Sesi-SP vence Maringá e sobe para a quarta posição na Superliga masculina de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Equipe manteve a consistência e controlou o jogo nos momentos importantes. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação (Arquivo)

Os visitantes vinham em ascensão, com duas vitórias convincentes. Mas o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) não se intimidou e venceu na noite deste sábado (17/01), no ginásio da Vila Leopoldina, o Ziober Maringá Vôlei. A partida foi válida pela quinta rodada do returno da Superliga 2014/15.

Com o resultado, a equipe do técnico Marcos Pacheco somou três pontos, chegando a 31. O Sesi-SP subiu um degrafu na tabela de classificação e agora ocupa o quarto lugar, atrás de Sada Cruzeiro, Funvic/Taubaté e Brasil Kirin.

Lucão foi o destaque do jogo, com 13 pontos. O central do Sesi-SP recebeu o Troféu Viva Vôlei ao ser eleito o melhor em quadra.

Além de Lucão, o Sesi-SP entrou com o levantador Marcelinho, o oposto Rafael Araújo, o central Riad, os ponteiros Mauricio e Lucarelli. De líbero, Serginho. Também atuaram o levantador Thiaguinho, os ponteiros Mão e Murilo e o central Rogério.

O Ziober Maringá jogou com Rivaldo, Ricardinho, Sanchez, Mudo, Diogo e Renato. O líbero foi Brendle. Entraram: Luan, Thiago Gelinski, Piá e Matheus.

A Superliga masculina tem uma pausa nos próximos dias para a realização das finais da Copa Banco do Brasil, competição em que o Sesi-SP foi eliminado na primeira rodada da fase classificatória ao ser derrotado pelo Vôlei Canoas por 3 sets a 1, em dezembro. O Sesi-SP só volta às quadras no final do mês, em uma quarta-feira (28/01), às 19h, diante do São Bernardo Vôlei, no ginásio Adib Moises Dib.

O jogo

O jogo começou equilibrado no primeiro set, com as equipes aproveitando as viradas de bola. Depois de chegar à primeira parada técnica com vantagem mínima (08/07), o Sesi-SP conseguiu abrir alguma diferença. Jogando com a bola na mão, Marcelinho distribuía bem as jogadas. Foi assim no ponto que levou a partida para a segunda parada técnica, em que Lucarelli atacou saltando atrás da linha dos três metros, para marcar 16/12. O jovem ponteiro do Sesi-SP começou a se destacar e ampliou a diferença, atacando pela ponta: 19/14. O técnico argentino do Ziober, Horácio Dileo, pediu tempo, mas não adiantou e o Sesi-SP ampliou com Lucão, pulando praticamente sem bloqueio para marcar o vigésimo ponto. O Maringá começou a virar suas bolas e chegou a reduzir para dois quando Riad parou no bloqueio em jogada pelo meio (23/21). A equipe paranaense continuou atenta e diminuiu a margem para apenas um ponto (23/22). Mas Rafael Araújo tranquilizou a torcida na Vila Leopoldina ao marcar o set point (24/22) e Riad, no bloqueio, fechou o parcial (25/22).

No segundo set, o Sesi-SP continuou mostrando consistência, controlando o jogo. A linha de recepção, com Serginho, Mauricio e Lucarelli, continuou bem e Marcelinho conseguiu variar as jogadas. No saque, Lucão soltava o braço, propiciando contra-ataques. Foi assim que veio o ponto que determinou a primeira parada técnica do jogo, em ponto de Rafael Araújo, explorando o bloqueio (08/04). O Maringá voltou melhor, mas o Sesi-SP não se perturbou e novamente chegou com vantagem na segunda parada obrigatória (16/14). Na sequência, os visitantes tiveram a chance de empatar, mas um erro de coordenação no ataque deu, de graça, um providencial ponto para o Sesi-SP. A equipe do Maringá se desconcentrou na sua linha de passe e um saque flutuante de Riad acabou caindo direto na quadra: 20/17. Horácio Dileo pediu tempo, mas o Sesi-SP conseguiu virar suas bolas e manteve a diferença de três pontos, fechando o set em belo ace de Lucão: 25/21.

No início do terceiro set, o Sesi-SP cometeu erros no saque e o Maringá chegou a ficar na frente (07/06), mas a equipe dona da casa virou. As equipes seguiram pontuando, e o Sesi-SP chegou à segunda parada com 16/15. Rivaldo, oposto do Maringá, cresceu no jogo e a equipe paranaense passou na frente, chegando a 17/18. O Sesi-SP conseguiu retomar a dianteira com Lucarelli (21/20) pela saída de rede, mas os visitantes logo empataram. Para reforçar o passe, Pacheco escalou Murilo, deixando a torcida eufórica – o ponteiro vinha de um longo período de inatividade, recuperando-se de uma lesão. Rivaldo sacou um petardo em Mauricio, que recebeu bem e subiu para desviar do bloqueio (23/22). O jogo continuou lá e cá, com o levantador Ricardinho empatando em bola de segunda. Pacheco fez a inversão do 5-1 e, acionado na ponta por Thaguinho, Mão não teve dificuldades de superar o bloqueio simples de Ricardinho, propiciando o match point: 24/23. A chance foi aproveitada com Mauricio, que fechou o jogo com um ace: 25/23. No final,  em 1h34 de jogo, 3 sets a 0, um resultado para recuperar o moral depois da derrota para a UFJF.

 

Sesi-SP vence Voleisul/Paquetá por 3 sets a 1 na Superliga masculina de vôlei

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em Novo Hamburgo (RS), o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu na tarde deste sábado (20/12) a equipe do Voleisul/Paquetá Esportes por 3 sets a 1 (25/07, 25/19, 17/25, 25/15), em jogo válido pelo returno da Superliga 2014-2015.

Com a vitória, o Sesi-SP deu o troco no adversário, que se saiu melhor no confronto no ginásio da Vila Leopoldina, no início de novembro.

O resultado deixou o Sesi-SP com 24 pontos, ocupando a quarta posição, que pode ser tomada pelo Minas, com 22 pontos e um jogo a menos. O jovem Douglas recebeu o troféu Viva Vôlei.

No jogo, o técnico Marcos Pacheco procurou poupar alguns dos seus titulares, como o ponteiro Lucarelli, o líbero Serginho e o central Riad. Mas depois de um início arrasador, em que impôs seu jogo por cattegóricos 25/07 no primeiro set e uma segura diferença no segundo set, a equipe relaxou e foi batida no terceiro set por 17/25.

Para tentar garantir logo os três pontos, Marcos Pacheco escalou no quarto set Lucarelli, Theo e Riad.

No final, Sesi-SP 3 sets a 1.

Técnico muda time e Sesi-SP vira contra o São José na Superliga masculina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Depois de duas derrotas consecutivas, o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) precisava muito da vitória. E ela veio, de forma dramática, na virada sobre o São José dos Campos por 3 sets a 2 (23/25, 21/25, 25/22, 25/19 e 16/14). Com o resultado, a equipe do técnico Marcos Pacheco garantiu dois pontos e respirou na Superliga 2014/15.

Lucão foi o maior pontuador, com 19 acertos. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Agora, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo se prepara para o clássico contra o líder Sada Cruzeiro, no sábado (13/12), no ginásio da Vila Leopoldina. Lucão, com 19 acertos, foi o maior pontuador e o líbero Thales, que jogou no lugar de Serginho, poupado, levou o Viva Vôlei.

No jogo no ginásio do Tênis Clube, em São José dos Campos, o Sesi-SP sofria até o final do segundo set uma vitória categórica do time da casa. Perdendo por 2 sets a 0, o técnico do Sesi-SP trocou meio time, colocou jovens jogadores em quadra e deu novo ânimo para sua equipe.

Para Pacheco, a mudança foi fudamental para o resultado, deixando o time mais solto na partida.

“O time estava marcado e não conseguia jogar. Colocando o Aracaju, o Rafael e o Douglas, nós mudamos o jogo e conseguimos virar. Lucarelli e Lucão, com o Marcelo, seguraram a experiência e controlaram o time, mas os garotos souberam compor e fizeram boa partida”, disse o técnico ao final.


O jogo

O Sesi-SP entrou em quadra com Thiaguinho, Theo, Riad, Lucão, Maurício, Lucarelli e Thales.

O primeiro set foi marcado pelos saques para fora e poucos ataques efetivos de ambos os times. Mais pelos erros do que méritos, as equipes foram pontuando. Porém, o time da casa ainda conseguia atacar melhor e aproveitar a inconstância do Sesi-SP. Com números equilibrados, os times foram se segurando no placar, com o São José sempre à frente, até abrir 24/21 e ter o primeiro set point. Lucão até tentou, com dois saques, diminuir, mas não deu e o set acabou 25/23 para os donos da casa.

Pressionados pelo resultado, os jogadores do Sesi-SP começaram com ritmo bem forte o segundo set, abrindo 03/00. Mas os erros persistiam. Theo não atacava bem e facilitava a marcação. Pacheco trocou o oposto por Rafael e Thiaguinho saiu para entrar Marcelinho. Mas o cenário era o mesmo. O Sesi-SP não conseguia engrenar, perdeu os dois primeiros tempos técnicos e o set em 25/21, aumentando o péssimo momento.

O terceiro set então se tornou um tudo ou nada. Sabendo disso, Pacheco mexeu em meio time, colocando Aracaju, Douglas e Rafael Araújo desde início. Deu certo e o Sesi-SP não ficou atrás em nenhum momento no placar, sempre liderando por dois pontos. O nervosismo ainda provocou muitos pontos de graça para o São José, mas a equipe soube segurar a diferença e contou com Rafael calibrado (seis pontos) para fechar em 25/22, levando a partida para o quarto set.

Os erros diminuíram, o passe melhorou e quem brilhou também foi Lucarelli, bastante acionado por Marcelinho. Com quatro pontos, o atacante chegou a 17 e se tornou a bola de segurança. Pelo fundo ou pela ponta, o camisa 18 liderou o empate na quarta etapa. Os erros continuavam, principalmente no saque, mas o ataque resolveu e segurou uma boa vantagem que chegou a 7 pontos (18/11) e não deu chance para o São José. Lucarelli, o melhor do time, fechou a parcial em 25/19, levando para o quinto set.

Na etapa final, o Sesi-SP começou voando e deu a impressão de que mataria o jogo rápido, ao abrir 06/02. Porém, o time da casa chegou e encostou em 09/08. Pachecou parou a partida e pediu calma. O Sesi-SP não forçava os saques e se deu bem. O bloqueio funcionou e o time soube manter a vantagem, até fechar em 16/14, dando números finais à partida.

Sesi-SP vira contra Canoas e conquista terceira vitória seguida na Superliga Masculina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Mauricio Borges com o Troféu Viva Vôlei. Foto: CBV

Em jogo válido pela sétima rodada da Superliga masculina de vôlei, o time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) conquistou uma importante vitória na noite de sábado (22/11), superando o Vôlei Canoas por 3 sets a 1 (22/25, 25/19, 25/21 e 25/21), em 1h59 de jogo, no Poliesportivo La Salle, em Canoas (RS).

Foi a terceira vitória seguida do Sesi-SP, e a quarta na temporada 2014/15. A equipe soma agora 12 pontos e está em quinto lugar na tabela de classificação. O próximo compromisso é diante do São Bernardo, na quarta-feira (26/11), às 19h, na Vila Leopoldina, em jogo adiado pela sexta rodada.

No jogo em Canoas, Maurício Borges foi o melhor em quadra. Além marcar três aces seguidos no último set, o ponteiro do Sesi-SP mostrou muita eficiência no passe, ajudando o levantador Marcelinho a distribuir as jogadas. O desempenho valeu ao atleta o Troféu Viva Vôlei.

A pontuação foi liderada pelo oposto Theo. Ele marcou 17 vezes, seguido por Lucarelli e Lucão, ambos com 16.

O Sesi-SP do técnico Marcos Pacheco entrou em quadra com o levantador Marcelinho, o oposto Theo, os centrais Riad e Lucão, os ponteiros Lucarelli e Mauricio, além do líbero Serginho. Entraram no decorrer da partida o levantador Thiaguinho e o oposto Rafael Araújo.

O jogo

Quem saiu na frente foi o Canoas, que tinha no saque sua principal arma no início da partida. Mas logo o Sesi-SP se encontrou na partida e não deixou a diferença passar de mais de dois pontos de diferença para o rival. Marcelinho usava o time inteiro para atacar, mas deu preferência a Lucarelli e Lucão no meio, o que rendeu boas viradas de bola para a equipe paulista. A equipe passou na frente do placar, porém, veio com Theo em 11/10, e durou até Gustavo ir para o saque novamente, virando em 16/17. O mesmo Gustavo errou o saque e empatou a partida. Lucão, bloqueando Quiroga, virou de novo para o Sesi-SP. A vantagem não durou. Com boa distribuição de Paulo Renan, principalmente com o oposto cubano Dennis, e erros de recepção do time da Vila, os donos da cara viraram novamente, abrindo dois pontos em momento crucial, até fechar o set em 22/25 em mais um bom saque de Dennis.

No segundo set o panorama foi outro. O ataque entrou perfeitamente, os bloqueios seguraram Dennis e Quiroga e os saques também fizeram seu papel. O Sesi-SP chegou a abrir nove pontos (15/06), abrindo uma vantagem praticamente impossível de tirar. O time da Vila começou a arriscar mais e a ceder alguns pontos para os rivais, que diminuíram a diferença para seis pontos, mas Lucão quebrou a sequência de saque e Lucarelli e Rafael Araújo, em dois bloqueios seguidos, aumentaram a gordura novamente para nove. Com a boa vantagem adquirida, o Sesi-SP fechou em 25/19 após erro de saque de Gustavo e empatou a partida, com um set para cada lado.

Confusão da arbitragem foi a tônica do terceiro set. O jogo seguia equilibrado até o placar de 16/13, quando jogadores das duas equipes discutiram com a árbitra de linha por conta de um toque na antena e o juiz de rede distribuiu cartões para os dois times.  Ânimos exaltados e jogo parado por mais de cinco minutos. Na volta, o Sesi-SP soube manter melhor o controle e o ritmo da partida, enquanto o Canoas passou a errar mais e desperdiçar pontos, dando 12 para o time paulista. Com isso, a equipe de Marcos Pacheco fechou em 25/21, virando o jogo: 2 sets a 1.

O Sesi-SP soube aproveitar o abalo do time da casa e começou bem o quarto set. O Canoas chegou a empatar em 08/08, mas jamais passou à frente. O time de Marcos Pacheco liderou a etapa e aproveitou ótima sequência de Mauricio no saque, com três aces e cinco pontos, para frear a reação do time gaúcho e colocar quatro pontos de vantagem (23/19) em momento crucial do set. Com a diferença, foi questão de tempo até o Sesi-SP fechar o jogo com Lucarelli em 25/21 e ficar com a ficar com a vitória de três pontos: 3 sets a 1.

A campanha

Rodada    Data    Jogo    Local
01    29/10/14    Montes Claros Vôlei 1 x 3 Sesi-SP    Montes Claros (MG)
02    01/11/14    Sesi-SP 1 x 3 Voleisul/Paquetá Esportes    São Paulo (SP)
03    05/11/14    Taubaté/Funvic 3 x 0 Sesi-SP    Taubaté (SP)
04    08/11/14    Sesi-SP 3 x 0 UFJF     São Paulo (SP)
05    15/11/14    Ziober Maringá 0 x 3 Sesi-SP    Maringá (PR)
06    26/11/14    Sesi-SP x São Bernardo    São Paulo (SP)
07    22/11/14    Vôlei Canoas 1 x 3 Sesi-SP     Canoas (RS)

 

Superliga masculina: Sesi-SP acaba superado em casa pelo Voleisul

Amanda Santos e Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Em uma atuação bem abaixo da expectativa, o time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) perdeu na noite deste sábado (01/11), na Vila Leopoldina, para o Voleisul/Paquetá Esportes por 3 sets a 1 (25/23, 22/25, 22/25, 21/25), em jogo pela segunda rodada da Superliga 2014-2015. Méritos dos rivais, que tiveram em Leandrão o artilheiro do jogo, com 17 pontos, seguido de Japa, com 16. Pelo Sesi-SP, o maior pontuador foi Lucarelli, com 16. O Viva Vôlei foi para o líbero do Voleisul, Rafa.

Sesi-SP venceu o primeiro set, mas acabou sendo superado nos parciais seguintes. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

 

O Sesi-SP mandou para quadra o levantador Marcelinho, o oposto Théo, os ponteiros Douglas e Lucarelli, os centrais Lucão e Riad, além do líbero Serginho. O Voleisul escalou Rafinha, Japa, Satiro, Robinho, Hugo, Leandrão e o líbero Rafa.

O próximo jogo do Sesi-SP será quarta-feira (05/11), às 20h, contra o Funvic, em Taubaté.


O jogo

A partida começou equilibrada, com as duas equipes atacando e pontuando. Os erros na recepção e no ataque eram constantes nos dois times, mas foi o Voleisul quem fechou o primeiro tempo técnico com 08/07. Ponto a ponto, as duas equipes seguiram empatadas, mas com erros do adversário e bloqueio de Riad, o Sesi-SP garantiu o segundo tempo técnico do set (16/14). O bloqueio triplo com Lucão, Lucarelli e Marcelinho deu um gás à equipe e fez com que o técnico do Voleisul, Paulo Roese, pedisse tempo técnico para reorganizar a equipe. Aproveitando os erros de saque do adversário, o time da Vila manteve a vantagem de dois pontos e fechou o primeiro set em 25/23, em 26 minutos.

O segundo set começou com dois bloqueios de Riad e fortes ataques do lado do Sesi-SP. A equipe chegou abrir dois pontos de diferença, mas logo foi alcançada pelo adversário, forçando o técnico Marcos Pacheco a pedir uma pausa. Na volta, o levantador Marcelinho buscou uma bola já do lado da quadra do adversário, recuperou a jogada e passou para o oposto Theo pontuar. Mas, mesmo assim, o time não conseguiu fechar o primeiro tempo técnico na frente. Melhorando o desempenho na virada de bola, o Sesi-SP garantiu o segundo tempo técnico com 16/15. Mas erros de recepção e ataque custaram a liderança no placar e os visitantes fecharam o set com 25/22 em 33 minutos.

No terceiro set, o Sesi-SP começou atacando forte, bloqueando bem e abrindo uma vantagem de três pontos. Roese pediu tempo para quebrar o ritmo de jogo do time da Vila. O time voltou melhor e explorando bem o bloqueio, o Voleisul chegou a marcar alguns pontos, mas não foram suficientes para garantir o primeiro tempo técnico. Porém, a equipe de Novo Hamburgo virou para 10/09 e foi Pacheco quem pediu tempo. O time da Vila forçou alguns saques, atacou bem mas não conseguiu segurar e parar o ritmo do Voleisul, que fechou o segundo tempo técnico na frente e depois administrou a vantagem até acabar o set com outro 25/22, em 30 minutos.

O quarto set começou equilibrado como no início do jogo. Com Marcelinho explorando bem Rafael na saída de rede, a equipe conseguiu marcar pontos importantes, mas quem acabou levando o primeiro tempo técnico foi novamente o Voleisul, por 08/07. Aumentando e mantendo a diferença de três pontos no placar, os rivais souberam aproveitar os erros do Sesi-SP e garantiram também o segundo tempo técnico e depois fecharam o quarto set e o jogo em 25/21.

Marcos Pacheco: uma bola pode fazer a diferença em uma final de vôlei

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Belo Horizonte

Além dos treinos físicos, os jogadores também precisam entender o adversário, por meio de orientações técnicas e táticas. É o que acontece nas preleções, encontro dos técnicos e jogadores para repassar a melhores estratégias para uma partida.

Quem conta um pouco do que acontece nesse momento é o técnico Marcos Pacheco, que comanda a equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), finalista da Superliga 2013/2014.

Com base nas informações passadas pela equipe técnica, o desafio é difícil: descobrir qual a jogada do adversário. “As preleções são em cima de questões técnicas e estratégicas”, explica Pacheco, Tricampeão da Superliga como técnico pela Cimed/Florianópolis.

Marcos Pacheco passa instruções a Murilo e Serginho. Preleção pode fazer a diferença. Foto: Arquivo Fiesp

“Durante toda a temporada, a gente estuda e busca entender os adversários, com a pretensão de saber como a cabeça do técnico adversário funciona durante o jogo, como o time age em momentos de dificuldade ou quando o time está na frente.”

O técnico conta que cada time tem características específicas e cada situação de jogo é diferente. Por isso, algumas preleções precisam de mais tempo. “Algumas equipes têm um arsenal de ataque ou de saque maior, por exemplo. Então, tem que estudar um pouco mais”, diz ele, que revela que, para a final, colocou o foco nos detalhes.

“A final é um jogo único, em que tivemos uma semana, um pouco mais de tempo, para nos preparar. Por isso ficamos muito atentos aos detalhes. Não temos outra chance, é só um jogo. Então, uma bola, uma rotação, uma sequência, detalhes que durante a sequência de jogos da Superliga podem ter passado despercebidos, podem fazer a diferença agora.”

Mais do que a estratégia de jogo, nas preleções também há espaço para a motivação. “Naturalmente, em uma final de Superliga, em um ginásio como esse, lotado, a motivação já existe nos jogadores. Se alguém chegar nesse ginásio para o jogo, sentir esse astral e ficar neutro, alguma coisa está errada”, comentou o técnico, que conta com a ajuda dos auxiliares para incentivar a equipe.

“A gente sempre busca alguma coisa que possa fazer a diferença para a equipe. O meu auxiliar, Marcel [Matz], com quem já passei por muitos momentos decisivos, me ajuda muito nisso. Ele é o nosso George Lucas, o Spielberg, que monta os vídeos. O Henrique [Modenesi], estatístico, também está buscando coisas para ajudar. Tudo dá uma temperada a mais e ajuda a conquistar nosso objetivo.”

Passado, presente e futuro: jogadores do Sesi-SP encaram final com histórias diferentes

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Sandro, Lucão e Lucarelli, três titulares do Sesi-SP terão sensações diferentes no próximo domingo, 13, quando o time do Serviço Social da Indústria de São Paulo fará a final da Superliga Masculina 2013-2014 contra o Sada Cruzeiro, no Ginásio do Mineirinho, às 10h. Para o capitão Sandro, o jogo será um déjà vu, em que espera o mesmo resultado. Para Lucão, será a reprise da final da última temporada, quando jogava pelo RJX e foi campeão. Lucarelli estará em sua primeira decisão de Superliga, após anos chegando bem perto e vendo-a escapar nos últimos pontos.

Equipe do Sesi-SP campeã da Superliga Masculina 2010/2011. Foto: Divulgação/Fiesp

 

Mais experiente em tempo de Sesi-SP, Sandro estava na final de 2010-2011, no mesmo ginásio e contra o mesmo adversário do próximo domingo. Naquele jogo, o Sesi-SP foi campeão pela primeira vez – e única até aqui – da Superliga, ao vencer os mineiros por 3 sets a 1 (25/19, 19/25, 27/25, 25/17). O camisa 5 ainda não era o capitão (a função cabia a Murilo), mas liderou o time com jogadas rápidas que minaram a defesa do Cruzeiro. Para Sandro, apesar das coincidências, o jogo é completamente diferente. Mas fará de tudo para o resultado final se repetir.

“É tudo diferente. É outro ano, as equipes mudaram, se reforçaram para melhor e será uma grande final. Vamos trabalhar muito duro essa semana pensando no jogo. É o mesmo adversário, a mesma final, o mesmo lugar, mas é outro jogo. E temos que entrar muito bem para conquistar esse título no Mineirinho, um templo do voleibol, que terá casa cheia, onde a torcida rival será maioria”, disse o capitão do time, que garante estar muito motivado para o jogo, e admitiu que sentia saudades de uma decisão como essa.

“É muito bom (voltar a jogar a final). A gente trabalha o ano todo pensando nesse momento e na chance de conquistar um título desse. Não tem motivação maior do que jogar no Mineirinho lotado, contra um grande adversário, e aí está. Chegou a hora de matar a saudade da final. Agora é trabalhar muito forte para conquistar o título, que é o grande objetivo”.

Campeão na última temporada, quando foi apontado como o melhor jogador da Superliga, o central Lucão tem fresco na memória o confronto que decidiu o campeonato, quando ainda atuava pelo RJX e conquistou o título sobre o Sada, no Maracanãzinho. Para ele, o Sesi-SP precisa entrar forte e concentrado, mas com calma e sem afobação.

“Contra eles é um jogo de paciência. No ano passado, entramos muito afobados e tomamos uma surra no primeiro set. Depois, quando pensamos o jogo, tivemos resultado. Tem que entrar com vontade, com garra, manter um ritmo intenso, mas com paciência para conseguir enfrentar o time deles”.

Lucão não quis saber de “missão cumprida” por chegar à final. Para o craque, o Sesi-SP foi montado para vencer e a missão só será finalizada em caso de título.

“O Sesi-SP foi montado para ser campeão, então essa é a nossa missão. Tivemos muito problemas na Superliga por lesões. Perdemos o Evandro num momento extremamente importante. O Renan teve um papel fundamental e segurou a bronca quando mais precisamos dele. Foi assim que o time foi montado, pensando no coletivo. Não importa quem entra ou sai, a equipe mantém a regularidade. E agora é trabalhar na semana. A final é um jogo só, é do time que estiver melhor, mas, com certeza, o Sesi-SP fará de tudo para estar melhor”.

A experiência de Lucão e Sandro contrasta com o debutante em final Lucarelli. O jovem de carreira meteórica no voleibol brasileiro disputará sua primeira decisão de Superliga e logo no seu estado natal. E Lucarelli já deixou claro que embora tenha uma semana inteira antes do jogo, a cabeça já está agitada com a partida do próximo domingo.

“Vai ser uma semana intensa! É a minha primeira final. Bati três vezes na trave e agora finalmente consegui. E isso foi graças ao time, que ajudou demais. Nós somos muito unidos e trabalhamos muito bem juntos. Na semifinal (contra o Campinas), conseguimos reverter os dois sets ruins que fizemos e vencemos bem, no tiebreak, jogando juntos. Agora é estudar o Sada, que é uma equipe fenomenal, e se preparar, pois vai ser um jogão”, afirmou o ponteiro, que terá a chance de ser campeão pela primeira vez jogando diante dos familiares.

“Espero que todos compareçam. Vou chamar todo mundo e será um momento muito feliz para mim. Imagina, disputar a minha primeira final no meu estado natal. Vou fazer o máximo para dar de presente para todo mundo esse título”, concluiu.

A equipe do Sesi-SP treinará nesta terça-feira (08/04) na Vila Leopoldina e segue para Belo Horizonte na quarta-feira (09/04) à tarde. A partir de quinta (10/04), os treinos já serão realizados na capital mineira. A final será domingo (13/04), às 10h, com transmissão da TV Globo.

Sesi-SP vence São Bernardo e se classifica para as semifinais da Superliga Masculina

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp, de São Bernardo do Campo

No segundo jogo das quartas de final dos playoffs da Superliga Masculina entre os times do Serviço Social da Indústria de São Paulo e São Bernardo Vôlei, que aconteceu na noite desta sexta-feira (14/03) no Ginásio Abib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo, o Sesi-SP, que já tinha a vantagem da vitória do primeiro jogo, venceu por 3 sets a 1 (18/21, 21/13, 21/14 e 21/15).

Com o resultado, o Sesi-SP avança para a fase semifinal. O adversário é o Brasil Kirin/ Campinas.

“Começamos o primeiro set mal, mas conseguimos crescer no jogo e fomos um verdadeiro time hoje: um errava, o outro ia lá e cobria. Foi muito bom. Está todo mundo de parabéns”, afirmou o oposto Renan, que chegou à sua primeira semifinal de Superliga e entrou como titular no lugar de Evandro, que se machucou na última partida e não tem data para voltar às quadras.

O oposto Renan se destacou no final da partida, mas equipe ainda precisa de ajustes para se adaptar às mudanças. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Na avaliação do técnico Marcos Pacheco, o time tem que aprender a jogar de novo com a saída do Evandro. “É preciso readquirir um padrão e o Sandro tem que sentir as referências do Renan, que não começou bem, mas depois entrou no jogo e ficou mais tranquilo e entendeu melhor o sistema. Agora temos um tempo para reestruturar o time e encarar a semifinal que, é lógico, é duríssima”, destacou.

O levantador Sandro concorda. Para ele, seu entrosamento com Renan ainda não é o ideal, mas acredita que o oposto ajudou bastante no ataque, saque e bloqueio. “Peças foram mudadas, mas os que entraram, entraram bem”, afirmou Sandro. “Foi um jogo com muitos ralis, algo difícil de acontecer no masculino”, destacou o levantador que acredita que o próximo jogo vai ser ‘uma pedreira’.

Pacheco afirmou que o Sesi-SP fez uma boa partida, embora tenha demorado um pouco para se encontrar em quadra. “Sabíamos que ia ser um jogo duro, como foi o primeiro. O time de São Bernardo é grande e colocou muitas dificuldades, trancando nosso jogo na última partida. E isso se refletiu no primeiro set de hoje também. A partir do segundo set conseguimos imprimir um jogo bom”, disse.

Mudança da estratégia no saque foi fundamental para a vitória. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Na visão dele, a mudança da estratégia no saque foi fundamental para a equipe se encontrar em quadra. “Diminuímos a margem de erros ao trocar o saque mais agressivo, que é uma característica nossa, para um saque mais tático e flutuante. Isso foi importante para que o time conseguisse bloquear e defender e reverter em ponto”, destacou o treinador. “A partir daí tivemos menos dificuldade. Conseguimos minimizar as ações de ataque deles e o poder de virada de bola. Isso ajudou o time a ficar mais tranquilo e soube administrar muito bem. A partir do segundo set fizemos um belo jogo”, afirmou.

O time do Sesi-SP jogou com Sandro, Renan, Lucão, Sidão, Mão e Lucarelli, além do líbero Serginho. Entraram ao longo da partida Thiaguinho, Manius, Murilo. Sidão ganhou o Troféu Viva Vôlei e Lucarelli foi o maior pontuador da partida, com 15 pontos.

A primeira partida da semifinal acontece no próximo dia 25/03, na Vila Leopoldina contra o Brasil/Kirin, de Campinas. O segundo jogo será na casa do adversário, ainda sem data definida. A outra semifinal é a disputa entre os mineiros Sada/Cruzeiro e Vivo/Minas.

O jogo

O primeiro set foi disputado, mas o Sesi-SP teve facilidade para se encontrar em quadra e acabou cometendo diversos erros de saque. Com a entrada de Manius na inversão, ele e Lucão garantiram a virada do Sesi-SP em 12/11, o que levou o time do São Bernardo a pedir tempo. Mas no 13º. Ponto, o adversário empatou e o segundo tempo técnico foi a favor do São Bernardo em 14/13. A vantagem do São Bernardo ficou maior, mas a Largadinha de Lucarelli foi uma jogada inteligente que diminuiu a diferença em 18/16. Marcos Pacheco pediu tempo, mas o Sesi-SP não se recuperou. No set point adversário, Murilo substitui Mão e Sidão desceu o braço para diminuir a diferença para 20/18. Mas o  próprio Sidão sacou na rede e o primeiro set acabou com vitória do São Bernardo, em 21/18, aos 27’20’.

No segundo set, o Sesi-SP saiu na frente. Sandro fez uma linda defesa que garantiu a vantagem no placar, em 04/02. O São Bernardo empatou em 06/06, mas o primeiro tempo técnico foi a favor do Sesi-SP, em 07/06. O São Bernardo passou na frente e foi o bloqueio duplo de Lucão e Renan que empatou o jogo novamente em 09/09. Lucão desceu o braço e garantiu o 10/10. Uma cortada invertida de Manius abriu a vantagem de dois pontos e o Sesi-SP teve o segundo tempo técnico em 14/12. Lucão emplacou no saque e o Sesi-SP deslanchou numa série de acertos. Sidão subiu sozinho na rede e garantiu o 16/12, o que fez o São Bernardo pedir tempo. E junto com Lucarelli, subiram no bloqueio do 17º ponto. No rali mais disputado do set, o Sesi-SP levou a melhor e chegou ao set point com sete -pontos de vantagem. Foi o bloqueio de Lucarelli que encerrou o set com vitória do Sesi-SP em 21/13 aos 21’24’’.

O São Bernardo saiu na frente no terceiro set, mas o Sesi-SP não deu folga. A disputa foi ponto a ponto.  Numa largadinha inteligente, Renan abriu 02/01. E foi novamente o camisa que marcou o terceiro ponto do Sesi-SP. O adversário passou na frente, mas Lucão desceu a mão para garantir o empate em 04/04 e, de novo, para fazer o quinto ponto do Sesi-SP. Lucarelli estourou a bola no bloqueio, que mandou para fora e abriu dois pontos de vantagem. Com o placar em 07/05, o primeiro tempo técnico teve vantagem para o Sesi-SP. O bloqueio triplo de Lucão, Renan e Lucarelli garantiu a vantagem em 09/06. O São Bernardo se aproximou do placar e Marcos Pacheco pediu tempo técnico aos 09/08. Sidão encontrou um buraco no meio da quadra para marcar o 10º. Ponto e com a diferença em 12/08, o time do São Bernardo sofreu alterações. Numa disputa emocionante, o Sesi-SP ficou com a vantagem e levou o tempo técnico em 14/08. A diferença aumentou em favor do Sesi-SP e o 19º. Ponto foi no saque de Renan, quando a bola pingou na rede e caiu na quadra adversária. No set point, Thiaguinho e Mão entraram no lugar de Sandro e Renan, mas o São Bernardo diminuiu a diferença para 20/13, o que levou Pacheco a desfazer as mesmas alterações. Lucarelli fechou o terceiro set em 21×14, aos 23’.

No quarto set, o São Bernardo errou o saque inicial, mas o jogo continuou disputado. O levantador Sandro desceu o braço no terceiro ponto da equipe e com a diferença em 04/02, o time adversário sofreu alterações. O primeiro tempo técnico foi a favor do Sesi-SP, em 07/04. Foram precisos vários bloqueios para segurar o adversário, mas foi Renan, sozinho, que garantiu a bola no chão e o oitavo ponto. O São Bernardo pediu tempo, mas o Sesi-SP continuou na frente e a vantagem cresceu para 10/05. O bloqueio duplo de Sidão e Renan estourou a bola no chão e o Sesi-SP fez o 11º ponto. A o diagonal de Renan levou o time para o segundo tempo técnico em 14/07. Manius acertou em cheio o 15º ponto. O bloqueio adversário segurou a bola de Lucão e, em seguida de Lucarelli, o que diminuiu a diferença para 15/10. Com isso, Pacheco pediu tempo. Em mais uma diagonal, Renan retomou a vantagem em 16/10. Serginho buscou a bola no fundo da quadra, deixando passe para Renan que, mais uma vez, marcou para o Sesi-SP. Aos 18/12, o São Bernardo sofreu alterações. Renan desceu o braço no canto da rede e levou o jogo para match point aos 20/15 e foi o oposto, de novo, que marcou encerrando o set em 21/15 aos 23’.

Sesi-SP é derrotado pelo RJ Vôlei e perde chance de assumir a liderança da Superliga

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, do ginásio da Vila Leopoldina

Jogo teve em 2h06 de duração. Reprodução: SporTV

O time de vôlei masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) perdeu a partida contra o RJ Vôlei por 3 sets a 2, na noite de sábado (22/02), no Ginásio da Vila Leopoldina. As parciais foram de 21/18, 18/21, 20/22, 21/12 e 20/22 em 2h06 de jogo.

Se vencesse, o Sesi-SP assumiria o primeiro lugar na tabela da Superliga, mas com o resultado, a equipe somou apenas um ponto, chegando a um total de 52 – um a menos que o líder Sada Cruzeiro.

Agora, para terminar em primeiro lugar na etapa de classificação, o Sesi-SP precisa vencer o Montes Claros Vôlei (MG), na próxima quarta-feira (26/02), às 19h, no ginásio Tancredo Neves, em Montes Claros (MG), e torcer por uma derrota do Sada Cruzeiro diante do RJ Vôlei, no mesmo horário, no ginásio do Tijuca T.C., no Rio de Janeiro (RJ). O dois jogos valem pela 22ª rodada da Superliga, última antes dos playoffs.

Maior pontuador do confronto, com 34 acertos, o oposto Evandro lamentou o resultado. “Infelizmente, fazer muitos pontos não vale muito se a equipe perde. A equipe do Rio de Janeiro se superou, veio com tudo e conseguiu jogar bem. Nós cometemos muitos erros e o resultado disso foi a derrota.”

Para o técnico Marcos Pacheco, o Sesi-SP falhou como time. “A gente fez uma trajetória e nosso objetivo era chegar em primeiro. Hoje, nós falhamos como time, como grupo. Porque perdemos o jogo e o primeiro lugar, que era algo que a gente queria muito, em casa. O mundo não acabou, mas a minha tristeza hoje é porque não poderíamos ter falhado como time, que é mais triste do que uma falha técnica.”

A formação inicial do Sesi-SP foi com o levantador Sandro, o oposto Evandro, o ponteiro Mão, o central Rogério, o ponteiro Ary, o central Sidão e o líbero Serginho. Também entraram o ponteiro Murilo, o levantador Thiaguinho e o oposto Renan. O RJ Vôlei atuou com Índio, Bob, Rodriguinho, Vini, Riad e Uallas, além do líbero Mário Jr. Entraram: Satiro e Guilherme. O Sesi-SP teve o maior pontuador do confronto, Evandro, com 34 acertos. O ponteiro Rodriguinho, do RJ Vôlei, recebeu o Viva Vôlei.

O jogo

RJ Vôlei venceu quinto set por 22/20. Reprodução: SporTV

Diante de um ginásio lotado, o Sesi-SP liderou o primeiro set do começo ao fim, tendo sempre o RJ Vôlei em seu encalço, com pouca diferença no placar. Mas o Sesi-SP não permitiu a reação do adversário e fechou o set por 21/18.

No segundo set, o jogo seguiu equilibrado e, apesar da vantagem da equipe paulista na maior parte do tempo, o RJ Vôlei conseguiu passar na frente e devolver o resultado do primeiro set, vencendo por 21/18.

O placar continuou apertado no terceiro set e os times chegaram empatados ao 18º ponto. Mas o time do RJ Vôlei levou a melhor e ganhou por 22/20.

No quarto set, o Sesi-SP precisava vencer. Caprichou no ataque, bloqueou tudo e levou a partida para o tie-break, marcando 21/12.

O quinto set foi disputadíssimo, ponto a ponto. Nenhuma das equipes desistiu da vitória e prolongaram enquanto puderam o set, que teoricamente é o mais curto. No fim, deu RJ Vôlei, que venceu por 22/20.

Em Minas, Sesi-SP vence Sada Cruzeiro e mantém chances de liderança da Superliga

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) deu um importante passo para conquistar a liderança na etapa classificatória da Superliga. Atuando na casa do adversário, no ginasio do Riacho, em Contagem (MG), o Sesi-SP venceu na noite deste sábado (15/02) o Sada Cruzeiro por 3 sets a 2 (20/22, 21/16, 21/18, 14/21, 15/08).

Com o resultado, a equipe do técnico Marcos Pacheco soma dois pontos, chegando a 52, a apenas dois do próprio Sada (54), mas com um jogo a mais por realizar. Caso vença sua próxima partida no próximo sábado (22/02), às 21h30, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), diante do RJV, por 3 sets a 0 ou por 3 sets a 1, o Sesi-SP assume a liderança isolada da competição, garantindo vantagem nos playoffs.

Murilo e Lucão bloqueiam ataque do Sada Cruzeiro. Jogadores foram destaques no triunfo em Contagem (MG). Foto: Alexandre Arruda/CBV

A vitória marca o fim de uma sequência de quatro derrotas para o Sada Cruzeiro: duas pelas semifinais da Superliga 2013/14, uma pelo turno da competição deste ano e outra pela final da Copa Brasil, em janeiro deste ano.

O ponteiro Murilo, que ganhou o Troféu Viva Vôlei, como melhor jogador da partida, disse após o jogo que a equipe teve maturidade para superar os momentos difíceis do jogo e que a queda de luz ocorrida no segundo set acabou sendo positiva para o Sesi-SP. Segundo ele, a equipe vai lutar pela liderança. “Enquanto tivermos chances vamos lutar. Faltam dois jogos. Esperamos pelo retorno do Serginho e do Sidão. São reforços importantes para os playoffs.”

O Sesi-SP de Marcos Pacheco atuou com o levantador Sandro, os centrais Rogério e Lucão, os ponteiros Murilo e Lucarelli e o oposto Evandro, além do líbero Lucianinho. Entraram Renan, Thiaguinho, Mão e Ary.

O Sada do técnico Marcelo Mendez entrou com William, Wallace, Éder, Isac, Diaz e Filipe. O líbero foi Serginho. Entraram: Lucas, PV e Kadu.


O jogo

No primeiro set, o Sada começou bem no bloqueio, abrindo 02/00. A equipe mineira manteve a vantagem, aproveitando os ataques até que Evandro empatou o jogo em 05/05 com um ace. Com o central Isac, o Sada fez 07/06 na primeira parada técnica obrigatória. O Sesi-SP virou o jogo e abriu 09/07 em erro do adversário. O Sesi-SP manteve vantagem com Evandro, explorando o bloqueio (11/09). O jogo seguiu equilibrado, com o Sesi-SP chegando na frente na segunda parada (14/13). Na volta, o Cruzeiro virou para 16/15, mas o Sesi-SP retomou a liderança do placar em 19/18. O jogo seguiu disputado ponto a ponto, até que com uma boa passagem de Éder pelo saque, o Sada fechou em 22/20.

No segundo set, o equilíbrio se manteve. Murilo, explorando o bloqueio, fez 04/03, mas o Sada virou com Luis Diaz fazendo 06/04. A partida foi interrompida por uma queda na luz do ginásio do Riacho quando o Sada vencia por 09/06. Depois de quase meia hora de interrupção, o jogo foi retomado. Em passagem de Rogério pelo saque, Sesi-SP empatou com bloqueio de Murilo. O camisa 8 virou depois de um rali, com 12/11. Um cartão vermelho do levantador William ajudou o Sesi-SP a ampliar (13/11). O Sesi-SP manteve o ritmo e com Lucão no saque, abriu quatro pontos (18/14). Com Lucarelli, o Sesi-SP conseguiu um set point (20/15). Em erro de saque de Isac, o Sesi-SP fechou em 21/16 e empatou a partida.

Na volta para o terceiro set, Lucão seguiu bem no ataque e abriu 02/00. O Sada virou para 04/03 com Isac forçando o saque. Rogério, muito bem, fez dois pontos e o Sesi-SP fez 06/05. Depois de um rali, Wallace levou o jogo para a primeira parada técnica do parcial. Mas o Sesi-SP conseguiu retomar as rédeas da partida fazendo quatro pontos seguidos – um deles, com o central Lucão (10/07). O técnico Marcelo Mendez, do Sada, pediu tempo. O Sada reduziu para apenas um ponto e foi a vez de Marcos Pacheco pedir tempo. Lucão, em belo bloqueio, fez 12/10 e, no saque, ajudou a equipe a ir para a segunda parada técnica com 14/10. Com Rogério, o Sesi-SP fez 16/12. Em sequência de saques fortíssimos, Wallace diminuiu para um ponto. Ary entrou no lugar de Lucarelli e o Sesi-SP conseguiu rodar com Rogério (17/15). O ponta Felipe, do Sada, sacou bem e Lucianinho não conseguiu defender, reduzindo para um ponto, mas Lucão retomou a vantagem do Sesi-SP para 19/17. Evandro conseguiu superar bloqueio triplo e o Sesi-SP teve seu primeiro set point (20/17). Marcelo Mendez pediu tempo. Éder reduziu, mas o Sesi-SP teve tranquilidade para atacar e encerrar a parcial em 21/18.

No quarto set, o Sada voltou melhor e conseguiu abrir 07/04. O time mineiro chegou ao segundo tempo técnico com 14/08 em largadinha de Wallace. Com o venezuelano Diaz, pulando atrás da linha de três metros, o Sada abriu 15/09. Os donos da casa seguiram com vantagem de seis pontos e Marcos Pacheco pediu tempo para incentivar o time a se reencontrar na partida. Lucão foi bloqueado por Diaz e o Sada ampliou. A vantagem chegou a oito pontos em ace (19/11). O time mandante chegou ao set point em erro de Mão (20/13). Lucão diminuiu, mas na bola seguinte Isac bloqueou Rogério e o Sada fechou em 21/14.

No quinto set, com Sandro no saque, o Sesi-SP abriu 02/00. Evandro parou no bloqueio de Éder e a contagem ficou empatada. Wallace errou ataque e o Sesi-SP abriu três pontos (05/02). Lucarelli começou a virar bolas e o Sesi-SP foi para a virada de quadra em vantagem: 08/05. Evandro manteve a margem em 09/06. Murilo soube explorar o bloqueio e o Sesi-SP ampliou para 11/07. Um erro de ataque do Sada deixou o Sesi-SP confortável no placar: 12/07. A vantagem subiu para seis pontos em mais um erro dos donos de casa. O match point veio em erro de saque dos mineiros. Coube a Evandro fechar o jogo com 15/08. Sesi-SP 3 sets a 2.

Em jogo de cinco sets, Sesi-SP vence Montes Claros de virada na Superliga masculina

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Lucarelli marcou 20 pontos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Foi mais difícil do que poderia supor a boa torcida que compareceu ao ginásio do Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo (SP). Atuando em casa, a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) superou na noite de sábado (14/12) o time do Montes Claros Vôlei (MG). O placar do jogo foi de 3 sets a 2 (21/15, 20/22, 18/21, 21/13 e 15/13) em 2h15.

O ponteiro Murilo, do Sesi-SP, foi eleito o melhor em quadra e ganhou o Troféu Viva Vôlei – uma escolha do técnico Marcos Pacheco para valorizar o esforço do medalhista olímpico em seu processo de recuperação de uma cirurgia no ombro. A partida foi válida pela décima primeira rodada do turno da Superliga masculina 13/14 de vôlei. Com o resultado, o Sesi-SP acumula nove vitórias em dez jogos na competição.

Para o técnico Marcos Pacheco, o Sesi-SP cometeu um número excessivo de erros. “Montes Claros tem um time muito agressivo e foram competentes na proposta deles. Nós erramos demais. Erramos pontos de ataque, de saque”, analisou Pacheco após a partida.

Lucarelli, um dos destaques do jogo, com 20 pontos, disse que a postura do time deve melhorar para os próximos jogos. “A gente começou sacando muito bem, bloqueando muito bem, depois o bloqueio sumiu. Acho que essa foi a diferença”

De acordo com o central Rogério, a partida foi mais difícil do que imaginava. “A gente não trabalha para jogar do jeito que jogou hoje. O primeiro set a gente jogou muito bem, depois ficamos travados e deixamos eles gostarem do jogo. Mas fico feliz com a vitória.”

O jogo

No primeiro set, o Sesi-SP foi bem no ataque e no bloqueio, fundamental responsável por seis pontos: 21/15.

No segundo set, o Montes Claros soube aproveitar erros do Sesi-SP para empatar a partida: 20/22. A equipe mineira seguiu bem e com o ataque funcionando bem, conseguiu a virada: 18/21.

O Sesi-SP melhorou no bloqueio e conseguiu controlar o jogo até fechar em 21/13. No tie-break, os visitantes chegaram a abrir três pontos de vantagem, mas Lucarelli começou a atacar de todos os lados, levando a equipe à virada. O último ponto foi do central Rogério: 15/13.

Pela Superliga masculina, Sesi-SP derrota Brasil Kirin por 3 sets a 0

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite de sábado (02/11), o time masculino do Serviço Social da Indústria venceu pela terceira vez seguida o do Brasil Kirin/Campinas por 3 sets a 0 (21/15, 21/11 e 21/17) – desta vez pela Superliga masculina 2013/14. O jogo foi realizado no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, em São Paulo.

Sidão e Lucarelli. Bloqueio do Sesi-SP funcionou. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

Com o resultado, o Sesi-SP chega à sexta vitória em seis jogos na competição – bateu o Funvic/Taubaté, UFJF, São Bernardo Vôlei, Voltaço e Kappesberg Canoas. O time do técnico Marcos Pacheco é o terceiro na tabela de classificação, com 17 pontos, um atrás do líder Sada Cruzeiro e do vice-líder RJX.

Depois de superar o Brasil Kirin duas vezes consecutivas pelo Campeonato Paulista, o Sesi-SP não perdeu a concentração, pressionando a equipe visitante desde o início de cada set, com saques demolidores de Evandro e Lucão, e bem em todos os fundamentos. O bloqueio funcionou, a linha de passe distribuiu a bola na mão do levantador e Sandro variou bem as jogadas.

Evandro, oposto do Sesi-SP, com o goleiro Cássio. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

“A gente está numa sequência boa. Conseguimos jogar bem, muito bem”, comentou o oposto Evandro depois de receber o troféu Viva Vôlei das mãos de um convidado especial: o goleiro Cássio, do Corinthians. O reconhecimento é concedido ao atleta melhor em quadra em escolha do treinador da equipe vencedora – Marcos Pacheco, no caso.

“Foi uma vitória importantíssima, que dá confiança. Foram duas semanas duríssimas, com três jogos por semana, mas está todo mundo de parabéns”, disse o central Sidão.

Uma das novidades do jogo foi a camisa customizada usada pelo líbero Serginho, em alusão ao apoio do Sesi-SP ao movimento Novembro Azul, alertando para a necessidade do exame de prevenção ao câncer de próstata.

O Sesi-SP entrou com Sandro, Ary, Sidão, Lucão, Evandro, Sidão e Serginho (líbero). Entraram Renan, Thiaguinho e Rogerio.

A equipe volta às quadras pela Superliga somente no último dia do mês (30/11), às 19h30, no ginásio Chico Neto, onde enfrenta o Moda Maringá (PR).

O jogo

Serginho - Vôlei

Serginho com camisa em alusão à campanha "Novembro Azul". Foto: Lucas Dantas

O primeiro set começou equilibrado. Alexandre Rivetti, técnico do Brasil Kirin, surpreendeu ao escalar Bergamo e Mineiro. Lucão, pelo meio de rede, levou o jogo para a primeira parada técnica: 07/06. Bem nos fundamentos, o Sesi-SP fez 10/07 com Lucarelli, em ponto de bloqueio. Lucão soltou o braço, a recepção devolveu e Lucarelli matou o ponto (15/08). Depois de uma sequência de pontos dos visitantes, que reduzira a diferença para 17/12, o técnico Marcos Pacheco pediu tempo. O Sesi-SP  voltou a rodar e o oposto Renan fechou o jogo em 21/15.

No segundo set, o Sesi-SP seguiu com ritmo forte no saque e bem em todos os fundamentos – a vantagem chegou a sete pontos quando Sidão, pelo meio, levou o jogo para a segunda parada técnica obrigatória. O set point veio com um ace de Evandro: 20/11. Um erro de Bergamo, do Brasil Kirin, decretou o fim do parcial: 21/11.

O terceiro set começou mais equilibrado depois de uma mudança na equipe visitante, que escalou o oposto Rivaldo, preterido na formação inicial. Lucão, que vinha bem no saque e no ataque, fez um ponto de bloqueio para levar o jogo para a primeira parada obrigatória do terceiro set. A vantagem aumentou depois de um erro de recepção do Brasil Kirin: Sandro não perdoou e fez o 08/05. Na segunda parada técnica, o técnico Marcos Pacheco, percebendo o risco de a equipe diminuir o ritmo, pediu mais concentração aos jogadores. Deu certo e a equipe conseguiu rodar até abrir cinco pontos de diferença em bloqueios de Lucarelli (17/13) e Sidão (18/13). Foi o suficiente para fechar o jogo com tranquilidade, em bola do ponteiro Ary: 21/17 e 3 sets a 0.

>> Conheça o elenco da equipe masculina do Sesi-SP 

Sesi-SP conhece datas das semifinais contra o Sada Cruzeiro pela Superliga masculina

Agência Indusnet Fiesp 

Depois da classificação no sábado (16/03), quando derrotou o Canoas, a equipe de vôlei do Sesi-SP já sabe as datas dos confrontos com o Sada Cruzeiro pelas semifinais da Superliga masculina 2012/13.

A disputa acontece em sistema de série melhor de três. O primeiro jogo está marcado para sábado (23/03), às 21h30, no ginásio do Riachão, em Contagem (MG), com transmissão do canal de TV paga Sportv.

A data da segunda partida está programada para o outro sábado (30/03), no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, às 10h. A transmissão é da Rede Globo.

Havendo necessidade de um terceiro confronto, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) reservou a primeira sexta-feira do mês de abril (05/04), às 21h30, para a decisão.A transmissão é do Sportv.

O vencedor do duelo entre os campeões das duas últimas temporadas da Superliga – Sesi-SP (2010/11) e Sada Cruzeiro (2011/12) – enfrenta na final o melhor entre RJX e Vivo/Minas.

Em noite de Murilo, Sesi-SP vence Canoas e conquista vaga na semifinal da Superliga

Juan Saavedra e Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Com uma atuação memorável de Murilo, a equipe do Sesi-SP superou neste sábado (16/03), em São Paulo, o Móveis Kappesberg/Canoas por 3 sets a 0 (25/23, 26/26 e 25/21 no último jogo da série melhor de três válido pelas quartas de final da Superliga masculina 2012/13.

Murilo e Aracaju marcaram 10 pontos (seis e quatro, respectivamente) no bloqueio. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp.

Com o resultado, o Sesi-SP avança para as semifinais. Enfrenta na próxima fase o Sada Cruzeiro, atual campeão da Superliga, também no sistema melhor de três. A ordem das partidas ainda não foi definida, mas a vantagem de mando de quadra em uma possível terceira partida é da equipe mineira, que cumpriu melhor campanha na fase de classificação.

No tira-teima com o Canoas, o ponteiro Murilo foi o maior pontuador, com 18 acertos – 12 de ataque e seis de bloqueio. O ponteiro Cléber fez 11. O jovem central Aracaju também se destacou, com 10 pontos – quatro de bloqueio. O oposto Lorena, com oito pontos, brilhou em outro fundamento: a defesa, salvando oito bolas.

“Jogamos bem durante os três sets e controlamos bastante o jogo”, comentou Murilo ao final da partida.  “Hoje eu estava bem lúcido e consegui colocar em prática tudo aquilo que eu treinei durante a temporada. A maioria dos golpes entrou. Chamei um pouco a responsabilidade e o [levantador] Sandro me deixou em boas condições. Acho que foi a minha melhor partida [na Superliga]”, completou o camisa 8.

Murilo ataca e supera o irmão Gustavo. Camisa 8 do Sesi-SP fez 12 pontos de ataque. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

De acordo com Lorena, a semifinal com o Sada Cruzeiro será uma batalha. “Vamos ‘remar’ para chegar à final e tentar o nosso objetivo que é ser campeão”, acrescentou o oposto.

Na opinião do gestor de voleibol do Sesi-SP, José Montanaro, a equipe mostrou uma evolução na terceira partida diante do Canoas. “Nosso time hoje jogou muito bem. A equipe de Canoas jogou de forma muito consistente, jogou bravamente. Foi 3 a 0, mas tivemos que jogar muita bola para vencer. O Murilo se superou. Na minha opinião, foi a melhor partida do Murilo na Superliga até agora. Serginho foi excelente. O Aracaju, que entrou para substituir Sidão e Tiago Barth [ambos recuperando-se de lesões],  foi muito bem. Nossa equipe está crescendo na parte mais importante do campeonato.”

O jogo

Murilo e Serginho comemoram. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

No início do primeiro set, o Canoas não cometeu erros e chegou a abrir dois pontos (05/03) quando uma bola de Lorena tocou na antena. Murilo, de bloqueio, empatou (05/05), mas o Canoas chegou ao primeiro tempo técnico na frente (08/07). Na volta, o Canoas fez 13/10, forçando pedido de tempo de Giovane Gávio. O Sesi-SP encostou com uma bola rápida do central Aracaju. Foi a vez de Paulão pedir tempo. O garoto revelado na base do Sesi-SP prosseguiu bem e empatou a contagem (14/14). No ponto seguinte, depois de uma bela defesa de Lorena, Murilo botou a bola no chão. O ponteiro do Sesi-SP prosseguiu bem e fez mais um de bloqueio (16/15). No retorno da segunda parada obrigatória, o Sesi-SP manteve a regularidade e abriu sua maior margem no placar. Aracaju fez de bloqueio depois de outra defesa salvadora de Lorena (18/15). Sandro variou as jogadas, acionando Cléber pela ponta (19/16) e Aracaju pelo meio (20/17). O Canoas não se intimidou e buscou o empate (22/22), preocupando a torcida. Mas o Sesi-SP manteve a calma e fechou com mais um ponto de bloqueio de Murilo (25/23) em 32 minutos.

No segundo set, um erro de Minuzzi na largadinha deixou o Sesi-SP abrir um 03/01, o que provocou um pedido de tempo de Paulão. O Sesi-SP manteve a dianteira e chegou ao primeiro tempo técnico com três pontos de vantagem (08/05). Na volta, a margem subiu para cinco pontos (11/06). O Canoas subiu e rendimento e reduziu para dois pontos, mas um Murilo inspirado no bloqueio fez o Sesi-SP ganhar um ponto importante (15/12). O mesmo Murilo, com ótimo tempo de bola no bloqueio, fez 17/12. O Canoas não se entregou e, depois de dois pontos seguidos de Éder, encostou novamente no placar (20/22). Lorena cravou uma bola (22/33), mas os visitantes chegaram duas vezes ao empate (23/23) e (24/24). O Sesi-SP não se perturbou e fechou o set em bloqueio de Aracaju: 26/24 em 36 minutos.

Serginho vibra com a torcida. Foto: Fiesp

A exemplo dos demais, o terceiro set também começou com troca de pontos de lado a lado. Sandro continuou mostrando confiança no central Aracaju, que fez o 06/05. O Canoas, muito determinado, foi para o primeiro tempo técnico com vantagem mínima (08/07). O time gaúcho manteve essa margem mínima e fez 17/16 depois da segunda parada obrigatória, mas o Sesi-SP não se abalou e virou para 23/20 em ponto de bloqueio. O primeiro match point veio com o camisa oito, Murilo (24/21). Muito concentrado em todos os fundamentos, o Sesi-SP fechou em 30 minutos: 25/21.

>> Veja as estatísticas do jogo

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

>> Leia mais notícias do Sesi-SP Esporte

Superliga: Sesi-SP dá o troco em Canoas e decide vaga nas semifinais em casa

Agência Indusnet Fiesp

Depois de perder o primeiro jogo, em casa, o Sesi-SP bateu o Canoas (RS) nesta quinta-feira (14/03), na casa do adversário, no ginásio Unilasalle, por 3 sets a 2 (25/23, 19/25, 25/23, 18/25 e 15/13) em confronto válido pela série melhor de três das quartas de final da Superliga masculina de vôlei 12/13.

O resultado empatou a série e forçou um terceiro jogo no próximo sábado (16/03), às 21h30, no ginásio Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), com transmissão do canal Sportv. O Sesi-SP tem vantagem de jogar em casa por ter ficado em melhor posição na tabela de classificação – foi o terceiro enquanto o time gaúcho ficou em sexto.

Sandro levanta para a finalização de Aracaju. Foto: Everton Amaro.

 

Em Canoas, destaque para Eder, autor do ponto final depois de 3h03 de jogo. O central fez 15 pontos e foi eleito o melhor da partida e saiu de quadra com o Troféu VivaVôlei. O oposto Bergamo, do Canoas, foi o maior pontuador da partida, com o total de 21 acertos. Lorena liderou a pontuação pelo Sesi-SP, seguido por Murilo, com 16. Cléber fez 13.

De acordo com o levantador Sandro, a equipe agora tem que aproveitar para descansar, de olho no jogo de sábado. “Hoje, a equipe mais uma vez mostrou que se supera. A molecada vem entrando e dando conta. Eder jogou demais. O pessoal do banco tem entrado e tem ajudado. Para sábado é mais uma guerra. E a gente está vivo.”

Eder fez o ponto que definiu o jogo. Foto: Everton Amaro.

O Sesi-SP de Giovane Gávio atuou com Sandro, Lorena, Eder, Aracaju, Murilo e Cléber. Serginho jogou de líbero. Entraram Everaldo, Mão, Ary, Tarcísio e Léo Mineiro.

O Canoas do técnico Paulão jogou com Jotinha, Bergamo, Gustavo, Salsa, Minuzzi e Dentinho. De líbero, Jeffe. Entraram Xanxa, Rafinha, Boskinho e Enoch.

O jogo

O Sesi-SP foi para a primeira parda técnica em desvantagem e o Canoas continuou melhor, chegando a abrir cinco pontos de vantagem (15/10). O empate veio com o oposto Lorena (17/17). Os donos chegaram ao 20/17, mas em ponto no contra-ataque, o Sesi-SP empatou mais uma vez (22/22), virando para fechar em 25/23.

No segundo set, o Sesi-SP foi para a parada obrigatória com uma pequena margem (08/07). Quando o Canoas vencia por 12/10, houve uma queda de energia no ginásio Unilasalle e a partida ficou paralisada por aproximadamente 15 minutos. Na retomada da partida, o Canoas ampliou para 18/12 e a margem confortável foi mantida: 25/19.

No terceiro set, o levantador Sandro subiu para marcar, de bloqueio, o ponto que levou os dois times para a parada obrigatória (08/05). Eder fez de contra-ataque para colocar o Sesi-SP com quatro de vantagem (15/11). Bem no bloqueio, os donos da casa reduziram para um ponto (18/17). A parcial seguiu disputada ponto a ponto e o Sesi-SP venceu por 25/23.

Murilo marcou 16 pontos. Foto: Everton Amaro

No quarto set, o Sesi-SP começou melhor, mas o Canoas empatou (07/07). O Sesi-SP abriu dois de diferença (11/09), mas, em ace de Gustavo, a equipe gaúcha virou (13/12). O Canoas chegou a 18/15 e o técnico do Sesi-SP, Giovane, pediu tempo. Mais regular, o Canoas fechou em 25/18 depois de mais um ace de Gustavo.

O Sesi-SP manteve a tranquilidade e comandou o placar no tie-break. Fez 04/01 e, na virada de quadra, com o ace do central Eder, fez 08/04. No bloqueio do central Aracaju, o Sesi-SP ampliou a diferença para cinco pontos: 10/05. O Canoas diminuiu para um ponto na reta final (13/12), mas o Sesi-SP soube fechar o jogo, em lance do central Eder – 15/13 e 3 sets a 2.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

Superliga masculina de vôlei: Sesi-SP perde em casa e precisa vencer em Canoas para forçar jogo de desempate

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

No duelo dos irmãos Endres, melhor para o mais velho da família. Em jogo de três horas de duração no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, a equipe do Sesi-SP, de Murilo (31 anos), foi derrotada pelo time do Canoas (RS), de Gustavo (37 anos), por 3 sets a 2 (25/21, 17/25, 22/25, 25/20 e 15/12), na primeira partida da série melhor de três pelas quartas de final da Superliga masculina de vôlei 12/13.

Irmãos Gustavo (do Canoas, saltando, de tênis branco) e Murilo Endres (camisa 8 do Sesi-SP), ambos medalhistas olímpicos, fizeram duelo à parte no confronto entre Sesi-SP e Canoas, Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Com o resultado, o Sesi-SP tem a obrigação de vencer o adversário na quinta-feira (14/03), às 18h, em Canoas, para forçar uma terceira partida.

O eventual desempate está programado para sábado (16/03), às 21h30, na casa do Sesi-SP, que teve melhor campanha na fase classificatória e, por isso, tem a vantagem de mandar dois jogos em São Paulo.

Na análise de Gustavo Endres, maior pontuador do jogo, com 21 acertos, o Canoas teve paciência.  “A gente acreditou até o fim. Acho que eles sentiram um pouco a ausência do Sidão e do Tiago Barth. Não que o Aracaju e o Eder tenham jogado mal, jogaram muito bem, mas [Sidão e Tiago Barth] são peças importantes para a equipe”, disse o central, que marcou seis pontos a mais que o irmão Murilo (15).  O oposto Anderson Menezes, o Xanxa, foi eleito o melhor em quadra e recebeu o Troféu VivaVôlei.

Segundo o levantador Sandro, o Sesi-SP não pode tomar quatro pontos seguidos como ocorreu no quarto set.“Estávamos dois, três pontos na frente, e o Xanxa encaixou uma boa sequência de saques”,  lamentou. “Agora temos que vencer lá em Canoas”, completou.

Já o oposto Lorena, que marcou 13 pontos, acredita que a equipe se desconcentrou no final do jogo. “Eu acho que a gente perdeu o foco. Agora é tudo ou nada em Canoas porque a gente tem obrigação de fazer a semifinal”.

A equipe do técnico Giovane Gávio entrou com Sandro, Lorena, Aracaju, Éder, Murilo e Cléber, além do líbero Serginho. Entraram durante a partida Everaldo, Léozão, Mão e Ary. O Canoas do técnico Paulão atuou com Jotinha, Bergamo, Gustavo, Salsa, Minuzzi e Dentinho, além do líbero Jeff. Entraram Rafinha, Xanxa e Boskinho.

O jogo

Murilo marcou 15 pontos. Aracaju, com 13, foi um dos destaques do Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

No primeiro set, o Canoas começou sacando muito forte, sem desperdiçar pontos de ataque, e chegou à primeira parada técnica com 08/04. O panorama do jogo seguiu parecido até que uma queda de luz no ginásio da Vila Leopoldina, decorrente de uma forte chuva na zona oeste de São Paulo, interrompeu a partida por pelo menos 20 minutos quando o placar marcava 15/10 para os visitantes. Na volta, o Sesi-SP marcou quatro pontos seguidos, aproveitando boa sequência de Éder no saque. Os times foram para a segunda parada obrigatória com 16/14 para os gaúchos, que na sequência abriram três (18/15) depois de ponto contestado pelos atletas do Sesi-SP. Giovane colocou Leozão em quadra. Os gaúchos abriram cinco pontos novamente (23/18), mas Murilo diminuiu para 23/20. Os visitantes mantiveram a tranquilidade e fecharam a parcial em largadinha de Xanxa, com 52 minutos.

No segundo set, o Sesi-SP voltou mais ligado e marcando as jogadas do Canoas. Os irmãos duelavam na rede, com pontos alternados de Gustavo e de Murilo. Lorena, mais acionado, fez dois pontos seguidos e levou o jogo para a primeira parada técnica (08/03). Na sequência, o Sesi-SP continuou melhor, com Sandro variando bem as jogadas, ora com Lorena, ora com Cléber. Éder aumentou a diferença para 13/07 em ponto de saque. O segundo tempo técnico veio com Murilo, depois de passe de Cléber para Sandro: 16/09. Mesmo com o pedido de tempo do técnico do Canoas, Paulão, quando o marcador apontava 18/09, o panorama não mudou e a diferença foi mantida em largadinha de Lorena: 20/11. O Canoas melhorou o rendimento e reduziu para seis (23/17). Giovane Gávio colocou em quadra o levantador Everaldo e o oposto Leozão e, em bloqueio simples de Murilo, o Sesi-SP fechou em 25/17 em 31 minutos.

Sesi-SP chegou a ter três pontos de vantagem sobre o Canoas quando o quarto set se encaminhava para a reta final. Foto: Helcio Nagamine

O terceiro set começou com o equilíbrio não visto nas parciais anteriores. A primeira parada técnica veio com ligeira vantagem do Canoas: 08/07. O Sesi-SP virou para 10/09 em ponto de Murilo que começou depois de um belo bloqueio de Aracaju. O Canoas reverteu para 13/11, forçando um pedido de tempo de Giovane Gávio. O Canoas manteve o ritmo e foi com dois pontos de margem para a segunda parada obrigatória (16/14). Melhor no bloqueio, o Sesi-SP empatou em 17/17 e virou com pontos seguidos do central Aracaju, que fez o 19/18 e o 20/18. Éder conquistou o set point e os donos da casa fecharam e 25/22, em 32 minutos, depois de erro de ataque dos visitantes.

No quarto set, as equipes começaram alternando pontos, com vantagem pequena para o Canoas: 08/06. Cléber, em seu melhor momento na partida, fez um ponto e foi para o saque forçado, levando o Sesi-SP ao empate (11/11) e a uma vantagem de três pontos: 14/11. Paulão pediu tempo, mas o Sesi-SP manteve a distancia na segunda parada técnica: 16/13. Um ponto de Murilo (18/15) depois de um longo rali parecia o prenúncio de uma vitória já no quarto set. O Canoas, no entanto, começou a forçar o saque e acertar o bloqueio, empatando a partida (19/19). O veterano central Gustavo, campeão olímpico em 2004, foi acumulando pontos, inclusive bloqueando o irmão Murilo (20/19). E foi a vez de Xanxa, que estava no banco, entrar e fazer a diferença no saque, virando o placar e fechando o set em 25/20, em 31 minutos, com ponto consignado após cartão amarelo para o Sesi-SP. A contagem estava em empatada em 2 sets a 2.

Depois de ganhar apenas dois dos nove pontos finais disputados no set anterior, a confiança do Sesi-SP parecia abalada no início do quinto set. O Canoas continuou sacando bem e abriu 03/00. Giovane colocou Everaldo e Tiago Wesz (Mão) em quadra, mas a equipe gaúcha continuou sem desperdiçar oportunidades e fez 08/04. A diferença chegou a cinco pontos, mas um contra-ataque aproveitado por Cléber fez o Sesi-SP voltar ao jogo, forçando um pedido de tempo de Paulão (11/08).  O Canoas obteve o primeiro match point ao marcar o 14/10. O Sesi-SP esboçou uma reação, marcando dois pontos seguidos (14/12). Mas na terceira chance para fechar o jogo, os visitantes confirmaram a melhor atuação, fechando em 15/12 e 3 sets a 2.

Veja as estatísticas da partida no site da CBV: Sesi-SP 2 x 3 Canoas Vôlei

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

Sesi Vila Leopoldina recebe dois jogos pelos playoffs da Superliga de vôlei

Equipes disputam playoffs da principal competição do esporte no Brasil. Fotos: Everton Amaro

Agência Indusnet Fiesp

Treze medalhistas olímpicos entram em quadra neste final de semana no Sesi Vila Leopoldina, em compromissos válidos pela Superliga 2012/13 de vôlei – principal competição da modalidade esportiva em nível de clubes no Brasil.

Na sexta (08/03), às 21h, pela fase semifinal, o Sesi-SP de Tandara, Fabiana Claudino, Dani Lins, Sassá e Carol Albuquerque enfrenta o Unilever/Rio de Janeiro de Fabi, Fofão, Natália e Waleska.

No sábado (09/03), às 18h, é a vez dos homens. O Sesi-SP de Serginho, Murilo e Sidão recebe o Canoas de Gustavo Endres pelas quartas de final.

O Sesi Vila Leopoldina fica na Rua Carlos Weber, 835, Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo. Os ingressos para o público em geral, em número limitado, são distribuídos a partir de 1h30 antes do horário do início dos jogos, obedecendo a ordem de chegada ao local. As duas partidas têm transmissão do Sportv.

Segundo jogo

Pelo regulamento da competição, avança a equipe que somar duas vitórias na série melhor de três, com pelo menos dois jogos (ida e volta).

Na Superliga feminina, depois de eliminar o Banana Boat/Praia Clube, o Sesi-SP tenta largar com vantagem nas semifinais. Se vencer, a equipe comandada pelo técnico Talmo de Oliveira tem a chance de assegurar uma vaga na final já no segundo jogo, marcado para o outro sábado (16/03), às 10h, no Maracanãzinho, no Rio. Um possível terceiro jogo de desempate também acontecerá na casa das adversárias.

Na Superliga masculina, o time comandado por Giovane Gávio precisa de um bom resultado para viajar a Canoas (RS) com a possibilidade de encerrar a série melhor de três já na quinta-feira (14/03), às 18h. Em caso de desempate, a vantagem de mandar a partida é do Sesi-SP.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

Sesi-SP bate Volta Redonda e enfrenta Canoas nos playoffs da Superliga masculina

Tiago Wesz, o Mão, recebeu o Troféu Viva Vôlei: Foto: Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

O Sesi-SP precisou de 2h40 para superar o Volta Redonda por 3 sets a 2 (25/22, 21/25, 21/25, 25/21 e 15/13), em jogo na noite de sábado (02/03), na casa do adversário, válido pela 11ª rodada do returno da Superliga masculina 2012/13.

A rodada com seis jogos simultâneos definiu o adversário do Sesi-SP nas quartas de final. É a equipe do Canoas (RS). Os playoffs já têm datas programadas (dias 9 e 12 e março), mas ainda sem locais definidos. Se houver necessidade de um desempate, o Sesi-SP tem a vantagem de mandar a terceira partida em casa, no ginásio da Vila Leopoldina, no dia 16 de março.

O triunfo sobre o Volta Redonda, na Ilha de São João, rendeu dois pontos ao Sesi-SP. O time encerrou a etapa classificatória totalizando 47 pontos em 22 jogos, com 16 vitórias e seis derrotas.

Com o terceiro lugar definido antecipadamente, o técnico Giovane Gávio preferiu poupar cinco jogadores de sua formação titular: os ponteiros Murilo e Cléber, o oposto Lorena, o central Sidão e o líbero Serginho.

O ponteiro da equipe de São Paulo, Tiago Wesz (Mão), recebeu o Troféu Viva Vôlei. O ponteiro do time do Volta Redonda, Vini, foi o maior pontuador, com 22 acertos.

Giovane Gávio escalou o Sesi-SP com Sandro, Tiago Barth, Leozão, Tiago Wesz (Mão), Eder e Ary. Lucianinho jogou como líbero. Atuaram Léo Mineiro, Aracaju, Everaldo, Wagner Silva e Tarcisio Guinter.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

Superliga masculina: Sesi-SP vence Funvic/Midia Fone e confirma 3º lugar uma rodada antes dos playoffs

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Líbero Serginho recebeu o Troféu Viva Vôlei em Pindamonhagaba. Foto: Alexandre Arruda/CBV/Arquivo

Enfrentar o lanterna não facilitou em nada a missão do time masculino do Sesi-SP no confronto desta quinta-feira (28/02) com o Funvic/Midia Fone, válido pela 10ª rodada do returno da Superliga masculina 2012/13.

Jogando no ginásio Juca Moreira, em Pindamonhangaba (SP), o Sesi-SP teve que jogar cinco sets para bater o time da casa – atual 12º (e último) colocado na competição – por 3 sets a 2 (25/19, 19/25, 25/19, 21/25 e 15/11), em 2h37.

Com os resultados da rodada, o Sesi-SP chega aos 45 pontos e confirma o terceiro lugar na fase classificatória da Superliga, sem possibilidades matemáticas de alcançar o atual segundo colocado (Sada Cruzeiro, 49 pontos) ou de ser superado pelo quarto colocado (Vivo/Minas, 40).

Na próxima rodada, última do returno, no sábado (02/03), o Sesi-SP enfrenta o Volta Redonda, também fora de casa. Só aí conhecerá o adversário dos playoffs. A definição está entre as três equipes que podem terminar na sexta colocação: Vivo-Minas (4º), Canoas (5º) e Medley/Campinas (6º).

Em Pindamonhangaba, o oposto do time da casa, Alexsandro Nascimento, foi o maior pontuador do duelo, com 21 pontos. Lorena, oposto do Sesi-SP, fez 20 pontos. Cléber, com 16 pontos de ataque e três de saque, foi um dos destaques. O central Éder somou nove pontos.

Serginho, líbero do Sesi-SP com três medalhas olímpicas, ficou com o Troféu VivaVôlei. O jogo marcou a volta de Sidão, que não atuara no sábado (23/02) na vitória ante o Imperatriz Vôlei.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

Na Superliga masculina, Sesi-SP vence Imperatriz, mas perde chance de aproximação do pelotão de frente

Talita Camargo e Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

O primeiro set deu a impressão de que o Sesi-SP – na terceira colocação da Superliga masculina 2012/13 – não teria muitas dificuldades para superar o Super Imperatriz Vôlei (penúltimo colocado), em compromisso na tarde de sábado (23/02), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. Mas a equipe catarinense teve uma atuação acima da média e o Sesi-SP precisou de cinco sets para fechar a partida por 3 sets a 2 (25/21, 14/25, 22/25, 25/16 e 15/12). O jogo valeu pela nona rodada do returno da Superliga.

A vitória apertada levou o Sesi-SP aos 43 pontos, perdendo a chance de uma maior aproximação das equipes que ocupam o topo da tabela. Com a vitória do Sada Cruzeiro (2º colocado, agora com 46 pontos) sobre o RJX (1º colocado, 47 pontos) também por 3 sets a 2, a equipe mineira manteve a vantagem de três pontos sobre o Sesi-SP. Pelo regulamento, jogos terminados com o placar de 3 sets a 2 conferem dois pontos ao vencedor e um ao derrotado.

Murilo, ponteiro do Sesi-SP, foi o maior pontuador da partida, com 22 acertos. Lorena fez 17 pontos e Thiago Barth, 10. O troféu VivaVôlei, de melhor da partida, ficou com o levantador Gelinski, do Super Imperatriz Vôlei. O ponteiro Léo foi o maior pontuador visitante, com 18 acertos.

Jogo de cinco sets teve 2h25 de duração. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Na visão do oposto Lorena, que definiu a partida no último ponto com um ataque pela saída da rede, o time do Sesi-SP precisa corrigir os erros para chegar bem na fase de playoffs, que começam em março.

“Vencemos o primeiro set, mas no segundo não entramos para jogar porque achávamos que iríamos vencer fácil. No terceiro, estávamos vencendo e não sei o que aconteceu: deu um branco e perdemos. Acabamos vencendo o jogo, mas essa vitória está com gosto de derrota”, afirmou Lorena. “Não desmerecendo a equipe adversária, mas deixamos um pouco a desejar. Vacilamos demais e isso não pode acontecer com uma equipe do nível da nossa”, concluiu o oposto do Sesi-SP.

Para o central Éder, que voltou ao time depois de quatro rodadas afastado por lesão, o jogo foi de muitos altos e baixos para o Sesi-SP. “Em vários momentos a gente estava jogando bem, com certa vantagem e diferença de pontos muitos grande, mas deixamos que eles encostassem e ultrapassassem, principalmente no terceiro set, que perdemos por bobeira nossa”, explicou, acrescentando que a equipe precisa corrigir essas falhas. “Temos que trabalhar muito para não cometermos esses erros de novo nos playoffs”, afirmou.

O camisa número 5, Sandro, que voltou às quadras no último confronto da Superliga, concorda que o time da indústria cometeu muitos erros na partida deste sábado. “Nossa equipe vacilou demais, perdeu a cabeça em alguns momentos, o que não pode acontecer, principalmente lá na frente nos playoffs.”

O próximo confronto do Sesi-SP será contra o Funvic/Midia Fone (SP), em Pindamonhangaba (SP), na quinta-feira (28/02), às 20h, com transmissão ao vivo pelo site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).


O jogo

O primeiro set foi um indício de que o time de Florianópolis não iria facilitar. O ponteiro do Imperatriz, Léo, que terminaria a partida com 18 pontos, superava o bloqueio do Sesi-SP. Do lado dos donos da casa, Cléber começou bem, marcando três pontos logo no inicio. As equipes foram para a primeira parada obrigatória com ligeira vantagem dos visitantes: 08/07. Na volta, o Sesi-SP conseguiu virar e abrir três de vantagem, mas o Imperatriz empatou (15/15). Tiago Barth, bem no jogo, fez o ponto da segunda parada técnica (16/15). O ponto mais bonito só primeiro set foi em contra-ataque: depois de bela defesa de Serginho, Murilo levanta no fundo da quadra e Cléber finaliza (20/18). Giovane Gávio colocou em quadra o levantador Everaldo e Leozão. O primeiro set foi encerrado em um erro do adversário: 25/21.

O segundo set começou equilibrado (04/04), mas o time de Florianópolis chegou ao primeiro tempo técnico obrigatório na frente (08/06). A vantagem foi ampliada para cinco pontos em ataque de Léo (16/11). “Vamos buscar esse jogo que ainda dá”, pediu o técnico do Sesi-SP, Giovane Gávio. Mas o Imperatriz foi soberano e construiu uma diferença inacreditável: 25/14 e jogo empatado com um set para cada lado.

Murilo (camisa 08) liderou a pontuação do jogo, com 22 acertos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

No terceiro set, depois de um início equilibrado, com o Sesi-SP chegando à primeira parada técnica com apenas um ponto de vantagem (08/07), a equipe da casa parecia que ia deslanchar e abriu 11/08 com um bloqueio do central Eder. O Sesi-SP ampliou para cinco pontos na segunda parada obrigatória (16/11), mas daí em diante a equipe catarinense começou a forçar o saque, quebrando a recepção paulista. Em erro de Lorena, a diferença caiu para dois pontos, levando Giovane a pedir tempo.

O Imperatriz empatou (20/20) e Giovane substituiu Cléber pelo ponteiro-passador Ary. Em seguida, Everaldo entrou no lugar de Sandro. O Sesi-SP só conseguiu pontuar depois sete acertos seguidos do adversário. Melhor em quadra, o Imperatriz fechou em 25/21 e fez 2 sets 1 para a incredulidade da torcida na Vila Leopoldina – da segunda parada técnica em diante o Sesi-SP acerta apenas cinco pontos contra 14 do adversário.

Num gesto de fair play, Giovane Gávio escolheu um adversário como o melhor em quadra, o levantador Gielinski.. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

O Sesi-SP voltou para o quarto set mais determinado e forçou um pedido de tempo adversário ao abrir quatro ponto de vantagem logo no início (05/01). A vantagem subiu para seis pontos na parada obrigatória (08/02) em ataque de Ary. O capitão Murilo começou a mostrar o talento de quem foi eleito o melhor do mundo no campeonato mundial de 2010 e MVP dos Jogos Olímpicos Londres-2012. O Sesi-SP manteve a vantagem de seis pontos na segunda parada (16/10), em ponto de bloqueio de Éder e abriu margem de 12 pontos (23/11) em ataque de Murilo. O set point veio com mais um ponto do capitão do Sesi-SP (24/11). O Imperatriz ensaiou uma reação, mas a vantagem era imensa e Murilo explorou o bloqueio para fazer 25/16 e empatar a partida: 2 sets a 2. O ponteiro-passador fez nove pontos somente no quarto set.

No tie-break, o Sesi-SP teve dificuldades com o saque forçado do Imperatriz, que abriu 03/01. O Sesi-SP virou com Murilo (06/05) depois de uma bola resgatada no fundo por Lorena, em ponto muito festejado. As equipes viraram de quadra com o Sesi-SP em vantagem (08/06), mas o time de Florianópolis mostrou que estava vivo no jogo e empatou (09/09). Murilo fez 10/09 e Eder consertou uma bola levantada fora do tempo para abrir dois pontos (12/10). O match point veio com o oposto Lorena (14/11), que definiu o jogo com ataque pela saída de rede (15/12).  Vitória por 3 sets a 2 em duas horas e vinte cinco minutos de partida.

Veja as estatísticas do jogo no site da CBV