Sesi-SP luta, mas se despede da Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) encerrou na noite desta sexta-feira (10/04), em Osasco, sua participação na Superliga Feminina 2014/2015. Jogando fora de casa, o time sofreu sua segunda derrota para o Molico/Nestlé por três sets a zero na série melhor de três pelas semifinais do campeonato. As parciais foram de 25/21, 25/17 e 25/14).

Ao final do jogo, o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, ressaltou a boa temporada que a equipe realizou.

“Esse jogo não vai apagar o que fizemos nessa temporada. Nossas atletas são muito guerreiras, fortes. Valeu muito o trabalho. Ter feito uma final no ano passado foi um amadurecimento para o time. A equipe toda está de parabéns por tudo que se dedicou. Se não conseguimos ir bem nesse jogo, foi mérito do Osasco e mais um  aprendizado para a gente”, disse.

Segundo o técnico, o Sesi-SP contou com um “time equilibrado,  mas que foi crescendo, amadurecendo e fez uma bela campanha”.

A capitã Fabiana reconheceu as falhas da equipe durante a partida, mas não deixou de elogiar o grupo e a trajetória positiva durante a competição.

“É uma grande equipe, tem grandes jogadoras, mas cometemos erros e perdemos a segurança em momentos importantes. Agora, por mais difícial que seja, temos que ingerir isso e pensar daqui para frente. Nós fomos bem, crescemos durante a campanha, nos classificamos bem, mas erramos nos momentos finais”, comentou.

Com erros para os dois lados, o jogo desta sexta-feira começou disputado. Mesmo com as adversárias abrindo o placar, as meninas do Sesi-SP logo se aproximaram no marcador, mas não conseguiram bater o time do Molico, que usou muito bem o bloqueio a seu favor.

O time de Talmo entrou em quadra com Fabiana, Carol Albuquerque, Suelle, Mari, Bárbara, Bia e a líbero Suelen. Entraram Claudinha, Liz, Michele Daldegan e Pri Daroit.

Com o resultado, o time de Osasco conquistou a vaga na final e enfrenta o Rexona-Ades. O Troféu Viva Vôlei ficou com Gabi, segunda maior pontuadora do jogo com 12 pontos. Pelo Sesi-SP, a pontuação foi liderada por Bárbara (10), Fabiana e Suelle com sete cada.

O jogo
O primeiro set começou com o time da casa abrindo dois pontos a zero, mas logo as meninas do Sesi-SP empataram. Com o bloqueio bem armado, o Molico não só parou o ataque das meninas da Vila Leopoldina como chegou ao primeiro tempo técnico do jogo na frente. Na volta, Talmo colocou Claudinha e Liz no lugar da Carol Albuquerque e Bárbara, e a vantagem que antes era de cinco pontos, caiu para três. Encaixando melhor os passes e virando as bolas o time, o Sesi-SP chegou a encostar no placar, mas foi a equipe de Osasco que garantiu o primeiro set com 25 a 21 pontos.

Diferente do início da partida, no segundo set o Sesi-SP saiu na frente fazendo com forte ataque da Bárbara pela lateral. Mas logo o Molico empatou e, aproveitando os erros do time da Vila, virou o placar e garantiu o primeiro tempo técnico. Mesmo com a levantadora Claudinha distribuindo bem as bolas, o paredão do lado adversário não facilitou e ele seguiu com a vantagem de quatro pontos até o segundo tempo técnico. Cometendo alguns erros no ataque, o  Molico cresceu um pouco mais na partida e ficou com mais um set, 25 a 17 pontos.

No começo do terceiro set o time de Osasco abriu quatro pontos de vantagem. Sem conseguir esboçar muita reação, o time da Vila mudou mais uma vez com a entrada da Liz, mas não conseguiu segurar a força do Molico, que fechou o primeiro tempo técnico com uma ampla vantagem de seis pontos. As comandadas de Talmo não conseguiram virar as bolas e encaixar os passes e ficou ainda mais longe no marcador, chegando a uma desvantagem de 11 pontos. Na volta da parada técnica, Suelle pontuou pela lateral de rede, Fabiana fez um ace, mas o bloqueio adversário tomou conta do jogo mais uma vez. O Molico/Nestlé finalizou o terceiro set com 25 a 14 pontos, e o jogo.

Sesi-SP perde para o Molico/Nestlé no 1o jogo da semifinal da Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Em partida equilibrada na tarde deste sábado (4/4) na Vila Leopoldina, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) não conseguiu bater o Molico/Nestlé e perdeu por três setes a dois (11/25, 24/26, 25/22, 25/20 e 10/15) no primeiro confronto da semifinal. Agora a equipe precisa vencer a segunda partida, na próxima sexta-feira (10/04), às 22h em Osasco, para seguir na briga pela vaga na final da Superliga 2014/2015.

Como já era de se esperar, o jogo começou apertado e com as duas equipes atacando forte e virando bem as bolas. O Molico começou o jogo abrindo dois sets na frente, mas as meninas da Vila Leopoldina buscaram e empataram o jogo, levando a decisão para o tie-break. No quinto e último set o time do Sesi-SP não conseguiu bater a força das adversárias e não alcançou a vitória.

Com 18 pontos, sendo cinco de bloqueio, a central Fabiana foi a maior pontuadora do Sesi-SP, seguida pela Suelle com 12. O troféu Viva Vôlei foi para a líbero do Molico/Nestlé, Camila Brait.

O time entrou em quadra com Fabiana, Carol Albuquerque, Suelle, Pri Daroit, Bárbara, Bia e a líbero Suelen. Entraram Liz, Claudinha e Mari Cassemiro.

O jogo
O primeiro set começou com dois rallys e o Sesi-SP abrindo três pontos de vantagem, forçando o técnico do Molico a pedir tempo. Na volta, a equipe feminina do Osasco viraram bem as bolas e logo encostaram no marcador, garantindo o primeiro tempo técnico do jogo. Cometendo erros de recepção e ataque, as meninas da Vila não conseguiram encaixar bem os passes e as adversárias ampliaram o placar abrindo três pontos de vantagem. Mesmo com o técnico Talmo de Oliveira pedindo tempo para acalmar os ânimos, o Osasco garantiu o set com 25 a 11 pontos.

Apesar de o Molico sair na frente no começo do segundo set, o Sesi-SP empatou com uma boa sequência de saques da central Bia. O time de Osasco, no entanto, chegou ao primeiro tempo têcnico com dois pontos de vantagem, mas logo as meninas da Vila encostaram e deixaram o jogo mais equilibrado, chegando ao empate novamente. Vibrando muito em quadra e chamando a torcida, Fabiana virou o placar após bloquear o ataque das adversárias, mas na sequência acabou errando alguns ataques e o set foi mais uma vez do Molico (26 a 24 pontos).

O terceiro set começou apertado com as duas equipes atacando forte. Após uma boa sequência de saques de Bárbara, e boas viradas de bola da Fabiana, a equipe da indústria chegou ao primeiro tempo técnico na frente e ampliou a vantagem para três pontos, forçando o técnico do Molico a parar o jogo. Na volta, o time do Sesi-SP foi superior, soube virar melhor as bolas e, aproveitando os erros adversários, ampliou a distância no marcador em seis pontos, garantindo o segundo tempo técnico. O set seguiu favorável para as meninas da Vila, que souberam controlar melhor o placar e fechou com 25 a 22 pontos.

Dando continuidade ao bom desempenho do terceiro set, o Sesi-SP seguiu firme a abriu o marcador com três pontos vantagem, ampliando para quatro no primeiro tempo técnico do quarto set. Chamando a torcida a todo momento, Bárbara explorou bem o bloqueio e foi uma das responsáveis pela boa performance do time em quadra. O time chegou ao segundo tempo técnico mantendo uma boa distância das adversárias. Na volta, Talmo chamou Liz para o jogo e a atleta correspondeu às expectativas, pontuando no bloqueio e no ataque, a jogadora foi uma das armas para o time seguir na frente e fechar o set com 25 a 20 pontos, levando o jogo ao tie-break.

O quinto e último set começou com os dois times virando bem as bolas, mas foram as meninas do Sesi-SP que chegaram na frente na troca de lado da quadra. Em seguida, a equipe da Vila até conseguiu segurar bem o placar, mas as adversárias foram superiores e fecharam o set com 15 a 10 pontos, ganhando o jogo.

Sesi-SP supera apagão e conquista vaga para semifinal da Superliga Feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O objetivo era vencer e evitar o terceiro jogo e o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) o cumpriu com êxito. A vitória desta quarta-feira (26/3) sobre o Brasília Vôlei, em Taguatinga, por três sets a um (25/23, 15/25. 26/24, 25/12) sacramentou a classificação para a semifinal da Superliga Feminina 2014/2015, onde o time reeditará a mesma fase da última temporada, contra o Molico Osasco. Desta vez, porém, com a vantagem de fazer dois jogos em casa. A primeira partida será dia 4 de abril, na Vila Leopoldina.

Sem Monique, lesionada, mas com Fabiana e Bia liderando as estatísticas de pontos (16 e 15, respectivamente), o Sesi-SP teve dificuldades apenas no segundo set, quando um apagão deixou o time abatido em toda a etapa. Mas a superioridade técnica foi latente e mesmo no terceiro set, com o placar apertado, o time de Talmo de Oliveira soube se comportar melhor. A líbero Suelen ficou com o troféu Viva Vôlei.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Próximo adversário será o Molico Osasco e time tem a vantagem de fazer dois jogos em casa. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


O jogo

Embora lotado, o ginásio não atrapalhou os planos do Sesi-SP, que não sentiu a pressão e jogou com autoridade. As jogadoras do Brasília quiseram dar um recado para a torcida e através de Angélica e Edna, deram muito trabalho. Mas Bia e Suelle estavam inspiradas e equilibraram o confronto. A camisa 20 marcou cinco vezes no set, sendo dois pontos de bloqueio, e foi o destaque da etapa. O Brasília ainda teve o primeiro tempo técnico, mas o Sesi-SP virou e não perdeu mais a vantagem, até fechar com Suelle em 25 a 23 pontos, com ataque na saída de rede.

O segundo set não começou bem para o Sesi-SP e as donas da casa logo abriram quatro pontos de vantagem. Talmo pediu tempo para acertar a equipe. Na volta, Bárbara errou e o treinador a trocou por Liz. Não deu certo e aí quem saiu foi Carol Albuquerque para a entrada de Claudinha. Mas não resolveu e o primeiro tempo ficou com as donas da casa. E o set seguiu na toada com ampla vantagem do Brasília. O Sesi-SP cometia erro atrás de erro – foram 10 nesta etapa – e deu pontos de graça para o Brasília, que aproveitou e disparou no placar, até fechar em 25 a 15 pontos e empatar a partida.

O time da indústria entrou bem mais ligado no terceiro set, diminuindo os erros e, principalmente, aproveitando os ataques. O bloqueio não parou as bolas de Michelle e Edna, mas forçou os ataques por cima que acabavam indo para fora. O técnico Sérgio Negrão mexeu e colocou Jéssica. A ex-Sesi mudou a cara da partida e o Brasília, que perdia por três pontos, virou o marcador no primeiro tempo técnico. As meninas da Vila voltaram a cometer muitos erros, principalmente na recepção, deixando o Brasília escapar.

Talmo chegou a colocar Michelle Daldegan no passe no lugar de Fabiana para tentar diminuir o problema. Funcionou e o Sesi-SP empatou. E foi a central que salvou o set point do Brasília, virou o jogo e fechou o set em 26 a 24 pontos em sua especialidade, o bloqueio.

A virada abalou o Brasília que demorou a se encontrar no quarto set, deixando o Sesi-SP jogar livremente. Fabiana tomou conta da rede e o time de Talmo mostrou seu melhor jogo. Com mais segurança, o time da indústria atacou e pontuou praticamente de qualquer lugar da quadra. Foi questão de tempo para fechar em 25 a 12 pontos e sacramentar a classificação para a semifinal.

Com pouco tempo para treinar, Sesi-SP encara Brasília querendo fechar a série

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O time de vôlei feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) volta à quadra nesta quarta-feira (25/3), às 21h30, no ginásio do Sesi, em Taguatinga (DF), para a segunda partida das quartas de final da Superliga 2014/2015, contra o Brasília Vôlei, podendo fechar a série em dois jogos.

Com a vitória no último domingo por três sets a zero, o Sesi-SP precisa de mais um triunfo para anular a necessidade de uma terceira partida. Caso ocorra, o terceiro jogo será neste sábado (28/3), na Vila Leopoldina, capital paulista.

Como o último duelo entre as equipes foi no domingo, o técnico Talmo de Oliveira não teve muito tempo para trabalhar e mudar o que julgava ser necessário para o confronto desta quarta-feira. Por isso, apostou mais em treinos de recuperação e descanso, como o famoso pijama training, onde a meta é principalmente recondicionar o time para o novo jogo.

“Descansamos bem e nos preparamos para o jogo em Brasília. Fabiana jogou com cólicas, outras também sentiam alguma coisa. Então nós trabalhamos mais esse lado, de descansar, de fazer fisioterapia, colocar para treinar quem não jogou muito e preparar o time inteiro, pois vamos precisar de todas as jogadoras na quarta”, disse o treinador, que vai mandar o time para cima das rivais, buscando acabar com a disputa e ganhar tempo para as semifinais.

“Agora temos a chance de definir quarta em Brasília e matar a série. Se não conseguirmos, temos que nos preparar para mais um jogo aqui. É uma série complicada, definida em detalhes. Fizemos um bom jogo em casa, mas lá é outro jogo, outra história. Respeitamos muito o Brasília, um time experiente e com ótimas jogadoras, mas queremos a vitória e vamos buscar”, completou Talmo, que pretende chegar à terceira semifinal seguida de Superliga.

O treinador conta com uma jogadora que assumiu um papel determinante para a equipe. A oposta Bárbara, central de origem, entrou na vaga de Monique, machucada ainda no primeiro turno, e não saiu mais. Com 15 pontos no último confronto, a jogadora recebeu o Troféu Viva Vôlei pela quarta vez na Superliga (recordista no time ao lado de Monique) e enalteceu a atuação das companheiras, mas pediu o mesmo foco para a decisão em Brasília.

“Jogamos muito bem no domingo, com a cabeça no lugar e concentradas. Mas agora temos o duelo de quarta, que será muito difícil também e precisamos manter o nível para tentar fechar a série. Sabemos que é um jogo complicado, mas se entrarmos como no último confronto, temos totais condições de sair com a vitória e a classificação”, disse a oposta.

O jogo desta quarta-feira será transmitido pelo Sportv e será acompanhado pelas redes sociais no Twitter (@SesiSP_volei) e no Facebook (sesisp.volei).

Fiesp distribui redutores de vazão de água nas quartas de final da Superliga Feminina

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Para comemorar o Dia Mundial da Água, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) levou sua campanha Água na Medida para as quadras neste domingo (22/3). Durante o primeiro confronto do time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) nas quartas de final da Superliga Feminina 2014/2015, o presidente das entidades, Paulo Skaf, distribui kits com quatro redutores de vazão de água para torneiras de meia polegada.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Paulo Skaf participa de entrega de kit com redutores de água. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


A ação é um desdobramento da campanha da Fiesp para auxiliar a população no consumo consciente de água.  Em uma primeira iniciativa, a federação distribuiu na Avenida Paulista 500 mil redutores de vazão de água para torneiras. Depois aumentou a produção dos equipamentos para 1,5 milhão. Todos são distribuídos gratuitamente.

Na semana passada, Paulo Skaf entregou sete mil kits com as unidades para o Corpo de Bombeiros instalar os  em todos os batalhões do estado.  No começo do mês, o diretor do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, Nelson Pereira dos Reis, entregou dois mil kits de redutores para a Polícia Militar Ambiental.

Desenvolvidos por alunos do Curso de Aprendizagem Industrial – Ferramenteiro de Moldes Plásticos da Escola Senai Mario Amato, os anéis de plástico que reduzem o volume de água das torneiras podem ajudar a reduzir o consumo em até 50%.

De uniforme especial, Sesi-SP abre quartas contra o Brasília

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Tudo será azul para as meninas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) neste domingo (22/3). Para marcar a comemoração do Dia Mundial da Água, o time da Indústria jogará com um uniforme especial o contra o Brasília, a partir das 12h30, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. O duelo marcará o primeiro jogo das duas equipes nas quartas de final da Superliga Feminina 2014/2015. A segunda partida será na próxima quarta-feira (25/3), em Brasília. E se houver a necessidade de um terceiro jogo, este será realizado no dia 28, na capital paulista.

A tradicional camisa vermelha das guerreiras será substituída por uma azul clara, com detalhes em azul mais escuro na gola e nas bordas. O modelo traz ainda a logomarca da campanha Água na medida, uma iniciativa da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Cisp) para ajudar a população a diminuir o desperdício no consumo diário de água, com ações como a distribuição de redutores vazão de água para torneiras e cartilhas. Neste domingo, antes do jogo na Vila, haverá a distribuição gratuita de mil redutores para todos os torcedores, com a presença do presidente das entidades, Paulo Skaf.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Equipe de vôlei feminina do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

“Estamos vivendo uma crise hídrica. E nada melhor do que lembrar isso no Dia Mundial da Água e trazer esse alerta também para o esporte, que alcança um público muito grande. É preciso economizar e usar a água com consciência no nosso dia a dia, sem desperdícios. A camisa azul ficou linda e chama atenção para um problema global”, afirmou a capitã Fabiana.

Classificado em segundo lugar na Superliga, o Sesi-SP não tem dúvidas de que terá um adversário bastante complicado pela frente. O Brasília se classificou na sétima posição, com ótimas atuações no final da fase de classificação. As meninas da Vila venceram nos dois turnos (três a um no primeiro e três a dois no segundo), mas não esperam nenhuma facilidade no duelo deste domingo. A vitória em casa é crucial para chegar ao segundo jogo com chances de classificação antecipada às semifinais. A central Bia alerta para a boa campanha do Brasília e para a experiência das jogadoras adversárias.

“É um time rodado, experiente e muito técnico. Precisamos jogar muito, até porque a responsabilidade de jogarmos em casa é nossa. Não esperamos nada diferente de um jogo muito intenso e nervoso. Mas temos que conquistar esta vitória na Vila para podermos jogar fora com chances de evitar o terceiro jogo. Contamos com o apoio maciço da nossa torcida, que tem feito grande diferença e incentivado muito durante toda a competição”, disse a camisa 20, segunda melhor colocada nas estatísticas de bloqueio, com 29,2% de eficiência.

O jogo deste domingo será transmitido pelo Sportv. Os ingressos na Vila Leopoldina podem ser trocados por 1kg de alimento não perecível, que será doado à Casa do Pequeno Cidadão.


Sesi-SP recebe Osasco em jogo que pode definir classificação final da Superliga Feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Faltam apenas dois jogos para o término do turno de classificação da Superliga Feminina e o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sabe que não pode perder nenhum ponto, sob o risco de cair de posição e perder a vantagem de mando de quadra nos playoffs. Atualmente na segunda colocação com 55 pontos, mesmo que perca o clássico de sexta-feira (6/3) contra o Molico Osasco, às 21h30, na Vila Leopoldina, o Sesi-SP não cai para terceiro, mas terá que torcer contra as rivais, que possuem um jogo a menos, para se manter na vice-liderança. Após o duelo de sexta, as meninas da Vila terão apenas mais um jogo, contra o líder Rexona, fora de casa, dia 13/3. O Osasco, por sua vez, terá duas partidas: contra as cariocas e o confronto com São José fechando a fase.

Após o revés de terça-feira (3/3) contra o Praia Clube, uma derrota não passa pela cabeça do Sesi-SP. Para a levantadora Carol Albuquerque, o último jogo em Uberlândia serviu para acordar a equipe em momento crucial da Superliga.

“O resultado atrapalhou, ninguém queria perder, mas serviu como um alerta. Temos que entrar muito mais fortes sexta, contra o Osasco, para tentar os três pontos”, disse Carol, que já prevê como será a partida contra as rivais de São Paulo.

“É uma briga direta contra o Osasco agora. Elas virão com o time completo e a partida será decisiva para ver se mantemos o segundo lugar. Vai ser um jogão, com certeza, muito nervoso, com muita disputa dentro de quadra e a rivalidade toda. Elas estão em momento melhor, ganharam do Praia de três a zero e a gente perdeu, mas temos conjunto e time para brigar de igual”.

Nas últimas cinco partidas, o Sesi-SP levou vantagem sobre o Osasco. E durante a Superliga, as meninas da Vila sempre estiveram acima na tabela. Para Carol, o favorito é o outro time, com mais tradição, investimento e craques em quadra.

“O Sesi-SP não é favorito. Não mesmo. Favoritas são elas, pelo elenco cheio de atletas da seleção, pelo investimento maior feito e pelo histórico. Mas nós temos time e já mostramos que podemos igualar o jogo, e é o que vamos fazer”, finalizou a veterana levantadora de 37 anos.

No primeiro turno da Superliga, o Sesi-SP venceu o Osasco fora de casa pelo placar de três sets a zero. O jogo terá transmissão ao vivo pelo SporTV.

Sesi-SP vence o São Bernardo Vôlei pela Superliga feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Bem entrosadas, as jogadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceram o São Bernardo Vôlei por três sets a zero (25/21, 25/15 e 25/16) na noite desta segunda-feira (9/2), em São Bernardo, na Grande São Paulo. 

Com o resultado, a equipe do técnico Talmo de Oliveira assume a liderança da Superliga Feminina 2014-2015 com 47 pontos e dois jogos a mais do que o segundo colocado, o Rexona/Ades, com 46 pontos.

O time começou o jogo com o placar um pouco apertado, mas logo engrenou e assumiu a frente da partida. No segundo set, o São Bernardo Vôlei chegou a assumir a liderança, mas a força de Bia igualou o marcador e manteve a equipe mais uma vez com a vantagem. Aproveitando o bom momento da equipe, Talmo aproveitou para colocar todas as meninas para jogar.

“Fizemos um bom jogo. Tivemos um primeiro set mais adaptado. O tempo que ficamos parados levou à falta de ritmo, mas logo o time engrenou bem”, disse. “Eu até comecei a rodar, coloquei todo mundo para jogar, quase que um time inteiro. Claro que não é a mesma velocidade, leva um tempo para adaptar, pegar o ritmo, mas a vitória foi importante. Vamos focar para continuar bem”, completou.

O Sesi-SP atuou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Barbara, as centrais Fabiana e Bia, as ponteiras Pri Daroit e Suelle, e a líbero Suelen.

A central Bia foi o destaque da partida. Ganhou o troféu Viva Vôlei e foi a maior pontuadora com 14 pontos, sendo cinco de bloqueio. A jogadora Suelle marcou 12 pontos, Fabiana e Bárbara 10 pontos cada uma.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Sesi-SP em disputa pela Superliga 2014-2015. Foto: July Stanzioni/SM PRESS

O próximo compromisso do Sesi-SP será em casa. A equipe recebe no ginásio da Vila Leopoldina, em 20 de feveiro, sexta-feira, o Brasília Vôlei, pela sétima rodada do returno da Superliga.

O jogo
Após fechar o primeiro tempo técnico do primeiro set, a equipe feminina da indústria conseguiu manter a dianteira no placar. Com Fabiana acertando um ace e bloqueando forte, a equipe chegou abrir cinco pontos de vantagem durante o jogo e garantiu o set com tranquilidade.

Já no início do segundo período, o Sesi-SP abriu três pontos de vantagem. Mas logo o time do São Bernardo entrou no jogo, empatou e chegou a virar o placar fechando o primeiro tempo técnico na frente. Destaque no bloqueio, a central Bia parou o ataque das adversárias e empatou a partida. Com calma e entrosamento, o time do técnico Talmo fechou o segundo tempo técnico na frente e arrematou mais um set.

Com largadinha da Bia e Pri Daroit atacando forte pelo meio de rede, o time do Sesi-SP fechou o primeiro tempo técnico do terceiro set com seis pontos de vantagem. Talmo optou por rodar o time e colocou Mari Casemiro, Liz, Natália e a líbero Michele em quadra. As jogadoras logo pegaram o ritmo, mantiveram o bom ritmo e a boa vantagem até o fim, e vitória, do jogo.

Sesi-SP vence Rio do Sul e encerra 2014 na vice-liderança da Superliga feminina de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite de segunda-feira (29/12) no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Rio do Sul/Equibrasil por 3 sets a 1 (25/19, 25/17, 29/31 e 25/16), em 2h05.

A central Bárbara, que, desde a lesão da titular Monique, vem jogando na posição de oposto, recebeu o Troféu VivaVôlei, de melhor jogadora da partida.

“Foi uma vitória importante. Não estou na minha posição, mas estou melhorando com o andamento dos treinos. Estou feliz porque o time saiu vitorioso. Ainda não tivemos uma atuação tão boa e sabemos que temos muito a melhorar, mas vencer é sempre bom”, disse Bárbara ao site da confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

A oposto Duda, do Rio do Sul, foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos.

O Sesi-SP do técnico Talmo de Oliveira atuou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Bárbara, as centrais Fabiana e Bia e as ponteiras Suelle e Mari, além da líbero Suelen. Entraram a ponteira Pri Daroit, a levantadora Claudinha e a oposta Liz.

A equipe volta às quadras no dia 7 de janeiro, às 17 horas (de Brasília), quando enfrenta o São José dos Campos, em casa.

Diante do líder Rio de Janeiro, Sesi-SP perde a invencibilidade na Superliga feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) entrou em quadra nesta segunda-feira (22/12) contra o Rexona/Ades pela décima terceira rodada da Superliga 2014/15 e acabou perdendo a sua invencibilidade. Com o placar de 3 sets a 1 (20/25, 25/21, 20/25 e 18/25), a equipe do técnico Talmo de Oliveira ainda tem mais um jogo atrasado da terceira rodada para encerrar a sua participação no primeiro turno da competição.

Na partida, a ponteira Mari Cassemiro foi a maior pontuadora do Sesi-SP com 12 pontos, seguida da capitã Fabiana, com 10. Fofão, do Rio de Janeiro, levou o troféu Viva Vôlei.

O Sesi-SP iniciou a partida com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Bárbara, as ponteiras Suelle e Mari, as centrais Fabiana e Bia e a líbero Suelen. Entraram Claudinha, Pri Daroit e Liz.

Segunda colocada e com uma rodada a menos, a equipe da Vila volta a atuar após o feriado de Natal para enfrentar o Rio do Sul e fechar o primeiro turno. O jogo atrasado da terceira rodada será realizado na Vila Leopoldina, no dia 29 de dezembro, segunda-feira, às 18h. Caso vença, o time do Sesi-SP alcança os 32 pontos e permanece em segundo lugar na competição.

O jogo

O primeiro set começou com o time do Rio de Janeiro atacando forte e abrindo 00/04. Com a falta de pontuação, o técnico Talmo de Oliveira parou o jogo para acalmar a equipe e logo surtiu efeito. Com Bárbara explorando o bloqueio das adversárias, Suelle ampliando o placar com dois pontos seguidos de ataque e Fabiana bloqueando, o Sesi-SP empatou em 07/07. Mesmo com a aproximação no placar, foi o Rio que forçou o saque e garantiu o segundo tempo técnico (11/16). Voltando com fome de bola, as meninas da Vila pressionaram e aproveitaram cinco erros seguidos das adversárias para diminuir a diferença no placar (17/15), levando o técnico Bernardinho pedir tempo. Dois bloqueios seguidos da central Bia foram o suficiente para perturbar mais um pouquinho o lado adversário, mas não foram suficientes para conter as cariocas, que fecharam o primeiro set com 20/25, em 28 minutos.

Diferente do começo da partida, dessa vez foi o Sesi-SP que começou o segundo set na frente abrindo 04/01. Jogando forte, rodando bem as boas e com a Bárbara ocupando muito bem a função de oposta, as meninas da Vila não só aumentaram a vantagem como garantiram o primeiro tempo técnico (08/04). A evolução das meninas do Sesi-SP em quadra e os erros do time carioca forçaram o técnico Bernardinho parar o jogo para colocar sua equipe no lugar. Carol Albuquerque soube sentir o jogo e perceber que as atenções das adversárias estavam voltadas para a Fabiana e colocou a Bárbara e Mari para atacar e pontuar com força total, chegando ao segundo tempo técnico na frente com 16/14. Como já era de se esperar, o forte ataque da Gabi e o olhar atencioso da Nathalia levaram o Rio de Janeiro ao empate da partida em 20/20. Mas a entrada de Pri Daroit no lugar da Bárbara e a garra das meninas da Vila falaram mais alto e garantiram o empate na partida e o set em 25/21 com 28 minutos de jogo.

O terceiro set começou com a permanência da Pri Daroit como oposta no lugar de Bárbara. A equipe do Sesi-SP até saiu na frente no marcador, mas logo a partida se estabilizou e permaneceu equilibrada com as duas equipes pontuando. Mostrando mais uma vez a força que tem, a equipe carioca abriu uma vantagem de três pontos e fechou o primeiro tempo técnico na frente (05/08). Sem ficar atrás, as meninas da Vila mostraram sua garra e diminuíram a vantagem para dois pontos com a Pri atacando forte (14/16). Erros na defesa dos ataques das adversárias pesaram na conta do Sesi-SP e colocaram as cariocas na frente mais uma vez (20/25).

Assim como no começo do jogo, foi o Rio de Janeiro que abriu o placar no quarto set com 00/03. Mas diferentemente dos outros sets, quando as duas equipes permaneceram próximas no placar, o set começou dominado pela equipe do Rio de Janeiro, não dando chances para as meninas do Sesi-SP reagirem (02/08). As meninas da Vila até forçaram o saque, souberam usar os erros das adversárias, mas não conseguiram tirar a vantagem das cariocas, que chegaram ao segundo tempo técnico na frente (09/16). Mantendo a sincronia, o Rio de Janeiro soube administrar melhor a partida e fechou o quarto e último set com 18/25.

Sesi-SP mostra controle no final e supera Praia Clube na Superliga feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Suado e com doses de drama. Mas equilibrado e no final prevaleceu quem teve mais controle. Numa batalha de cinco sets, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) superou na noite de quinta-feira (11/12) , na Vila Leopoldina, o Dentil Praia Clube, de Uberlândia (MG),  por 3 sets a 2 (25/13, 22/25, 25/19, 21/25 e 15/08).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Invicta, equipe chegou à nona vitória na competição, Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação



Com o resultado, a equipe do técnico Talmo de Oliveira venceu seu novo jogo, com 100% de aproveitamento, chegando aos 26 pontos na classificação e igualando-se com o Molico na liderança em pontos, mas perdendo no desempate de sets. Coincidentemente, a equipe de Osasco será o próximo rival, na terça-feira (16/12).

No confronto com o Praia Clube, Cada equipe venceu um set e empurrou a decisão para o tie-break. No desempate, o Sesi-SP soube ter mais controle emocional e abrir boa vantagem, mesmo não contando com Monique, que se machucou na etapa final.

A vitória mostrou a força da equipe da Vila Leopoldina e a quantidade de opções no banco. Talmo mexeu bastante e aprovou a entrada de suas jogadoras e o controle da equipe, que pela primeira vez chegou aos cinco sets na competição.

“A gente tem treinado e colocado para todas as jogadoras que elas podem fazer qualquer posição. A gente tinha a Bárbara para fazer a posição de oposta. Mas a Monique estava entrando no saque e a gente precisava de um fundo de quadra com o placar que estava abrindo. Aí entrou a Suelle, que é incomparável no fundo, e o melhor saque da Superliga. Todo mundo está preparado para qualquer posição.”

A melhor do jogo e premiada com o Viva Vôlei, a líbero Suelen, também elogiou o controle da equipe no quinto set, mas preferiu explicar a vitória com base no bom rendimento nos fundamentos.

“Foi suado mesmo e agora, nessa sequência de dois jogos por semana, quem estiver melhor na parte física vai sair na frente. É uma pedreira os jogos com [as equipes de] Osasco e Rio. Nos demos bem no quinto set porque sacamos bem e defendemos bem, isso facilitou nosso lado e complicou para o Praia”.

O jogo

O Sesi-SP entrou em quadra com sua equipe titular, com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Monique, as ponteiras Suelle e Mari, as centrais Bia e Fabiana e a líbero Suelen. Com 25 pontos, Monique foi a artilheira do time da Vila, porém atrás de Tandara, que marcou 27 vezes.

O primeiro set já mostrou como seria o jogo. O Sesi-SP usaria suas opções para tentar o resultado. O Praia usaria Tandara e, se desse, o resto do time. E quem saiu na frente foi o Praia, exatamente com Tandara, sua principal arma. O Sesi-SP empatou com Monique, explorando o bloqueio. As rivais responderam, mas Monique, de novo, no bloqueio, virou para 03/02. O time da Vila começou em uma intensidade enorme, sabendo da dificuldade do adversário, e graças à oposta e à Fabiana, abriu boa vantagem no primeiro tempo técnico por 08/05. A equipe de Talmo mostrava superioridade em todos os fundamentos. A defesa funcionava com precisão e o ataque praticamente não errava. Com o passe na mão, Carol usou e abusou de Fabiana, Mari e Monique, que bombardearam a quadra do Praia, até fechar o primeiro set em 25/13.

O cenário no segundo set foi melhor para o Praia no início. O time de Uberlândia chegou a abrir 07/05, mas Fabiana, duas vezes e com um ace, empatou. Porém, Tandara colocou as rivais na frente de novo. A oposta estava afiada na segunda etapa e se tornou a principal arma do Praia. Sassá ampliou para 11/08 com um ace, mas Monique fez rodar de novo e diminuiu. O Praia seguiu na frente, mas Fabiana, de novo, empatou com bloqueio sobre Tandara em 13/13. Na sequência, ataque para fora de Ju Costa e o Sesi-SP virou. Mas a partida seguia ponto a ponto com as duas equipes se alternando no placar. A maior vantagem do Sesi-SP se deu por conta de ataque de Ju Costa para fora, abrindo 19/17 para a equipe da Vila. Mas foram muitos erros que pesaram contra o Sesi-SP e uma sequência de dois toques prejudicou o time que entregou pontos de graça para o outro lado. E o último do set foi exatamente assim, com Suelle passando com dois toques e fechando para o Praia o set em 25/23.

Para o terceiro set, Talmo trocou Carol por Claudinha e o time voltou a liderar a etapa. A levantadora estava inspirada e a distribuição de bolas passou a quebrar o sistema defensivo do Praia. As adversárias chegaram a liderar por um breve momento, mas Mari foi para o saque e emendou três pontos seguidos (um ace) e colocou o Sesi-SP de novo na fente (11/09). A vantagem aumentou com Bia no bloqueio em Tandara. O Praia encostou com a mesma oposta, mas Fabi, aproveitando bola de xeque, mandou para a quadra e fez 16/12. O Sesi-SP não perdeu mais a vantagem e só ampliou, aproveitando excelente jogo de Claudinha e o sistema defensivo que não deixava a bola cair. Assim, com Bia, foi questão de tempo até fehcar o set em 25/19.

O quarto set foi o mais disputado do jogo. O Praia começou muito melhor, a ponto de abrir 07/01. O Sesi-SP reagiu e diminuiu para 07/04 e seguiu na busca das rivais. A tensão em ambas equipes era clara em quadra e muitas discussões nos pontos surgiram. O Sesi-SP empatou em 13/13, mas não passou. Tandara, com um ace, abriu dois de vantagem (19/17), mas Monique, em contra-ataque, diminuiu. Todos os dois toques que a arbirtragem deu no segundo set, não deu nesse e num erro claro de Isabela, o Praia abriu 20/18, gerando revolta no ginásio. O time da Vila acabou perdendo o controle e não conseguiu mais chegar, perdendo também o set por 25/21 e levando a partida para o tie break.

Quem saiu na frente no set decisivo foi o Sesi-SP, após Tandara atacar na rede. Mas a mesma Tandara empatou, explorando o bloqueio de Bia e Monique. Na sequência, erro de passe de Pri, levantamento falho de Carol e Letícia segurou Bia, virando o jogo. Com calma, o Sesi-SP buscou. Pri empatou e novo ataque de Tandara, dessa vez para fora, colocou o time da Vila em vantagem. Daí foi abrir gordura aproveitando os erros rivais e chegar à parada técnica com 08/04, mas perdendo Monique, que caiu e torceu o pé. O jogo poderia virar drama, mas o time não se perdeu em quadra e seguiu pontuando. Com regularidade impressionante, o Sesi-SP matou o Praia com uma sequência de cinco pontos seguidos e fechou o set e o jogo em 15/08. conquistando sua nona vitória em nove jogos.

Sesi-SP arrasa Pinheiros e conquista oitava vitória seguida na Superliga feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Monique com o troféu Viva Vôlei. Foto: Amanda Santos/Fiesp

Com uma atuação segura, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria superou na noite desta terça-feira (09/12) o Esporte Clube Pinheiros por 3 sets a 0 (25/19, 25/22 e 25/22), na casa do adversário. É oitava vitória seguida na Superliga 2014/15.

Com o resultado, o Sesi-SP chega aos 24 pontos e assume a liderança. Se o Molico Osasco perder para o Praia Clube por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1, o time dorme na primeira posição mesmo com um jogo a menos.

Na vitória sobre o Pinheiros, destaque para a oposto Monique, que marcou 16 pontos e levou o Viva Vôlei. O troféu é dado à melhor jogadora da partida em escolha da comissão técnica da equipe vencedora.

Agora, o time se prepara para o jogo contra o Dentil/Praia Clube na próxima quinta-feira (11/12), às 21h30, na Vila Leopoldina. Em caso de vitória, o time assume a liderança da tabela antes do clássico contra o Osasco.

Para o técnico Talmo de Oliveira, o jogo foi de paciência e estratégia, mas o resultado premiou a equipe mais tranquila e deu mais moral para suas comandadas.

“Fizemos um jogo de muita paciência. Soubemos aproveitar os erros delas. E quando o Pinheiros não forçou o saque, nós tivemos tranquilidade. Os dois times fizeram um bom jogo de saque, o que exigiu muitas viradas. Cada um sacando de um jeito, mas conseguimos uma bela vitória, um 3 sets a 0 que nos deixa mais seguros para seguir trabalhando”, disse o técnico.

Talmo mandou para quadra seu time titular completo com a levantadora Carol Albuquerque, Monique, as ponteira Suelle e Mari, as centrais Bia e Fabiana, além da líbero Suelen.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Suelle ataca pela ponta. Foto: Ricardo Bufolin/ECP


O jogo

O primeiro set começou com o esperado equilíbrio entre as equipes. Sesi-SP e PInheiros não conseguiam abrir vantagem até o primeiro tempo técnico, conseguido pela equipe da casa (07/08). Na volta, Mari atacou bem duas vezes seguidas e virou a partida, que não mudou mais o panorama até seu final em 25/19, com bloqueio de Bia.

Na etapa seguinte, o Pinheiros começou muito bem abrindo 06/02. Talmo parou e acertou a equipe que pontou sem parar e empatou em 06/06 após bloqueio de Suelle. Porém, as donas da casa voltaram a marcar e ficar em vantagem, chegando a abrir 17/14. Novamente, Talmo pediu tempo e com calma as Meninas da Vila chegaram a 20/20. Com Bia no bloqueio eficiente, as Guerreiras viraram para 23/20. E a mesma Bia marcou de bloqueio o 24° e de ataque o 25°, encerrando o segundo set em 25/22.

Abaladas pela perda do segundo set, as jogadoras do Pinheiros se perderam no início da terceira parcial e deixaram o Sesi-SP abrir 04/00 e o primeiro tempo técnico em 08/03. A gordura acumulada no início fez diferença para o Time da Vila Leopoldina que foi pontuando e segurando as rivais. Fabiana fazia a diferença no meio  da rede, enquanto Monique era usada por Carol para destruir a defesa do Pinheiros. Com a superioridade latente, era questão de tempo até fechar, com Fabiana, em 25/22 e conquistar a oitava vitória seguida.

Vôlei: equipe feminina do Sesi-SP espera ‘caldeirão’ em Uberlândia no 2º playoff

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Depois da vitória sobre o Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 1, no domingo (23/03), a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) já começou a preparação para a segunda partida válida pelas quartas de final da Superliga feminina, programada para sábado (29/03), às 13h.

Se vencer, o Sesi-SP conquista a classificação para as semifinais. Mas a equipe sabe que não será fácil enfrentar o adversário em Uberlândia (MG).

“Vai ser um jogo dificílimo. Lá é um caldeirão. Mas esta fase, de quartas  de final, é um campeonato para gente grande. E estamos preparadas para tudo”, resume a ponteira Pri Daroit.

A jovem central Bia, de 22 anos, concorda. “É um dos lugares em que a torcida mais apoia. A torcida vai junto, milhares de pessoas gritando por elas. Mas acho que isso não pode influenciar.”

Mais experiente, a central bicampeã olímpica Fabiana Claudino diz que a equipe não pode se abalar diante da torcida adversária. “Nessa hora temos que estar prontos para tudo. Nosso objetivo é chegar até a final.”

Na análise do técnico Talmo de Oliveira, a vitória no primeiro jogo valeu pelo resultado, mas é preciso aproveitar a semana para corrigir alguns problemas observados no domingo (23/03). “A gente sabe que lá a pressão é grande e vai ser um jogo muito difícil.”

A equipe, de acordo com a líbero Suelen, precisa ajustar a qualidade do passe. Segundo ela, esse fundamento deixou a desejar no primeiro duelo. “A gente vinha passando muito bem, mas no domingo ficou num percentual de 40, 50%. É isso que nesta semana vamos focar para poder melhorar.”

Para a levantadora Dani Lins, a maior carga de treinamentos já passou. “Agora, é mais cabeça: tranquilidade e paciência.”

Sesi-SP confirma bom momento e vence São Bernardo na Superliga feminina

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Suelle foi o destaque da partida e ganhou o Troféu Viva Vôlei. Foto: Divulgação/Sesi-SP

Jogando como visitante, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) bateu na noite desta terça-feira (25/02) a do São Bernardo por 3 sets a 0 (21/16, 21/13 e 21/14). A partida, válida pela Superliga 2013/14, aconteceu no ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo, no ABC Paulista.

Com o resultado, o Sesi-SP mantém a quarta colocação, chegando a 44 pontos, quatro à frente do quinto lugar, o Banana Boat/Praia Clube (40 pontos), nessa fase classificatória. Pelo regulamento da competição, os quatro mais bem colocados ao final dessa fase levam para os playoffs a vantagem de jogar uma eventual terceira partida decisiva em casa.

O Sesi-SP atuou com a oposta Ivna, as centrais Fabiana e Bia, as ponteiras Dayse e  Suelle e levantadora Dani Lins, além da líbero  Suelen. Também atuaram as ponteiras Mari Cassemiro e Pri Daroit, a oposta Neneca e Carol Albuquerque.

Ivna liderou a pontuação com 10 acertos, oito de ataque e dois de bloqueio. Fabiana fez nove pontos, seguida por Bia (oito), Dayse e Suelle (ambas com sete), Dani Lins (quatro) e Mari e Neneca (ambas com um ponto).

Na próxima rodada, a 11ª do segundo turno, o Sesi-SP recebe o Brasília Vôlei no ginásio da Vila Leopoldina, em partida programada para o dia 06/03, às 19h30.

Após título histórico, Sesi-SP encara Barueri nesta quarta-feira (12/02) pela Superliga

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

A capitão Fabiana lidera o time do Sesi-SP, que depois do título sul-americano, está focado na Superliga. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Depois da tempestade sempre vem a bonança, diz o ditado. E a má fase, definitivamente, ficou em 2013. Com um início arrasador em 2014, o time feminino do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) virou “a bola da vez” no vôlei nacional. Não é para menos. Na Superliga, neste ano, são seis vitórias seguidas, com apenas um set perdido; a equipe é finalista da Copa Brasil e campeã invicta do Sul-Americano, sem perder nenhum set e com direito a uma vitória histórica sobre o Molico Osasco na final. O título veio para coroar a boa fase, mas, para a capitã Fabiana, também aumentou a responsabilidade do Sesi-SP, que se tornou o time a ser vencido.

“Agora todo mundo vai querer ganhar do Sesi-SP e a responsabilidade aumentou bastante. Ganhar é ótimo, mas a responsabilidade aumenta também, e precisamos corresponder para não deixar o nível cair. Precisamos vencer os jogos e acumular pontos desde já”, disse a capitã.

O primeiro desafio do campeão sul-americano é nesta quarta-feira contra o Barueri, no ginásio José Correa, na Grande São Paulo, às 19h30. Para Fabiana, o time deve comemorar a classificação para o Mundial da Suíça, mas o foco tem que voltar para o campeonato nacional, onde o Sesi–SP ocupa a quarta posição, 10 pontos atrás da Unilever, terceira colocada.

“Agora vamos para jogar muito mais na Superliga e melhorar nossa classificação. O objetivo é chegar na final e não será nada fácil. Ganhamos a vaga para o Mundial, é muito bom, vamos comemorar, mas o foco volta a ser a Superliga, onde estamos bem atrás das três primeiras classificadas”.

Fabiana é exigente e se cobra demais. Ciente da responsabilidade que tem e do nome que carrega no voleibol mundial, a camisa 1 curte o bom momento, porém quer melhorar ainda mais para ajudar a equipe a conseguir novos títulos.

“Fico feliz demais com essa vitória e a conquista. E eu me cobro muito, quero estar sempre bem. De um tempo para cá eu não estava sendo a jogadora de sempre e estava me cobrando bastante por isso. Precisava voltar a ser a capitã, comandar a equipe, ter essa responsabilidade. E tenho que encarar isso de frente e vou encarar. Meu objetivo é melhorar cada vez mais, crescer e subir sempre junto com a equipe”.

A respeito da classificação para o Mundial de Clubes, que será disputado em Zurique, de 06 a 11 de maio, Fabiana confessou não saber muito sobre as rivais que irá encontrar, mas revelou sua felicidade por estar voltando a ser a central decisiva que o mundo conhece, além de assumir a responsabilidade de liderar o Time da Indústria em mais uma competição.

“Eu não conheço as equipes que estão lá. Sei por já ter jogado que é um campeonato forte e temos que estar focadas o tempo todo. Fico muito feliz em ajudar a levar o Sesi-SP para esse Mundial, um campeonato grande e muito visado. Farei de tudo, junto com o time, para trazer esse título inédito para o Sesi-SP”, finalizou.

Serviço
Superliga 2013/2014
Sesi-SP x Barueri
Data: 12 de fevereiro, quarta-feira, às 19h30
Local: Ginásio José Corrêa – Avenida Guilherme P. Guglielmo, nº 1000 – Centro – Barueri, São Paulo

Vôlei do Sesi-SP perde para Unilever/Rio de Janeiro na Superliga feminina

Agência Indusnet Fiesp

Em jogo válido pela nona rodada da Superliga feminina, a equipe do Serviço Social de Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada por 3 sets a 1 pelo time da Unilever/Rio de Janeiro na noite de terça-feira (10/12), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP). Os parciais a favor das atuais campeãs da competição foram os seguintes: 21/13, 21/15, 14/21 e 21/18, em 1h40 de partida.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Ponteira do Sesi-SP, Suelle tenta superar bloqueio da Unilever. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

A ponteira Priscila Daroit, do Sesi-SP, foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos, comentou o jogo ao site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

“Nos dois primeiros sets, jogamos muito abaixo do que vínhamos treinando. A partir do terceiro, começamos a colocar em pratica o que tínhamos trabalhado e o quarto foi equilibrado o tempo inteiro. E, contra um time como o deles, que é muito entrosado, não podemos cometer erros. Um time de alto nível tem que jogar no equilíbrio sempre. Mas o que passou não vai voltar mais e temos que ter cabeça boa para os jogos que teremos pela frente”, destacou Pri Daroit.

O Sesi-SP do técnico Técnico: Talmo de Oliveira atuou com Dani Lins, Ivna, Ana Beatriz, Fabiana, Suelle e Pri Daroit. Suelen foi a líbero. Entraram: Neneca, Carol Albuquerque, Mariana e Dayse.

Sob o comando de Bernardinho, a equipe da Unilever/Rio de Janeiro entrou com Fofão, Sarah, Juciely, Carol, Mihajlovic e Gabi. Fabi foi a líbero. Também jogaram Bruna, Roberta, Amanda e Régis.

A líbero da Unilever, a bicampeã olímpica Fabi, foi eleita a melhor do jogo e saiu de quadra com o Troféu VivaVôlei em mãos.

O Sesi-SP, que vem de três derrotas consecutivas na competição – Vôlei Amil, Molico/Osasco e Unilever/Rio de Janeiro – volta a jogar na sexta-feira (13/12), contra o São Bernardo, na Vila Leopoldina.


O jogo

A ponteira Mihajlovic abriu o placar do jogo. Com a própria sérvia no saque, a Unilever fez 04/00 e forçou o técnico Talmo a pedir tempo. Na volta, no bloqueio, a equipe carioca ainda fez 05/00. O jogo seguiu tranqüilo para a equipe visitante, que abriu 11/2. Contando com bom aproveitamento no bloqueio, a Unilever fez 18/09. E, no erro do Sesi-SP a equipe do Rio de Janeiro venceu por 21/13.

A Unilever abriu 2/0 no início do segundo set, mas o Sesi-SP empatou. No ponto de saque de Carol, a equipe carioca fez 06/03 e Talmo pediu tempo. Depois de duas grandes defesas da líbero Fabi, Juciely bloqueou e conseguiu o ponto para o time do Rio: 08/05. A ponteira Mari entrou em quadra pelo time do Sesi-SP e deu novo ânimo ao grupo. A equipe paulistana, então, diminuiu a vantagem adversária: 13/12. Mas a Unilever voltou a abrir (16/12) e fechou em 21/15.

O terceiro set começou mais uma vez com vantagem para a Unilever (05/01). Mas o Sesi-SP não se entregou e chegou ao empate em 6/6. Com a central Fabiana, o time paulistano assumiu o comando do marcador: 09/08. A equipe da casa colocou cinco pontos de diferença em 16/11 e o técnico da Unilever, Bernardinho, pediu tempo. Mas o time de Talmo seguiu embalado e fechou o set em 21/14.

Animado pela vitória na parcial anterior, o Sesi-SP voltou bem e fez 2/0. No bloqueio, o time da casa fez 04/01. A equipe paulistana ainda fez 06/02 e a Unilever encostou em 6/5. Com a sérvia Mihajlovic, o time do Rio deixou tudo igual: 08/08. A Unilever virou o placar e colocou dois de vantagem na reta final: 19/17. No fim, melhor para o time do Rio de Janeiro por 21/18.

Sesi-SP perde por 3 sets a 1 para Praia Clube pela quinta rodada da Superliga feminina

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

No último ponto do terceiro set, vencido pelas anfitriãs por 22/20. Imagem: Reprodução Sportv

Em jogo realizado em Uberlândia (MG), pela quinta rodada da Superliga 2013/14, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada a noite desta segunda-feira (28/10) pelo Banana Boat Praia Clube. O placar foi de 3 sets a 1 (18/21, 21/15,22/20 e 21/12) em 1h45 de jogo.

O Sesi-SP venceu o primeiro set por 21/18, mas, depois de ajustar a linha de passe e de se destacar na defesa, a equipe mineira empatou. No terceiro set, mais disputado, uma decisão da arbitragem muito questionada pelas jogadoras do Sesi-SP tirou a concentração da equipe, que perdeu o quarto set por uma placar mais elástico.

Segundo a ponteira do Sesi-SP, Pri Daroit, que levou uma advertência que valeu um ponto para a equipe adversária em momento crucial do jogo, a arbitragem cometeu um erro, mas isso não justifica a derrota do time.

“Ficamos um pouco ansiosos no terceiro set. Estávamos na frente e o time não soube lidar com a vantagem e nós perdemos”, reconheceu a jogadora. “Também ocorreram alguns erros da arbitragem. O que aconteceu foi que ele [juiz] errou no final do terceiro, com placar 21 a 20. Ele me deu uma invasão que não existe”, defendeu. “Mas não vou justificar a perda do jogo por causa dele. O time tem de entrar com mais calma”, ponderou Pri Daroit.

A oposto Monique, do time anfitrião, foi a maior pontuadora da partida, com 17 acertos. Já a levantadora Juliana Carrijo, também do Praia Clube, levou o troféu Viva Vôlei, concedido à melhor da partida, em escolha feita pelo técnico do time vencedor.

Na avaliação da jogadora, a equipe mineira conseguiu ganhar força ao longo do jogo. “O grupo chegou muito quebrado, mas aos poucos fomos retomando esse volume de jogo que muitas equipes também não têm”, disse a levantadora. “Pouco a pouco a gente vai retomando e criando essa equipe”, completou.

O Sesi-SP acumula duas vitórias e três derrotas na competição. A próxima partida pela Superliga está programada para o final do mês de novembro, no dia 29/11, às 19h, diante do Barueri, no ginásio da Vila Leopoldina.

O jogo

O Sesi-SP começou o jogo de forma contundente e marcou 03/00 no primeiro minuto de jogo, vencendo o primeiro set da partida por 21/18. No segundo set, a equipe perdeu o ritmo e perdeu para o Praia Clube por diferença de seis pontos (21/15).

O terceiro set foi marcado pelo equilíbrio. Com placar de 20/20. O Sesi-SP levou uma advertência com cartão amarelo por invasão de quadra. O Praia Clube aproveitou o nervosismo das visitantes e marcou os dois pontos para fechar o set.

O quarto set começou com a expulsão de Pri Daroit e ponto para as adversárias do Praia Clube. Com um placar veloz, o time mineiro abriu vantagem de oito pontos (14/06) e resolveu a partida com vantagem de nove pontos (21/12).

Na Superliga feminina, Sesi-SP reage mas perde em casa para Pinheiros: 3 sets a 2

Agência Indusnet Fiesp com reportagem de Lucas Dantas

A equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada por 3 sets a 2 (19/21, 16/21, 21/18, 21/19, 12/15) na noite desta sexta-feira (25/10), no ginásio da Vila Leopoldina, pelo Esporte Clube Pinheiros. O jogo foi válido pela quarta rodada da Superliga feminina 2013/14).

Com a derrota, a equipe somou um ponto, totalizando oito pontos em quatro jogos. São duas vitórias (Rio do Sul e Minas Tênis Clube) e duas derrotas (São José dos Campos e Pinheiros) na competição.

O próximo compromisso, pela quinta rodada, está programado para o dia 28/10, às 19h, em Uberlândia (MG), diante do Banana Boat/Praia Clube.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Sesi-SP chegou a reagir, mas não conseguiu conter o Pinheiros no quinto set. Foto: Lucas Dantas/Fiesp



O jogo

No primeiro set, o Pinheiros esteve sempre na frente. Aproveitando erros do Sesi-SP, as visitantes exploraram as jogadas com a central Andreia, que marcou cinco pontos. O técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, tentou mudar o time, trocando a oposta Ivna por Neneca quando o placar apontava 20/17 para o Pinheiros. A equipe chegou a encostar em 19/20. Mas em toque de rede de Neneca, o Pinheiros fechou em 21/19, fazendo 1 a 0 na partida.

No segundo set, o cenário não melhorou.  A equipe continuou cometendo erros cruciais, além de não conseguir passar bem pelo bloqueio do Pinheiros. Pior, não fez nenhum bloqueio no set e mesmo com Pri Daroit e Ivna marcando nove pontos juntas, a equipe não conseguiu se impor na quadra e perdeu em 22 minutos pelo placar de 16/21. Ficou tudo para o terceiro set.

No terceiro, o Sesi-SP mostrou sua força. Com Barbara fechando bem o bloqueio, a equipe conseguiu pontos preciosos que desnortearam as adversárias, que não sabiam como atacar. Além disso, o número de erros foi bem menor. Já o Pinheiros, com 13 erros, estava completamente fora da partida. Neneca, que entrou no lugar de Ju Costa, e Pri Daroit comandavam as ações ofensivas. O Sesi-SP fechou o set em 21/18, botando fogo no jogo.

O quarto set foi inacreditável. O time voltou a cometer os erros que lhe custaram as duas primeiras etapas e o cenário parecia apontar para uma derrota. O Pinheiros jogava tranquilamente e abria vantagem sem se preocupar. Com o placar em 14/18, parte do público parecia dar como perdida a partida. Menos Ivna. A oposta chamou as arquibancadas para jogar com o time. E a torcida atendeu. Com gritos de “Sesi, Sesi”, inflamou a equipe que fez seis pontos na sequência e desmontou as rivais, fechando o set em 21/19 e jogando o placar para o tie-break.

No quinto set, a equipe saiu atrás e, apesar de esboçar uma reação, reduzindo de 08/14 para 12/14, o Pinheiros fechou o set em 15/12 e a partida em 3 sets a 2.

Líbero Verê aguarda resultado de exames para seguir na Superliga feminina

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545043416

Verê foi afastada preventivamente depois que, em exames de rotina, os médicos do Sesi-SP observaram um possível quadro de arritmia cardíaca.Foto: Everton Amaro

A exemplo do que acontecera na sexta-feira (23/02), a atleta Veridiana, a Verê, líbero do time de vôlei feminino do Sesi-SP, não foi escalada para enfrentar o Banana Boat/Praia Clube no primeiro jogo dos playoffs, realizado na noite de segunda-feira (25/02).

Verê foi afastada preventivamente depois que, em exames de rotina, os médicos do Sesi-SP observaram um possível quadro de arritmia cardíaca.

“Foi uma grande surpresa para mim e para toda minha família. Nunca tive nenhum tipo de problema. Por precaução, os médicos me afastaram do time”, disse a líbero.

Segundo Verê, os médicos do Sesi-SP realizaram uma nova bateria de exames e os resultados devem ser divulgados ainda esta semana. “A equipe médica deve se reunir para analisar as imagens e poder dar um diagnóstico certinho. Daí, a gente vai saber que tipo de tratamento vai ser feito.”

Otimista, Verê espera voltar às quadras ainda na edição 2012/13 da Superliga. “Tenho esperança de jogar os playoffs. Se eles decidiram me manter afastada é porque existe um risco que a gente não quer correr. Em primeiro lugar está a minha vida”, declarou.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais:

Veja outras notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte