Em jogo disputadíssimo, Sada Cruzeiro vence Sesi-SP

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O placar do tie-break, 22 a 20, ajuda a dar ideia do nível de disputa da partida entre Sada Cruzeiro e Sesi-SP neste domingo (6 de maio). Com a vitória por 3 sets a 2 (25 a 16, 17 a 25, 25 a 22, 23 a 25, 22 a 20), o Sada Cruzeiro ficou com o título da Superliga 2017/18 e se tornou hexacampeão do torneio. William foi eleito melhor levantador da competição.

“Lutamos até o final, e os meninos mostraram valor, fizeram um grande trabalho”, disse Rubinho, técnico do Sesi-SP. “E na próxima temporada começamos mais estruturados.”

William levanta a taça do vice-campeonato. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Com Murilo de líbero, o Sesi-SP começou o jogo com William, Lucão, Lipe, Douglas Souza, Gustavão e Alan.

Bem no saque no primeiro set, o Sada Cruzeiro logo acabou com o equilíbrio do início do jogo. Abriu 7 pontos de vantagem, fazendo 13 a 6. Quando o Sesi-SP começou a se recuperar e chegou a 11 pontos (contra 14 do adversário) o Sada Cruzeiro pediu tempo, voltou bem para a quadra, ampliou ainda mais a diferença e fechou o set em 25 a 16.

No segundo set o equilíbrio durou mais. O Sesi-SP começou a abrir vantagem depois do décimo ponto e venceu o set com 8 pontos de diferença, 25 a 17.

No terceiro set a disputa foi dura o tempo todo. Rubinho pediu tempo, depois que Filipe fez o Cruzeiro virar, em 17 a 16. Uma sucessão de saques errados manteve a disputa apertada. Alan sacou para fora. 18 a 16 Saque para fora de Evandro. 18 a 17. Vaccari entrou no lugar de Lucão e sacou na rede. 19 a 17. Filipe pisou na quadra na hora de sacar. 20 a 18. Simon tocou na rede, e o Sesi-SP encostou. 20 a 19. O Sada Cruzeiro abriu vantagem só no fim. Isac bloqueou e fez 24 a 22. Lucão mandou para fora, e o Cruzeiro fechou o terceiro set, em 25 a 22.

Isac começou sacando, mas o Sesi-SP marcou o primeiro ponto do quarto set. O Cruzeiro empatou no saque de William. Aí o Sesi-SP começou a abrir vantagem. Depois de saque de Lipe, Uriarte fez dois-toques. 3 a 1. Gustavão cortou para o 4 a 1. Uriarte cortou na antena. 5 a 1. Simon descontou. 5 a 2. Douglas Souza fez o sexto. Simon fez o terceiro do Cruzeiro, depois sacou para fora. 7 a 3. Alan sacou, depois cortou para fora. 7 a 4. Evandro fez o quinto do Cruzeiro. Lucão marcou pelo Sesi-SP. 8 a 5.

Alan fez o nono, Douglas Souza foi para o saque, mas o ponto foi para o Cruzeiro. 9 a 6, depois saque na rede, 10 a 6.

Simon deu uma deixadinha, para 11 a 8. Lipe marcou e foi para o saque no 12 a 9. Leal jogou para fora, 13 a 9. Lipe fez ace, e o Cruzeiro pediu tempo. Na volta, Evandro superou o bloqueio. 14 a 10.

Simon fez. 15 a 12. Sacou bem, e Isac matou o ponto. Depois sacou para fora. 16 a 13. Bom saque de Alan não impediu o Cruzeiro de marcar. 16 a 14. Encostou em bola para fora de William, e o Sesi-SP pediu tempo.

O jogo ficou empatado depois de saque forte de Evandro. Seu saque seguinte foi para fora. 17 a 16. Isac reempatou, e Alan desempatou. 18 a 17. Novo empate. Eder Levi entrou e sacou para fora. William sacou bem, mas o Cruzeiro fez o ponto e deixou a partida em 19 a 19. Evandro atacou para fora. 20 a 19 para o Sesi-SP.

Lipe sacou, mas no ataque do Cruzeiro o bloqueio do Sesi-SP jogou para fora. 20 a 20. Evandro cortou bem, na linha, e o Cruzeiro passou o Sesi-SP, que pediu tempo. 21 a 20.

Douglas Souza empatou, Gustavão sacou, Lipe bateu forte, e o Sesi-SP abriu dois pontos de vantagem. Leal cortou forte, sem defesa, e fez o 21º do Cruzeiro. Simon sacou na rede. 23 a 22. Alan também sacou na rede, e o jogo voltou ao empate, 23 a 23. Franco entrou na quadra e marcou para o Sesi-SP. 24 a 23. Renato entrou, sacou, e o Sesi-SP venceu o quarto set. 25 a 23.

William começou sacando no tie-break, Lipe bloqueou bem. 1 a 0. Simon bloqueou e empatou, sacou, cortou e fez 2 a 1. Isac bloqueou o ataque de Douglas Souza. 3 a 1. E o Sesi-SP pediu tempo quando Evandro marcou o quarto ponto do Cruzeiro, e Leal cortou bem para o 5 a 1, mas errou o saque. 5 a 2. Gustavão bloqueou. 5 a 3, e Lipe foi para o saque. Erro da arbitragem apontou que a bola tocou em Lipe, e o ponto foi para o Cruzeiro. 6 a 3. O Sesi-SP fez o quarto, Gustavão sacou , o Cruzeiro jogou para fora, e o Sesi-SP encostou, mas Leal marcou. 7 a 5. No 7 a 6, saíram William e Alan, e entraram Franco e Evandro, que sacou, mas Leal atacou bem de novo e fez 8 a 6.

Douglas Souza fez o sétimo e foi para o saque. Ponto ganho em bloqueio de Lucão. O ritmo do jogo ficou alucinante. O Sesi-SP virou em bela jogada de Lipe. 10 a 9. Evandro empatou, Gustavão retomou pelo Sesi-SP, Evandro reempatou, Gustavão pôs o Sesi-SP na frente de novo, mas Lipe sacou na rede. 12 a 12. Uriarte também sacou na rede. Isac cortou forte e reempatou, 13 a 13.

Alan atacou bem. 14 a 13. Tempo para o Cruzeiro, que na volta empatou em boa deixadinha de Isac. Eder Levi entrou para o saque, mas Douglas Souza marcou. 15 a 14. Leal reempatou, e o Sesi-SP pediu tempo.

Lipe cortou forte, 16 a 15. Simon fez o 16º do Cruzeiro. Alan matou o ponto. Leal reempatou e depois levou o Cruzeiro à frente. 18 a 17. No saque para fora de Simon, reempate. Lipe também sacou errado. E Uriarte perdeu o saque também. 19 a 19. Leal marcou o vigésimo, depois sacou para fora. 20 a 20.

Evandro marcou o 21º do Cruzeiro, e Simon fez o ponto final. 22 a 20 no tie-break, e o Cruzeiro ficou com o hexacampeonato da Superliga.

Sesi-SP luta, mas perde primeira partida da final da Superliga de vôlei

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O Sesi-SP jogou muito, mas erros no saque deram vantagem ao Sada Cruzeiro na primeira partida da final da Superliga 2017/18 de vôlei masculino, no Ginásio do Ibirapuera. O time de Minas venceu por 3 a 2, com parciais de 25 a 23, 25 a 27, 26 a 24, 22 a 25 e 15 a 12.

A segunda e última partida será disputada no Mineirinho, ginásio em Belo Horizonte, no dia 6 de maio, com tansmissão pela Rede Globo e pelo canal de TV por assinatura SporTV. Em caso de vitória do Sesi-SP haverá disputa do golden set, em 25 pontos.

Começaram o jogo pelo Sesi-SP William, Lucão, Lipe, Douglas Souza, Gustavão, Murilo e Alan. Entraram Franco, Aracaju, Piá e Evandro.

Depois da partida, Lipe disse em entrevista ao canal de TV por assinatura SporTV que o Sesi-SP jogou bem, mas errou muito no saque.

Paulo Skaf com o líbero Murilo, da equipe de vôlei do Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A partida

William sacou errado, e o Cruzeiro saiu na frente. Erro de saque do Cruzeiro, com Simon, deu o empate. Lipe foi para o saque, mas Cruzeiro fez. O Cruzeiro começou a abrir vantagem, depois de Alan atacar bem. Gustavão sacou, mas Leal cortou e tomou o ponto. 4 a 2. Na sequência Leal sacou bem. Nova pancada em seguida, e na disputa Leal cortou e marcou de novo, 6 a 2.

Douglas Souza descontou, encaixando entre os dois bloqueadores. 6 a 3. Depois veio o 7 a 3. Lipe recebeu e já levantou para Lucão cravar. 7 a 4. Douglas Souza sacou, mas não evitou o 8 a 4. Evandro sacou bem, o Sesi defendeu, mas depois parou no bloqueio de Simon, 9 a 4. E o Cruzeiro fez mais 2. Lipe descontou, 11 a 5. Lucão sacou para fora. Uriarte sacou na rede, 6 para o Sesi-SP. William devolveu o erro, também na rede.

Simon no saque, troca de bolas, Lipe cortou no pé de Simon. Depois errou o saque, mas compensou com nova bela cortada. 15 a 9 para o Cruzeiro. Leal sacou na rede, para o décimo do Sesi-SP. Lipe cortou para fora, 16 a 10.

Isac sacou, Douglas encaixou bem o ataque, evitando o bloqueio, sacou com uma bela pancada, e depois Lucão subiu bem e matou o ponto. 16 a 12

Depois veio o 13º, e ainda com Douglas Souza no saque, o 17º ponto do Cruzeiro. Uriarte sacou na rede. Lucão fez ace, para 17 a 15. Um belo bloqueio do Sesi-SP lhe permitiu encostar, 17 a 16. Rodriguinho entrou e errou seu primeiro saque.

Simon sacou para fora, 19 a 18, e depois o Sesi-SP empatou com um belo bloqueio após o saque de Lipe. A virada parecia ter vindo com a cortada pra fora de Simon, mas o desafio mostrou toque no bloqueio.

Com Uriarte no saque, 21 a 19 para o Cruzeiro. Bola na antena deu o vigésimo ponto ao Sesi. Lucão cravou de novo do meio da rede depois do saque de Gustavão, e o Sesi-SP empatou, mas Evandro pôs de novo o Cruzeiro na frente. Tempo pedido pelo Sesi-SP quando o Cruzeiro vez 23 a 21.

Com Leal no saque, Lipe marcou. O Sesi-SP fez a inversão, com Evandro e Franco, e com a saída de Alan e William, que voltaram em seguida, no 24 a 22.

Douglas sacou para fora, e o Cruzeiro fechou o primeiro set em 25 a 23.

Partida foi dura e equilibrada, com erros de saque prejudicando o Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O segundo set começou com belos lances. Levantamento de Uriarte e ponto, compensado depois pelo Sesi-SP com boa encaixada de Alan. O Cruzeiro começou a abrir vantagem. Leal cortou bem, no canto da quadra, para o Cruzeiro virar e abrir em seguida com bloqueio de Rodriguinho em cima de Alan, 5 a 3. Evandro aumentou a vantagem. Com Leal no saque, o Sesi-SP atacou e ganhou o ponto com o bloqueio para fora do Cruzeiro, que depois fez 7 a 4. Lucão descontou, mas o saque de Douglas Souza não segurou. 8 a 5. Aí Alan encaixou na quina oposta da quadra, para 8 a 6. O Cruzeiro marcou de novo, 9 a 6, mas o Sesi-SP tomou o ponto no saque de Rodriguinho. William sacou, e a sequência de jogadas foi encerrada com dois-toques do Cruzeiro, levando a partida para 9 a 8.

De novo o Cruzeiro abriu vantagem, chegando a 12 a 9. Lipe no saque no 11 a 9, na rede, e o Cruzeiro foi a 12. Douglas Souza atacou bem depois do saque de Gustavão, em seguida Lucão bloqueou bem para o 12 a 11. E o empate veio graças a Douglas Souza, após levantamento de Willian, do outro lado da quadra.

Cruzeiro voltou a abrir 2 de vantagem com saques de Leal, depois 3, com ataque do próprio Leal. Tempo no 15 a 12.

Franco entrou no lugar de Alan no 16 a 12. Houve erro de Leal no saque, e Franco sacou em seguida, com ace. Depois o Sesi-SP encostou, 16 a 15, com belo bloqueio de Lucão.  Franco então sacou na rede.

Isac sacou para fora, 17 a 16. Saque de Douglas Souza, ataque de Lipe, bloqueio para fora, e empate em 17 a 17. Toque na rede de Lucão deixou o Cruzeiro na frente de novo, mas o empate veio. E o Sesi-SP passou na frente, com bloqueio de Lucão.

Lipe desempatou de novo, 20 a 19. William sacou muito bem, na linha, 21 a 19 com ace. Evandro diminuiu, Simon sacou, e um belo rali encerrado com ponto do Cruzeiro após Uriarte mergulhar para salvar um bola e depois matar o ponto. Empatou.

O Sesi-SP fez 22 a 21, depois veio o empate. Virada com bloqueio de Evandro, e pedido de tempo pelo Sesi-SP no 23 a 22.

Franco empatou. Gustavão sacou, defendeu bem, mas o ponto acabou com cortada de Isac. Leal sacou para fora, 24 a 24. Franco sacou forte em Leal, e o ponto terminou com bloqueio de Douglas Souza. Set point para o Sesi-SP, e pedido de tempo pelo Cruzeiro. Empate na pancada de Isac, que sacou em seguida para fora. Novo set point. Douglas Souza no saque, toque na rede de Filipe depois de troca de bola meio desordenada, e o Sesi-SP fechou o set e fez 1 a 1 na partida.

O Cruzeiro confirmou o saque no início do terceiro set, mas o Sesi-SP empatou em seguida. Lipe, no saque, não evitou o ponto para o Cruzeiro. Empate. Gustavão sacou, mas o ponto foi para o adversário. Empate no saque para fora do Cruzeiro. Franco no saque, 4 a 3, mas em seguida sacou para fora.

Isac sacou, defesa não funcionou, 5 a 4. Empate na condução de Simon. Douglas Souza sacou, mas Leal não deu chance e cravou a bola para 6 a 5. Lipe empatou. Lucão no saque, Simon encaixou bela pancada. E continuou a disputa ponto a ponto.

William sacou, mas o Cruzeiro passou à frente de novo com Leal, 9 a 8. Franco atacou bem, depois de belo passe de William. Lipe no saque não evita nova passagem do Cruzeiro à frente, 10 a 9. Empate em mão na rede de Evandro, depois de dar uma cotovelada na boca de Isac.

Ponto confirmado por Lucão após saque de Gustavão. 11 a 10, para o empate em seguida. Leal sacou, Franco matou. 12 a 11. Franco sacou para fora, permitindo o empate. Com Isac sacando, empate do Sesi-SP.

Douglas Souza sacou, mas o Cruzeiro marcou e passou à frente. Lipe empatou de novo. Lucão sacou para fora. Em 16 a 15, Simon sacou na rede.

Lipe sacou depois de pedir apoio da torcida, mas o Cruzeiro fechou o ponto. Empate no saque para fora do Cruzeiro. Gustavão sacou, Douglas Souza fintou e colocou a bola, em vez de cortar. Depois empate em 18 a 18. E Leal sacou para fora.

Alan e Evandro entraram na inversão, com a saída de William e Franco. E Alan encaixou bem a bola, fazendo 20 a 18 e levando a pedido de tempo pelo Cruzeiro. O Sesi-SP não confirmou o ponto no saque de Evandro. 20 a 19, e saque de Isaac, anulado por ataque de Douglas Souza, que depois sacou na rede. 21 a 20, depois o Sesi-SP abriu para 22 a 20 com Lipe. Não conseguiu aproveitar a vantagem, e o Cruzeiro empatou. Pedido de tempo, e desfeita a inversão, Lipe levou o Sesi-SP à frente de novo. No saque de William, Uriarte deixou de segunda e marca. Simon fez ace no saque, e o Cruzeiro foi para o set point, que Franco não deixou ganhar.

Lipe sacou forte, mas o Cruzeiro ganhou o ponto. Novo set point, com Uriarte no saque e ponto confirmado por Isac. O Cruzeiro fez 2 sets a 1 no jogo.

O quarto set começou com saque para fora do Cruzeiro. William sacou, mas o Cruzeiro empatou. Lipe sacou na rede, e o Cruzeiro reempatou. Gustavão sacou bem, o Sesi-SP fez 4 a 2, o Cruzeiro encostou de novo, Lucão cortou sem bloqueio para 5 a 3. Em erro de Filipe, 6 a 3.

Franco sacou na rede, Isac foi para o saque, cruzado, e o Cruzeiro confirmou. Novo saque cruzado, em Murilo, mas Franco matou o ponto. Douglas Souza sacou, e o Cruzeiro voltou a encostar, 7 a 6. Depois do saque do Cruzeiro, toque na rede de Uriarte. Lucão foi para o saque em 8 a 6, mas Leal bateu forte do meio e fez o sétimo. O Cruzeiro empatou em seguida. William sacou com o Sesi-SP na frente de novo, e Lipe confirmou. 10 a 8.

Tempo pedido pelo Cruzeiro no 11 a 8. Pancada de William no saque, depois anulada por ataque forte de Leal. 11 a 9. Simon sacou na rede. Lipe sacou, Douglas Souza atacou, e o bloqueio jogou para fora. Depois seu saque curto não funcionou. 13 a 10. Lipe encaixou no fundo da quadra, para 14 a 10 e saque de Gustavão, que Evandro não deixou se transformar em ponto. 14 a 11. Saque forte de Leal defendido por Douglas Souza, e o longo ponto terminou sendo vencido pelo Sesi-SP no bloqueio. 15 a 11. O Cruzeiro descontou, fazendo seu 12º ponto. Douglas Souza descontou em seguida, abrindo novamente 4 pontos. O 17º veio depois do saque de Douglas Souza. O Cruzeiro teve calma para reduzir de 5 para 3 pontos a diferença. 17 a 14.

Evandro sacou na rede na volta do tempo pedido pelo Sesi-SP. Lucão sacou forte, a bola voltou de graça, mas o Sesi-SP não aproveitou, e depois de longo rali Simon cortou como se não houvesse bloqueio.

Depois de saques de Uriarte, ataque para fora de Douglas Souza, bloqueio de Simon e ataque de Leal permitiram ao Cruzeiro fazer dois pontos seguidos e empatar. O Sesi-SP voltou à frente com ataque de Lipe. Simon cravou, empatando de novo. Foi para o saque e errou.

Lipe sacou para fora. 20 a 20. E a virada veio depois de saque de Uriarte, ataque de Isac e bloqueio para fora. O Sesi-SP pediu tempo. Na volta, Franco pôs o Sesi-SP na frente de novo, mas Aracaju sacou mal, o que também aconteceu com Leal. 22 a 22. Douglas Souza marcou e deu de novo vantagem ao Sesi-SP. E o set point veio.

Piá entrou no lugar de William. Alan sacou forte, Serginho defendeu, Filipe jogou para fora, e o Sesi-SP empatou a partida em 2 sets a 2.

O jogo foi para o tie-break, começando com saque de William que bagunçou a defesa do Cruzeiro e permitiu a Lipe só colocar a bola. 1 a 0. O dois-toques de Douglas Souza deu o empate. Leal atacou e fez 2 a 1 para o Cruzeiro. Uriarte fez ace. Simon ganhou o quarto ponto em bloqueio.

O Cruzeiro foi abrindo vantagem, até a mudança de lado no oitavo ponto, com diferença de 4 pontos. Evandro sacou para fora, e o Sesi-SP fez o quinto. Nova inversão do Sesi-SP. Lipe matou o ponto depois do saque de Douglas Souza, e depois garantiu o seguinte com bloqueio. 8 a 7, e tempo para o Cruzeiro. Franco marcou o oitavo, e Lipe, num toquinho, pôs o Sesi-SP na frente, em 9 a 8. Isac empatou. Ainda com Uriarte sacando, abriu 2 pontos, 11 a 9. Lucão achou uma clareira no meio da quadra e reaproximou o placar. Em seguida sacou, e o ponto de empate veio em toque na rede de Leal.

O saque seguinte de Lucão foi na rede. Eder entrou sacando bem, e o Cruzeiro abriu para 14 a 11 e o match point. Alan atacou bem e não deixou a partida terminar. William sacou, mas Leal atacou sem chance de defesa, e o Cruzeiro venceu o primeiro jogo da final.

Equipe feminina do Sesi-SP estreia na Superliga enquanto time masculino encara terceiro desafio

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

As equipes de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) entram em quadra neste sábado (14) já apoiadas pela torcida de casa. Às 14h45, no ginásio da Vila Leopoldina, as meninas recebem o São Bernardo Vôlei na estreia da competição. E às 21h30, o time masculino enfrenta o Minas Tênis Clube, no mesmo ginásio, em jogo válido pela terceira rodada.

Em casa, o time do técnico Talmo de Oliveira dará o pontapé inicial na busca pelo título inédito da equipe na Superliga. Embalado depois de uma boa campanha no campeonato paulista, em que foi vice-campeão, o grupo quer brigar mais uma vez para chegar à final do torneio nacional.

“Estamos nos preparando muito bem. Tivemos, depois do Paulista, duas semanas e meia com um belo trabalho, além de recuperar as jogadoras. Temos uma estreia dentro de casa onde estamos com o desejo muito grande de fazer um grande jogo e conseguir uma grande vitória aqui dentro. E que esse comportamento possa ser uma crescente dentro da Superliga”, comentou Talmo.

Ele acredita que esta edição do campeonato deve ter muito equilíbrio e ainda alerta para a atenção contra o primeiro adversário.

“Cada ponto, cada set será muito importante. Está todo mundo focado para esse começo, claro que todo início gera uma certa ansiedade de como vamos nos comportar, mas o pessoal está se preparando muito bem”, disse.

“O São Bernardo tem um grande técnico que é o William. Ele sempre vem com um time que tem um volume de jogo muito bom, além de ter jogadoras que são os pontos de equilíbrio para o grupo”, acrescentou o técnico do Sesi-SP.

Para a temporada 2015/16, Talmo conta com a contratação de sete atletas para equipe, com destaque para a bicampeã olímpica Jaqueline e a central Angélica Malinverno. A ponteira Ellen Braga, as opostas Sabrina e Andreia Laurence e as levantadoras Carol Leite e Pri Heldes também chegam para reforçar o grupo que conta com a permanência da bicampeã e capitã do time Fabiana, além da líbero Suelen, da central Bia e da ponteira Dayse. Outra aposta da equipe está na categoria de base que o Sesi-SP possui.

Na quinta temporada seguida da Superliga, o Sesi-SP busca o título após um terceiro lugar na edição passada e um vice-campeonato na temporada 2013/14, quando eliminou o Molico/Nestlé e encarou o Unilever na briga pelo título.

Superliga Masculina

Quem também busca a vitória, mas para recuperar a boa fase e se manter no grupo da frente é o time masculino. Na quarta colocação, com 4 pontos, o time de Marcos Pacheco encara o Minas pela terceira rodada, com o objetivo de somar mais três pontos, esquecer a derrota da última quinta-feira e seguir para uma sequência positiva.

Com duas derrotas, os adversários aparecem em décimo, mas isso não é motivo de jogo fácil. Para o central Aracaju, a competição está muito equilibrada, e a equipe não pode vacilar.

“Esse ano a Superliga está bastante equilibrada, todos os jogos serão muito complicados, precisamos entrar focados em todas as partidas. Saímos do paulista com um bom ritmo de jogo e precisamos manter isso nos jogos da Superliga. O Minas é um time forte, temos de fazer uma boa preparação, é mais uma partida dentro de casa, mas não deixa de ser difícil”, concluiu.

Sesi-SP vence Maringá no primeiro confronto dos playoffs da Superliga Masculina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) brilhou em quadra e superou na noite deste sábado (7/3), no ginásio da Vila Leopoldina, o Ziober Maringá Vôlei no primeiro jogo válido pelas quartas de final da Superliga Masculina 2014/2015. Terceiro colocado na etapa classificatória, o time do técnico Marcos Pacheco venceu a partida por três sets a zero (25/22, 25/19 e 25/23) e garantiu a vantagem para o próximo confronto.

Como já era de se esperar na fase dos playoffs, a partida começou com as duas equipes atacando forte e buscando o êxito em cada jogada. Mas a força do time da Vila prevaleceu e garantiu à equipe uma boa atuação e a vitória para seguir bem na competição.

Maior pontuador da partida com 12 pontos, sendo dois de bloqueio, o ponta Lucarelli se destacou em quadra e levou o Troféu Viva Vôlei. Theo e Lucão vieram atrás com 11 pontos cada.

Com o resultado, o Sesi-SP pode garantir a vaga nas semifinais no próximo sábado (14/3), às 21h30, quando as equipes voltam a se enfrentar no ginásio Chico Neto, em Maringá, Paraná. Em caso de derrota, um terceiro jogo está programado para 16 de março, na Vila Leopoldina, São Paulo.

O jogo

O time de Pacheco entrou em quadra com Marcelinho, Maurício, Theo, Riad, Lucão, Lucarelli e o líbero Serginho. No decorrer da partida entraram Thiaguinho e Mão.

O primeiro set começou com os meninos do Sesi-SP saindo na frente no marcador, abrindo dois pontos de vantagem. Logo o time do Ziober Maringá encaixou bem os passes e igualaram o marcador. Aproveitando os erros da equipe da Vila Leopoldina, os paranaenses passaram no placar e garantiram o primeiro tempo técnico. Virando bem as bolas e sacando com firmeza, o time de Pacheco logo recuperou os pontos perdidos e chegou ao segundo tempo técnico com três pontos de vantagem. Com Theo dificultando a recepção do Maringá, o Sesi-SP ampliou sua vantagem para cinco pontos. Alguns erros fizeram com que os adversários se aproximassem no placar, mas com calma a equipe da Vila fechou o primeiro set por 25 a 22 pontos.

O segundo período começou apertado. As duas equipes voltaram para o jogo com força e mantiveram tudo igual no marcador até terceiro ponto. Depois de Riad atacar forte, foi a vez de Lucão brilhar no saque e pontuar duas vezes seguidas chegando ao primeiro tempo técnico com quatro pontos de vantagem. O time manteve as viradas de bola bem executadas e chegou ao segundo tempo técnico na frente, e ao final do set por 25 a 19 pontos.

No terceiro set as duas equipes levaram o placar empatado até os cinco pontos, quando o Maringá encaixou melhor as bolas e garantiu o primeiro tempo técnico. Aproveitando alguns erros do Maringá, o Sesi-SP empatou o placar e, com a força de Riad e Lucarelli, viraram o marcador e chegaram no segundo tempo técnico com dois pontos de vantagem. O time do Maringá chegou a encostar no placar, mas foi o time da Vila que garantiu o  set por 25 a 23 a pontos.

Sesi-SP vence Molico e garante 2a posição da Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Em noite de atuação digna de uma equipe que quer ser campeã da Superliga Feminina de Vôlei 2014/2015, o time feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) brilhou em quadra na sexta-feira (6/3) e venceu o Molico por três sets a um (26/24, 25/20, 21/25 e 25/12).

A força das Meninas da Vila garantiram não só os três pontos como a segunda posição na classificação geral do torneio. Agora com 58 pontos, a equipe do técnico Talmo de Oliveira fica atrás apenas do líder Rexona, com 64 pontos.

O time do Sesi-SP iniciou o jogo atrás no placar, mas correu atrás e  igualou o marcador em 20 a 20 e garantiu o primeiro set. Como já era de se esperar, a partida seguiu acirrada entre as duas equipes. Perdendo apenas o terceiro set por 20 contra 25 pontos das adversárias, a equipe feminina da indústria não se abateu e entrou com mais força para fechar o quarto set, e a partida com vitória.

Para a ponteira Suelle, todo o trabalho que o time realizou durante a semana pôde ser bem executado em quadra e o time conseguiu sair com a vitória. Arrumar os erros cometidos na última partida e jogar em equipe foi fundamental para o êxito.

“Hoje nós mudamos a nossa postura, paramos de jogar individualmente, como foi a partida contra o Praia e conseguimos jogar como equipe. Fomos muito bem taticamente e a nossa virada de bola melhorou muito e deu certo. Entramos para correr atrás dessa segunda colocação e conseguimos”, disse a jogadora.

“Agora é manter o foco para o próximo jogo. nós queremos mais, queremos chegar bem nos playoffs”, completou.

O técnico Talmo reforçou que todo o sucesso da partida se deve ao trabalho continuo do time durante os treinos.

“A vitória foi construída em cada dia de treino. A gente sabia que o time precisava jogar em um nível muito alto. Eu acho que o time rendeu muito bem hoje, as jogadoras que entraram foram bem, deram outro ritmo para o jogo e permaneceram no bom nível”, afirmou.

Maior pontuadora da partida, Suelle marcou 18 pontos e levou o Troféu Viva Vôlei. Seguida por Mari Cassemiro, com 14 pontos e Bia, que fechou o paredão e dos seus 14 pontos, seis foram de bloqueio.

Agora o time se prepara para ir ao Rio de Janeiro enfrentar o líder Rexona para fechar a fase classificatória da Superliga. A partida na sexta-feira (13/3), às 21h30.

O time entrou em quadra com Fabiana, Carol, Suelle, Pri Daroit, Bárbara, Bia e a líbero Suelen. Entraram Claudinha, Monique e Mari.

O jogo

O primeiro set começou com o Sesi-SP saindo na frente, abrindo três pontos e forçando o técnico do Molico a pedir tempo. Na volta, as adversárias se encontraram no jogo, igualaram o marcador em e garantiram o primeiro tempo técnico do jogo. Mesmo com Pri Daroit e Suelle atacando forte pela lateral e meio de rede, foram as meninas de Osasco que ficaram na frente e abriram vantagem de seis pontos. Surpreendentemente, após uma parada técnica, e a entrada de Mari, Monique e Claudinha, o Sesi-SP se recuperou, igualou o placar e fechou o set com 26 a 24 pontos.

Diferente do começo da partida, o segundo set começou com o Molico saindo na frente no placar, mas as meninas da Vila empataram e permaneceram na frente. Após o segundo tempo técnico, o Sesi-SP voltou com mais força para fechar mais um set. Bia entrou atacando forte e foi acompanhada pelo bom desempenho de Suelle, que atacou forte e encerrou em 25 a 20 pontos.

O terceiro período começou com a equipe da Vila Leopoldina abrindo vantagem de dois pontos, mas o time do Molico empatou em e virou o placar, chegando ao primeiro tempo técnico na frente. Virando todas as bolas, o Sesi-SP trabalhou para não perder as adversárias de vista, mas os ataques de Carcaces pesou mais e garantiu o set com 21 a 25 pontos.

No quarto set, Bia e Fabiana fecharam o paredão e a equipe da indústria abriu sete pontos de vantagem, fechando o primeiro tempo técnico na frente. Com a boa atuação no ataque, a equipe do Sesi-SP teve facilidade para comandar o set. O time fechou o segundo tempo técnico com oito pontos de vantagem e, com tranquilidade, fechou o período em 25 a 12 pontos.

Sesi-SP encara Praia Clube e busca manter boa sequência na Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Com o fim da primeira fase se aproximando, as equipes entram mais fortes para subir cada vez mais na classificação da Superliga Feminina de Vôlei 2014/2015. Atualmente na segunda posição com 55 pontos, o time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) entra em quadra nesta terça-feira (3/3) contra o Dentil/Praia Clube não só para manter a boa fase, mas para seguir na cola das líderes, o Rexona com 58 pontos, e manter-se à frente do Molico, que está com 50 pontos.

A partida desta terça-feira será às 19h em Uberlândia, Minas Gerais. A décima rodada do returno da Superliga terá transmissão pelo Sportv.

Para o técnico Talmo de Oliveira, a crescente do Praia Clube na reta final do returno, e o fato de jogar na casa das adversárias, dificulta ainda mais o confronto.

“O Praia é um time que vem crescendo muito nessa fase do campeonato. Estão fazendo um segundo turno muito bom. Além de a volta de jogadoras que estavam lesionadas no primeiro turno e que não jogaram contra a gente, jogar na casa do adversário é sempre difícil, tem vários fatores externos que influenciam durante o jogo, mas a nossa equipe está bem preparada para isso”, disse o técnico.

Passando por alguns confrontos complicados nas últimas rodadas, como os jogos contra o Brasília e o Pinheiros, ambos com vitória de virada para o Sesi-SP, Talmo afirma que não existe equipe fácil na competição. Segundo ele, estudar cada detalhe das adversárias é fundamental para o bom desempenho em jogo.

“Nossa equipe vem passando por algumas dificuldades nos jogos, mas conseguimos sair dessa. Vamos estudar bem o Praia, dar uma atenção às jogadoras principais deles, que em conjunto vem crescendo, para que a gente possa ter uma marcação nesses pontos fortes. Temos situações em que algumas jogadoras são fundamentais no sistema e nós temos que jogar da forma que o nosso conjunto consiga anular e equilibrar bem esse jogo”, completou.

No primeiro turno, o Sesi-SP venceu o PraiaClube na Vila Leopoldina por três sets a dois. Após o confronto desta terça, o time da Vila Leopoldina receberá em casa o Molico/Nestlé, no dia 6 de março, às 21h30. E na sequência viajam para o Rio de Janeiro, onde enfrentam o Rexona, dia 13 de março, e fecham a fase de classificação.

Em 3o lugar, Sesi-SP enfrenta o Ziober Maringá nos playoffs da Superliga

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Na última rodada da fase classificatória da Superliga Masculina 2014/2015, o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu neste sábado (28/2), em Minas Gerais, o Sada Cruzeiro por três sets a um (27/25, 22/25, 21/25 e 20/25).

Com o resultado, a equipe do técnico Marcos Pacheco terminou a fase inicial com 42 pontos, em terceiro lugar na classificação geral, e enfrentará o Ziober Maringá Vôlei, sexto colocado com 34 pontos, nas quartas de final.

Após a partida, o central Riad foi eleito o melhor em quadra e levou o troféu Viva Vôlei. Com 21 pontos, sendo quatro de saque e três de bloqueio, Lucão foi o maior pontuador da partida.

Pacheco mandou para o jogo o levantador Marcelinho, o oposto Mão, os pontas Maurício e Lucarelli, os centrais Riad e Lucão e o líbero Serginho. Entraram Thiaguinho, Théo e Murilo.

 O jogo

No primeiro set, time do Sesi-SP saiu na frente em alguns momentos e garantiu o primeiro tempo técnico, mas o Sada recuperou os pontos perdidos e igualou o placar. O período seguiu apertado, chegando aos 24/24, mas o Sada foi superior, aproveitou os inúmeros erros de saque do Sesi-SP e fechou por 27 a 25 pontos.

No segundo período, com menos erros de saque ,a equipe da indústria, recuperou o entrosamento, chegou a empatar e virou o placar. Com Lucão bloqueando e Mão atacando forte, o time soube manter a vantagem e fechar bem o set por 25 a 22 pontos.

A equipe do Sesi-SP colocou toda sua garra em quadra no terceiro set. Com ace de Mão e Marcelinho, o time de Pacheco se fortaleceu e seguiu bem fechando o segundo tempo técnico com diferença de dois pontos. Mantendo o entrosamento e virando bem as bolas, os meninos da Vila Leopoldina chegaram ao fim do set com um placar de 25 a 21 pontos.

O quarto e último set começou com o Sesi-SP abrindo três a zero.   O time imprimiu todas as suas habilidades e as colocou em prática, abrindo cinco pontos de vantagem, dominando o jogo e vencendo a partida com a parcial de 25 a 20 pontos.

Sesi-SP enfrenta São José dos Campos no returno da Superliga masculina


Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) volta à quadra neste sábado (21/2) contra o São José dos Campos, pela Superliga Masculina 2014/15. Na quarta colocação com 40 pontos, o time da indústria buscará a vitória para manter-se na posição e poderá assumir o terceiro lugar caso o Brasil Kirin, que está em terceiro com 42 pontos, perca para o líder Sada (53).

A equipe do Sesi-SP segue para as duas últimas partidas da fase classificatória. O técnico Marcos Pacheco trabalha para que a equipe possa seguir com tranquilidade para a fase dos playoffs.

“Os dias de folga foram bons para o descanso da equipe. Além disso, pudemos aproveitar para treinar bem cada fundamento e recuperar alguns atletas que sentiram a maratona de jogos que tivemos”, diz o treinador.  “O jogo de sábado será muito importante não só pela possibilidade de assumir a terceira colocação, mas trará mais força para a equipe seguir para a fase dos playoffs com tranquilidade”, afirma.

No primeiro turno, o Sesi-SP venceu o São José na casa dos adversários por 3 sets a 2. Após o confronto deste sábado, o time da Vila Leopoldina viaja para Contagem, em Minas Gerais, e fecha o returno contra o Sada Cruzeiro.

A partida deste sábado não terá transmissão pela TV.

Após alcançar a terceira posição, Sesi-SP joga para mantê-la a três rodadas do fim

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Com uma campanha de altos e baixos e faltando apenas quatro jogos para terminar a fase classificatória da Superliga 2014-2015, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) alcançou a terceira posição na tabela graças à vitória sobre o Vôlei Canoas, no sábado (31/01), por 3 sets a 0, e foi ajudado pelo triunfo do Minas Tênis Clubes sobre o Brasil Kirin, no mesmo dia. Com 37 pontos, o time de Marcos Pacheco agora só depende de si para manter a posição até o final, ou até mesmo buscar a vice-liderança, uma vez que o Sada Cruzeiro não pode mais ser alcançado.

E nesta terça-feira (03/02), às 19h, a equipe da Vila Leopoldina tem um confronto direto na classificação contra o próprio Minas, em Belo Horizonte. Em caso de vitória, o duelo contra o Brasil Kirin na próxima rodada praticamente definirá as quatro primeiras posições ao final desta fase. E sabendo dessa missão, o ponteiro Lucarelli espera um jogo complicado contra o mineiros, mas confia no bom momento que o Sesi-SP vem atravessando, com três vitórias nos últimos três jogos, sem perder um set.

"Nosso momento é melhor agora", diz o ponteiro Lucarelli. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

“O nosso momento é melhor agora. Eles estão bem, estão crescendo, mas nós também estamos vindo de uma sequência de vitórias, onde ganhamos mais confiança dentro de quadra e estamos cada vez mais entrosados. Sei que vai ser difícil, mas vamos com tudo para conseguir o resultado que será muito importante na classificação”, disse Lucarelli, que lembrou da derrota no primeiro turno e das lições deixadas. Para o camisa 18, o número de erros foi crucial para o revés em casa por 3 sets 2. Erros que não deverão se repetir.

“Foi um jogo diferente. Erramos demais. O bloqueio até funcionou um pouco, mas calculou mal algumas jogadas e demos muitos pontos para eles. Poderia ter sido melhor, mas agora será diferente”.

Enfrentar o Minas, para Lucarelli, é sempre diferente dos demais jogos. O craque surgiu no time de Belo Horizonte, em 2010, onde se destacou para o vôlei nacional. Agora, toda vez que vai à capital mineira, sabe que terá uma legião de amigos, parentes e fãs a acompanhá-lo. E não vê a hora de encontrar o pessoal.

“Ano passado foi minha primeira temporada fora, então foi mais complicado. Agora já é mais fácil. O pessoal já está acostumado que eu não jogo lá. A família vai comparecer, minha mãe já pediu um milhão de ingressos, e com certeza vai ter um pessoal forte para me apoiar lá. E espero ver todo mundo torcendo para mim e pelo Sesi-SP”, finalizou o segundo melhor atacante da Superliga, pelas estatísticas da CBV, com 39.22% de eficiência em 385 ações.

Após o confronto de terça-feira, o Sesi-SP retorna para São Paulo e retoma os treinamentos na quinta-feira (05/02), visando o clássico de sábado (07/02) contra o Brasil Kirin, às 18h, na Vila Leopoldina.

Após maratona fora de casa, meninas do Sesi-SP voltam a jogar em São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Após viajarem 9362 km em 16 dias, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) retorna para casa após uma maratona de jogos que envolveu a Superliga e a Copa Brasil. Retomando suas atividades, o time já enfrenta nesta sexta-feira (30/01), às 20h, o Uniara/AFAV, na Vila Leopoldina em busca dos três pontos para se manter na briga pela liderança. Além dessa partida, os próximos quatro jogos da equipe também serão em São Paulo.

Depois das viagens para o Maranhão, São Luis, Rio do Sul e Belo Horizonte, que resultaram, além de vitórias e um vice campeonato, muitos desgastes físicos, o técnico Talmo ressalta que agora é o momento da recuperação e preparação para as novas fases. “Agora é focar e se preparar bem. Temos pela frente o último jogo de uma fase desgastante desse mês que foi puxado. Foram muitas viagens, recuperação e atletas que se sentiram mal.”

Com a diferença de apenas um dia entre uma viagem e outra, o corpo foi o primeiro a sentir o desgaste. A líbero Suelen foi uma das vítimas dessa sobrecarga e chegou a jogar com dor de garganta. “As viagens em si são desgastantes. Acordar cedo, pegar ônibus e voo é muito cansativo, mas nós já sabíamos que o mês de janeiro seria assim. O jeito é tentar acostumar, se preparando melhor na academia e descansando o máximo que pode”.

Já a levantadora Claudinha conseguiu se manter firme para encarar a batalha. “Foi uma maratona pesada, vi algumas meninas se queixando de cansaço. A alimentação e o descanso é o que mais pega nesses casos, mas coloquei o objetivo único de vitória na frente para enfrentar tudo isso. O cansaço foi grande, mas quando entravamos em quadra as coisas mudavam”, completou.

Para o jogo desta sexta, mesmo em casa, o técnico ressalta que a partida será complicada e requer muita atenção. “Vem aí um jogo onde temos que ter o maior cuidado e entrar para buscar os três pontos aqui dentro de casa. O Uniara é um time que vem fazendo jogos muito apertados, fez um set disputado (30/28) contra o Osasco na última partida. Precisamos entrar bem e dar toda nossa atenção, do mesmo jeito que fizemos contra o Rio do Sul”, comentou Talmo.

Compartilhando o mesmo pensamento de seu técnico, Claudinha ressalta a concentração que a equipe tem que ter ao enfrentar as adversárias. “O Uniara é uma equipe que cresce durante a partida e tem um volume de jogo grande. Então temos que entrar muito concentradas, não podemos esquecer o que fizemos até agora. Temos que ser muito mais a cada jogo”, finalizou.

O time feminino do Sesi-SP está na segunda colocação da Superliga, com 41 pontos. Após o confronto em casa, o Sesi-SP terá uma semana de descanso e retorna no dia 10/02, contra o São Bernardo Vôlei, em São Bernardo.

 

Lucão desequilibra e Sesi-SP vence São Bernardo pela Superliga Masculina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Com grande atuação de Lucão, o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) derrotou nesta quarta-feira o São Bernardo por 3 sets a 0 (25/18, 25/17, 25/21), chegando aos 34 pontos na Superliga e mantendo-se na quarta colocação. O central marcou 17 pontos, sendo 3 aces, o que ajudou bastante o time a sair com a vitória.

Na verdade, o Sesi-SP não correu riscos. Liderou desde o início e sempre esteve à frente no placar. Murilo fez sua primeira atuação como titular no campeonato nacional e jogou a partida inteira. Outro destaque foi Rogério, que atuou no lugar de Riad e apareceu bem nos bloqueios (4 no total).

Para o técnico Marcos Pacheco, o resultado foi bom, mas o melhor foi a rotatividade da equipe e a rapidez da partida, que não exigiu tanto dos jogadores que terão um confronto complicado sábado.

“O melhor foi a vitória, claro. Mas também demos chances para muitos jogarem e ficou uma boa atuação. Só o Riad não entrou. Isso é importante, pois queria ver o Rogério jogando um pouco. O time se comportou bem e conseguiu a vitória em três sets. Teremos uma sequência dura e um jogo assim ajuda muito”, disse o treinador ao final da partida.

Agora, o time se prepara para o confronto de sábado (31/01), na Vila Leopoldina, contra o Vôlei Canoas, às 17h.

O time que Marcos Pacheco mandou para o jogo foi Marcelinho, Rafael Araújo, Lucarelli, Murilo, Lucão, Rogério e o líbero Serginho. Entraram Mão, Thiaguinho, Aracajú e Maurício.

O primeiro set foi completamente administrado pelo Sesi-SP. O time soube impor a superioridade técnica com poucos erros e boas jogadas, principalmente pelo meio, ora com Lucão, ora com Rogério. Graças a erros cometidos pelo São Bernardo, a vantagem crescia no set e chegou a 10 pontos (21/11), mostrando que o Sesi-SP realmente entrou para matar o jogo. Durante uma sequência de quatro saques seguidos de André, o time chegou a ceder pontos para os rivais, mas com Lucão pelo meio, fechou em 25/19 e garantiu o primeiro set.

O segundo set começou mais apertado. O time da casa corrigiu os erros e manteve o placar sempre empatado até a primeira parada técnica (8/7). Mas Rogério assumiu o saque e só saiu depois do Sesi-SP chegar a 13/9. Com a gordura obtida, o time jogou mais solto e foi se encontrando em quadra. A diferença manteve-se na média de quatro pontos e Lucão aumentou com dois aces para 19/13. E também foi com um ace, mas de Murilo, que o Sesi-SP fechou o segundo set em 25/17, fazendo 2 a 0 no jogo.

O cenário no terceiro set começou como o segundo, mais equilibrado. Pacheco mandou Maurício para a quadra no lugar de Lucarelli. Embora não tenha cedido a vantagem em nenhum momento, o Sesi-SP demorou para deslanchar e só o fez com Lucão no saque, abrindo três pontos de diferença (14/11). O jogo teve um momento de tensão quando o central do São Bernardo Igor caiu sangrando após uma bolada no rosto, mas saiu andando e aplaudido do ginásio. Na volta, o Sesi-SP manteve a vantagem até fechar em 25/21 e acabar o jogo.

Sesi-SP perde para o Minas pela Superliga feminina de vôlei

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) acabou derrotada na noite desta quarta-feira (27/01), pelo Camponesa/Minas. Em jogo válido pela quarta rodada do returno da Superliga 2014/15, as donas da casa bateram a equipe do Sesi-SP por 3 sets a 1 (25/23, 15/25, 25/19 e 25/18), em 1h51.

O time do técnico Talmo de Oliveira entrou em quadra com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Barbara, as centrais Fabiana e Bia e as ponteiras Pri Daroit e Suelle, além da líbero Suelen. Entraram Mari Cassemiro, Liz e Claudinha.

A central Fabiana foi a maior pontuadora pelo lado do Sesi-SP, com 19 pontos. Pelo Minas, a central Carol Gattaz ficou com o troféu Viva Vôlei.

No primeiro turno, as Meninas da Vila venceram as adversárias por 3 sets a 0.

Mantendo a segunda colocação com 41 pontos, o Sesi-SP recebe em casa, nesta sexta-feira (30/01), o Uniara/AFAV, às 20h, no ginásio da Vila Leopoldina. A entrada é gratuita.

Murilo garante: Sesi-SP vai crescer na hora certa

Agência Indusnet Fiesp

Cinco pontos separam o Sesi-SP da segunda posição na classificação da Superliga Masculina 2014-2015. Atualmente com 31, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo continua caçando o Funvic Taubaté e o Brasil Kirin (ambos com 36) para tentar fechar na melhor posição possível a primeira fase da competição. Como a liderança ficou complicada, chegar em segundo ou terceiro é bem possível e virou a meta da equipe da Vila Leopoldina.

Para o confronto desta quarta-feira (28/01) contra o São Bernardo, às 21h, no Adib Moysés Dib, no ABC, o técnico Marcos Pacheco terá força total à disposição para buscar os três pontos e se aproximar ainda mais da meta. E conta com a volta de um titular que ficou um bom tempo vendo jogos da arquibancada e voltou de lesão em 2015 para ajudar a equipe nesta reta final de Superliga.

Totalmente recuperado da cirurgia no ombro direito, Murilo Endres deve sair jogando contra o Bernô e pede que o Sesi-SP mantenha o padrão da partida contra o Maringá, no último sábado (vitória por 3×0), para evitar ser surpreendido mais uma vez na competição.

“Essas derrotas que sofremos para equipes de menor investimento acabam motivando mais esses mesmos times a tentar tirar um ponto ou ganhar do Sesi-SP. A gente precisa mudar essa realidade e não dar chance, manter o ritmo de jogo que temos contra as equipes maiores, como no jogo contra Maringá, quando vencemos por 3 sets a 0. Estamos chegando perto dos playoffs e não dá mais para alternar tanto o ritmo”, declarou o ponta, que admite a campanha abaixo da expectativa, mas diz que a hora de crescer está chegando.

“Já passou da hora de manter um ritmo de vitórias. Era para ter começado a Superliga assim. Mas como temos uma competição com playoffs ainda, então o importante é crescer na hora certa. Ainda tem alguns jogos, vamos fechar a primeira fase contra o Sada e essa é a hora de começar a crescer para entrar forte nos playoffs”.

Fora de todo o primeiro turno, Murilo viu da arquibancada a campanha do Sesi-SP e pôde observar de fora o comportamento da equipe e seus altos e baixos. Para o camisa 8, nunca foi um problema específico, mas uma série de fatores. Porém, o momento passou e tudo ficou para trás.

“Difícil identificar um ponto único para mudar e melhorar. Passamos por muitas coisas nessa temporada, dentro e fora da quadra, que mexeram bastante com o grupo. Tentamos deixar tudo de lado e focar na parte de treinamento e de jogo, mas não é tão simples assim. Mas estamos trabalhando para ter um padrão de jogo. O que passou, passou, não adianta ficar se remoendo, e como todo mundo está trabalhando forte, o resultado deverá aparecer em breve”, finalizou Murilo.

O jogo desta quarta-feira (28/01) terá transmissão pelo Sportv. Após o confronto contra o São Bernardo, o Sesi-SP receberá o Canoas, em casa, no sábado (31/01), às 17h.

Copa Brasil é passado e meninas do Sesi-SP voltam à Superliga mirando liderança

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Passada a Copa Brasil, a cabeça do time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) volta para a Superliga e para a briga pelo topo da tabela de classificação. E nesta sexta-feira (23/01), às 20h, as Meninas da Vila encaram o Rio do Sul, no ginásio Artenir Werner, em Santa Catarina, querendo os três pontos para não deixar o Rio de Janeiro escapar na liderança.

Atualmente, as duas equipes somam 38 pontos, mas as cariocas lideram pelos critérios de desempate. O returno ainda está no começo, mas para a levantadora Carol Albuquerque, o time não pode perder nenhuma chance de pegar a liderança, o que será fundamental nos playoffs.

“A gente está em segundo, coladas no Rio. Por isso precisamos ter muita concentração para sair daqui com os três pontos e não deixar as cariocas escaparem. Vamos estudar bastante o Rio do Sul, ver bem como funciona o jogo delas e evitar surpresas”, disse Carol, que espera um ginásio lotado e também pede atenção aos saques das adversárias.

“O time delas joga com a torcida do lado. A galera lota o ginásio mesmo, as garotas vêm com tudo. É um jogo com volume alto. Com certeza elas vão forçar o saque para tirar o passe da minha mão”, apontou a campeã olímpica de 2008. Sua preocupação com o saque faz todo sentido, pois é da central Emilce a liderança nas estatísticas desse fundamento, de acordo com a CBV.

Mas Carol aponta outro fator de atenção. Um fator bem conhecido pelo Sesi-SP, aliás. “Tem a Neneca, que pode voltar amanhã. Ela estava afastada (fratura na mão esquerda) e talvez jogue. É uma jogadora complicada, canhota, que conhecemos bem e dá muito trabalho”, finalizou Carol. Neneca jogou no Sesi-SP na temporada 2013-2014 com destaque e fez parte da campanha que conquistou o bronze no Mundial da Suíça.

O time feminino do Sesi-SP está na segunda colocação da Superliga, com 38 pontos. Após o confronto em Santa Catarina, o Sesi-SP terá pela frente o Camponesa, dia 27/01, em Minas, só voltando a jogar em casa dia 30/01, contra o Uniara.

Meninas do Sesi-SP visitam o Maranhão antes da Copa Brasil

Agência Indusnet Fiesp

Antes da Copa Brasil, a equipe de vôlei feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) “troca o chip” e volta para a Superliga. Com 35 pontos e na segunda colocação do campeonato nacional, o time feminino encara nesta terça-feira (13/01), o Cemar Maranhão, em São Luis, querendo manter a boa fase e conseguir mais uma vitória antes de ir para Cuiabá, onde disputará a Copa Brasil, a partir de sexta (16/01).

No confronto do primeiro turno, o Sesi-SP venceu por 3 sets a 0. Apesar de ocupar a 12ª posição na tabela com cinco pontos, o time do Maranhão recebe todo o respeito e atenção do técnico Talmo de Oliveira, que pede concentração total de suas jogadoras para o confronto.

“É um jogo difícil, mas a equipe está madura e sabe que todo confronto na Superliga terá uma dificuldade a mais. Tem que estar 100% o tempo todo. O time está crescendo e evoluindo. Durante os jogos, nós observamos alguns erros e analisamos para ver como melhorar. Então agora é ir para o Maranhão e buscar mais uma vitória”.

Quem conhece bem o adversário é Liz, que se destacou jogando pelo Maranhão na última temporada. A camisa 11 acredita em ginásio lotado para o jogo e sabe a pressão que a torcida exerce, mas não se preocupa e confia no taco de suas companheiras.

“Vai ser um jogo legal. A torcida dá uma força para as jogadoras e a casa fica cheia. Não devem pegar no meu pé. O povo é bem querido e acho que vão me apoiar até”, disse Liz. Para a jogadora, não importa a competição, se o jogo é de tabela ou eliminatório. A ideia é ir para cima.

“Como conheço o time e minhas companheiras, não tem diferença. Vamos para cima para tentar mais uma vitória. Se vale vaga, de tabela ou final, queremos ganhar sempre e é isso que vamos buscar”, completou a oposta.

Após o jogo contra o Maranhão, o Sesi-SP retorna para São Paulo. A viagem para Cuiabá está programada para quinta-feira (15/01).

Superliga: Sesi-SP vence e acaba com a invencibilidade do Cruzeiro

Agência Indusnet Fiesp

A equipe de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu a partida da Superliga neste sábado (13/12) contra o Cruzeiro por 3 sets a 2 (25/22, 23/25, 22/25, 28/26 e 15/9), no Ginásio da Vila Leopoldina. A vitória acabou com a invencibilidade do time mineiro, que não tinha perdido nenhum jogo desde o começo da Superliga.

O troféu Viva Vôlei foi entregue para o oposto Rafael. Mas foi uma partida em que vários jogadores do Sesi-SP mereciam ser premiados. Lucão e Lucarelli foram os dois maiores pontuadores do time, com 15 pontos cada um.

O central Maurício atuou no sacrifício em boa parte do jogo, já que, em um lance de bloqueio, machucou o nariz. Outro destaque foi o também central Riad, que teve uma atuação majestosa no tie-break, fundamental para definir a vitória para o Sesi-SP.

Com o resultado, o Sesi-SP passou para o quarto lugar na classificação da Superliga. O próximo desafio será no dia 17/12 (quarta-feira) contra a equipe de Montes Claros, novamente jogando em casa, no Ginásio da Vila Leopoldina.

“A gente conseguiu equilibrar, manter e efetivar um jogo muito bom, que não tínhamos conseguido durante toda a temporada. Existia uma desconfiança da torcida, da imprensa e, principalmente nossa. Nós estávamos desconfiados da nossas possibilidades, do nosso talento, da nossa qualidade. E hoje comprovamos, primeiro para nós depois para os outros, que a gente tem condições, que a gente pode, que o time é talentoso”, disse o técnico Marcos Pacheco.

Segundo ele, o jogo contra o Minas não determina nada, mas ajuda para na próxima fase da competição. “Foi o último jogo do primeiro turno, ainda temos o segundo turno e os playoffs. Mas saimos daqui sabendo que se jogarmos em um padrão que é possível jogar, temos chance de ganhar de qualquer equipe”, afirmou.

“A vitória de hoje não é determinante, não apaga o que nós fizemos, mas ela indica um novo caminho.”

Sesi-SP encara Sada Cruzeiro no clássico que fecha o primeiro turno da Superliga

Agência Indusnet Fiesp

“Não existe time invencível”. Esse é o pensamento de Marcos Pacheco e do elenco de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para o jogo deste sábado (13/12) contra o líder invicto da Superliga, Sada Cruzeiro, às 21h30, na Vila Leopoldina. Embora o momento dos times seja bem distinto, o treinador do Sesi-SP quer sua equipe forte e aguerrida para conseguir o resultado contra o mineiros.

Reconhecendo a superioridade adversária, Pacheco acredita em um grande jogo e que uma hora a maré vai mudar. Pode ser sábado. “Não existe time invencível. Existe, sim, uma equipe muito forte e está jogando em um nível muito alto há muito tempo. Para vencê-los, temos que igualá-los, no mínimo. Temos todos os ingredientes no Sesi-SP. Jogadores acostumados, experientes e talentosos. O momento não é o ideal, mas é um jogo que pode ajudar nessa retomada”, disse o treinador.

O último confronto contra o Cruzeiro está bem fresco na memória. A final da Superliga 2013-2014 foi vencida pelos mineiros por 3 sets a zero, no Mineirinho. De lá para cá, o time azul mudou muito pouco. O Sesi-SP sofreu uma reformulação maior. O conjunto é mais um ponto de favoritismo para Pacheco, ao analisar as equipes.

“O time deles é muito bem montado. Temos jogadores de um nível tão bom quanto, mas ainda não conseguimos encaixar o nosso jogo. Enfrentar o líder agora é uma pedreira, mas é nossa realidade. Como o time deles joga junto, e muito bem, há muito tempo, o conjunto é forte e ajuda. Nós temos que, no talento de nossos jogadores, igualar isso e fazer o nosso jogo”.

Na quinta posição com 18 pontos, o Sesi-SP quer vencer para se aproximar dos líderes neste fim de turno. O Sada lidera com 29 pontos e 10 vitórias. O jogo terá transmissão do Sportv e a entrada na Vila Leopoldina é um 1kg de alimento não perecível.

Sesi-SP recebe Praia Clube com chance de ser líder da Superliga de Vôlei

Agência Indusnet Fiesp

A diferença para o topo é de apenas dois pontos. Com uma vitória por 3×0 ou 3×1 nesta quinta-feira (11/12), contra o Dentil/Praia Clube, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) assume a ponta na tabela da Superliga exatamente antes do clássico contra o Osasco, na próxima semana. Mas a tarefa é duríssima, pois as rivais estão na quarta posição e querem se recuperar da derrota na última rodada.

Seguindo sua tradição em trabalhar por etapas, o técnico Talmo de Oliveira quer apenas pensar no jogo de quinta, mesmo sabendo que a vitória pode colocar o Sesi-SP no topo após nove triunfos em nove jogos. Mas Talmo projeta uma partida forte e diferente do jogo contra o Pinheiros, onde o time da Vila Leopoldina conquistou mais uma vitória por 3×0, na última terça.

“Estamos vivendo um momento muito bom, mas contra o Praia é um jogo diferente. É mais pancada, mais difícil e pesado. Temos que sustentar bem o bloqueio, ter um volume muito bom. Será um grande jogo e vamos buscar a vitória dentro de casa para crescer mais na tabela”, afirmou o treinador.

Enfrentar o Praia Clube significa enfrentar a maior pontuadora da Superliga. Tandara segue na liderança do ranking da CBV com 146 pontos. Mesmo com a adversária de peso, Talmo descarta qualquer marcação especial e prega atenção com time inteiro.

“São jogadoras muito experientes, com muitos recursos. A Tandara recebe muitas bolas e obviamente precisamos ter atenção, mas não podemos deixar o resto do time livre para atacar. Temos que sacar muito bem para neutralizar o sistema defensivo delas e atrapalhar o ataque”, completou.

Quem conhece muito bem o Praia Clube é a oposta Monique, que jogou pelo time de Uberlândia de 2011 a 2013. Nas duas últimas Superligas, as equipes se enfrentaram nos playoffs e sempre fizeram jogos equilibrados. Mesmo que o Praia tenha mudado bastante, Monique acredita que o nível será o mesmo e o nível do jogo do Sesi-SP precisa continuar alto para vencer.

“Vai ser muito difícil. Vamos ter que respeitar taticamente muita coisa. Nesse nível de jogo, temos que sacar bem, bloquear bem e entender as características das jogadoras. Mas assim como a gente conhece o time delas, elas também conhecem a gente. Tem muito pouco tempo, um dia só, então precisamos descansar bem para fazer uma boa partida”, finalizou a jogadora, quarta maior pontuadora da Superliga com 111 acertos.

Vôlei do Sesi-SP reencontra São Caetano e mira na sétima vitória na Superliga

Agência Indusnet Fiesp

Sem clima de revanche, mas com lições aprendidas e buscando mais três pontos. Esse é o pensamento do time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para o jogo da próxima sexta-feira (05/12) contra o São Cristóvão Saúde/São Caetano, na Vila Leopoldina, às 19h30.

No último encontro com as rivais, as Meninas da Vila acabaram eliminadas do Campeonato Paulista na semifinal, perdendo a chance de conquistar um título inédito. Mas se alguém acha que a partida traz uma expectativa de vingança, se engana. Para a capitã Fabiana Claudino, aquele jogo é passado e o que importa agora é o futuro.

“Não existe esse sentimento (de revanche). O que passou, passou. Elas ganharam por merecimento. Agora temos mais um desafio que precisamos ultrapassar. O São Caetano é uma equipe forte e provou isso no Paulista. Então, temos que ter atenção redobrada e muita obediência tática para vencer o jogo”, afirmou a central, que ganhou o Viva Vôlei no último jogo contra o Brasília, na terça-feira (02/12).

Mesmo com a sexta vitória seguida, Fabiana diz que o time não pode deixar o nível cair se quiser se manter no topo. “O jogo de terça foi muito difícil, pela qualidade e experiência do Brasília. Mas nossa equipe está muito focada e trabalhando forte para manter a boa campanha. Sabemos que, se pretendemos conquistar algo, não podemos pensar em relaxar”.

O pensamento da capitã está alinhado com o treinador Talmo de Oliveira. Aquela semifinal já foi, marcou, mas deixou um aprendizado que será útil para sexta e para o restante da competição.

“Estamos em um outro campeonato e sentimos por não termos feito a final do Paulista. Mas aprendemos e crescemos muito com isso. Agora teremos outra oportunidade de vencermos o São Caetano dentro de casa e o foco para a partida é total”, completou Talmo.

O Sesi-SP está em 3ª lugar na tabela, com 18 pontos conquistados em seis partidas. O time perdeu apenas um set até agora na Superliga. O São Caetano está na 6ª posição, com sete pontos em sete jogos. Após o jogo de sexta, o Sesi-SP faz o clássico regional contra o Pinheiros (09/12), terça, fora de casa e em seguida o Praia Clube, na Vila Leopoldina, quinta (11/12).

Vôlei: Sesi-SP esquece derrota e quer nova sequência positiva na Superliga

gência Indusnet Fiesp

A derrota no sábado para o Minas Tênis Clube estava fora dos planos. Além de quebrar a sequência de bons resultados, o resultado de 3×2 para os adversários deixou o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) longe dos líderes. Mesmo sem ter perdido a quarta colocação, a equipe viu o Taubaté abrir 6 pontos de diferença na terceira posição, e agora precisa se recuperar contra o Brasil Kirin, nesta quarta (03/12), em Campinas, às 19h.

Se já era um jogo difícil, para o oposto Theo, se transformou em decisão e o Sesi-SP terá que partir para cima. “Já seria um jogo onde teríamos que correr mais riscos e sacar melhor. Agora mais ainda. Vai ser um confronto mais complicado que os que pegamos até agora, pois é um adversário que está jogando muito bem e sofreu apenas uma derrota, ainda assim apertada. Precisamos jogar melhor do que estamos jogando”, disse Theo, que acredita que o tempo do Sesi-SP mostrar seu melhor vôlei já passou.

“É a hora de se afirmar. Já era para estarmos melhor na Superliga. Fizemos uma sequência boa, mas tivemos uma caída. Já passou da hora de o time ter um padrão melhor e mais definido”.

O técnico Marcos Pacheco concorda com seu atacante. De acordo com o comandante, o Sesi-SP realmente ainda não engrenou na competição e ganhar do Brasil Kirin pode ser exatamente o ingrediente que falta.

“Infelizmente ainda não conseguimos uma regularidade esse ano, ser o Sesi-SP de sempre, que briga pela ponta na tabela. Esse ano ainda não conseguimos ser o time que todos esperam e que nós esperamos. Estamos tendo resultados não compatíveis. Mas o campeonato é longo e teremos oportunidades. E esse é um jogo importante para isso”, acredita Pacheco.

“Nosso objetivo é estar no pelotão de frente, o que passa por uma vitória quarta. Uma derrota nos deixa longe dos líderes e com uma proximidade perigosa do sexto, além da perda quase certa do quarto lugar. Esse jogo vale mais do que três pontos. Vale brigar ali na frente ou, numa derrota, um distanciamento muito grande dos líderes. Ganhar do Brasil Kirin se tornou mais importante por isso”, finalizou Pacheco.

O jogo desta quarta-feira terá transmissão pelo Sportv. Após a partida, o time retorna para São Paulo e se prepara para mais um confronto fora de casa, contra o São José dos Campos.