SP.

Até novembro, nomes como Fernanda Montenegro, Cleyde Yáconis, Nathália Timberg, Christiane Torloni, Nelson Rodrigues (filho), Norma Blum, Daniel Filho e Nelson Pereira dos Santos farão parte da homenagem.

Serviço:
Nelson VS. Mark – O reacionário libertário
Data: 08 de agosto de 2012, às 20h30
Local: Teatro do Sesi São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1313, capital

Prêmio Shell indica duas peças apresentadas no Teatro Sesi São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O Prêmio Shell anunciou na terça-feira (03/07) a lista de espetáculos teatrais apresentados no primeiro semestre que irão concorrer à 25ª edição daquele que é considerado mais relevante reconhecimento do segmento no Brasil. Entre as peças relacionadas em São Paulo estão duas montagens que passaram pelo Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, no Teatro Sesi-SP: L’illustre Molière e Mistero Buffo.

L’illustre Molière, que ficou em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo de 2 a 26 de fevereiro, obteve quatro indicações: de direção (Sandra Corveloni), ator (Guilherme Sant’Anna), figurino (Zé Henrique de Paula) e música (Fernanda Maia).

Mistero Buffo, exibida entre 22 de março e 3 de junho no Teatro do Sesi São Paulo, concorre nas categorias direção (Neyde Veneziano) e ator (Domingos Montagner).

A cerimônia que anunciará os vencedores do Prêmio Shell será no início de 2013 – o júri irá escolher as melhores peças entre as montagens do primeiro e do segundo semestre de 2012. Integraram o júri para as peças em São Paulo cinco nomes: Alexandre Mate, Carlos Colabone, Marici Salomão, Noemi Marinho e Mario Bolognesi.

Sobre as peças

L’Illustre Molière – Ambientado no século XVII, o espetáculo retrata momentos marcantes da vida e obra do famoso dramaturgo francês Molière. Para potencializar a ambientação da época, a montagem da Companhia D’Alma conduz o público a um cenário que recria o Teatro Ilustre, onde o artista e sua companhia trabalharam.

MisteroBuffo – Na montagem do grupo LaMínima, a dupla Domingos Montagner e Fernando Sampaio encarna vinte personagens para apresentar quatro pequenas histórias de Dario Fo baseado em passagens da Bíblia, mas que subvertem a seriedade do assunto colocando a plateia a gargalhar com gírias, dialetos e situações. O multi-instrumentista Fernando Paz participa da peça.

Leia mais

Teatro do Sesi São Paulo apresenta a peça “O Casamento Suspeitoso”

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Elenco do espetáculo O Casamento Suspeitoso, em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo

 

 

Noivo inocente, dois malandros e uma donzela astuta interessada em uma herança são os fios condutores do espetáculo O Casamento Suspeitoso, comédia inspirada na obra do dramaturgo Ariano Suassuna, que estreia nesta quinta-feira (25), no Teatro do Sesi São Paulo, com exibições até o dia 4 de dezembro, de quinta-feira a domingo, às 20h.

Dirigida por Sérgio Ferreira, a trama é ambientada na pequena cidade de Taperoá, no interior da Paraíba, e retrata as armações que antecedem o casamento do inocente Geraldo (Joaz Campos) com a oportunista Lucia Renata (Suzana Alves). A noiva conta com o apoio de sua hilária família, composta pela mãe Susana Cláudia (Nani de Oliveira), o amante Roberto Flávio (Nicolas Trevijano), a Madrinha (José Rosa) e Voinha (Sonia Maria).

Já a mãe do noivo, Dona Guia (Bete Dorgma), matriarca da família que comanda a cidade na base do grito e do tiro, faz de tudo para impedir o casamento. De olho na herança, os empregados da família, o esperto Cancão (Marco Antônio Pâmio) e Gaspar (Rogério Britto) também se envolvem na história para tirar vantagem da situação. Com facilidade, o elenco provoca risos na plateia, com falas repletas de erros e sotaques do romanceio popular nordestino.

No final da apresentação de estreia, Sérgio Ferreira agradeceu o apoio do Sesi-SP e confidenciou que durante a sua adolescente teve a oportunidade de assistir, no então Teatro Popular do Sesi, o espetáculo Chiquinha Gonçalves Ó Abres Alas, de Maria Adelaide Amaral.

“Eu cheguei a São Paulo com 15 anos e entrei neste teatro para assistir ao espetáculo Chiquinha Gonzaga”, lembrou. Emocionado, o diretor agradeceu o empenho e a dedicação dos atores: “Eu queria agradecer esse elenco maravilhoso que teve a paciência de me aguentar e toda a equipe do Sesi que trabalhou muito para que vocês tivessem um belíssimo espetáculo”.

O tenista Fernando Meligeni prestigiou o espetáculo e elogiou a atuação de sua amiga, a atriz Suzana Alves. “A peça é linda, super engraçada, e a Suzana mandou muito bem”, afirmou.

A atriz aproveitou a oportunidade para convidar o grande público: “Não percam O Casamento Suspeitoso. A peça é deliciosa e ficará em cartaz no teatro do Sesi São Paulo até 4 de dezembro”, avisou.

Serviço
O Casamento Suspeitoso, de Ariano Suassuna. Direção, Sérgio Ferrara
Temporada: de 25/08 a 04/12 – de quinta-feira a domingo, às 20h
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Avenida Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp, Capital
Ingressos: Às quintas e sextas-feiras, entrada franca*. Sábados e domingos: R$ 10 e R$ 5 (meia)**
Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos
Capacidade: 456 lugares – com acessibilidade (rampa de acesso, banheiros e elevadores)
Duração: 80 minutos
Gênero: Comédia
Informações: (11) 3146-7405 / 7406 ou (11) 4003-5588

*A distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento. Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta a sábado, das 12h às 20h30; domingo, das 11h às 19h30. São distribuídos dois ingressos por pessoa.

**Vendas na bilheteria do teatro ou pela Tickets For Fun (11-4003-5588 ou www.ticketsforfun.com.br). São vendidos dois ingressos por pessoa.

Sesi traz a São Paulo atrações mundiais do teatro de bonecos

Assessoria de Imprensa

Considerado um dos maiores festivais de teatro de animação do mundo, o projeto Sesi Bonecos do Mundo desembarca em São Paulo, entre os dias 17 e 21 de agosto, para apresentações em quatro palcos gigantes, localizados no Parque do Ibirapuera, shows no Teatro do Sesi São Paulo e exposição em homenagem aos 40 anos do grupo Giramundo, de Minas Gerais.

Além disso, serão promovidas oficinas, exposições e desfiles. Em cena, artistas de renomadas companhias, como a de Victor Antonov (Rússia), Jordi Bertran (Espanha), Girovago & Rondella (Itália), Hugo e Ines/La Santa Rodilla (Peru) e ViajeInmóvil (Chile). O Brasil será representado por inúmeras atrações, entre as quais o XPTO (SP), Pequod (RJ) e Duas Companhias (PE). Depois a caravana segue para o Rio, com suas 500 toneladas de equipamentos.

Criado em 2004, o projeto Sesi Bonecos do Mundo transformou-se num divisor de águas do chamado teatro de animação. Idealizado por Lina Rosa Vieira, responsável também pela curadoria, o festival mostra que é possível envolver multidões diante de uma cultura sofisticada. “O projeto Sesi Bonecos do Mundo é uma bela democracia cultural, que estimula a produção criativa e respeita a inteligência do público, ao trazer uma programação de altíssimo nível de forma e conteúdo”, afirmou Lina.

Para multidões

O projeto do Sesi é um megaevento para multidões, cuja produção envolve mais de mil pessoas. Em sua temporada paulistana, um das atrações é o Circo en Los Hilos – obra de diferentes números de circo, realizados com a técnica dos fios. Criado por Victor Antonov, o espetáculo já foi aplaudido por espectadores de diversos países do mundo. Natural de São Petersburgo (Rússia), Antonov é tido como um mestre das marionetes não apenas na Rússia, mas em toda a Europa.

Na grade internacional, também se destaca a Companhia Hugo e Ines, do Peru, com seus Cuentos Pequeños, um desfile pitoresco de divertidos personagens que, nos breves momentos da sua existência sobre a cena, pretendem capturar os pequenos momentos poéticos que estão escondidos na vida diária.

Já a companhia La Santa Rodilla (O Santo Joelho), apresentará a obra Manologías. Por meio das mãos, os manipuladores de marionetes criam simpáticos personagens que são partes do seu próprio corpo e espírito, e contam histórias que nascem dos seus próprios dramas, sonhos e frustrações. Sem sair do corpo e com pequenos objetos (bolas de pingue-pongue, balões, flores ou pequenas telas), os artistas mostram todo o tesouro que pode estar escondido em suas mãos vazias.

Serviço: 
Sesi Bonecos do Mundo

Teatro do Sesi São Paulo
17, 18 e 19/08 – 19h e 21h
Ingressos: retirar com antecedência no local

Parque do Ibirapuera
20 e 21/08 – a partir das 16h30

Freak Show mostra no palco a espetacularização da vida e do consumo na TV

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Segue em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo, o espetáculo Freak Show, de autoria de Luise Cohen com direção de William Pereira. Parte da Temporada de Teatro Contemporâneo Sesi-British Council, a peça pode ser vista diariamente até o dia 10 de julho, na Avenida Paulista, 1313.

Durante solenidade de abertura, na quinta-feira (30), o diretor-titular do Comitê de Ação Cultural da Fiesp, Fernando Greiber, ressaltou a importância do intercâmbio teatral entre o Sesi-SP e o British Council.

“Essa parceria tem contribuído decisivamente para a descoberta de novos talentos nas artes cênicas. Londres é a capital mundial do teatro, um dos maiores focos de desenvolvimento desta arte existentes no mundo, e isso para o Sesi-SP é de suma importância”, considerou Greiber.

Em cena, Cristine, a personagem frustrada que funde sua vida com o "show de horrores" na TV

 

 

Eric Klug, diretor do British Council de São Paulo, destacou os quatro anos de parceria de sucesso com a entidade da indústria paulista. “Agradeço às pessoas que acolhem nossos projetos com tanta ousadia e generosidade, principalmente ao presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf”, declarou Klug.

Agonia na TV

Freak Show mostra a vida de Cristine, uma mulher solitária e malograda que, ao se realizar assistindo à TV, canaliza ao aparelho o sofrimento e a angústia com sua vida na tentativa de esquecer seus problemas. De tanto assistir ao programa Freak Show, que de forma imperativa induz o espectador ao consumismo sensacionalista, Cristine acaba fazendo parte dele e passa a descobrir a realidade de quem está nos bastidores.

Luise Cohen, autora de Freak Show

Luise Cohen, a jovem autora de Freak Show, quer mostrar na peça a sua inquietação com a forma agressiva de exploração capitalista na TV. O espetáculo, popular e crítico, demonstra sua intenção de levar o público a uma densa reflexão.

“A espetacularização do ser humano aliado ao consumo desenfreado me deu ideias, e resolvi retratar essa realidade no palco”, afirmou Luise, que revelou ter como referência o livro A Sociedade do Espetáculo, de Guy Debord.

Após participar do Núcleo de Dramaturgia Sesi-British Council em 2008-2009, a dramaturga de 31 anos já emplacou sucessos como A Casa dos BonecosSapato Apertado (peça criada exclusivamente para a internet) e De Versão em Versão (baseada em manchetes em evidência na mídia).

Fernanda Jaber acompanha apresentações de “Entre Quatro Pedaços” na Escócia

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Fernanda Jaber, roteirista e cineasta

A roteirista e cineasta Fernanda Jaber acompanhou, a convite do British Council em fevereiro último, a breve temporada do espetáculo de sua autoria Entre Quatro Pedaços, no Reino Unido. A montagem já esteve em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo em dezembro de 2009, ano em Fernanda obteve menção honrosa no Prêmio Luso-Brasileiro de Dramaturgia Antônio José da Silva.

O sucesso da peça ganhou adaptação para Four Parts Broken, que fez parte da Latin American Season, uma temporada de apresentações latino-americanas do projeto A play, a pie and a pint (uma peça, uma torta e um chope), realizado pelo National Theater of Scotland nos teatros Oran Mor e Traverse, respectivamente em Glasgow e Edimburgo, na Escócia.

Como Four Parts Broken estava escalada no meio da programação, a autora pode assistir a outros dois espetáculos (argentino e colombiano), que lhe proporcionaram uma visão ampla do projeto internacional.

Fernanda Jaber observou a tradição local, na qual o espectador come uma torta e bebe um “pint” de chope (que equivale a pouco mais de meio litro) no teatro. ”Devíamos levar isso para o Brasil: ‘uma peça, uma pilsen e um pastel’, como disse um amigo”, defende a autora, que diz ter guardado os detalhes da logística escocesa para tentar um patrocínio de um futuro projeto quando voltar para o Brasil. Atualmente ela mora na China, e retrata a experiência de viver do outro lado do mundo em seu blog www.fernandajaber.com.

A seguir, uma rápida entrevista com a autora:

Qual a sua percepção quanto à organização desta temporada teatral latino-americana na Escócia?

As peças foram designadas a diferentes equipes e cumpriram o seguinte itinerário: ensaios e temporada em Glasgow e, finalmente, temporada em Edimburgo. Enquanto Four Parts Broken estava sendo encenada em Glasgow, as produções anteriores, dois textos do argentino Teatro da Identidade, permaneciam em cartaz em Edimburgo. O espetáculo seguinte, adaptação do texto de Esteban Navajas, estava sendo preparado na casa que serve aos ensaios, onde fiquei hospedada. Não apenas pude acompanhar o trabalho dos produtores articulando toda essa operação, como foi muito instrutivo e divertido acordar com atores ensaiando no quarto ao lado e ir dormir com um caixão cenográfico no corredor.

Você conseguiu identificar peculiaridades em relação ao público?

O público em Glasgow é maior e mais diversificado, e a conformação do espaço tornou a experiência sui generis. Lá, as pessoas comem e bebem enquanto assistem ao espetáculo, em mesas labirinticamente arranjadas em torno do palco. Isso fez toda a diferença e proporcionou algo de mágico. Quando a peça começou, ouvíamos ainda as últimas garfadas. Em Edimburgo vivenciamos algo tradicional: os assentos são arranjados em arquibancada, de forma semicircular em torno do palco, e não é permitido entrar com comes e bebes.

E o desempenho dos atores na adaptação de sua peça em “Four Parts Broken”?

O diretor David Betz acreditava que o espaço em Edimburgo beneficiaria o meu texto, mas eu não pude conferir as apresentações de Four Parts Broken ali. O que sei é que fiquei satisfeita com o que vi em Glasgow. Pude acompanhar as conversas entre ele e os atores após cada apresentação e confirmar o grande entendimento do diretor em relação ao texto. O desempenho dos atores, todavia, foi o que mais impressionou, principalmente os intérpretes dos meninos, Connor e Tom. O primeiro estreou como ator agora, num filme sobre delinquentes juvenis, “Neds”, o grande sucesso da temporada por lá. Ele tem apenas 17 anos, roubava a cena completamente e o David ainda achava que ele não estava tão bom quando deveria. Complicada essa vida de ator.

Como o público e a crítica reagiram ao espetáculo?

Quanto ao público, fiquei envergonhada, mas também muito feliz em admitir que não consegui sentar próxima ao palco em nenhuma das apresentações. Mesmo chegando uma hora antes, conseguia lugares apenas razoáveis. No último dia, havia gente de pé. Não sei se isso foi devido às criticas favoráveis na imprensa local ou ao sucesso do filme do Connor nos cinemas. Esse tipo de coisa é melhor a gente não investigar muito. Aceita-se e pronto.

Avalon está em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo com entrada franca

Agência Indusnet Fiesp

A peça Avalon segue em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo, com sessões gratuitas aos sábados e domingos, às 16h. A montagem é estrelada por Lucélia Santos e grande elenco, com dramaturgia de Cintia Alves e direção da premiada Karen Acioly.

Livremente inspirada em As Brumas de Avalon, obra da escritora estadunidense Marion Zimmer Bradley, esta montagem destina-se ao público jovem e apresenta, de forma inédita, a lenda arturiana a partir da perspectiva feminina. Quem protagoniza a história, aqui, são as mulheres.

Atriz Lucélia Santos em cena

O espetáculo evoca uma Bretanha ao mesmo tempo real e lendária – das suas desesperadas guerras pela sobrevivência contra a invasão saxônica às tragédias que acompanham Artur até a sua morte e o fim da influência mítica por ele representada, através da sua espada “Excalibur”.

Mesmo sendo um dos conteúdos mais conhecidos e populares da literatura mundial e que já atravessou centenas de gerações, Avalon mostra-se de forma inovadora e contemporânea ao público de São Paulo.

A pré-estreia ocorreu na noite desta terça-feira (5), com a presença de atores de diversos espetáculos teatrais, jornalistas e convidados, que lotaram o TSSP (veja em Leia Mais).

Serviço:
Espetáculo: Avalon
Temporada: de 9 de abril a 26 de junho 2011 – sábados e domingos, às 16h.
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp, Capital
Capacidade: 456 lugares
Gênero: história e mitologia
Duração: 60 minutos
Recomendação etária: Não recomendado para menores de 10 anos.
Entrada: Franca. A distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta-feira, das 12h às 20h; de quinta-feira a sábado, das 12h às 20h30, e domingo, das 11h às 20h.
Mais informações: (11) 3146-7405 / 7406

Os Inquilinos – os incomodados que se mudem foi o grande vencedor do VII Prêmio Fiesp/Sesi

Evelyne Lorenzetti e Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Apresentação da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo durante o VII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

 

 

Na noite desta quarta-feira (30), os indicados Cassio Gabus Mendes, Sérgio Bianchi, Marat Descartes, Laís Bodanzky, Cássio Amarante Esmir Filho e Ismael Canappele compareceram ao Teatro do Sesi São Paulo para a entrega do VII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista. Também prestigiaram o evento diretores, atores e produtores, como Toni Venturi, Débora Duboc e Sara Silveira.

Na abertura da cerimônia, comandada pelas atrizes Agnes Zuliani e Claudia Missura, a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo tocou trilhas sonoras de clássicos do cinema, como os temas dos filmes Pantera Cor de Rosa e Star Wars.

“Este prêmio foi a maneira que nós encontramos de homenagear e estimular a indústria cinematográfica paulista”, afirmou Fernando Greiber, diretor-titular do Comitê de Ação Cultural da Fiesp e membro do Conselho Regional do Sesi-SP.

O grande vencedor da noite foi Os Inquilinos – Os Incomodados que se Mudem, que recebeu as principais premiações: melhor filme, melhor diretor (Sérgio Bianchi) e melhor ator (Marat Descartes).

Sérgio Bianchi, diretor do vitorioso longa-metragem, fez um apelo: “Todo mundo fala da indústria do cinema brasileiro, mas cerca de 90% dos filmes exibidos nas grandes salas são norte-americanos. Temos produções muito boas, e espero que os administradores da cultura tentem mudar esse panorama”.

Da esq. p/ dir.: Os vencedores Sérgio Bianchi (melhor diretor), Cássio Gabus Mendes (melhor ator coadjuvante) e o homenageado Carlos Reichenbach

 

 

Reflexões de um Liquidificador destacou-se ao conquistar dois prêmios, nas categorias de melhor atriz (Ana Lúcia Torres) e melhor montagem (Letícia Giffoni).

Leandra Leal e Cássio Gabus Mendes obtiveram premiações nas categorias de melhor atriz coadjuvante e melhor ator coadjuvante por Insolação e Cabeça a Prêmio, respectivamente.

“É com muito orgulho que recebo esse prêmio, o primeiro por um trabalho no cinema. Agradeço muito à Fiesp e ao Sesi, pela iniciativa e seriedade de valorizar as produções nacionais”, afirmou Gabus Mendes.

Homenagem

Com 15 longas-metragens no currículo, o cineasta gaúcho Carlos Reichenbach foi o homenageado nesta edição. Emocionado, ele dedicou o prêmio ao fotógrafo Thomas Farkas, que faleceu no dia 25 de março. “Agradeço à organização do evento pela iniciativa de promover o cinema paulista”, declarou o cineasta.

Veja aqui a lista completa dos vencedores.

Menecma abre temporada 2011 no Teatro do Sesi São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Atores Gustavo Machado, Paula Cohen e Roney Facchini integram o elenco da peça Menecma

O Teatro do Sesi São Paulo abre neste sábado (26) a temporada 2011 com a peça Menecma – uma mistura de suspense e humor, assinada por Bráulio Mantovani (roterista dos filmes Tropa de Elite Cidade de Deus) e Laís Bodanzky (cineasta de Bicho de Sete Cabeças As Melhores Coisas do Mundo).

Com cenografia de Cássio Amarante, iluminação de Marina Stoll, trilha sonora de Bid e produção da J. Leiva Cultura & Esporte, Buriti Filmes e da H2E Produções, a montagem fica em cartaz até 26 de junho, com apresentações de quinta-feira a domingo, às 20h. Nos dias 19 (quinta) e 20 (sexta-feira) de maio, haverá sessões extras, às 18h.

O consagrado roteirista estreia no teatro, curiosamente, com um texto escrito há quase 20 anos, bem antes de se tornar um nome conhecido no cinema.

Menecma 
conquistou Fernando Meireles, que convidou Mantovani para adaptar o livro Cidade de Deus para o cinema, o que lhe rendeu a indicação ao Oscar de melhor roteiro.

Os atores Gustavo Machado e Roney Facchini receberam de Mantovani o texto e convidaram a atriz Paula Cohen para completar o elenco. A trupe escalou a cineasta Laís Bodanzky para a direção. “Normalmente, diretores escolhem os atores. Dessa vez foi diferente. Eles leram a peça para mim, gostei tanto que me chamaram para dirigi-la!”, conta Laís.

Serviço
Menecma, de Bráulio Mantovani. Direção, Laís Bodanzky
Temporada: de 26/03 a 26/06 – de quinta-feira a domingo, às 20h. Nos dias 19 (quinta) e 20 (sexta-feira) de maio, haverá sessões extras, às 18h.
Local: Teatro do Sesi São Paulo – Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp, Capital
Classificação: Não recomendado para menores de 14 anos
Capacidade: 456 lugares – com acessibilidade (rampa de acesso, banheiros e elevadores)
Duração: 80 minutos
Gênero: Suspense

Entrada franca às quintas-feiras e sextas-feiras
Nos dias gratuitos, a distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento. Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta-feira a sábado, das 12h às 20h30; domingo, das 11h às 20h. São distribuídos dois ingressos por pessoa.

Nos sábados e domingos, o ingresso custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)
Vendas na bilheteria do teatro ou pela Tickets For Fun (11-4003-5588 ou www.ticketsforfun.com.br). São vendidos dois ingressos por pessoa.
Informações: (11) 3146-7405 / 7406 ou (11) 4003-5588

Entre 25/11 e 5/12, a atriz Bárbara Paz será substituída no elenco de Hell

Agência Indusnet Fiesp

Neste final de semana e no próximo, haverá mudança no elenco do espetáculo Hell: sai de cena, temporariamente, a atriz Bárbara Paz e entra Clarissa Kiste, que também estrela o seriado 9MM, da Fox.

Com direção de Hector Babenco e em cartaz no Teatro do Sesi São Paulo até 19 de dezembro, o espetáculo contará com a participação da atriz paulista nos dias 25, 26, 27 e 28 de novembro e 2, 3, 4 e 5 de dezembro (de quinta-feira a domingo).

Bárbara ficará ausente dos palcos por conta de gravação de capítulos de Dinossauros e Robôs (TV Globo), nova novela das 7 ambientada no Japão.

Clarissa Kiste

Aos 32 anos de idade e com experiência em teatro, TV, cinema e mercado publicitário, a atriz paulista Clarissa Kiste é Bacharel em Interpretação na Escola de Comunicações e Artes ECA/USP (2001).

No teatro, atuou em seis espetáculos: Como Me Tornei Estúpido (2007), de Martin Page, com adaptação de Fernando Bonassi e direção de Beth Lopes; Querida Helena (2006), de Helena Razumovskaia, dirigida por Iacov Hillel; Mal secreto – A vida amorosa de Ofélia (2004), de Steven Berkoff, com direção de Beth Lopes –, Prêmio do Juri Popular no 8º Cultura Inglesa Festival; Bis (2002), de Luiz Cabral, dirigido por Beth Lopes; 3×4/18×24 (2000), de Caio Fernando Abreu, com a Cia. de Teatro do Lodo; e Narraador (1996), de Rubens Rewald, com direção de Adriano Cypriano.

Seu papel de maior destaque é a personagem Luisa, da série policial 9MM (2008/2009/2010), da Fox. Também participou de Histórias da Noite (2001) para o programa Altas Horas (TV Globo).

Mas a maior parte dos seus trabalhos foi feita para a TV Cultura: Autor por Autor – João Ubaldo Ribeiro (2010), com direção de Ricardo Elias, direção geral de Paulo Markun, com Othon Bastos; No projeto Minha Copa do Mundo, fez o curta-metragem Como se Joga Futebol (2010), com direção de Ricardo Elias; As Duas Histórias (2007), de Felisberto Hernandez para o programa Direções, com curadoria de Antunes Filho; Teleteatro O Noviço (2005), dirigido por Antônio Petrin dentro do projeto Senta Que Lá Vem Comédia.

No cinema, atuou em dois longas-metragens: Trabalhar Cansa (2010), de Marco Dutra e Juliana Rojas – com estreia prevista para 2011; e Carmo de Murilo Pasta, selecionado para mostra competitiva do Festival de Sundance de 2009 e vencedor do Prêmio do Público como Melhor Filme Brasileiro de 2009 na Mostra de São Paulo.

Além destes, também integrou o elenco de quatro curtas-metragens:

O Lençol Branco, de Juliana Rojas e Marco Dutra, que participou do 58O Festival de Cinema de Cannes – CinéFoundation e venceu o prêmio de Expressão Poética no Festival de Cinema do Rio (2004).Vontade, de Manoel Rangel, ganhador do prêmio de melhor roteiro no Festival de Brasília (2000); Nervos de Aço, de Ed Andrade, vencedor do Festival Mix Brasil (2001); e Que Fazer? (2001), de André Luís de Luis.

Serviço
Substituição do elenco da peça Hell
Local: Teatro do Sesi São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1313 – Metrô Trianon-Masp
Datas e horários: dias 25, 26, 27 e 28/11 e 2, 3, 4 e 5/12 – de quinta a domingo, às 20h
Temporada: até 19/12
Capacidade: 456 lugares
Duração: 75 minutos
Gênero: drama
Recomendação etária: Não recomendado para menores de 16 anos.
Entrada: franca às quintas e sextas-feiras. Nos dias gratuitos, a distribuição dos ingressos tem início a partir da abertura da bilheteria no mesmo dia do evento.
Horário de funcionamento da bilheteria: de quarta-feira, das 12h às 20h, de quinta-feira a sábado, das 12h às 20h30; domingo, das 11h às 20h. São distribuídos dois ingressos por pessoa.
Sábados e domingos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). Vendas na bilheteria do teatro ou pela Tickets For Fun (11 4003-5588 ou www.ticketsforfun.com.br). São vendidos dois ingressos por pessoa.
Informações: (11) 3146-7405 ou 3146-7406

Concurso de poesia do Sesi-SP e do Senai-SP revela novos talentos

Agência Indusnet Fiesp

Os 33 melhores trabalhos de um total de 99.259 inscritos no  3º Concurso de Poesias do Sesi-SP e Senai-SP serão premiados no dia 30 de novembro, às 10h30, no Teatro do Sesi São Paulo, localizado no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, à Avenida Paulista, 1313, Capital.

Voltada a alunos das diferentes vertentes de ensino das duas entidades, a iniciativa tem como objetivo promover o gosto e a prática pela escrita e o hábito da leitura.

Em sua primeira edição, em 2006, concorreram 42.442 trabalhos com o mote Cidadania. Na segunda, em 2008, o concurso buscou inspiração no tema ecológico O Planeta Terra Pede Socorro, reunindo 94.712 poemas.

Neste terceiro ano, o concurso foi dividido em três etapas: local, regional e estadual. As obras inscritas foram separadas em 11 categorias, de acordo com a faixa etária e o nível de escolaridade dos autores. As idades dos concorrentes, portanto, variam de 5 a 70 anos.

Participaram da última seletiva os 209 melhores trabalhos classificados nas etapas anteriores. O julgamento das obras em cada fase foi feito por comissões compostas por professores, pedagogos, mestres e doutores da instituição em Língua Portuguesa.

Antologia

Os 11 melhores trabalhos de cada modalidade farão parte de uma antologia publicada pelo Sesi-SP e que será entregue aos participantes durante a solenidade. O evento será encerrado com um pocket show do cantor e compositor Nando Reis.

Serviço
Premiação do 3º Concurso de Poesia do Sesi-SP / Senai-SP
Data/Horário: 30 de novembro, terça-feira, às 10h30
Local: Centro Cultural Ruth Cardoso – Teatro do Sesi São Paulo
Endereço: Av. Paulista, 1313, Capital

Sesi-SP premia industriários no Festival Sesi Música 2010

Agência Indusnet Fiesp

No último domingo (26/9), cerca de 300 pessoas conferiram no Teatro do Sesi São Paulo a premiação de seis dos dez finalistas da edição estadual do Festival Sesi Música 2010, evento destinado a revelar talentos artísticos da indústria paulista.

Wandi Doratiotto apresentou a cerimônia que contou com um júri composto por Fernanda Porto, Adélia Issa e Filó Machado e foi encerrada com show da cantora Maria Alcina.

Os seis vencedores dividiram-se em duas categorias: interpretação e composição inédita. Acompanhados por uma banda profissional, surpreenderam pela diversidade de ritmos musicais, passando pela bossa nova, samba, pop-rock, música de raiz e clássicos da MPB.

O primeiro lugar na categoria composição inédita coube a Adriano Porto, representante da Ford de São Bernardo do Campo, que interpretou a canção Azul.

Na categoria interpretação, Bruno Eloy Abate de Oliveira, dos Correios de Bauru, venceu pela segunda vez ao cantar Sangrando, de Gonzaguinha.

Os candidatos classificados em primeiro, segundo e terceiro lugares em cada categoria amealharam, respectivamente, R$ 5.000, R$ 3.000 e R$ 2.000.

Além dessa premiação, o primeiro colocado em cada categoria representará o Estado na Edição Nacional, que ocorrerá em Belo Horizonte (MG), no mês de novembro.

Confira a lista dos vencedores:

Categoria Composição Inédita

  • 1º lugar
    Adriano Porto
    São Bernardo do Campo – Ford Motor Company
    Música: Azul

 

  • 2º lugar
    Anderson Antonio da Silva
    Franca – Rafarillo Calçados
    Música:Quando amor chegar

 

  • 3º lugar
    Gilmar Gomes e Sheyla de Brito
    Bauru – Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos
    Música: Isso é o futebol

 

Categoria Interpretação

  • 1º lugar
    Bruno Eloy Abate de Oliveira
    Bauru – Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos
    Música: Sangrando (Gonzaguinha)

 

  • 2º lugar:
    Jefferson Carlos da Silva
    Cotia – Plastwal Latino Americana.
    Música: Beatriz (Chico Buarque / Edu Lobo)

 

  • 3º lugar
    Guilherme Cavalcante e Fernando Costa
    Agudos – Duratex S/A
    Música: Sem você (Guilherme de Sá)