Skaf: Indústria e comércio devem se unir contra altos impostos

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp 

Na solenidade de abertura do 27º Congresso de Gestão e Feira Internacional de Negócios em Supermercados, promovido pela Associação Paulista de Supermercados (Apas), o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, chamou a atenção dos empresários e representantes do poder público presentes ao citar a competitividade como palavra-chave no panorama atual do segmento varejista. “É o que vai fazer a diferença no século 21, e para isso é preciso que a indústria e o comércio estejam de mãos dadas para lutar pela redução dos altos impostos”, afirmou.

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, e Geraldo Alckmin, governador do Estado de São Paulo, na Apas 2011

Skaf sinalizou que, seja na inovação ou no campo tributário, o setor industrial tem feito “um tremendo esforço para aumentar 0,5% de competitividade, enquanto se paga 17% de impostos na cesta básica no Brasil, contra 5% no mundo”. Estas taxas, segundo ele, afetam mais as famílias que têm renda mensal de até 2 mil reais.

O líder empresarial disse ainda que a inovação deve ser adotada como cultura pelas novas gerações: “Ela é o diferencial da nossa concorrência, e só a união entre os setores fará com que os problemas fiquem menores”, aferiu Skaf.

Maior prazo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou a ampliação, em 30 dias além do limite, para o pagamento do ICMS, exclusivamente para os negócios fechados durante a feira, que segue até o dia 12 de maio no Expo Center Norte.

“Essa parceria entre a Apas e o Procon mostra entendimento da lei do Código do Consumidor, e a vontade de ambas as partes de que o consumidor não seja lesado e que tenha seus direitos preservados”, concluiu Alckmin.