Sesi-SP luta, mas se despede da Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) encerrou na noite desta sexta-feira (10/04), em Osasco, sua participação na Superliga Feminina 2014/2015. Jogando fora de casa, o time sofreu sua segunda derrota para o Molico/Nestlé por três sets a zero na série melhor de três pelas semifinais do campeonato. As parciais foram de 25/21, 25/17 e 25/14).

Ao final do jogo, o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, ressaltou a boa temporada que a equipe realizou.

“Esse jogo não vai apagar o que fizemos nessa temporada. Nossas atletas são muito guerreiras, fortes. Valeu muito o trabalho. Ter feito uma final no ano passado foi um amadurecimento para o time. A equipe toda está de parabéns por tudo que se dedicou. Se não conseguimos ir bem nesse jogo, foi mérito do Osasco e mais um  aprendizado para a gente”, disse.

Segundo o técnico, o Sesi-SP contou com um “time equilibrado,  mas que foi crescendo, amadurecendo e fez uma bela campanha”.

A capitã Fabiana reconheceu as falhas da equipe durante a partida, mas não deixou de elogiar o grupo e a trajetória positiva durante a competição.

“É uma grande equipe, tem grandes jogadoras, mas cometemos erros e perdemos a segurança em momentos importantes. Agora, por mais difícial que seja, temos que ingerir isso e pensar daqui para frente. Nós fomos bem, crescemos durante a campanha, nos classificamos bem, mas erramos nos momentos finais”, comentou.

Com erros para os dois lados, o jogo desta sexta-feira começou disputado. Mesmo com as adversárias abrindo o placar, as meninas do Sesi-SP logo se aproximaram no marcador, mas não conseguiram bater o time do Molico, que usou muito bem o bloqueio a seu favor.

O time de Talmo entrou em quadra com Fabiana, Carol Albuquerque, Suelle, Mari, Bárbara, Bia e a líbero Suelen. Entraram Claudinha, Liz, Michele Daldegan e Pri Daroit.

Com o resultado, o time de Osasco conquistou a vaga na final e enfrenta o Rexona-Ades. O Troféu Viva Vôlei ficou com Gabi, segunda maior pontuadora do jogo com 12 pontos. Pelo Sesi-SP, a pontuação foi liderada por Bárbara (10), Fabiana e Suelle com sete cada.

O jogo
O primeiro set começou com o time da casa abrindo dois pontos a zero, mas logo as meninas do Sesi-SP empataram. Com o bloqueio bem armado, o Molico não só parou o ataque das meninas da Vila Leopoldina como chegou ao primeiro tempo técnico do jogo na frente. Na volta, Talmo colocou Claudinha e Liz no lugar da Carol Albuquerque e Bárbara, e a vantagem que antes era de cinco pontos, caiu para três. Encaixando melhor os passes e virando as bolas o time, o Sesi-SP chegou a encostar no placar, mas foi a equipe de Osasco que garantiu o primeiro set com 25 a 21 pontos.

Diferente do início da partida, no segundo set o Sesi-SP saiu na frente fazendo com forte ataque da Bárbara pela lateral. Mas logo o Molico empatou e, aproveitando os erros do time da Vila, virou o placar e garantiu o primeiro tempo técnico. Mesmo com a levantadora Claudinha distribuindo bem as bolas, o paredão do lado adversário não facilitou e ele seguiu com a vantagem de quatro pontos até o segundo tempo técnico. Cometendo alguns erros no ataque, o  Molico cresceu um pouco mais na partida e ficou com mais um set, 25 a 17 pontos.

No começo do terceiro set o time de Osasco abriu quatro pontos de vantagem. Sem conseguir esboçar muita reação, o time da Vila mudou mais uma vez com a entrada da Liz, mas não conseguiu segurar a força do Molico, que fechou o primeiro tempo técnico com uma ampla vantagem de seis pontos. As comandadas de Talmo não conseguiram virar as bolas e encaixar os passes e ficou ainda mais longe no marcador, chegando a uma desvantagem de 11 pontos. Na volta da parada técnica, Suelle pontuou pela lateral de rede, Fabiana fez um ace, mas o bloqueio adversário tomou conta do jogo mais uma vez. O Molico/Nestlé finalizou o terceiro set com 25 a 14 pontos, e o jogo.

Sesi-SP perde para o Molico/Nestlé no 1o jogo da semifinal da Superliga Feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Em partida equilibrada na tarde deste sábado (4/4) na Vila Leopoldina, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) não conseguiu bater o Molico/Nestlé e perdeu por três setes a dois (11/25, 24/26, 25/22, 25/20 e 10/15) no primeiro confronto da semifinal. Agora a equipe precisa vencer a segunda partida, na próxima sexta-feira (10/04), às 22h em Osasco, para seguir na briga pela vaga na final da Superliga 2014/2015.

Como já era de se esperar, o jogo começou apertado e com as duas equipes atacando forte e virando bem as bolas. O Molico começou o jogo abrindo dois sets na frente, mas as meninas da Vila Leopoldina buscaram e empataram o jogo, levando a decisão para o tie-break. No quinto e último set o time do Sesi-SP não conseguiu bater a força das adversárias e não alcançou a vitória.

Com 18 pontos, sendo cinco de bloqueio, a central Fabiana foi a maior pontuadora do Sesi-SP, seguida pela Suelle com 12. O troféu Viva Vôlei foi para a líbero do Molico/Nestlé, Camila Brait.

O time entrou em quadra com Fabiana, Carol Albuquerque, Suelle, Pri Daroit, Bárbara, Bia e a líbero Suelen. Entraram Liz, Claudinha e Mari Cassemiro.

O jogo
O primeiro set começou com dois rallys e o Sesi-SP abrindo três pontos de vantagem, forçando o técnico do Molico a pedir tempo. Na volta, a equipe feminina do Osasco viraram bem as bolas e logo encostaram no marcador, garantindo o primeiro tempo técnico do jogo. Cometendo erros de recepção e ataque, as meninas da Vila não conseguiram encaixar bem os passes e as adversárias ampliaram o placar abrindo três pontos de vantagem. Mesmo com o técnico Talmo de Oliveira pedindo tempo para acalmar os ânimos, o Osasco garantiu o set com 25 a 11 pontos.

Apesar de o Molico sair na frente no começo do segundo set, o Sesi-SP empatou com uma boa sequência de saques da central Bia. O time de Osasco, no entanto, chegou ao primeiro tempo têcnico com dois pontos de vantagem, mas logo as meninas da Vila encostaram e deixaram o jogo mais equilibrado, chegando ao empate novamente. Vibrando muito em quadra e chamando a torcida, Fabiana virou o placar após bloquear o ataque das adversárias, mas na sequência acabou errando alguns ataques e o set foi mais uma vez do Molico (26 a 24 pontos).

O terceiro set começou apertado com as duas equipes atacando forte. Após uma boa sequência de saques de Bárbara, e boas viradas de bola da Fabiana, a equipe da indústria chegou ao primeiro tempo técnico na frente e ampliou a vantagem para três pontos, forçando o técnico do Molico a parar o jogo. Na volta, o time do Sesi-SP foi superior, soube virar melhor as bolas e, aproveitando os erros adversários, ampliou a distância no marcador em seis pontos, garantindo o segundo tempo técnico. O set seguiu favorável para as meninas da Vila, que souberam controlar melhor o placar e fechou com 25 a 22 pontos.

Dando continuidade ao bom desempenho do terceiro set, o Sesi-SP seguiu firme a abriu o marcador com três pontos vantagem, ampliando para quatro no primeiro tempo técnico do quarto set. Chamando a torcida a todo momento, Bárbara explorou bem o bloqueio e foi uma das responsáveis pela boa performance do time em quadra. O time chegou ao segundo tempo técnico mantendo uma boa distância das adversárias. Na volta, Talmo chamou Liz para o jogo e a atleta correspondeu às expectativas, pontuando no bloqueio e no ataque, a jogadora foi uma das armas para o time seguir na frente e fechar o set com 25 a 20 pontos, levando o jogo ao tie-break.

O quinto e último set começou com os dois times virando bem as bolas, mas foram as meninas do Sesi-SP que chegaram na frente na troca de lado da quadra. Em seguida, a equipe da Vila até conseguiu segurar bem o placar, mas as adversárias foram superiores e fecharam o set com 15 a 10 pontos, ganhando o jogo.

Sesi-SP supera apagão e conquista vaga para semifinal da Superliga Feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O objetivo era vencer e evitar o terceiro jogo e o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) o cumpriu com êxito. A vitória desta quarta-feira (26/3) sobre o Brasília Vôlei, em Taguatinga, por três sets a um (25/23, 15/25. 26/24, 25/12) sacramentou a classificação para a semifinal da Superliga Feminina 2014/2015, onde o time reeditará a mesma fase da última temporada, contra o Molico Osasco. Desta vez, porém, com a vantagem de fazer dois jogos em casa. A primeira partida será dia 4 de abril, na Vila Leopoldina.

Sem Monique, lesionada, mas com Fabiana e Bia liderando as estatísticas de pontos (16 e 15, respectivamente), o Sesi-SP teve dificuldades apenas no segundo set, quando um apagão deixou o time abatido em toda a etapa. Mas a superioridade técnica foi latente e mesmo no terceiro set, com o placar apertado, o time de Talmo de Oliveira soube se comportar melhor. A líbero Suelen ficou com o troféu Viva Vôlei.

Próximo adversário será o Molico Osasco e time tem a vantagem de fazer dois jogos em casa. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

O jogo

Embora lotado, o ginásio não atrapalhou os planos do Sesi-SP, que não sentiu a pressão e jogou com autoridade. As jogadoras do Brasília quiseram dar um recado para a torcida e através de Angélica e Edna, deram muito trabalho. Mas Bia e Suelle estavam inspiradas e equilibraram o confronto. A camisa 20 marcou cinco vezes no set, sendo dois pontos de bloqueio, e foi o destaque da etapa. O Brasília ainda teve o primeiro tempo técnico, mas o Sesi-SP virou e não perdeu mais a vantagem, até fechar com Suelle em 25 a 23 pontos, com ataque na saída de rede.

O segundo set não começou bem para o Sesi-SP e as donas da casa logo abriram quatro pontos de vantagem. Talmo pediu tempo para acertar a equipe. Na volta, Bárbara errou e o treinador a trocou por Liz. Não deu certo e aí quem saiu foi Carol Albuquerque para a entrada de Claudinha. Mas não resolveu e o primeiro tempo ficou com as donas da casa. E o set seguiu na toada com ampla vantagem do Brasília. O Sesi-SP cometia erro atrás de erro – foram 10 nesta etapa – e deu pontos de graça para o Brasília, que aproveitou e disparou no placar, até fechar em 25 a 15 pontos e empatar a partida.

O time da indústria entrou bem mais ligado no terceiro set, diminuindo os erros e, principalmente, aproveitando os ataques. O bloqueio não parou as bolas de Michelle e Edna, mas forçou os ataques por cima que acabavam indo para fora. O técnico Sérgio Negrão mexeu e colocou Jéssica. A ex-Sesi mudou a cara da partida e o Brasília, que perdia por três pontos, virou o marcador no primeiro tempo técnico. As meninas da Vila voltaram a cometer muitos erros, principalmente na recepção, deixando o Brasília escapar.

Talmo chegou a colocar Michelle Daldegan no passe no lugar de Fabiana para tentar diminuir o problema. Funcionou e o Sesi-SP empatou. E foi a central que salvou o set point do Brasília, virou o jogo e fechou o set em 26 a 24 pontos em sua especialidade, o bloqueio.

A virada abalou o Brasília que demorou a se encontrar no quarto set, deixando o Sesi-SP jogar livremente. Fabiana tomou conta da rede e o time de Talmo mostrou seu melhor jogo. Com mais segurança, o time da indústria atacou e pontuou praticamente de qualquer lugar da quadra. Foi questão de tempo para fechar em 25 a 12 pontos e sacramentar a classificação para a semifinal.

Com pouco tempo para treinar, Sesi-SP encara Brasília querendo fechar a série

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O time de vôlei feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) volta à quadra nesta quarta-feira (25/3), às 21h30, no ginásio do Sesi, em Taguatinga (DF), para a segunda partida das quartas de final da Superliga 2014/2015, contra o Brasília Vôlei, podendo fechar a série em dois jogos.

Com a vitória no último domingo por três sets a zero, o Sesi-SP precisa de mais um triunfo para anular a necessidade de uma terceira partida. Caso ocorra, o terceiro jogo será neste sábado (28/3), na Vila Leopoldina, capital paulista.

Como o último duelo entre as equipes foi no domingo, o técnico Talmo de Oliveira não teve muito tempo para trabalhar e mudar o que julgava ser necessário para o confronto desta quarta-feira. Por isso, apostou mais em treinos de recuperação e descanso, como o famoso pijama training, onde a meta é principalmente recondicionar o time para o novo jogo.

“Descansamos bem e nos preparamos para o jogo em Brasília. Fabiana jogou com cólicas, outras também sentiam alguma coisa. Então nós trabalhamos mais esse lado, de descansar, de fazer fisioterapia, colocar para treinar quem não jogou muito e preparar o time inteiro, pois vamos precisar de todas as jogadoras na quarta”, disse o treinador, que vai mandar o time para cima das rivais, buscando acabar com a disputa e ganhar tempo para as semifinais.

“Agora temos a chance de definir quarta em Brasília e matar a série. Se não conseguirmos, temos que nos preparar para mais um jogo aqui. É uma série complicada, definida em detalhes. Fizemos um bom jogo em casa, mas lá é outro jogo, outra história. Respeitamos muito o Brasília, um time experiente e com ótimas jogadoras, mas queremos a vitória e vamos buscar”, completou Talmo, que pretende chegar à terceira semifinal seguida de Superliga.

O treinador conta com uma jogadora que assumiu um papel determinante para a equipe. A oposta Bárbara, central de origem, entrou na vaga de Monique, machucada ainda no primeiro turno, e não saiu mais. Com 15 pontos no último confronto, a jogadora recebeu o Troféu Viva Vôlei pela quarta vez na Superliga (recordista no time ao lado de Monique) e enalteceu a atuação das companheiras, mas pediu o mesmo foco para a decisão em Brasília.

“Jogamos muito bem no domingo, com a cabeça no lugar e concentradas. Mas agora temos o duelo de quarta, que será muito difícil também e precisamos manter o nível para tentar fechar a série. Sabemos que é um jogo complicado, mas se entrarmos como no último confronto, temos totais condições de sair com a vitória e a classificação”, disse a oposta.

O jogo desta quarta-feira será transmitido pelo Sportv e será acompanhado pelas redes sociais no Twitter (@SesiSP_volei) e no Facebook (sesisp.volei).

Fiesp distribui redutores de vazão de água nas quartas de final da Superliga Feminina

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Para comemorar o Dia Mundial da Água, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) levou sua campanha Água na Medida para as quadras neste domingo (22/3). Durante o primeiro confronto do time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) nas quartas de final da Superliga Feminina 2014/2015, o presidente das entidades, Paulo Skaf, distribui kits com quatro redutores de vazão de água para torneiras de meia polegada.

Paulo Skaf participa de entrega de kit com redutores de água. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

A ação é um desdobramento da campanha da Fiesp para auxiliar a população no consumo consciente de água.  Em uma primeira iniciativa, a federação distribuiu na Avenida Paulista 500 mil redutores de vazão de água para torneiras. Depois aumentou a produção dos equipamentos para 1,5 milhão. Todos são distribuídos gratuitamente.

Na semana passada, Paulo Skaf entregou sete mil kits com as unidades para o Corpo de Bombeiros instalar os  em todos os batalhões do estado.  No começo do mês, o diretor do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, Nelson Pereira dos Reis, entregou dois mil kits de redutores para a Polícia Militar Ambiental.

Desenvolvidos por alunos do Curso de Aprendizagem Industrial – Ferramenteiro de Moldes Plásticos da Escola Senai Mario Amato, os anéis de plástico que reduzem o volume de água das torneiras podem ajudar a reduzir o consumo em até 50%.

De uniforme especial, Sesi-SP abre quartas contra o Brasília

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Tudo será azul para as meninas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) neste domingo (22/3). Para marcar a comemoração do Dia Mundial da Água, o time da Indústria jogará com um uniforme especial o contra o Brasília, a partir das 12h30, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo. O duelo marcará o primeiro jogo das duas equipes nas quartas de final da Superliga Feminina 2014/2015. A segunda partida será na próxima quarta-feira (25/3), em Brasília. E se houver a necessidade de um terceiro jogo, este será realizado no dia 28, na capital paulista.

A tradicional camisa vermelha das guerreiras será substituída por uma azul clara, com detalhes em azul mais escuro na gola e nas bordas. O modelo traz ainda a logomarca da campanha Água na medida, uma iniciativa da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Cisp) para ajudar a população a diminuir o desperdício no consumo diário de água, com ações como a distribuição de redutores vazão de água para torneiras e cartilhas. Neste domingo, antes do jogo na Vila, haverá a distribuição gratuita de mil redutores para todos os torcedores, com a presença do presidente das entidades, Paulo Skaf.

Equipe de vôlei feminina do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

“Estamos vivendo uma crise hídrica. E nada melhor do que lembrar isso no Dia Mundial da Água e trazer esse alerta também para o esporte, que alcança um público muito grande. É preciso economizar e usar a água com consciência no nosso dia a dia, sem desperdícios. A camisa azul ficou linda e chama atenção para um problema global”, afirmou a capitã Fabiana.

Classificado em segundo lugar na Superliga, o Sesi-SP não tem dúvidas de que terá um adversário bastante complicado pela frente. O Brasília se classificou na sétima posição, com ótimas atuações no final da fase de classificação. As meninas da Vila venceram nos dois turnos (três a um no primeiro e três a dois no segundo), mas não esperam nenhuma facilidade no duelo deste domingo. A vitória em casa é crucial para chegar ao segundo jogo com chances de classificação antecipada às semifinais. A central Bia alerta para a boa campanha do Brasília e para a experiência das jogadoras adversárias.

“É um time rodado, experiente e muito técnico. Precisamos jogar muito, até porque a responsabilidade de jogarmos em casa é nossa. Não esperamos nada diferente de um jogo muito intenso e nervoso. Mas temos que conquistar esta vitória na Vila para podermos jogar fora com chances de evitar o terceiro jogo. Contamos com o apoio maciço da nossa torcida, que tem feito grande diferença e incentivado muito durante toda a competição”, disse a camisa 20, segunda melhor colocada nas estatísticas de bloqueio, com 29,2% de eficiência.

O jogo deste domingo será transmitido pelo Sportv. Os ingressos na Vila Leopoldina podem ser trocados por 1kg de alimento não perecível, que será doado à Casa do Pequeno Cidadão.

 

Sesi-SP recebe Osasco em jogo que pode definir classificação final da Superliga Feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Faltam apenas dois jogos para o término do turno de classificação da Superliga Feminina e o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sabe que não pode perder nenhum ponto, sob o risco de cair de posição e perder a vantagem de mando de quadra nos playoffs. Atualmente na segunda colocação com 55 pontos, mesmo que perca o clássico de sexta-feira (6/3) contra o Molico Osasco, às 21h30, na Vila Leopoldina, o Sesi-SP não cai para terceiro, mas terá que torcer contra as rivais, que possuem um jogo a menos, para se manter na vice-liderança. Após o duelo de sexta, as meninas da Vila terão apenas mais um jogo, contra o líder Rexona, fora de casa, dia 13/3. O Osasco, por sua vez, terá duas partidas: contra as cariocas e o confronto com São José fechando a fase.

Após o revés de terça-feira (3/3) contra o Praia Clube, uma derrota não passa pela cabeça do Sesi-SP. Para a levantadora Carol Albuquerque, o último jogo em Uberlândia serviu para acordar a equipe em momento crucial da Superliga.

“O resultado atrapalhou, ninguém queria perder, mas serviu como um alerta. Temos que entrar muito mais fortes sexta, contra o Osasco, para tentar os três pontos”, disse Carol, que já prevê como será a partida contra as rivais de São Paulo.

“É uma briga direta contra o Osasco agora. Elas virão com o time completo e a partida será decisiva para ver se mantemos o segundo lugar. Vai ser um jogão, com certeza, muito nervoso, com muita disputa dentro de quadra e a rivalidade toda. Elas estão em momento melhor, ganharam do Praia de três a zero e a gente perdeu, mas temos conjunto e time para brigar de igual”.

Nas últimas cinco partidas, o Sesi-SP levou vantagem sobre o Osasco. E durante a Superliga, as meninas da Vila sempre estiveram acima na tabela. Para Carol, o favorito é o outro time, com mais tradição, investimento e craques em quadra.

“O Sesi-SP não é favorito. Não mesmo. Favoritas são elas, pelo elenco cheio de atletas da seleção, pelo investimento maior feito e pelo histórico. Mas nós temos time e já mostramos que podemos igualar o jogo, e é o que vamos fazer”, finalizou a veterana levantadora de 37 anos.

No primeiro turno da Superliga, o Sesi-SP venceu o Osasco fora de casa pelo placar de três sets a zero. O jogo terá transmissão ao vivo pelo SporTV.

Sesi-SP vence o São Bernardo Vôlei pela Superliga feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Bem entrosadas, as jogadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceram o São Bernardo Vôlei por três sets a zero (25/21, 25/15 e 25/16) na noite desta segunda-feira (9/2), em São Bernardo, na Grande São Paulo. 

Com o resultado, a equipe do técnico Talmo de Oliveira assume a liderança da Superliga Feminina 2014-2015 com 47 pontos e dois jogos a mais do que o segundo colocado, o Rexona/Ades, com 46 pontos.

O time começou o jogo com o placar um pouco apertado, mas logo engrenou e assumiu a frente da partida. No segundo set, o São Bernardo Vôlei chegou a assumir a liderança, mas a força de Bia igualou o marcador e manteve a equipe mais uma vez com a vantagem. Aproveitando o bom momento da equipe, Talmo aproveitou para colocar todas as meninas para jogar.

“Fizemos um bom jogo. Tivemos um primeiro set mais adaptado. O tempo que ficamos parados levou à falta de ritmo, mas logo o time engrenou bem”, disse. “Eu até comecei a rodar, coloquei todo mundo para jogar, quase que um time inteiro. Claro que não é a mesma velocidade, leva um tempo para adaptar, pegar o ritmo, mas a vitória foi importante. Vamos focar para continuar bem”, completou.

O Sesi-SP atuou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Barbara, as centrais Fabiana e Bia, as ponteiras Pri Daroit e Suelle, e a líbero Suelen.

A central Bia foi o destaque da partida. Ganhou o troféu Viva Vôlei e foi a maior pontuadora com 14 pontos, sendo cinco de bloqueio. A jogadora Suelle marcou 12 pontos, Fabiana e Bárbara 10 pontos cada uma.

Sesi-SP em disputa pela Superliga 2014-2015. Foto: July Stanzioni/SM PRESS

O próximo compromisso do Sesi-SP será em casa. A equipe recebe no ginásio da Vila Leopoldina, em 20 de feveiro, sexta-feira, o Brasília Vôlei, pela sétima rodada do returno da Superliga.

O jogo
Após fechar o primeiro tempo técnico do primeiro set, a equipe feminina da indústria conseguiu manter a dianteira no placar. Com Fabiana acertando um ace e bloqueando forte, a equipe chegou abrir cinco pontos de vantagem durante o jogo e garantiu o set com tranquilidade.

Já no início do segundo período, o Sesi-SP abriu três pontos de vantagem. Mas logo o time do São Bernardo entrou no jogo, empatou e chegou a virar o placar fechando o primeiro tempo técnico na frente. Destaque no bloqueio, a central Bia parou o ataque das adversárias e empatou a partida. Com calma e entrosamento, o time do técnico Talmo fechou o segundo tempo técnico na frente e arrematou mais um set.

Com largadinha da Bia e Pri Daroit atacando forte pelo meio de rede, o time do Sesi-SP fechou o primeiro tempo técnico do terceiro set com seis pontos de vantagem. Talmo optou por rodar o time e colocou Mari Casemiro, Liz, Natália e a líbero Michele em quadra. As jogadoras logo pegaram o ritmo, mantiveram o bom ritmo e a boa vantagem até o fim, e vitória, do jogo.

Sesi-SP vence Rio do Sul e encerra 2014 na vice-liderança da Superliga feminina de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Em jogo na noite de segunda-feira (29/12) no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP), a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Rio do Sul/Equibrasil por 3 sets a 1 (25/19, 25/17, 29/31 e 25/16), em 2h05.

A central Bárbara, que, desde a lesão da titular Monique, vem jogando na posição de oposto, recebeu o Troféu VivaVôlei, de melhor jogadora da partida.

“Foi uma vitória importante. Não estou na minha posição, mas estou melhorando com o andamento dos treinos. Estou feliz porque o time saiu vitorioso. Ainda não tivemos uma atuação tão boa e sabemos que temos muito a melhorar, mas vencer é sempre bom”, disse Bárbara ao site da confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

A oposto Duda, do Rio do Sul, foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos.

O Sesi-SP do técnico Talmo de Oliveira atuou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Bárbara, as centrais Fabiana e Bia e as ponteiras Suelle e Mari, além da líbero Suelen. Entraram a ponteira Pri Daroit, a levantadora Claudinha e a oposta Liz.

A equipe volta às quadras no dia 7 de janeiro, às 17 horas (de Brasília), quando enfrenta o São José dos Campos, em casa.

Diante do líder Rio de Janeiro, Sesi-SP perde a invencibilidade na Superliga feminina

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) entrou em quadra nesta segunda-feira (22/12) contra o Rexona/Ades pela décima terceira rodada da Superliga 2014/15 e acabou perdendo a sua invencibilidade. Com o placar de 3 sets a 1 (20/25, 25/21, 20/25 e 18/25), a equipe do técnico Talmo de Oliveira ainda tem mais um jogo atrasado da terceira rodada para encerrar a sua participação no primeiro turno da competição.

Na partida, a ponteira Mari Cassemiro foi a maior pontuadora do Sesi-SP com 12 pontos, seguida da capitã Fabiana, com 10. Fofão, do Rio de Janeiro, levou o troféu Viva Vôlei.

O Sesi-SP iniciou a partida com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Bárbara, as ponteiras Suelle e Mari, as centrais Fabiana e Bia e a líbero Suelen. Entraram Claudinha, Pri Daroit e Liz.

Segunda colocada e com uma rodada a menos, a equipe da Vila volta a atuar após o feriado de Natal para enfrentar o Rio do Sul e fechar o primeiro turno. O jogo atrasado da terceira rodada será realizado na Vila Leopoldina, no dia 29 de dezembro, segunda-feira, às 18h. Caso vença, o time do Sesi-SP alcança os 32 pontos e permanece em segundo lugar na competição.

O jogo

O primeiro set começou com o time do Rio de Janeiro atacando forte e abrindo 00/04. Com a falta de pontuação, o técnico Talmo de Oliveira parou o jogo para acalmar a equipe e logo surtiu efeito. Com Bárbara explorando o bloqueio das adversárias, Suelle ampliando o placar com dois pontos seguidos de ataque e Fabiana bloqueando, o Sesi-SP empatou em 07/07. Mesmo com a aproximação no placar, foi o Rio que forçou o saque e garantiu o segundo tempo técnico (11/16). Voltando com fome de bola, as meninas da Vila pressionaram e aproveitaram cinco erros seguidos das adversárias para diminuir a diferença no placar (17/15), levando o técnico Bernardinho pedir tempo. Dois bloqueios seguidos da central Bia foram o suficiente para perturbar mais um pouquinho o lado adversário, mas não foram suficientes para conter as cariocas, que fecharam o primeiro set com 20/25, em 28 minutos.

Diferente do começo da partida, dessa vez foi o Sesi-SP que começou o segundo set na frente abrindo 04/01. Jogando forte, rodando bem as boas e com a Bárbara ocupando muito bem a função de oposta, as meninas da Vila não só aumentaram a vantagem como garantiram o primeiro tempo técnico (08/04). A evolução das meninas do Sesi-SP em quadra e os erros do time carioca forçaram o técnico Bernardinho parar o jogo para colocar sua equipe no lugar. Carol Albuquerque soube sentir o jogo e perceber que as atenções das adversárias estavam voltadas para a Fabiana e colocou a Bárbara e Mari para atacar e pontuar com força total, chegando ao segundo tempo técnico na frente com 16/14. Como já era de se esperar, o forte ataque da Gabi e o olhar atencioso da Nathalia levaram o Rio de Janeiro ao empate da partida em 20/20. Mas a entrada de Pri Daroit no lugar da Bárbara e a garra das meninas da Vila falaram mais alto e garantiram o empate na partida e o set em 25/21 com 28 minutos de jogo.

O terceiro set começou com a permanência da Pri Daroit como oposta no lugar de Bárbara. A equipe do Sesi-SP até saiu na frente no marcador, mas logo a partida se estabilizou e permaneceu equilibrada com as duas equipes pontuando. Mostrando mais uma vez a força que tem, a equipe carioca abriu uma vantagem de três pontos e fechou o primeiro tempo técnico na frente (05/08). Sem ficar atrás, as meninas da Vila mostraram sua garra e diminuíram a vantagem para dois pontos com a Pri atacando forte (14/16). Erros na defesa dos ataques das adversárias pesaram na conta do Sesi-SP e colocaram as cariocas na frente mais uma vez (20/25).

Assim como no começo do jogo, foi o Rio de Janeiro que abriu o placar no quarto set com 00/03. Mas diferentemente dos outros sets, quando as duas equipes permaneceram próximas no placar, o set começou dominado pela equipe do Rio de Janeiro, não dando chances para as meninas do Sesi-SP reagirem (02/08). As meninas da Vila até forçaram o saque, souberam usar os erros das adversárias, mas não conseguiram tirar a vantagem das cariocas, que chegaram ao segundo tempo técnico na frente (09/16). Mantendo a sincronia, o Rio de Janeiro soube administrar melhor a partida e fechou o quarto e último set com 18/25.

Sesi-SP mostra controle no final e supera Praia Clube na Superliga feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Suado e com doses de drama. Mas equilibrado e no final prevaleceu quem teve mais controle. Numa batalha de cinco sets, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) superou na noite de quinta-feira (11/12) , na Vila Leopoldina, o Dentil Praia Clube, de Uberlândia (MG),  por 3 sets a 2 (25/13, 22/25, 25/19, 21/25 e 15/08).

Invicta, equipe chegou à nona vitória na competição, Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

 

 

Com o resultado, a equipe do técnico Talmo de Oliveira venceu seu novo jogo, com 100% de aproveitamento, chegando aos 26 pontos na classificação e igualando-se com o Molico na liderança em pontos, mas perdendo no desempate de sets. Coincidentemente, a equipe de Osasco será o próximo rival, na terça-feira (16/12).

No confronto com o Praia Clube, Cada equipe venceu um set e empurrou a decisão para o tie-break. No desempate, o Sesi-SP soube ter mais controle emocional e abrir boa vantagem, mesmo não contando com Monique, que se machucou na etapa final.

A vitória mostrou a força da equipe da Vila Leopoldina e a quantidade de opções no banco. Talmo mexeu bastante e aprovou a entrada de suas jogadoras e o controle da equipe, que pela primeira vez chegou aos cinco sets na competição.

“A gente tem treinado e colocado para todas as jogadoras que elas podem fazer qualquer posição. A gente tinha a Bárbara para fazer a posição de oposta. Mas a Monique estava entrando no saque e a gente precisava de um fundo de quadra com o placar que estava abrindo. Aí entrou a Suelle, que é incomparável no fundo, e o melhor saque da Superliga. Todo mundo está preparado para qualquer posição.”

A melhor do jogo e premiada com o Viva Vôlei, a líbero Suelen, também elogiou o controle da equipe no quinto set, mas preferiu explicar a vitória com base no bom rendimento nos fundamentos.

“Foi suado mesmo e agora, nessa sequência de dois jogos por semana, quem estiver melhor na parte física vai sair na frente. É uma pedreira os jogos com [as equipes de] Osasco e Rio. Nos demos bem no quinto set porque sacamos bem e defendemos bem, isso facilitou nosso lado e complicou para o Praia”.

O jogo

O Sesi-SP entrou em quadra com sua equipe titular, com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Monique, as ponteiras Suelle e Mari, as centrais Bia e Fabiana e a líbero Suelen. Com 25 pontos, Monique foi a artilheira do time da Vila, porém atrás de Tandara, que marcou 27 vezes.

O primeiro set já mostrou como seria o jogo. O Sesi-SP usaria suas opções para tentar o resultado. O Praia usaria Tandara e, se desse, o resto do time. E quem saiu na frente foi o Praia, exatamente com Tandara, sua principal arma. O Sesi-SP empatou com Monique, explorando o bloqueio. As rivais responderam, mas Monique, de novo, no bloqueio, virou para 03/02. O time da Vila começou em uma intensidade enorme, sabendo da dificuldade do adversário, e graças à oposta e à Fabiana, abriu boa vantagem no primeiro tempo técnico por 08/05. A equipe de Talmo mostrava superioridade em todos os fundamentos. A defesa funcionava com precisão e o ataque praticamente não errava. Com o passe na mão, Carol usou e abusou de Fabiana, Mari e Monique, que bombardearam a quadra do Praia, até fechar o primeiro set em 25/13.

O cenário no segundo set foi melhor para o Praia no início. O time de Uberlândia chegou a abrir 07/05, mas Fabiana, duas vezes e com um ace, empatou. Porém, Tandara colocou as rivais na frente de novo. A oposta estava afiada na segunda etapa e se tornou a principal arma do Praia. Sassá ampliou para 11/08 com um ace, mas Monique fez rodar de novo e diminuiu. O Praia seguiu na frente, mas Fabiana, de novo, empatou com bloqueio sobre Tandara em 13/13. Na sequência, ataque para fora de Ju Costa e o Sesi-SP virou. Mas a partida seguia ponto a ponto com as duas equipes se alternando no placar. A maior vantagem do Sesi-SP se deu por conta de ataque de Ju Costa para fora, abrindo 19/17 para a equipe da Vila. Mas foram muitos erros que pesaram contra o Sesi-SP e uma sequência de dois toques prejudicou o time que entregou pontos de graça para o outro lado. E o último do set foi exatamente assim, com Suelle passando com dois toques e fechando para o Praia o set em 25/23.

Para o terceiro set, Talmo trocou Carol por Claudinha e o time voltou a liderar a etapa. A levantadora estava inspirada e a distribuição de bolas passou a quebrar o sistema defensivo do Praia. As adversárias chegaram a liderar por um breve momento, mas Mari foi para o saque e emendou três pontos seguidos (um ace) e colocou o Sesi-SP de novo na fente (11/09). A vantagem aumentou com Bia no bloqueio em Tandara. O Praia encostou com a mesma oposta, mas Fabi, aproveitando bola de xeque, mandou para a quadra e fez 16/12. O Sesi-SP não perdeu mais a vantagem e só ampliou, aproveitando excelente jogo de Claudinha e o sistema defensivo que não deixava a bola cair. Assim, com Bia, foi questão de tempo até fehcar o set em 25/19.

O quarto set foi o mais disputado do jogo. O Praia começou muito melhor, a ponto de abrir 07/01. O Sesi-SP reagiu e diminuiu para 07/04 e seguiu na busca das rivais. A tensão em ambas equipes era clara em quadra e muitas discussões nos pontos surgiram. O Sesi-SP empatou em 13/13, mas não passou. Tandara, com um ace, abriu dois de vantagem (19/17), mas Monique, em contra-ataque, diminuiu. Todos os dois toques que a arbirtragem deu no segundo set, não deu nesse e num erro claro de Isabela, o Praia abriu 20/18, gerando revolta no ginásio. O time da Vila acabou perdendo o controle e não conseguiu mais chegar, perdendo também o set por 25/21 e levando a partida para o tie break.

Quem saiu na frente no set decisivo foi o Sesi-SP, após Tandara atacar na rede. Mas a mesma Tandara empatou, explorando o bloqueio de Bia e Monique. Na sequência, erro de passe de Pri, levantamento falho de Carol e Letícia segurou Bia, virando o jogo. Com calma, o Sesi-SP buscou. Pri empatou e novo ataque de Tandara, dessa vez para fora, colocou o time da Vila em vantagem. Daí foi abrir gordura aproveitando os erros rivais e chegar à parada técnica com 08/04, mas perdendo Monique, que caiu e torceu o pé. O jogo poderia virar drama, mas o time não se perdeu em quadra e seguiu pontuando. Com regularidade impressionante, o Sesi-SP matou o Praia com uma sequência de cinco pontos seguidos e fechou o set e o jogo em 15/08. conquistando sua nona vitória em nove jogos.

Sesi-SP arrasa Pinheiros e conquista oitava vitória seguida na Superliga feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Monique com o troféu Viva Vôlei. Foto: Amanda Santos/Fiesp

Com uma atuação segura, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria superou na noite desta terça-feira (09/12) o Esporte Clube Pinheiros por 3 sets a 0 (25/19, 25/22 e 25/22), na casa do adversário. É oitava vitória seguida na Superliga 2014/15.

Com o resultado, o Sesi-SP chega aos 24 pontos e assume a liderança. Se o Molico Osasco perder para o Praia Clube por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1, o time dorme na primeira posição mesmo com um jogo a menos.

Na vitória sobre o Pinheiros, destaque para a oposto Monique, que marcou 16 pontos e levou o Viva Vôlei. O troféu é dado à melhor jogadora da partida em escolha da comissão técnica da equipe vencedora.

Agora, o time se prepara para o jogo contra o Dentil/Praia Clube na próxima quinta-feira (11/12), às 21h30, na Vila Leopoldina. Em caso de vitória, o time assume a liderança da tabela antes do clássico contra o Osasco.

Para o técnico Talmo de Oliveira, o jogo foi de paciência e estratégia, mas o resultado premiou a equipe mais tranquila e deu mais moral para suas comandadas.

“Fizemos um jogo de muita paciência. Soubemos aproveitar os erros delas. E quando o Pinheiros não forçou o saque, nós tivemos tranquilidade. Os dois times fizeram um bom jogo de saque, o que exigiu muitas viradas. Cada um sacando de um jeito, mas conseguimos uma bela vitória, um 3 sets a 0 que nos deixa mais seguros para seguir trabalhando”, disse o técnico.

Talmo mandou para quadra seu time titular completo com a levantadora Carol Albuquerque, Monique, as ponteira Suelle e Mari, as centrais Bia e Fabiana, além da líbero Suelen.

Suelle ataca pela ponta. Foto: Ricardo Bufolin/ECP

 

O jogo

O primeiro set começou com o esperado equilíbrio entre as equipes. Sesi-SP e PInheiros não conseguiam abrir vantagem até o primeiro tempo técnico, conseguido pela equipe da casa (07/08). Na volta, Mari atacou bem duas vezes seguidas e virou a partida, que não mudou mais o panorama até seu final em 25/19, com bloqueio de Bia.

Na etapa seguinte, o Pinheiros começou muito bem abrindo 06/02. Talmo parou e acertou a equipe que pontou sem parar e empatou em 06/06 após bloqueio de Suelle. Porém, as donas da casa voltaram a marcar e ficar em vantagem, chegando a abrir 17/14. Novamente, Talmo pediu tempo e com calma as Meninas da Vila chegaram a 20/20. Com Bia no bloqueio eficiente, as Guerreiras viraram para 23/20. E a mesma Bia marcou de bloqueio o 24° e de ataque o 25°, encerrando o segundo set em 25/22.

Abaladas pela perda do segundo set, as jogadoras do Pinheiros se perderam no início da terceira parcial e deixaram o Sesi-SP abrir 04/00 e o primeiro tempo técnico em 08/03. A gordura acumulada no início fez diferença para o Time da Vila Leopoldina que foi pontuando e segurando as rivais. Fabiana fazia a diferença no meio  da rede, enquanto Monique era usada por Carol para destruir a defesa do Pinheiros. Com a superioridade latente, era questão de tempo até fechar, com Fabiana, em 25/22 e conquistar a oitava vitória seguida.

Vôlei: equipe feminina do Sesi-SP espera ‘caldeirão’ em Uberlândia no 2º playoff

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Depois da vitória sobre o Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 1, no domingo (23/03), a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) já começou a preparação para a segunda partida válida pelas quartas de final da Superliga feminina, programada para sábado (29/03), às 13h.

Se vencer, o Sesi-SP conquista a classificação para as semifinais. Mas a equipe sabe que não será fácil enfrentar o adversário em Uberlândia (MG).

“Vai ser um jogo dificílimo. Lá é um caldeirão. Mas esta fase, de quartas  de final, é um campeonato para gente grande. E estamos preparadas para tudo”, resume a ponteira Pri Daroit.

A jovem central Bia, de 22 anos, concorda. “É um dos lugares em que a torcida mais apoia. A torcida vai junto, milhares de pessoas gritando por elas. Mas acho que isso não pode influenciar.”

Mais experiente, a central bicampeã olímpica Fabiana Claudino diz que a equipe não pode se abalar diante da torcida adversária. “Nessa hora temos que estar prontos para tudo. Nosso objetivo é chegar até a final.”

Na análise do técnico Talmo de Oliveira, a vitória no primeiro jogo valeu pelo resultado, mas é preciso aproveitar a semana para corrigir alguns problemas observados no domingo (23/03). “A gente sabe que lá a pressão é grande e vai ser um jogo muito difícil.”

A equipe, de acordo com a líbero Suelen, precisa ajustar a qualidade do passe. Segundo ela, esse fundamento deixou a desejar no primeiro duelo. “A gente vinha passando muito bem, mas no domingo ficou num percentual de 40, 50%. É isso que nesta semana vamos focar para poder melhorar.”

Para a levantadora Dani Lins, a maior carga de treinamentos já passou. “Agora, é mais cabeça: tranquilidade e paciência.”

Sesi-SP confirma bom momento e vence São Bernardo na Superliga feminina

Agência Indusnet Fiesp

Suelle foi o destaque da partida e ganhou o Troféu Viva Vôlei. Foto: Divulgação/Sesi-SP

Jogando como visitante, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) bateu na noite desta terça-feira (25/02) a do São Bernardo por 3 sets a 0 (21/16, 21/13 e 21/14). A partida, válida pela Superliga 2013/14, aconteceu no ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo, no ABC Paulista.

Com o resultado, o Sesi-SP mantém a quarta colocação, chegando a 44 pontos, quatro à frente do quinto lugar, o Banana Boat/Praia Clube (40 pontos), nessa fase classificatória. Pelo regulamento da competição, os quatro mais bem colocados ao final dessa fase levam para os playoffs a vantagem de jogar uma eventual terceira partida decisiva em casa.

O Sesi-SP atuou com a oposta Ivna, as centrais Fabiana e Bia, as ponteiras Dayse e  Suelle e levantadora Dani Lins, além da líbero  Suelen. Também atuaram as ponteiras Mari Cassemiro e Pri Daroit, a oposta Neneca e Carol Albuquerque.

Ivna liderou a pontuação com 10 acertos, oito de ataque e dois de bloqueio. Fabiana fez nove pontos, seguida por Bia (oito), Dayse e Suelle (ambas com sete), Dani Lins (quatro) e Mari e Neneca (ambas com um ponto).

Na próxima rodada, a 11ª do segundo turno, o Sesi-SP recebe o Brasília Vôlei no ginásio da Vila Leopoldina, em partida programada para o dia 06/03, às 19h30.

Após título histórico, Sesi-SP encara Barueri nesta quarta-feira (12/02) pela Superliga

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

A capitão Fabiana lidera o time do Sesi-SP, que depois do título sul-americano, está focado na Superliga. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Depois da tempestade sempre vem a bonança, diz o ditado. E a má fase, definitivamente, ficou em 2013. Com um início arrasador em 2014, o time feminino do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) virou “a bola da vez” no vôlei nacional. Não é para menos. Na Superliga, neste ano, são seis vitórias seguidas, com apenas um set perdido; a equipe é finalista da Copa Brasil e campeã invicta do Sul-Americano, sem perder nenhum set e com direito a uma vitória histórica sobre o Molico Osasco na final. O título veio para coroar a boa fase, mas, para a capitã Fabiana, também aumentou a responsabilidade do Sesi-SP, que se tornou o time a ser vencido.

“Agora todo mundo vai querer ganhar do Sesi-SP e a responsabilidade aumentou bastante. Ganhar é ótimo, mas a responsabilidade aumenta também, e precisamos corresponder para não deixar o nível cair. Precisamos vencer os jogos e acumular pontos desde já”, disse a capitã.

O primeiro desafio do campeão sul-americano é nesta quarta-feira contra o Barueri, no ginásio José Correa, na Grande São Paulo, às 19h30. Para Fabiana, o time deve comemorar a classificação para o Mundial da Suíça, mas o foco tem que voltar para o campeonato nacional, onde o Sesi–SP ocupa a quarta posição, 10 pontos atrás da Unilever, terceira colocada.

“Agora vamos para jogar muito mais na Superliga e melhorar nossa classificação. O objetivo é chegar na final e não será nada fácil. Ganhamos a vaga para o Mundial, é muito bom, vamos comemorar, mas o foco volta a ser a Superliga, onde estamos bem atrás das três primeiras classificadas”.

Fabiana é exigente e se cobra demais. Ciente da responsabilidade que tem e do nome que carrega no voleibol mundial, a camisa 1 curte o bom momento, porém quer melhorar ainda mais para ajudar a equipe a conseguir novos títulos.

“Fico feliz demais com essa vitória e a conquista. E eu me cobro muito, quero estar sempre bem. De um tempo para cá eu não estava sendo a jogadora de sempre e estava me cobrando bastante por isso. Precisava voltar a ser a capitã, comandar a equipe, ter essa responsabilidade. E tenho que encarar isso de frente e vou encarar. Meu objetivo é melhorar cada vez mais, crescer e subir sempre junto com a equipe”.

A respeito da classificação para o Mundial de Clubes, que será disputado em Zurique, de 06 a 11 de maio, Fabiana confessou não saber muito sobre as rivais que irá encontrar, mas revelou sua felicidade por estar voltando a ser a central decisiva que o mundo conhece, além de assumir a responsabilidade de liderar o Time da Indústria em mais uma competição.

“Eu não conheço as equipes que estão lá. Sei por já ter jogado que é um campeonato forte e temos que estar focadas o tempo todo. Fico muito feliz em ajudar a levar o Sesi-SP para esse Mundial, um campeonato grande e muito visado. Farei de tudo, junto com o time, para trazer esse título inédito para o Sesi-SP”, finalizou.

Serviço
Superliga 2013/2014
Sesi-SP x Barueri
Data: 12 de fevereiro, quarta-feira, às 19h30
Local: Ginásio José Corrêa – Avenida Guilherme P. Guglielmo, nº 1000 – Centro – Barueri, São Paulo

Vôlei do Sesi-SP perde para Unilever/Rio de Janeiro na Superliga feminina

Agência Indusnet Fiesp

Em jogo válido pela nona rodada da Superliga feminina, a equipe do Serviço Social de Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada por 3 sets a 1 pelo time da Unilever/Rio de Janeiro na noite de terça-feira (10/12), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo (SP). Os parciais a favor das atuais campeãs da competição foram os seguintes: 21/13, 21/15, 14/21 e 21/18, em 1h40 de partida.

Ponteira do Sesi-SP, Suelle tenta superar bloqueio da Unilever. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

A ponteira Priscila Daroit, do Sesi-SP, foi a maior pontuadora do confronto, com 16 acertos, comentou o jogo ao site da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV).

“Nos dois primeiros sets, jogamos muito abaixo do que vínhamos treinando. A partir do terceiro, começamos a colocar em pratica o que tínhamos trabalhado e o quarto foi equilibrado o tempo inteiro. E, contra um time como o deles, que é muito entrosado, não podemos cometer erros. Um time de alto nível tem que jogar no equilíbrio sempre. Mas o que passou não vai voltar mais e temos que ter cabeça boa para os jogos que teremos pela frente”, destacou Pri Daroit.

O Sesi-SP do técnico Técnico: Talmo de Oliveira atuou com Dani Lins, Ivna, Ana Beatriz, Fabiana, Suelle e Pri Daroit. Suelen foi a líbero. Entraram: Neneca, Carol Albuquerque, Mariana e Dayse.

Sob o comando de Bernardinho, a equipe da Unilever/Rio de Janeiro entrou com Fofão, Sarah, Juciely, Carol, Mihajlovic e Gabi. Fabi foi a líbero. Também jogaram Bruna, Roberta, Amanda e Régis.

A líbero da Unilever, a bicampeã olímpica Fabi, foi eleita a melhor do jogo e saiu de quadra com o Troféu VivaVôlei em mãos.

O Sesi-SP, que vem de três derrotas consecutivas na competição – Vôlei Amil, Molico/Osasco e Unilever/Rio de Janeiro – volta a jogar na sexta-feira (13/12), contra o São Bernardo, na Vila Leopoldina.


O jogo

A ponteira Mihajlovic abriu o placar do jogo. Com a própria sérvia no saque, a Unilever fez 04/00 e forçou o técnico Talmo a pedir tempo. Na volta, no bloqueio, a equipe carioca ainda fez 05/00. O jogo seguiu tranqüilo para a equipe visitante, que abriu 11/2. Contando com bom aproveitamento no bloqueio, a Unilever fez 18/09. E, no erro do Sesi-SP a equipe do Rio de Janeiro venceu por 21/13.

A Unilever abriu 2/0 no início do segundo set, mas o Sesi-SP empatou. No ponto de saque de Carol, a equipe carioca fez 06/03 e Talmo pediu tempo. Depois de duas grandes defesas da líbero Fabi, Juciely bloqueou e conseguiu o ponto para o time do Rio: 08/05. A ponteira Mari entrou em quadra pelo time do Sesi-SP e deu novo ânimo ao grupo. A equipe paulistana, então, diminuiu a vantagem adversária: 13/12. Mas a Unilever voltou a abrir (16/12) e fechou em 21/15.

O terceiro set começou mais uma vez com vantagem para a Unilever (05/01). Mas o Sesi-SP não se entregou e chegou ao empate em 6/6. Com a central Fabiana, o time paulistano assumiu o comando do marcador: 09/08. A equipe da casa colocou cinco pontos de diferença em 16/11 e o técnico da Unilever, Bernardinho, pediu tempo. Mas o time de Talmo seguiu embalado e fechou o set em 21/14.

Animado pela vitória na parcial anterior, o Sesi-SP voltou bem e fez 2/0. No bloqueio, o time da casa fez 04/01. A equipe paulistana ainda fez 06/02 e a Unilever encostou em 6/5. Com a sérvia Mihajlovic, o time do Rio deixou tudo igual: 08/08. A Unilever virou o placar e colocou dois de vantagem na reta final: 19/17. No fim, melhor para o time do Rio de Janeiro por 21/18.

Sesi-SP perde por 3 sets a 1 para Praia Clube pela quinta rodada da Superliga feminina

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

No último ponto do terceiro set, vencido pelas anfitriãs por 22/20. Imagem: Reprodução Sportv

Em jogo realizado em Uberlândia (MG), pela quinta rodada da Superliga 2013/14, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada a noite desta segunda-feira (28/10) pelo Banana Boat Praia Clube. O placar foi de 3 sets a 1 (18/21, 21/15,22/20 e 21/12) em 1h45 de jogo.

O Sesi-SP venceu o primeiro set por 21/18, mas, depois de ajustar a linha de passe e de se destacar na defesa, a equipe mineira empatou. No terceiro set, mais disputado, uma decisão da arbitragem muito questionada pelas jogadoras do Sesi-SP tirou a concentração da equipe, que perdeu o quarto set por uma placar mais elástico.

Segundo a ponteira do Sesi-SP, Pri Daroit, que levou uma advertência que valeu um ponto para a equipe adversária em momento crucial do jogo, a arbitragem cometeu um erro, mas isso não justifica a derrota do time.

“Ficamos um pouco ansiosos no terceiro set. Estávamos na frente e o time não soube lidar com a vantagem e nós perdemos”, reconheceu a jogadora. “Também ocorreram alguns erros da arbitragem. O que aconteceu foi que ele [juiz] errou no final do terceiro, com placar 21 a 20. Ele me deu uma invasão que não existe”, defendeu. “Mas não vou justificar a perda do jogo por causa dele. O time tem de entrar com mais calma”, ponderou Pri Daroit.

A oposto Monique, do time anfitrião, foi a maior pontuadora da partida, com 17 acertos. Já a levantadora Juliana Carrijo, também do Praia Clube, levou o troféu Viva Vôlei, concedido à melhor da partida, em escolha feita pelo técnico do time vencedor.

Na avaliação da jogadora, a equipe mineira conseguiu ganhar força ao longo do jogo. “O grupo chegou muito quebrado, mas aos poucos fomos retomando esse volume de jogo que muitas equipes também não têm”, disse a levantadora. “Pouco a pouco a gente vai retomando e criando essa equipe”, completou.

O Sesi-SP acumula duas vitórias e três derrotas na competição. A próxima partida pela Superliga está programada para o final do mês de novembro, no dia 29/11, às 19h, diante do Barueri, no ginásio da Vila Leopoldina.

O jogo

O Sesi-SP começou o jogo de forma contundente e marcou 03/00 no primeiro minuto de jogo, vencendo o primeiro set da partida por 21/18. No segundo set, a equipe perdeu o ritmo e perdeu para o Praia Clube por diferença de seis pontos (21/15).

O terceiro set foi marcado pelo equilíbrio. Com placar de 20/20. O Sesi-SP levou uma advertência com cartão amarelo por invasão de quadra. O Praia Clube aproveitou o nervosismo das visitantes e marcou os dois pontos para fechar o set.

O quarto set começou com a expulsão de Pri Daroit e ponto para as adversárias do Praia Clube. Com um placar veloz, o time mineiro abriu vantagem de oito pontos (14/06) e resolveu a partida com vantagem de nove pontos (21/12).

Na Superliga feminina, Sesi-SP reage mas perde em casa para Pinheiros: 3 sets a 2

Agência Indusnet Fiesp com reportagem de Lucas Dantas

A equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada por 3 sets a 2 (19/21, 16/21, 21/18, 21/19, 12/15) na noite desta sexta-feira (25/10), no ginásio da Vila Leopoldina, pelo Esporte Clube Pinheiros. O jogo foi válido pela quarta rodada da Superliga feminina 2013/14).

Com a derrota, a equipe somou um ponto, totalizando oito pontos em quatro jogos. São duas vitórias (Rio do Sul e Minas Tênis Clube) e duas derrotas (São José dos Campos e Pinheiros) na competição.

O próximo compromisso, pela quinta rodada, está programado para o dia 28/10, às 19h, em Uberlândia (MG), diante do Banana Boat/Praia Clube.

Sesi-SP chegou a reagir, mas não conseguiu conter o Pinheiros no quinto set. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 


O jogo

No primeiro set, o Pinheiros esteve sempre na frente. Aproveitando erros do Sesi-SP, as visitantes exploraram as jogadas com a central Andreia, que marcou cinco pontos. O técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, tentou mudar o time, trocando a oposta Ivna por Neneca quando o placar apontava 20/17 para o Pinheiros. A equipe chegou a encostar em 19/20. Mas em toque de rede de Neneca, o Pinheiros fechou em 21/19, fazendo 1 a 0 na partida.

No segundo set, o cenário não melhorou.  A equipe continuou cometendo erros cruciais, além de não conseguir passar bem pelo bloqueio do Pinheiros. Pior, não fez nenhum bloqueio no set e mesmo com Pri Daroit e Ivna marcando nove pontos juntas, a equipe não conseguiu se impor na quadra e perdeu em 22 minutos pelo placar de 16/21. Ficou tudo para o terceiro set.

No terceiro, o Sesi-SP mostrou sua força. Com Barbara fechando bem o bloqueio, a equipe conseguiu pontos preciosos que desnortearam as adversárias, que não sabiam como atacar. Além disso, o número de erros foi bem menor. Já o Pinheiros, com 13 erros, estava completamente fora da partida. Neneca, que entrou no lugar de Ju Costa, e Pri Daroit comandavam as ações ofensivas. O Sesi-SP fechou o set em 21/18, botando fogo no jogo.

O quarto set foi inacreditável. O time voltou a cometer os erros que lhe custaram as duas primeiras etapas e o cenário parecia apontar para uma derrota. O Pinheiros jogava tranquilamente e abria vantagem sem se preocupar. Com o placar em 14/18, parte do público parecia dar como perdida a partida. Menos Ivna. A oposta chamou as arquibancadas para jogar com o time. E a torcida atendeu. Com gritos de “Sesi, Sesi”, inflamou a equipe que fez seis pontos na sequência e desmontou as rivais, fechando o set em 21/19 e jogando o placar para o tie-break.

No quinto set, a equipe saiu atrás e, apesar de esboçar uma reação, reduzindo de 08/14 para 12/14, o Pinheiros fechou o set em 15/12 e a partida em 3 sets a 2.

Líbero Verê aguarda resultado de exames para seguir na Superliga feminina

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Verê foi afastada preventivamente depois que, em exames de rotina, os médicos do Sesi-SP observaram um possível quadro de arritmia cardíaca.Foto: Everton Amaro

A exemplo do que acontecera na sexta-feira (23/02), a atleta Veridiana, a Verê, líbero do time de vôlei feminino do Sesi-SP, não foi escalada para enfrentar o Banana Boat/Praia Clube no primeiro jogo dos playoffs, realizado na noite de segunda-feira (25/02).

Verê foi afastada preventivamente depois que, em exames de rotina, os médicos do Sesi-SP observaram um possível quadro de arritmia cardíaca.

“Foi uma grande surpresa para mim e para toda minha família. Nunca tive nenhum tipo de problema. Por precaução, os médicos me afastaram do time”, disse a líbero.

Segundo Verê, os médicos do Sesi-SP realizaram uma nova bateria de exames e os resultados devem ser divulgados ainda esta semana. “A equipe médica deve se reunir para analisar as imagens e poder dar um diagnóstico certinho. Daí, a gente vai saber que tipo de tratamento vai ser feito.”

Otimista, Verê espera voltar às quadras ainda na edição 2012/13 da Superliga. “Tenho esperança de jogar os playoffs. Se eles decidiram me manter afastada é porque existe um risco que a gente não quer correr. Em primeiro lugar está a minha vida”, declarou.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais:

Veja outras notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte