Senai-SP inaugura escola móvel de aviônicos nesta sexta-feira (30/08) em São Carlos

Felipe Agne, Agência Indusnet Fiesp, de São Carlos

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) inaugurou, na tarde desta sexta-feira, no Museu da TAM, em São Carlos, no interior de São Paulo, a primeira escola móvel de aviônicos do Brasil. A solenidade de abertura contou com a participação do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Senai-SP, Paulo Skaf.

Skaf e convidados na cerimônia de inauguração da unidade móvel de aviônicos. Foto: Julia Moraes/Fiesp

Skaf e convidados na cerimônia de inauguração da unidade móvel de aviônicos. Foto: Julia Moraes/Fiesp

A unidade móvel de capacitação profissional oferecerá cursos para os segmentos de manutenção e fabricação de aeronaves, contemplando toda a eletrônica embarcada presente nesses aparelhos, como sistema de navegação, comunicação e controle de voo. Os programas terão como foco a formação inicial e a formação continuada e terão carga horária variável de 40 a 200 horas.

“Estamos fazendo cinco unidades móveis de aviônicos e vamos dar o nome de Fernando a esta primeira unidade móvel de aviônicos, que vai rodar o estado, que vai levar conhecimento, o espírito e o nome de nosso companheiro e amigo Fernando de Arruda Botelho”, disse Skaf, numa referência ao empresário e piloto de mesmo nome falecido no ano passado e que agora é patrono de uma escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em São Carlos.

Dentre os cursos que serão oferecidos estão: fios e cabos condutores; confecção de cablagens; sistema de radiocomunicação; instrumentos e sistemas aviônicos; painéis de instrumentos; sensores analógicos; sensores digitais; e mecanismos de pressão diferencial.

O objetivo do Senai-SP é disponibilizar a escola móvel para todo o estado de São Paulo e atender a demanda por mão de obra especializada de aeroclubes, aeródromos e empresas aéreas. O Senai-SP construirá outras três unidades móveis de aviônicos, o que representará investimento de cerca de R$ 7 milhões para essa modalidade de atendimento.

Setor em expansão

O Brasil é responsável pela segunda frota de aeronaves do mundo, com quase 20 mil aviões, incluindo equipamentos de grande porte, helicópteros, aviões agrícolas e experimentais. Atualmente, operam no país 50 empresas aéreas estrangeiras e 173 de táxi aéreo.

Também estão entre as metas do Senai-SP para o setor de aviação a construção do Centro Senai de Tecnologias Aeronáuticas, no Parque Tecnológico de São José dos Campos, e a criação do Instituto de Inovação em Defesa, totalizando aporte superior a R$ 90 milhões. Os empreendimentos somarão mais de 21 mil metros quadrados de área construída. A escola de alta tecnologia que será construída no Vale do Paraíba oferecerá 5,8 mil matrículas por ano para cursos de formação inicial e continuada.

O Senai-SP oferece programas regulares de capacitação profissional para a área de aviação nas escolas da rede instaladas nos municípios de São Carlos, São José dos Campos e Botucatu, totalizando 452 matrículas.

Senai-SP e Tam firmam intenções para curso de manutenção aeronáutica em São Carlos

Adele Nabhan, Agência Indusnet Fiesp

O Senai-SP e a companhia aérea TAM assinaram nesta sexta-feira (23/09) um protocolo de intenções para formar técnicos em manutenção de aeronaves na cidade de São Carlos, interior de São Paulo, o maior polo aeronáutico do estado, ficando atrás apenas de São José dos Campos.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), Paulo Skaf, estima que as aulas para a primeira turma devem ter início em 30 de janeiro do próximo ano.

“Vamos começar o curso com 64 vagas, mas vamos ampliar gradativamente e estaremos aptos a atender toda a demanda do setor de manutenção de aeronaves em São Carlos”, afirmou Skaf.

Para o prefeito de São Carlos, Oswaldo Barba, a cidade tem potencial para se transformar no principal centro de manutenção aeronáutica da América do Sul, enquanto o diretor-executivo de manutenção da TAM, Luiz Gustavo Silva, acredita que este setor deve continuar crescendo no Brasil até 2020.

“Esta é uma iniciativa importante para oferecer oportunidades e assegurar a formação de profissionais qualificados para o setor de aviação, que deve continuar crescendo no Brasil pelo menos até o fim da década”, destacou Silva.

O Curso Técnico de Manutenção de Aeronaves tem carga horária de 1.760 horas, divididas em quatro semestres. O conteúdo programático inclui aulas de desenho técnico de aeronaves, aerodinâmica, eletricidade, comunicação oral e escrita, inglês técnico, regulamentações básicas, tecnologia mecânica aeronáutica, eletrônica, instrumentos, estrutura de aeronaves, inspeção de aeronaves e procedimento de pista e sistemas elétricos, mecânicos, de ar condicionado e pressurização, partidas de motores e projetos.