Fabiana lidera e Sesi-SP arrasa Uniara pela Superliga feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Ninguém tem dúvida que Fabiana é a jogadora mais famosa da equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Mas ela também é uma líder, que cativa, comanda, abraça e joga. E muito. Com 13 pontos, a capitã comandou o time na vitória por 3 sets a 0 (25/18, 25/17 e 25/19) sobre o Uniara, nesta sexta-feira (30/01), na Vila Leopoldina, resultado que manteve a equipe na segunda colocação da Superliga 2014/15, a dois pontos do Rexona/Rio de Janeiro. O próximo confronto será no dia 09 de fevereiro, fora de casa, contra o São Bernardo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Com 13 pontos no jogo, Fabiana foi homenageada pelas companheiras depois de ser vítima de um ato racista em Minas. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação


Fabiana foi o centro das atenções desde que pisou em quadra. As jogadoras do Sesi-SP utilizaram seus protetores de braço na cor negra, para homenagear a capitã, vítima de ofensas racistas no jogo contra o Camponesa Minas, na terça-feira (27/01). A torcida vibrava a cada vez que a camisa 1 ia para o saque e pedia insistentemente por um ace, para explodir de vez. Ele veio apenas no terceiro set, mas  durante todo o jogo Fabizona – como é conhecida – soube retribuir o carinho com uma grande atuação que lhe valeu o troféu Viva Vôlei da noite.

Ao final da partida, a bicampeã olímpica falou sobre a maratona de jogos e viagens pela qual o time passou. E admitiu estar aliviada porque os próximos jogos serão em São Paulo, depois de uma série de compromissos em cidades como São Luis, Cuiabá, Rio do Sul e Belo Horizonte.

“Não é desculpa, mas rodamos demais. Agora teremos uma etapa em São Paulo e isso será essencial para corrermos atrás do Rio e tentar pegar a liderança, ou ficar o mais próximo possível dela. Tivemos alguns vacilos, mas o time está muito bem e vamos correr atrás.”

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Fabiana recebe o troféu Viva Vôlei. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Talmo de Oliveira mandou a força máxima para o jogo. Com Fabiana, a levantadora Carol, as ponteiras Suelle e Pri, as centrais Bárbara e Bia, além da líbero Suelen, o time entrou mostrando que queria matar o jogo o quanto antes, para não dar chances ao Uniara. O primeiro ponto foi das visitantes, e foi o único momento em que elas estiveram na frente. Logo o Sesi-SP virou para 04/01 e não parou mais. Suelle fazia grande partida, sendo a principal opção ofensiva de Carol no primeiro set. Com grande atuação também na defesa, não tardou para as Meninas da Vila fecharem a primeira etapa em 25/18, em ataque de Fabiana.

No segundo set, o Uniara apertou um pouco mais, porém não conseguiu tomar a dianteira da partida. O time da casa mandava com autoridade e ia construindo o placar sem maiores dificuldades. Talmo colocou Claudinha no lugar de Carol e o nível não caiu. Suelle continuava soltando o braço e marcando bem. Foram oito pontos só nessa etapa, que contribuíram bastante para ajudar o Sesi-SP a fechar em 25/17.

Faltava apenas um set para sacramentar a vitória e ela veio. Com Suelle mais “comedida” e marcando apenas um ponto, Fabiana liderou o time e não deixou o ritmo cair. Com cinco pontos da central, o time não teve problemas para fechar em 25/19, garantindo os três pontos em casa.

Na Superliga feminina, vôlei do Sesi-SP vence Rio do Sul por 3 sets a 0

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Pri Daroit: 17 pontos. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação (arquivo)

Em partida válida pela terceira rodada do returno da Superliga feminina de vôlei, o Sesi-SP derrotou na noite de sexta-feira (23/01) o Rio do Sul/EquiBrasil por 3 sets a0 (25/14, 25/18 e 25/20). O jogo aconteceu no Ginásio Municipal Artenir Werner, em Rio do Sul (SC).

A ponteira Pri Daroit, com 17 acertos, foi a maior pontuadora do confronto.

O Sesi-SP atuou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Barbara, as centrais Fabiana e Bia e as ponteiras Pri Daroit e Suelle, além da líbero Suelen.

O próximo compromisso do Sesi-SP também é fora de casa. A equipe vai para Belo Horizonte (MG), onde enfrenta na terça-feira (27/01), às 21h, o time da Camponesa/Minas, pela quarta rodada da Superliga.

Com o resultado, o Sesi-SP chega a 41 pontos e mantém a segunda posição na tabela de classificação, perdendo nos critérios de desempate para o Rexona-Ades/Rio de Janeiro.

Vôlei: meninas do Sesi-SP começam bem 2015 com vitória sobre São José

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Fabiana ataca pelo meio. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Autoridade, respeito, eficiência e precisão no saque. Esses foram os ingredientes da primeira vitória em 2015 do time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de são Paulo (Sesi-SP) nesta quarta-feira (07/01), contra o São José dos Campos, pela Superliga Feminina. A partida realizada na Vila Leopoldina foi rápida e mostrou a superioridade do time de Talmo de Oliveira, que chega aos 35 pontos, empatando com o Rio de Janeiro na liderança.

Com 11 pontos, Mari levou o troféu Viva Vôlei da noite. Agora, o time muda o chip e já pensa no Minas, adversário de sexta, às 19h30, pela Copa Brasil, também na Vila Leopoldina.

Talmo mandou para a quadra o time principal com Fabiana, Carol, Bárbara, Suelle, Mari, Bia e a líbero Suelen. Mas no decorrer da partida, mudou toda a equipe e entraram Liz, Michelle, Natália, Claudinha e Pri Daroit.

Praticamente não houve jogo no primeiro set. Com uma sequência de dez saques seguidos, Mari definiu a etapa. A camisa 10 entrou para o saque com o placar de 04/03 e só saiu com 14/03. E a eficiência no fundamento era geral. Suelle também caprichou e não deu chances para as rivais. Após a segunda parada técnica houve um relaxamento onde o São José cresceu, mas a gordura era enorme e o Sesi-SP fechou em 25/16.

No segundo set o jogo seguiu o script do primeiro. O Sesi-SP chegou a abrir 05/00 sem dificuldades, dominando a partida. Fabiana marcou quatro pontos de bloqueio e cresceu contra as adversárias. Liz também brilhou e Talmo começou a mexer na equipe, colocando Michelle, Claudinha e Pri em quadra. Bárbara voltou para o meio de rede e a eficiência não diminuiu. Sem maiores sustos, o Sesi-Sp fechou em 25/13, abrindo 2 sets a 0 na partida.

E não foi diferente na etapa derradeira. Poupando o time para sexta (09/01), Talmo manteve o grupo que fechou o set anterior e o nível não caiu. Sempre com seriedade e respeitando o São José, o Sesi-SP sabia que era melhor acabar logo com o jogo para garantir um descanso maior. Com tamanha diferença técnica entre as equipes, foi questão de tempo até fechar em 25/13 e sacramentar a vitória.

Sesi-SP é derrotado em casa pelo Montes Claros na Superliga masculina de vôlei

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Depois de chegar a abrir 2 sets a 1, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sofreu a virada e foi derrotado pela equipe do Montes Claros (MG) por 3 sets a 2 na noite desta quarta-feira (17/12) no ginásio da Vila Leopoldina, em jogo válido pela rodada inicial do returno da Superliga 2014/15. Os parciais foram de (22/25, 34/32, 25/21, 26/28 e 12/15).

Lucarelli foi o maior pontuador do jogo, com 24 pontos. Edinho, do Montes Claros, recebeu o Troféu Viva Vôlei.

O Sesi-SP do técnico Marcos Pacheco entrou em quadra com o levantador Marcelinho, o oposto Rafa, os centrais Riad e Aracaju, os ponteiros Lucarelli e Maurício, além do líbero Serginho. Entraram Theo, Rogério e Thiaguinho.

Quinto colocado da competição, com 21 pontos, o time da Vila espera reencontrar a sequência de vitórias e seguir firme na competição. O próximo compromisso está marcado para este sábado (20/12), às 11h, contra o Voleisul/Paquetá, em Novo Hamburgo (RS).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Marcelinho e Rogério não contêm ataque da equipe mineira. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação


O jogo

O Sesi-SP iniciou o primeiro set atrás. O time de Montes Claros forçou o saque logo no inicio da partida a abriu dois pontos de vantagem. Logo o time da Vila se organizou em quadra e chegou ao empate em 05/05. Ponto a ponto as equipes seguiram disputando o set e deixaram o jogo equilibrado. Com uma sequência de três erros seguidos, o Sesi-SP ficou atrás no marcador e logo o técnico Marcos Pacheco parou o jogo para acalmar a equipe. Mesmo com o pedido de tempo, foi o adversário que garantiu o segundo tempo técnico na partida, 13/16. A equipe correu atrás do placar com Serginho defendendo os contra-ataques e Marcelinho deixando as bolas perfeitas para Maurício atacar, mas o time de Montes Claros se saiu melhor e fechou o primeiro set com 22/25, em 27 minutos de jogo.

O segundo set começou muito parecido com o primeiro. O Montes Claros abriu o placar em 01/03, mas logo o Sesi-SP correu atrás do prejuízo e encostou nos adversários. Marcelinho trabalhou bem as jogadas com Maurício e Rogério, mas por uma diferença de dois pontos não fecharam o primeiro tempo técnico (6/8). Com fome de bola, o central Riad foi o responsável pelo primeiro ponto de saque na partida e pela virada do time no placar (12/11). Seguindo o bom momento na partida, Rogério, que entrou na metade do primeiro set, fez o seu segundo ponto de bloqueio e com ataques precisos de Maurício, o Sesi-SP chegou ao segundo tempo técnico na frente com 16/15. O set seguiu tão equilibrado que o time da Vila esteve mais de cinco vezes com a chance de fechar e garantir o set, mas os erros de saque dos dois lados impediam a ação. Até que um erro de saque de Montes Claros e a braçada de Lucarelli garantiram o segundo set para o Sesi-SP (34/32), empatando a partida.

Diferente dos dois primeiros, o terceiro set começou com os meninos da Vila mantendo a dianteira. Os dois pontos seguidos do Maurício e a atenção e concentração do time garantiram um bom desenvolvimento em quadra, levando-os ao primeiro tempo técnico (08/05). Fechando a passagem do ataque adversário e pontuando com firmeza, Riad colocou em quadra a força que todos conhecem e aumentou a vantagem do time (16/10). Enxergando muito bem a partida, o levantador Marcelinho usou e abusou da força de Riad e Lucarelli para manter o time na frente e garantir mais um set virando o jogo em 2 sets a 1 (25/21).

O quarto set começou com o oposto Theo no time titular no lugar do Rafael e a equipe de Montes Claros saindo na frente no marcador. Como já era de se esperar, os adversários entraram com fome de bola para garantir o set e já começaram fechando o primeiro tempo técnico na frente (07/08). Com ace de Maurício e boa defesa do Serginho no contra-ataque, o Sesi-SP manteve a vantagem dos adversários em um ponto apenas até o segundo tempo técnico (15/16). Após a parada, o time manteve a calma e virou o jogo (18/16). Perdendo a vantagem no placar após erros de recepção, o técnico Marcos Pacheco parou o jogo para tranquilizar o time e dar um gás para a busca do set e do jogo. Assim como no segundo set, a disputa passou da sua pontuação habitual e dessa vez foi o Montes Claros que definiu o set em 26/28 e empatou o jogo.

No tie break quem saiu na frente foi o Montes Claros. Com dois pontos seguidos de bloqueio, os adversários abriram 1/3 e forçaram Pacheco a parar o jogo. Retornando com mais calma, o Sesi-SP empatou o jogo com Theo sacando bem e manteve o equilíbrio na partida. Ponto a ponto, as duas equipes disputaram à risca o set e o jogo, mas os adversários se saíram melhores e ganharam não só o set (12/15) como a partida.

Sesi-SP assume a liderança da Superliga Feminina com show sobre Osasco

Amanda Santos, Agência Indusnet Fiesp

Com uma atuação próxima da perfeição, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi bem superior ao Molico Osasco e venceu na noite de terça-feira (16/12), na casa do adversário, o clássico por 3 sets a 0 (25/22, 25/13 e 25/17), com a ponteira Mari levando o Viva Vôlei.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Suelle (camisa quatro) e Fabiana (camisa um) : atuação próxima da perfeição. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação


Mas o time inteiro mereceu. As centrais Fabiana e Bia, a ponteira Suelle, a líbero Suelen, a levantadora Carol e a oposta Bárbara tiveram atuação próxima da perfeição. Com o resultado, o time assume a liderança com os mesmos 29 pontos que o Rexona/Rio de Janeiro, adversário na segunda-feira (22/12), na Vila Leopoldina.

Fabiana foi um caso à parte. A capitã segurou o ataque de Molico Osasco com uma atuação primorosa na rede. No segundo set, foram cinco bloqueios seguidos, o que ajudou o time a disparar no placar e a silenciar o ginásio. Com a camisa um em estado de graça, as Meninas da Vila sempre tiveram o protagonismo do jogo, desequilibrando completamente um confronto que prometia ser longo.

Para a levantadora Carol Albuquerque, a atuação foi retrato de uma equipe que sabe jogar e todas as peças podem ajudar, mesmo quando um desfalque do peso de Monique afeta o time.

“Está todo mundo muito bem e sabendo o que precisa ser feito. Temos uma equipe onde cada jogadora que entra sabe substituir a que sai. Mesmo com a Monique fora, soubemos jogar e virar as bolas, conseguindo uma vitória espetacular”, disse a camisa dois, que comentou também a sequência de jogos, com mais uma defesa da liderança na próxima segunda.

“Com certeza isso ajuda o time a se manter bem. São jogos fortes e mostramos que estamos bem e podemos chegar bem longe. Agora é descansar e se preparar para o Rexona, que é um time muito bem treinado pelo Bernardo e com excelentes jogadoras.”

O jogo

O Sesi-SP começou o primeiro set na frente, mas logo as meninas de Osasco empataram a partida. Com pontos de Bárbara e Suelle, o time da Vila conseguiu abrir dois pontos de vantagem em duas jogadas seguidas. Assim como o esperado, o set seguiu bem equilibrado, ponto a ponto as equipes avançavam no placar.

Mas foi o Sesi-SP que garantiu o primeiro tempo técnico com 08/06. Na volta, um saque bem aplicado de Suelle e um bloqueio de Fabiana, fizeram as meninas da Vila abrirem quatro pontos de vantagem forçando o técnico do Osasco pedir tempo.

O time do Sesi-SP aproveitou os erros de ataque e recepção das adversárias para ampliar a vantagem em seis pontos. Logo as meninas do Osasco recuperaram suas habilidades e diminuíram para dois pontos apenas, encostando e em seguida passando a frente no marcador. Com ataque de Fabiana pelo meio e bloqueio com Pri Daroit, o time da Vila garantiu mais uma virada no set e retomou a dianteira. Com dois bloqueios seguidos da central Bia, o Sesi-SP fechou o primeiro set com 25/22.

O segundo set começou com bloqueio da Mari e o time do Sesi-SP saindo na frente no placar. A vantagem até aumentou para três pontos, mas logo o time de Osasco encostou deixando o set equilibrado. Duas defesas seguidas da líbero Suelen e a finalização da Mari foram o suficiente para o time da Vila sair na frente e fechar o primeiro tempo técnico (08/07). Bloqueando muito bem as jogadoras do Osasco e virando bem as bolas, o Sesi-SP avançou na partida, abriu seis pontos de vantagem e fechou o segundo tempo técnico (16/10). Sem parar, as Meninas da Vila seguiram voando em quadra. Fabiana armou seu paredão e bloqueou as atacantes do Osasco em três bolas seguidas e aumentou ainda mais a vantagem no placar. Com ace de Suelle, ataques precisos e uma ampla vantagem, o Sesi-SP garantiu mais um set (25/13).

O terceiro set começou com erros de saque das adversárias, a central Bia bloqueando o ataque da Thaisa e o Sesi-SP abrindo 04/01. A vantagem logo no inicio da partida levou o técnico do Osasco a pedir tempo para esfriar a partida. Se no fim do segundo set Fabiana armou seu paredão, no terceiro foi a vez da Bia brilhar na posição e efetuar bloqueios perfeitos no inicio da partida, levando o Sesi-SP ao primeiro tempo técnico (08/04). Distribuindo bem as bolas, Carol Albuquerque soube servir com precisão as meninas que corresponderam a altura e seguiram mantendo a vantagem na partida. Erros de saque e ataque das adversárias facilitaram ainda mais a boa atuação das meninas da Vila, que garantiram mais um tempo técnico (16/11). Jogando na posição de oposto, a central Bárbara se desenvolveu muito bem em quadra a foi uma das responsáveis pela arrancada do time no set. Com ace de Suelle, a equipe do técnico Talmo de Oliveira fechou o último set em 25/17 e garantiu a vitória na partida por 3 sets a 0.

Valendo a liderança, Sesi-SP encara Osasco pela Superliga Feminina de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Mari. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

O time feminino de vôlei do Serviço Social da indústria de São Paulo (Sesi-SP) tem mais uma pedreira pela frente. Nesta terça-feira (16/12), a equipe da Vila Leopoldina encara o Molico Osasco no ginásio Jose Liberatti, às 21h45, valendo a liderança na tabela.

Com um jogo a menos, o Sesi-SP está empatado com o Molico na segunda posição, com 26 pontos. O líder, Rexona, tem 29, mas dez partidas. Caso vençam, as Meninas da Vila podem chegar a 29 e assumir a ponta pela diferença de sets.

Sabendo que o jogo contra o Osasco é diferente, a ponteira Mari prevê mais um embate complicado por todos os fatores. Mas confia no taco das suas jogadoras para conseguir sair do barulhento ginásio com mais uma vitória.

“Sempre é diferente jogar lá. A rivalidade é muito grande, é um clássico mesmo.  E a gente vai entrar com tudo, mesmo com a perda da Monique. As próprias jogadoras do Osasco falam que contra o elas nós jogamos diferente. E jogar lá é muito difícil, o ginásio é escuro, a torcida fica muito em cima atrapalhando, é complicado. Mas quando entramos focadas, nós conseguimos superar”, disse a camisa 10.

A oposta Monique sofreu uma lesão ligamentar no tornozelo esquerdo, com previsão de volta em seis semanas. Apesar de lamentar a perda da companheira, Mari garante que o grupo inteiro saberá superar o problema, mas precisa prestar atenção com uma velha conhecida de casa.

“O nosso time é quase o mesmo do ano passado e elas tiveram tempo para se adaptar e se conhecer. Então, está tudo igual. A Dani Lins é, para mim, a melhor levantadora do Brasil. Vai fazer a diferença, mas nós temos um grupo muito forte. Não é uma só jogadora, é o time. Vamos sacar muito bem e ir pra cima.”

O jogo desta terça terá transmissão pelo canal Sportv às 21h45.

Superliga feminina: Sesi-SP dá show em quadra e vence Camponesa-Minas

Amanda Santos, Agência Indusnet Fiesp

Com uma atuação praticamente perfeita, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) garantiu mais três pontos ao superar na noite de sexta-feira (21/11), no ginásio da Vila Leopoldina, o Camponesa-Minas, por 3 sets a 0 (25/19, 25/12 e 25/14).

É a terceira vitória em três jogos do Sesi-SP na Superliga feminina 2014/15 – a equipe do técnico Talmo de Oliveira chega a nove pontos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Equipe mostrou entrosamento para superar com tranquilidade o Camponesa-Minas. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação


Na partida diante do Camponesa-Minas, o Sesi-SP voou em quadra. Aproveitando os contra-ataques, bloqueando bem as adversárias e com apenas um erro de saque, as donas da casa jogaram forte e mostraram entrosamento. Destaque para defesas espetaculares da central Fabiana e da laventadora Carol Albuquerque com os pés.

Com a pontuação bem distribuída, a oposta Monique ficou na frente com 12 pontos, seguida por Bia (central), Pri Daroit (ponteira) e Fabiana – as três com dez acertos. Carol Albuquerque foi eleita a melhor da partida e ganhou o troféu Viva Vôlei.

A equipe jogou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Monique, as ponteiras Pri Daroit e Suelle, as centrais Fabiana e Bia, além da líbero Suelen.

O próximo confronto do Sesi-SP será fora de casa contra o Uniara, na quarta-feira (26/11), em Araraquara.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Monique foi a maior pontuadora, com 12 pontos. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Com Monique aproveitando o contra-ataque, atacando e explorando o bloqueio das adversárias o time do Sesi-SP começou o primeiro set na frente, abrindo logo uma vantagem de quatro pontos. O técnico do Camponesa-Minas, Queiroga, viu-se obrigado a pedir tempo para quebrar o ritmo do time da casa. Seu time esboçou uma reação, mas o Sesi-SP fechou o primeiro tempo técnico na frente (08/05). Na sequência, o Camponesa-Minas voltou sacando forte e se aproximou. Mas a força e a garra da central Bia garantiu pontos preciosos e o Sesi-SP chegou com boa diferença no segundo tempo técnico obrigatório (16/11). Depois de três pontos seguidos das adversárias, o técnico Talmo de Oliveira interrompeu o jogo. No retorno, um dos lances mais bonitos do jogo: Fabiana fez uma bela defesa com o pé e Pri Daroit atacou forte, encerrando o primeiro set (25/19), com 27 minutos.

O segundo set começou equilibrado. Depois de uma boa sequência de bloqueios da Fabiana, o Sesi-SP abriu vantagem e foi em vantagem para o primeiro tempo técnico (08/05). Mantendo o ritmo de jogo, as meninas da Vila se soltaram ainda mais. Carol Albuquerque defendeu duas bolas com os pés e cresceu na partida, variando as jogadas e marcando ponto com uma largadinha. Tranquilo, o Sesi-SP chegou à segunda parada obrigatória com nove pontos de vantagem (16/07). A diferença foi ampliada e o Sesi-SP fechou o parcial em 25/12, com 23 minutos.

O terceiro set teve início parecido com o anterior. O time do Camponesa-Minas começou na frente, mas o Sesi-SP virou o placar e fechou o primeiro tempo técnico na frente (08/05). Carol Albuquerque seguiu variando as opções de ataque e o Sesi-SP abriu oito pontos na parada do segundo tempo técnico (16/08). O ritmo foi mantido e o técnico do Minas pediu tempo para tentar mudar o panorama da partida. Mas uma sequência de bloqueios e ataques deu números finais ao terceiro set (25/14) e ao jogo. Vitória por 3 sets a 0.

CBV lança 21ª edição da Superliga; Sesi-SP tem equipes no masculino e no feminino

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Reunindo representantes dos 25 clubes competidores, a Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) realizou nesta terça-feira (21/10) o lançamento da Superliga de Vôlei 2014/2015. O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) participa mais uma vez do campeonato, com equipes masculina e feminina – ambas vice-campeãs na edição do ano passado.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Jogadores da equipe masculina do Sesi-SP são entrevistados pelo mestre de cerimônias Sérgio Maurício, narrador esportivo do Sportv. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Na competição masculina, participarão, além do Sesi-SP, o Sada Cruzeiro (MG), Brasil Kirin (SP), Minas Tênis Clube (MG), Vôlei Canoas (RS), São Bernardo Vôlei (SP), Ziober Maringá (PR), UFJF (MG), Taubaté/Funvic (SP), Montes Claros Vôlei (MG), São José Vôlei (SP) e Voleisul/Paquetá Esportes (RS).

Na Superliga feminina, estarão na disputa, além do Sesi-SP, o Rexona-Ades/Rio de Janeiro(RJ), Molico/Nestlé/Osasco (SP), Dentil/Praia Clube (MG), E.C. Pinheiros (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP), Brasília Vôlei (DF), São Bernardo Vôlei (SP), Uniara/Afav (SP), Camponesa/Minas (MG), Rio do Sul/Equibrasil (SC), Maranhão/Cemar (MA) e São José dos Campos (SP).

O primeiro jogo da Superliga será no sábado (25/10) entre as equipes masculinas do Minas Tênis e da UFJF. O time masculino do Sesi-SP estreia no dia 29/10 (quarta-feira), às 19h30, contra o Montes Claros, em Minas Gerais. Já a equipe feminina entra em quadra somente em novembro, no dia 10/11 (segunda-feira) contra em São José dos Campos, na casa do adversário.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Radamés Lattari: Superliga está fazendo 21 anos e a gente precisa evoluir, evoluir e evoluir. Foto: CBV

O diretor da CBV Radamés Lattari agradeceu clubes, jogadores e patrocinadores da Superliga, classificando todos como a “essência que realmente faz o voleibol crescer”.

“A Superliga está fazendo 21 anos e a gente precisa evoluir, evoluir e evoluir. Peço aos jogadores que entrem em quadra, deem o máximo para cada clube que representam e ajudem o voleibol brasileiro a ter mais conquistas olímpicas e mundiais na sua história.”

Talmo e Pacheco: boas expectativas

Presente em todas as 21 edições da Superliga, Talmo Oliveira – ex-jogador e técnico do time feminino do Sesi-SP – disse perceber uma grande evolução nas equipes e no esporte.

“Fico muito feliz de ter participado de todas as edições da Superliga, a maioria como jogador, depois como técnico do masculino e agora do feminino. A evolução é notável. As jogadoras crescem de nível a cada ano”, comentou o técnico, que citou como exemplo a central do Sesi-SP Bia, que entrou na Superliga valendo um ponto no ranking e hoje vale cinco.

“Isso mostra a valorização do desempenho das atletas. E a evolução de cada um ajuda a equipe a evoluir. É muito gratificante ver que a Superliga está crescendo e a gente contribui com isso.”
Marcos Pacheco, técnico do masculino, está com boas expectativas para esta edição da Superliga.

“O Sesi-SP tem como característica, dentro da sua história, buscar títulos. É um time competitivo, mas sabemos que temos adversários fortes de edições anteriores, como o Sada, e outros que surgiram como o Taubaté e o Campinas”, avaliou.

“Mas o Sesi-SP, como sempre vai tentar chegar em uma final e, depois, tentar o título, como tivemos a oportunidade na temporada passada”, disse o técnico, que destaca a importância das competições disputadas antes da Superliga, para garantir o entrosamento do time.

“Como a gente fica um tempo sem contar com os alguns jogadores nos treinamentos, convocados para a seleção, as competições, mesmo sendo em cima da Superliga como o Campeonato Paulista, servem para a equipe criar um sincronismo entre levantador e atacante e um entrosamento maior.”

>> Atletas da equipe feminina do Sesi-SP falam de suas expectativas para a Superliga

>> Equipe masculina vem forte para a Superliga 2014/15, diz Serginho


Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

A bicampeã olímpica Fabiana (à direita) fala sobre as suas expectativas para a temporada. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Na decisão, equipes do Sesi-SP e do Unilever/Rio dão lição de espírito esportivo

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A final da Superliga feminina 2013/14, no domingo (27/04), no Maracanãzinho, foi marcada pelo espírito esportivo entre as equipes. Na véspera da decisão, atletas do Unilever/Rio e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) combinaram um gesto com alto valor simbólico: as jogadoras de cada time pintariam as unhas das mãos com as cores do adversário. O time paulista, de azul; o carioca, de vermelho. No final, após a entrega de troféus e medalhas, todas festejaram e dançaram juntas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Juciely (Unilever/Rio) e Fabiana (Sesi-SP). Unhas pintadas em nome do espírito esportivo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Uma mensagem de que no esporte a rivalidade deve ficar somente na disputa de cada bola, de cada lance, explicou ao final da partida a capitã do Sesi-SP, a central Fabiana Claudino. “Acho que o mais importante foi essa amizade, esse respeito. Esporte tem que passar isso cada vez mais: não tem rivalidade, grosseria ou falta de respeito. O que importa mais é o carinho”, destacou a bicampeã olímpica com a medalha de prata no pescoço.

De acordo com a líbero Fabi, do campeão Unilever/Rio, a companheira de seleção brasileira costuma liderar essas iniciativas. “A Fabiana é sempre líder nessas coisas. E a gente topou de primeira. Achamos que algumas não fossem querer. Mas até as mais velhas, que não são adeptas desse tipo de brincadeira, como Fofão, Carol Albuquerque, e algumas que nunca tinha pintado as unhas, toparam.”

Skaf foi ao Rio de Janeiro acompanhar a final da Superliga: apoio ao time. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf foi ao Rio de Janeiro acompanhar a final da Superliga: apoio ao time. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“Foi algo único poder viver uma decisão como essa. O time do Sesi-SP, assim como a Unilever, demonstrou um coração diferente em uma temporada extremamente diferente. Houve essa cumplicidade dos dois times. Há muito tempo eu não via isso. Foi uma coisa nossa”, reforçou Fabi.

Para o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, foi gratificante ver essa cumplicidade entre as duas equipes, independente do resultado de quadra. “O maior prêmio que a gente pode ver hoje é a campeã e a vice-campeã comemorando juntos. Uma troca de uma energia muito grande. Tudo isso é um valor que o esporte nos deixa e carimba o Sesi-SP como uma equipe que preza muito isso.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Fair play: jogadoras do Sesi-SP e Unilever celebram juntas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Equipe feminina do Sesi-SP vence, elimina o Osasco e vai para a final da Superliga

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Foi uma semifinal com jeito de final. Na segunda partida entre Sesi-SP e Molico/Osasco, pela semifinal da Superliga de vôlei feminina, na manhã deste sábado (19/04), no Ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, deu Sesi-SP, por 3 sets a 2 (parciais de 19/21, 21/16, 8/21, 22/20 e 17/15).

Em uma partida muito mais do que emocionante, o time do Serviço Social da Indústria de São Paulo eliminou o Osasco (que não ficava fora de uma final há 12 anos) e vai disputar o título contra o Rio de Janeiro, no próximo domingo (27/04), no Ginásio do Maracanazinho (RJ), às 10h, com transmissão ao vivo pela Rede Globo.

O Sesi-SP venceu o primeiro jogo da melhor de três jogando em Osasco e, com a segunda vitória, evitou a disputa da terceira partida.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

A central Bia comemora a classificação do time na final da Superliga Feminina. Foto: Caio Lopes/Fiesp


A equipe inicial do Sesi-SP foi formada por Fabiana, Dani Lins, Suelle, Ivna, Dayse, Bia e Suelen. Entraram Carol Albuquerque, Mariana, Neneca e Pri Daroit.

Dani Lins foi eleita a melhor jogadora em quadra e levou o Troféu Viva Vôlei.

>> Equipe feminina comemora a vaga na final da Superliga

O jogo

Bia começou sacando pela equipe do Sesi-SP, mas o primeiro ponto foi do Molico. Mas o time de Osasco errou o saque e deixou o set empatado. Ivna fez o segundo ponto do time da casa de ace. A semifinal ficou com cara de final, com as equipes disputando ponto a ponto. No ponto de saque de Fabiana, o Sesi-SP ficou com o primeiro tempo técnico: 7/6.

Na volta, o Osasco conseguiu uma pequena vantagem e chegou a marcar 13/9 e ficou com o segundo tempo técnico, com o placar de 14/10. O Molico ganhou confiança e aumentou a diferença para cinco pontos (18/13). Mas as guerreiras do Sesi-SP não desanimaram e se aproximaram no placar, marcando o 15º ponto no ace de Fabiana. E foi com a capitã no saque, que o Sesi-SP encostou: 18/17. Mas o set ficou com o Osasco, que ganhou por 21/19.

Quem abriu o placar no segundo set foi o Sesi-SP, com o ataque de Fabiana. Mas o equilíbrio continuou o mesmo do primeiro set, com as equipes se alternando no placar. Aos poucos, o Sesi-SP encaixou mais jogadas e abriu vantagem: 5/2. E ainda ficou com tempo técnico marcando 7/3.  Assumindo o comando do jogo, o Sesi-SP fez bons saques, acertou o bloqueio e  e foi certeiro no ataque. O resultado foi seis pontos de diferença no placar (11/5), com destaque para as atuações de Suelle e a libero Suelen.

Também foi do Sesi-SP o segundo tempo técnico, por 14/8.  O Osasco começou a reagir e marcou 15/12, exigindo que o técnico Talmo pedisse tempo. O Sesi-SP continuou lutando, mas o time de Osasco apertou e diminuiu a vantagem para dois pontos, 18/16. Mas nos erros das adversárias, o Sesi-SP chegou ao set point e na bela jogada de Bia, fechou o segundo set por 21/16.

Com um set para cada lado, o terceiro set ganhou importância no jogo. Mas foi o Osasco quem começou na frente, marcando 7/1, logo no começo. A partida seguiu difícil para o Sesi-SP, que teve dificuldade para virar as bolas. No segundo tempo técnico, o Osasco estava com nove pontos de diferença: 14/5. E conseguiu aumentar a diferença até o fim do set, vencendo por 21/8.

Para ganhar a partida e conseguir eliminar o Osasco, o Sesi-SP precisava vencer os dois últimos sets. Mas o Osasco novamente entrou melhor, fechou o bloqueio e fez 3/0. Mas o time do Sesi-SP entrou mais focado e não deixou o adversário se distanciar no placar. O primeiro tempo técnico foi do Molico, marcando 7/4. O time da casa foi se acertando aos poucos até chegar no empate de 8/8 no ataque de Suelle.

O jogo voltou a pegar fogo, com a disputa ponto a ponto. No segundo tempo técnico, Osasco ainda na frente: 14/12. O Sesi-SP fez o que pôde para não deixar a distância aumentar e, no finalzinho, encostou no placar, marcando 18/19. Com Osasco no set point, o Sesi-SP conseguiu empatar em 20/20 e deu ainda mais emoção para a partida. Com um erro do adversário, o Sesi-SP chegou ao 21º ponto. O último saque foi de Suelle, que bagunçou a defesa do Osasco e deu o ponto e o set para Sesi-SP, que fechou em 22/20.

O set decisivo começou com um ponto de bloqueio de Ivna e Fabiana. O jogo seguiu com acirrado, com os dois times lutando com todas as forças. Quando o Sesi-SP marcaria seu quarto ponto, o juiz principal mudou a decisão e deu ponto para o Osasco e o placar ficou em 3/3. O Molico abriu pequena vantagem e chegou aos 6/3. Mas o Sesi-SP foi buscar.

Com garra, o time da casa chegou ao empate, em 8/8, contando muito com a força de Suelle. E no ace de Dayse, passou a frente (9/8). A décimo ponto do Sesi-SP veio depois de um rally incrível, finalizado no bloqueio de Bia e Ivna. Mas em uma sequência de bloqueios, o Osasco conseguiu passar a frente novamente e marcou 13 a 10. O ataque de Ivna trouxe o 11º ponto para o Sesi-SP, mas na sequência, o Molico chegou ao set point.

Não é por acaso que o Sesi-SP é chamado de time de guerreiras, porque mesmo em situação difícil, a equipe empatou em 14/14. No ataque cruzado de Mari Cassemiro, o Sesi-SP fez 15/14, mas o Molico empatou. Foi a vez de Pri Daroit descer o braço e fazer 16/15. O ponto final, que deu a vitória ao Sesi-SP – e a eliminação do Osasco – foi no lindo bloqueio triplo de Mari, Dayse e Fabiana.

Superliga feminina: Sesi-SP vence Banana Boat/Praia Clube e larga na frente nos playoffs

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu na manhã deste domingo (23/03) o Banana Boat/Praia Clube por 3 sets a 1 (19/21, 21/13 21/13 e 21/19), em 2h.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Equipe comemora vitória em casa, resultado que permite possibilidade de classificação no segundo jogo da melhor de três. Foto: Caio Lopes/Fiesp


O jogo, realizado no ginásio da Vila Leopoldina, valeu pela primeira rodada da série melhor de três das quartas de final da Superliga 2013/14. Com a vitória, o Sesi-SP pode garantir a classificação no sábado (29/03), data do segundo confronto dos playoffs. Se necessário, um terceiro jogo está programado para o outro sábado (05/04), no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, às 18h30.

Ao final da partida, o técnico Talmo de Oliveira explicou a mudança que o levou a substituir a ponteira Dayse por Pri Daroit no segundo set. “Principalmente por volume de passe. Não estava com regularidade o passe e tomamos alguns pontos. A Dayse passava, depois tirava um pouco. A Priscila entrou para equilibrar um pouco mais isso aí”, explicando que, depois de sofrer uma lesão, Pri Daroit está bem condicionada, mas ainda sente falta de ritmo de jogo. “Com o passar dos jogos ela vai conquistando isso.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Suelen com o troféu Viva Vôlei. Foto: Caio Lopes/Fiesp

Na visão de Pri Daroit, o time jogou bem, mas cometeu falhas. “O que mais importa é a vitória. O primeiro passo já foi dado. O time como um todo jogou bem, mas a gente teve algumas falhas como muito erro de passe. E com certeza é uma coisa que esta semana a gente vai treinar bastante.”

A líbero Suelen, ganhadora do troféu Viva Vôlei, disse ter ficado satisfeita com a equipe.  “Nossa equipe bloqueou super bem e, teoricamente, a defesa funcionou melhor. Mas feliz por toda equipe ter jogado bem.”

Maior pontuadora do jogo, com 15 pontos, a central Fabiana Claudino disse ficar feliz por ter sido uma das bolas de segurança da equipe. “Hoje, graças a Deus, eu consegui ajudar tanto no saque, no bloqueio e no ataque. Eu sei que tenho que desafogar, sei que tenho essa responsabilidade e quero assumir cada vez mais. Quero treinar cada dia mais, buscando cada vez mais confiança e dar esse conforto a mais para a equipe.”

Também atuaram a oposta Ivna, a levantadora Dani Lins, as centrais Fabiana e Bia, as ponteiras Suelle e Dayse, e entraram no decorrer do jogo a oposta Neneca, a ponteira Pri Daroit e a levantadora Carol Albuquerque.

O Banana Boat/Praia Clube atuou com as centrais Natália e Mayhara, as ponteiras Mari e Michelle, a levantadora Juliana e a oposta Monique, com Tássia como líbero. Também atuaram Isabela, Glass, Laura e Letícia Hage.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Fabiana foi um dos destaques da partida, com 15 pontos. Foto: Caio Lopes/Fiesp

No primeiro set, o Praia Clube começou melhor, abrindo 03/00, com dois bloqueios duplos seguidos. O Sesi-SP reduziu a diferença e conseguiu o empate (06/06) no bloqueio de Fabiana. Foi a central bicampeã olímpica que colocou o Sesi-SP em vantagem na parcial ao aproveitar contra-ataque pela saída da rede (07/06). Depois da parada técnica, o Praia Clube reassumiu a dianteira (09/07) em ponto de Monique muito contestado pelas donas da casa. A central Bia, em bola rápida de Dani Lins, manteve o Sesi-SP na cola das adversárias. Novo empate (11/11) veio em dois toques do Praia Clube. Mesmo errando muitos saques, o Sesi-SP foi aproveitando o ataque para pontuar, mas as visitantes chegaram ao segundo tempo técnico na frente: 14/13. Na volta, um erro de recepção do Sesi-SP fez com que o técnico Talmo de Oliveira pedisse tempo. O empate veio com Fabiane em contra-ataque rápido. Uma boa passagem da oposta Monique pelo saque elevou a vantagem das visitantes para três pontos (18/15) e Talmo parou o jogo novamente. Fabiana retomou o serviço para o Sesi-SP e Talmo escalou Neneca para sacar. Em bonito rali, Bia, no bloqueio, fez o Sesi-SP encostar no placar (17/18). Novo rali e Dayse manteve o Sesi-SP no jogo (18/19). Bia salvou o primeiro set point das visitantes (19/20), mas a central Natalia fechou o parcial por 21/19 em 23´26″.

No segundo set, o Sesi-SP começou atrás, mas virou aproveitando erros das visitantes. Bloqueio simples de Fabiana, pelo meio, fez a vantagem subir para três pontos (04/01) e o técnico Spencer Lee, do Praia, pediu tempo. A arbitragem apontou dois toques da levantadora Juliana e a diferença aumentou (06/00). O primeiro tempo técnico veio em ataque de Ivna (07/02).  Na volta, o Sesi-SP manteve o volume de jogo – ataques de Bia e Ivna fizeram a diferença subir para oito pontos (11/03). A diferença caiu para cinco (12/07) e depois para quatro pontos (13/09). Talmo decidiu substituir Dayse por Pri Dairot. Um erro de Monique pela saída da rede levou a parcial para a segunda parada técnica (14/09). O Sesi-SP voltou melhor e Pri Daroit aumentou a vantagem. O técnico do Praia parou o jogo, mas o Sesi-SP manteve o ritmo com Fabiana marcando o 19º. Depois de desperdiçar três chances de fechar o set, o Sesi-SP empatou a partida com Ivna (21/13) em 20’09”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

A ponteira Pri Daroit (camisa 7) entrou no segundo set. Foto: Caio Lopes/Fiesp

Na volta para o terceiro set, o Praia Clube abriu a contagem ao bloquear Pri Daroit, mantida por Talmo no lugar de Dayse. Ivna reduziu a vantagem em largadinha no fundo da quadra. As visitantes ampliaram para 04/01 e Talmo preferiu parar o jogo e conversar com a equipe. No ponto seguinte, o público assistiu a um belo rali, finalizado por Ivna, que soltou o braço pela saída de rede. A diferença subiu para quatro (06/02) em favor das visitantes, que chegaram à primeira parada técnica com 07/04 no placar. O Sesi-SP empatou em mais uma largada, bem curta, de Ivna (07/07). Em belo ataque de Pri Daroit, o Sesi-SP fez 09/07. Um ataque tramado de Dani Lins e Fabiana aumentou a vantagem. O Sesi-SP chegou à segunda parada técnica com cinco pontos de frente (14/09). Em belo rali, Pri Daroit colocou o Sesi-SP seis pontos na frente (17/11). Em passagem de Fabiana pelo saque, o Sesi-SP chegou a oito de diferença (19/11). A arbitragem apontou dois toques do Praia Clube e o Sesi-SP fechou a parcial em 22’48 por 21/13.  Dois sets a 1 para as donas da casa.

No quarto set, o jogo foi mais equilibrado, mas o Sesi-SP soube aproveitar os ataques para chegar à primeira parada em 07/05. O jogo subiu em vibração, com pontos mais disputados e a diferença oscilando de um a dois pontos. Pri Daroit fez um ace em saque balanceado após indecisão da linha de passe do Praia Clube: 14/10 na segunda parada técnica obrigatória. Na volta, Ivana parou no bloqueio das visitantes. Monique, no saque, reduziu a diferença para um ponto e Talmo pediu tempo para orientar a equipe. No retorno, as visitantes conseguiram o empate (14/14). Depois de mais um rali, Ivna bateu cruzado, pela saída de rede, para recolocar o Sesi-SP na frente. No ponto seguinte, Fabiana subiu bem e marcou de bloqueio (16/14). O jogo seguiu equilibrado, com Monique, de um lado, e Fabiana, do outro, pontuando (17/16). A ponteira Glass desperdiçou ataque e o Sesi-SP, atuando com Carol Albuquerque e Dayse, manteve a margem de dois pontos (18/16). Dayse fez um ponto em mais um rali (19/17) e Spencer Lee tentou seus últimos cartuchos, pedindo tempo. Glass, pela saída de rede, reduziu para um ponto (19/17). Talmo voltou com Dani Lins e Pri Daroit. A ponteira explorou o bloqueio e deu o primeiro match point do jogo. Ivna parou no bloqueio e o Praia diminuiu para 20/19. Talmo pediu tempo e na sequência Ivna fechou o jogo em 21/19. Três sets a 1 em 25’56”.

Pela Superliga Feminina, Sesi-SP vence Uniara e conhece adversário nos playoffs

Agência Indusnet Fiesp

Cumprindo tabela na Superliga, a equipe feminina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Uniara/Araraquara na noite desta sexta-feira (14/04), na cidade do interior paulista, por 3 sets a 0 (21/19, 21/12 e 21/13).

Com o desfecho da 26ª rodada, última da etapa de classificação, o Sesi-SP (4˚ colocado, com 53 pontos) enfrenta o Banana Boat/Praia Clube, de Uberlândia (5˚ lugar, 49 pontos) nas quartas de final.

Sem grandes pretensões na partida, por ter a equipe antecipadamente classificada e com 4˚ lugar garantido, o técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, escalou o time titular somente no início, com a levantadora Dani Lins, as centrais Bia e Fabiana, as ponteiras Dayse e Suelle, a oposta Ivna, além da libero Suelen. No decorrer do jogo, Talmo aproveitou para dar ritmo de jogo a atletas como Pri Daroit, Mari Cassemiro, Neneca e Fran.

No final, Helô, do Uniara, terminou como maior pontuadora do jogo, com 15 acertos.

A equipe do Sesi-SP enfrenta o Banana Boat/Praia Clube no domingo, 23/03, no Ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, dando início à disputa das quartas de final.

Sesi-SP vence Cemar/Maranhão e garante vantagem nos playoffs da Superliga feminina

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Não teve susto. Jogando com seriedade, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) impôs seu favoritismo na noite desta terça-feira (11/03), vencendo o Maranhão Vôlei/Cemar por 3 sets a 0 (21/16, 21/10 e 21/13) em apenas 1h09.

O jogo, realizado no ginásio da Vila Leopoldina, valeu pela 25ª rodada da Superliga 2013/14. Com a vitória, o Sesi-SP chega a 50 pontos e assegura, com uma rodada de antecedência, o quarto lugar na etapa de classificação – o quinto colocado, o Banana Boat/Praia Clube tem 46 e já não tem chances de ultrapassar o Sesi-SP. Pelo regulamento da Superliga, as quatro equipes mais bem colocadas na primeira fase levam para as quartas de final a vantagem de ser o mandante de um possível jogo de desempate.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Dani Lins e Fabiana: bloqueio funcionou. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Na partida diante do lanterna da competição, o Sesi-SP manteve a concentração para resolver as jogadas com rapidez. A oposta Ivna, com 12 acertos, foi a maior pontuadora do jogo. A equipe atuou ainda com a levantadora Dani Lins (dois pontos), as centrais Fabiana e Bia (ambas com dez acertos), as ponteiras Suelle (oito) e Dayse (seis), além da líbero Suelen.

De acordo com o técnico Talmo de Oliveira, o Sesi-SP teve uma atuação constante, conseguindo superar o bom aproveitamento no saque das visitantes.“Foi um time concentrado, consciente, bem equilibrado em todos os fundamentos”, elogiou. “Essa vitória garante o quarto lugar e foi fundamental. O próximo jogo é em Araraquara, mas, com todo o respeito que devemos ter, agora é preparar tudo para os playoffs.”

O pensamento de Talmo é aproveitar a rodada final, diante do Uniara, na noite de sexta (14/03), para dar ritmo de jogo ao grupo. “Já vai batendo uma sobrecarga em algumas jogadoras. E todas as outras têm que estar preparadas. Tem que dar condição de jogo para todo mundo e deixar o máximo possível de jogadoras em condições de atuar com regularidade, que é o que a equipe vem fazendo”, explicou o treinador, sem querer adiantar se alguma das titulares será poupada.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Dani Lins recebeu o troféu Viva Vôlei das mãos de um aluno do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

A levantadora Dani Lins, dona do Troféu Viva Vôlei, concedido à melhor da partida em escolha feita pela comissão técnica da partida vencedora, disse que a cada jogo tem procurado acionar todas as opções de ataque de que dispõe. “Hoje foi um jogo tranquilo e a gente conseguiu fazer todo mundo jogar. Vamos entrar no próximo jogo como se fosse mais um, para a gente ganhar mesmo e treinar mais forte. Agora, é esperar para ver quem vai cruzar com a gente.”

A líbero Suelen, que, durante o jogo, mesmo com uma vantagem de 2 sets a 0, não deixou de alertar as companheiras sobre os erros cometidos, disse que a equipe precisa estar o tempo inteiro ligada, já de olho nas quartas de final da Superliga.

“Chegando agora nos playoffs são esses errinhos que vão definir uma partida, principalmente nesse fundamento, que é a integração do bloqueio e defesa. Mas é coisa de jogo”, explicou, acrescentando que diante do Uniara, mesmo com o quarto lugar já assegurado, a equipe não pode relaxar. “Temos que fazer uma boa partida para chegar nos playoffs em crescente”.


O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Ivna: oposta foi a maior pontuadora do jogo. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

No início do primeiro set, o Sesi-SP jogou tranquilo, chegando a abrir 09/02, forçando que o técnico adversário pedisse o segundo tempo técnico. As visitantes esboçaram uma reação e chegaram a reduzir a vantagem para três pontos. Mas as donas de casa conseguiram fechar com Bia, pela saída de rede, explorando o bloqueio: 21/16.

No segundo set, o Sesi-SP começou atrás, mas logo virou, com Dani Lins bem no saque e bons ataques de Ivna. A equipe chegou ao primeiro tempo técnico com cinco pontos de vantagem (07/02). Com passe na mão, Dani Lins variou as jogadas de ataque, acionando Dayse, Fabiana e Ivna. Mas em uma boa passagem de Nikolle pelo saque, o Maranhão encostou: 07/09. O Sesi-SP não se abalou – em um bonito rali, Suelle soube explorar um ponto vazio na quadra para apenas largar a bola. A equipe chegou ao segundo tempo técnico obrigatório com vantagem confortável: 14/07. Na volta, Fabiana ampliou para 16/08 e Bia aproveitou contra-ataque para marcar o 17º. Dayse fez o 18º e Bia, de bloqueio, ampliou para nove pontos de diferença (19/09). Em erro de ataque adversário, o Sesi-SP fechou em 21/10.

No terceiro set, o Sesi-SP logo abriu 02/00. Bem acionada, Ivna fez o 3º, o 5º e atacou para levar a equipe a quatro pontos de vantagem na primeira parada técnica obrigatória (07/03). O Sesi-SP chegou a 11/03 com Dayse. Bia aproveitou uma bola que sobrou da defesa adversária para fazer 14/08. A vantagem subiu para sete pontos em jogada que Dayse precisou atacar três vezes para botar a bola no chão. Com 17/09, o técnico da equipe maranhense pediu tempo. Não adiantou e, em jogada de Bia, Sesi-SP fechou em 21/13.

Na reta final de classificação da Superliga, vôlei feminino do Sesi-SP vence Brasília Vôlei

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, do ginásio da Vila Leopoldina

Confirmando a boa fase na segunda rodada da Superliga, o time feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu a equipe do Brasília Vôlei por 3 sets a 0 nesta quinta-feira (06/03), no Ginásio da Vila Leopoldina. As parciais foram de 21/12, 21/16 e 21/19.

Com o resultado, o Sesi-SP mantém chega a 47 pontos, precisando de mais uma vitória de três pontos para assegurar, sem depender de outros resultados, a quarta colocação na etapa classificatória da Superliga. Os quatro mais bem colocados levam para as quartas de final a vantagem de jogar em casa um possível terceiro jogo dos playoffs. O quinto colocado, o Banana Boat/Praia Clube (MG) tem 40 pontos, e um jogo a menos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

No bloqueio duplo, Dayse e Bia sobem para marcar mais um ponto. Foto: Fiesp


Na vitória sobre o Brasília Vôlei, o time titular do Sesi-SP foi formado por Fabiana, Dani Lins, Suelle, Ivna, Dayse, Bia e a líbero Suelen. Carol Albuquerque entrou no final do terceiro set.

A oposta Ivna foi a maior pontuadora, com 13 acertos. Já o troféu Viva Vôlei foi para a central Bia, que saiu feliz com a atuação do time. “Entramos muito concentradas hoje, porque o jogo lá em Brasília foi difícil, perdemos de 3 a 1, então a gente se preparou melhor para esse jogo”, disse a jogadora.

A central reforçou a boa fase do Sesi-SP no returno da Superliga, em que o time perdeu apenas um jogo. “Nós nos concentramos muito, estudamos muito bem o time delas, que tem jogadoras muito boas e experientes. Bloqueamos muito bem, nosso sistema defensivo funcionou e nosso time encaixou certinho.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Montanaro e Bia com o troféu Viva Vôlei. Foto: Fiesp

O técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, destacou a evolução da equipe na segunda fase da competição. “Hoje, o terceiro set poderia ser melhor do que foi. Temos que estar mais concentrados ainda, buscando cada detalhe para não deixar escapar um jogo que está na nossa mão”, comentou.

“Nosso time evoluiu, está melhorando, todos os sistemas estão funcionando bem, com as jogadoras fazendo mais variações. Demos mais um passo hoje e agora é focar no próximo jogo”, concluiu Talmo.

Nas duas rodadas restantes da etapa classificatória, o Sesi-SP recebe o Maranhão Vôlei/Cemar no dia 11/03 (terça-feira), às 20h, no ginásio da Vila Leopoldina, e no dia 14/03 (sexta-feira), às 21h30, enfrenta o Uniara/Afav em Araraquara. Mesmo que vença os dois jogos, o Sesi-SP não tem chances de chegar ao terceiro lugar, colocação hoje ocupada pelo Unilever, com 55 pontos.

O jogo

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Ivna, 13 pontos no jogo, enfrenta bloqueio da bicampeã olímpica Paula Pequeno e da norte-americana Danielle Scott. Foto: Fiesp

O Sesi-SP dominou o primeiro set, desde o comecinho, quando abriu vantagem de 03/00, fazendo com que o técnico adversário pedisse tempo. E a vantagem só aumentou até o fim do set, vencido por 21/12. O Brasília entrou mais atento no segundo set e evitou que o Sesi-SP abrisse grande vantagem no placar, chegando a empatar em 13/13. A partir daí, as donas da casa encaixaram as jogadas e fecharam o set por 21 /16.

Em desvantagem no jogo, o Brasília Vôlei não facilitou e começou o terceiro set marcando 03/00. Não demorou para o Sesi-SP assumir a liderança novamente, virando para 04/03 em um ataque de Ivna. Mesmo bem na partida, a equipe da capital federal não conseguiu conter a força do ataque e o poder do bloqueio do Sesi-SP, que venceu o último set por 21/19.


Pela Superliga, Sesi-SP joga bem, mas perde para o Molico/Nestlé Osasco

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, da Vila Leopoldina

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Sheilla, com 22 acertos, foi a maior pontuadora do jogo. Foto: João Pires/Molico/Nestlé Osasco

No primeiro confronto depois da final do Campeonato Sul-Americano de Vôlei Feminino, as equipes do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Molico/Nestlé Osasco voltaram a se enfrentar na noite desta segunda-feira (17/02) – desta vez pela Superliga. Mesmo jogando bem, o Sesi-SP foi derrotado. Vitória das rivais por 3 sets a 1 (21/18, 24/22, 15/21 e 21/17) em jogo de 1h57 de duração no ginásio da Vila Leopoldina.

Apesar da derrota, o Sesi-SP mantém a quarta colocação, com 38 pontos, independentemente dos resultados do restante da rodada. O Banana Boat/Praia Clube, de Uberlândia, atualmente em 5º na tabela, tem 34 pontos, mas com um jogo a menos. Na próxima sexta-feira (21/02), o Sesi-SP visita o Rio de Janeiro (RJ) para a partida contra a Unilever (RJ). O confronto será às 20h, no ginásio do Tijuca Tênis Clube.

Para a oposta Ivna, a tendência é que os jogos fiquem cada vez mais difíceis na reta final da Superliga. “A partir de agora, as equipes estão ficando mais fortes e, como dizem, ‘o bicho vai pegar’, porque faltam poucas rodadas para os playoffs. Hoje foi um jogaço, perdemos pelos detalhes”, disse a jogadora, para quem a vitória sobre o Osasco na final do Sul-Americano, no domingo da semana passada (09/02), foi um fator a mais para acirrar a disputa. “A final também foi um grande jogo em que elas jogaram muito bem. Também foram os detalhes que fizeram a diferença.”

O técnico do Sesi-SP, Talmo de Oliveira, lamentou a derrota, mas destacou o bom desempenho da equipe. “Fizemos os dois primeiros sets muito bons, em que tivemos domínio até o 18º ponto. Mas a partir daí, elas encaixaram um momento bom e colocaram a gente em dificuldade. Mas foi um grande jogo. Jogamos bem, mas não aproveitamos os momentos.”

A oposta Sheilla, do Molico/Nestlé Osasco, foi a maior pontuadora da partida, com 22 pontos. A atleta recebeu o prêmio Viva Vôlei ao final do compromisso. Pelo Sesi-SP, Ivna foi a maior pontuadora, com 14 pontos, seguida por Fabiana e Suelle, ambas com 11. Também pontuaram Dayse (8), Bia (6) e Dani Lins (2).

O time titular do Sesi-SP foi formado pela central Fabiana, pela levantadora Dani Lins, pela ponteira Suelle, a oposta Ivna, a ponteira Dayse e a central Bia, além da líbero Suelen. A oposta Neneca e a levantadora Carol Albuquerque também entraram durante a partida.

O Molico/Nestlé Osasco do técnico Luizomar de Moura atuou com Fabíola, Sheilla, Thaísa, Adenizia, Sanja e Bosetti, além da líbero Camila Brait. Entraram: Ana Maria, Gabi, Lia.


O jogo

Em uma partida entre duas das equipes mais fortes da competição, esperava-se muito equilíbrio desde os primeiros pontos do primeiro set. Mas no início do jogo o Sesi-SP assumiu a liderança no placar e, mostrando maior controle do jogo, chegou na frente nos dois tempos técnicos obrigatórios (07/05 e 14/08). No finalzinho, o Osasco conseguiu a virada e fechou o set por 21/18.

No segundo set, o placar seguiu equilibrado, com alternância das duas equipes no comando do placar. As meninas do Sesi-SP mostraram muita garra, buscando bolas que pareciam perdidas e caprichando no ataque. A partir do empate em 19/19, a disputa foi ponto a ponto, com o Osasco levando a melhor e vencendo por 24/22.

O Sesi-SP entrou para o tudo ou nada no terceiro set e saiu, novamente, na frente. E, dessa vez, não teve espaço para a reação do adversário. Em um lindo ataque de Suelle, o Sesi-SP ganhou o set por 21/15.

Para evitar o tie-break, o Osasco voltou forte para o quarto set. Mas o Sesi-SP também queria a vitória. O resultado foi um set disputadíssimo, com vitória do Osasco por 21/17.

Em jogo de cinco sets, Sesi-SP vence Barueri pela Superliga feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

A capitã Fabiana foi o destaque da partida e levou o Troféu Viva Vôlei. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Foi mais difícil do que se pensava. O Grêmio Recreativo Barueri é um adversário difícil, mas embaladas pelo título Sul-Americano sobre o Osasco, no último domingo, as meninas do Sesi-SP jogavam como favoritas e precisavam manter a condição.

Com a vitória por 3 sets a 2 (parciais de 21/15; 18/21; 19/21; 21/07; 15/05) na noite desta quarta-feira (12/02), no ginásio José Correa, em Barueri, o time de Talmo conquistou dois pontos e agora está na quarta posição com 36 pontos. Na próxima sexta-feira (14/02), o confronto será contra o Amil, em Campinas, às 19h30.

O troféu Viva Vôlei foi para a central Fabiana, mais uma vez decisiva e líder da equipe, que também contou com ótimas atuações de Ivna e Suelle.

O jogo

Começando com a mesma equipe que conquistou o troféu em Osasco, o Sesi-SP se impôs na partida fazendo valer sua condição de favorito. Suelle e Dayse se alternavam no ataque, muito bem servidas por Dani Lins, envolvendo a defesa do Barueri até abrir boa vantagem em 10/04. Com a gordura obtida, o time só não precisava errar muito para continuar na frente, e foi o que aconteceu. Uma atuação segura e a vitória na primeira etapa por 21/15, em 25 minutos.

Porém, o cenário que parecia o de uma partida encaminhada para um final tranquilo, mudou completamente no segundo set. O time chegou a abrir 14/08 e tinha a etapa nas mãos, mas com muitos erros cedidos e uma atuação sensacional de Renata, o Barueri chegou e empatou a partida em 18/18. O Sesi-SP estacionou nessa contagem e a moral ficou com o time da casa, que fechou em 21/18 em 28 minutos, empatando a partida.

O terceiro set viu novamente um Sesi-SP bem diferente do que estamos acostumados a ver. Apesar de não deixarem o Barueri escapar no placar, as meninas da Vila Leopoldina não conseguiam liderar a contagem. Ivna e Suelle tentavam, marcando 10 pontos as duas, mas o ataque rival foi mais eficiente e as donas da casa fecharam o quarto set em 21/19 em 28 minutos, ficando muito perto da vitória.

O quarto set era definitivo e Talmo conseguiu colocar isso na cabeça das jogadoras. O jogo mudou completamente. Com apenas três pontos cedidos por erros, contra sete do Barueri, e um ataque fulminante comandado por Fabiana, o Sesi-SP atropelou as rivais em 20 minutos, não dando chance alguma de recuperação e fechando em 21/07 para mostrar como seria o quinto e decisivo set.

Atordoadas pelo caminhão vermelho e branco que passou pela quadra do José Correa, o Barueri entrou para a disputa do tie-break completamente batido. O Sesi-SP apenas fez seu jogo, Suelle brilhou com cinco pontos e a vitória, suada e demorada, veio no 15/05. Dois pontos e agora é pensar no Amil.

Sesi-SP: Dani Lins, Fabiana, Ivna, Suelle, Dayse e Bia. Líbero: Suellen. Entraram: Mari, Neneca e Carol Albuquerque.

Barueri: Renata, Mari, Thais, Renata, Luciane e Juma. Líbero: Thais. Entraram: Duda, Sonaly, Jessica, Bruninha, Bruna.

Bloqueio de Bia freia o Praia e Sesi-SP vence a sexta seguida na Superliga

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Bia: com 12 pontos, sete de bloqueio, central recebeu o Troféu Viva Vôlei. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Era um confronto especial, dada a rivalidade das equipes, a disputa direta pela quarta posição na tabela e a manutenção do belo momento do time. E com uma atuação muito consistente, as meninas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceram o Praia Clube/Banana Boat na noite desta sexta-feira (31/01), por 3 sets a 0 (21/17, 21/14 e21/17), passando as rivais na tabela de classificação da Superliga de vôlei.

Com o resultado, o Sesi-SP passa a ocupar a quarta posição na tabela. É a sexta vitória seguida da equipe na competição. Nas rodadas anteriores, o Sesi-SP vencera, na sequência, as seguintes equipes: Uniara, São Caetano, Rio do Sul, Decisão Engenharia/Minas e Pinheiros.

O destaque do jogo foi Bia, que fechou a porta do ataque rival e marcou sete pontos de bloqueio, mais da metade dos seus 12 na partida. Ivna também fez 12 e dividiu com a companheira a “artilharia” da partida.

Para o técnico Talmo de Oliveira, apesar do placar, o time cometeu erros que deram fôlego ao adversário, mas soube se portar bem de uma maneira geral.

“Ganhamos bem, não foi tão fácil assim. Tivemos erros em alguns momentos importantes, mas o time está numa crescente muito boa e não se abala. Fizemos uma partida forte e nos impomos o tempo todo. Agora podemos tirar o foco da Superliga e pensar no Sul-Americano de clubes, competição inédita em que vamos para buscar o título”, disse o treinador.

Talmo aproveitou para elogiar a atuação da central Bia. “Ela tem esse fundamento muito forte e treina bastante para melhorar, sempre. E vai melhorar, pois é jovem e tem muita carreira pela frente. Ela será ainda mais eficiente do que já é”.

O time feminino do Sesi-SP agora dá uma pausa na Superliga para se concentrar no campeonato Sul-Americano de clubes. A estreia será nesta quarta-feira (05/02), contra o Universidad Politécnica da Colômbia, às 21h, no ginásio José Liberatti, em Osasco, na grande São Paulo.

O jogo

Começando com a central Fabiana, a levantadora Dani Lins, a ponta Suele, a oposto Ivna, a ponta Dayse e a central Bia, além da líbero Suellen, o Sesi-SP se impôs logo de cara. O primeiro set começou com Bia abrindo o marcador e o time estava bem à vontade, chegando a abrir 05/02 até fechar o primeiro tempo técnico com Dayse, em 07/05. Mas Spencer Lee, técnico do Praia Clube, soube acertar sua equipe, mudando o jogo, acionando mais Natalia e Monique em vez de Herrera. A equipe mineira buscou o empate e equilibrou a partida. Com 11/11, Talmo pediu tempo, mas o Praia se deu melhor e conseguiu o segundo tempo técnico com Monique, em ataque sem chance de defesa. Mas o Sesi-SP conseguiu se achar a tempo para virar em 16/15 após bloqueio de Dani Lins. A virada deu ânimo à equipe, que se manteve na frente até fechar com Dayse em 21/17, em 23 minutos.

O segundo set começou mostrando porque o bloqueio de Bia é um dos melhores do Brasil. A central fechou a porta duas vezes para a rivais, abrindo 02/00. Na sequência, Ivna, com extrema categoria, achou espaço livre no fundo da quadra, para fazer mais um. Bia mais uma vez tomou conta da rede, o time fez o quarto ponto e o Praia pediu tempo. O Sesi-SP continuou bem, conseguiu o primeiro tempo técnico em 07/02, acumulando assim uma boa gordura para o restante do set. Com 13/05 no placar para o Sesi-SP, Spencer Lee mexeu no time e colocou Camila e a experiente Mari. Seu time se acertou e marcou três vezes seguidas, forçando o pedido de tempo de Talmo. A parada deu certo e na volta Ivna, impossível no set, marcou seu sexto ponto fechando o segundo tempo técnico. Com a enorme vantagem obtida no início, o time só precisou manter a calma para fechar com Suele em 21/14.

Precisando vencer para se manter vivo no jogo, o Praia começou melhor o terceiro set abrindo 03/01. As meninas de Talmo se recuperaram e chegaram a virar em 06/05, mas com Herrera cortando bem no fundo de quadra, as rivais viraram de novo e fecharam o primeiro tempo técnico em 07/06. O fôlego, porém, não foi suficiente para abrir vantagem maior, e o Sesi-SP buscou o resultado. Com Dayse, a equipe virou em 11 x 10. Com bloqueio de Ivna, ampliou para 12/10. Mari cortou para fora e deu o 13 ponto para o time da Vila Leopoldina. Bia fechou a rede para cima de Herrera e o segundo tempo técnico ficou em casa.

E foi no bloqueio, com Bia, sempre, que o Sesi-SP ampliou marcando mais duas vezes, chegando a 17/11 e ficando bem perto de acabar a partida. Spencer mexeu no time e colocou Natália, ex-jogadora do Sesi-SP. E o que aconteceu? Natália subiu para atacar e encontrou Bia pela frente. Mais um bloqueio, mais um ponto para as meninas de Talmo. Com 20/13, parecia que o jogo estava definido, mas o Praia encostou em 20/17. Na bola seguinte, Suele atacou pela entrada de rede e fechou em 21/17, em 25 minutos, garantindo mais três pontos para a equipe.

Fora de casa, vôlei feminino do Sesi-SP perde para Maranhão Vôlei/Cemar

Agência Indusnet Fiesp

Em mais uma partida fora dos seus domínios, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi derrotada na noite de sexta-feira, no ginásio Castelinho, em São Luís (MA), pelo Maranhão Vôlei/Cemar. O placar foi de 3 sets a 2 (19/21, 21/17, 14/21, 21/16 e 15/13), em jogo pela 12ª rodada da Superliga , 2013/14.

A maior pontuadora do Sesi-SP foi Mari Cassemiro, com 14 pontos. Nikolle liderou a pontuação da partida, com 19 acertos.

O Sesi-SP atuou com as ponteiras Mari Cassemiro e Pri Daroit, a levantadora Dani Lins, as centrais Bia e Barbara e a oposto Ivna. A líbero foi Suelen.

A próxima partida da equipe do técnico Talmo de Oliveira é diante do Uniara/Afav, no dia 7 de janeiro, no ginásio da Vila Leopoldina, valendo pela 13ª e última rodada da competição.

Sesi-SP espanta a má fase e supera São Bernardo pela Superliga feminina

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Nada como uma vitória para recuperar a calma, aliviar a mente e botar o time no rumo de novo. Depois de quatro derrotas seguidas, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o São Bernardo na noite desta sexta-feira (13/12), na Vila Leopoldina, por 3 sets 1 (21/14, 19/21, 21/16 e 21/11), em jogo válido pela Superliga.

Com o resultado, o Sesi-SP espantou a má fase. O troféu Viva Vôlei foi para a central Bia, que marcou 10 pontos e brilhou no bloqueio. A ponteira Pri Daroit foi novamente a maior pontuadora do time e do jogo, com 15. Na próxima rodada, a equipe viaja para a capita federal, onde enfrenta o Brasília na terça-feira (17/12), às 19h.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Bia foi um dos destaques da partida e ganhou o troféu Viva Vôlei. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Melhor em quadra, Bia ressaltou a importância do resultado para aliviar a carga sobre o time e revelou qual foi a diferença desta partida para as anteriores: felicidade.

“Entramos mais felizes e mais calmas. Comemoramos mais, vibramos muito. Essa foi a forma que encontramos de assimilar as derrotas e agora temos que entrar sempre assim, para voltar a jogar o nosso melhor”, disse a camisa 20, que acredita que a fase ruim acabou e que o time teve uma boa atuação, o que será determinante para o resto da competição. “Má fase todo mundo tem e passa. Agora é relaxar e se preparar para os próximos jogos. Hoje jogamos bem, perdemos um set de bobeira, mas fizemos o nosso trabalho e temos jogos difíceis, mas que entraremos com a cabeça mais tranquila”.

O jogo

O Sesi-SP não encontrou muitas dificuldades no primeiro set. Com uma atuação mais focada e o time mais tranquilo, a equipe de Talmo soube envolver o São Bernardo durante toda a etapa. Dani variava as jogadas e utilizava todas as companheiras de ataque, entortando a defesa adversária e conquistando o primeiro tempo técnico com facilidade, em 07/03.
Na sequência, o São Bernardo acordou para o jogo e começou a complicar para as meninas de Talmo. Porém, Suellen continuava muito segura na defesa, e Fabi aparecia pelo meio marcando em praticamente todas as vezes que subia à rede. O segundo tempo técnico em 14/10 evidenciou a vantagem da equipe, que só administrou até fechar o set em 21/14 e abrir 1 set a 0 na partida.

No segundo set, o panorama mudou. O São Bernardo veio com mais agressividade e, aproveitando os erros do Sesi-SP, conseguiu o primeiro tempo técnico após falha na defesa de Bia. Com 08/11 para o rival, Talmo trocou Dani e Dayse por Neneca e Carol Albuquerque para fortalecer o bloqueio. A troca deu certo, e a equipe virou para 13/12 com Fabi no saque. E em espetacular bloqueio de Bia fechou o segundo tempo técnico em 14/12.

Mas o time, que chegou a liderar o set em 17/14, se perdeu e permitiu a virada do São Bernardo, que soube atacar com precisão e fechar a etapa em 19/21 e empatar a partida.

Para o terceiro set, o Sesi-SP voltou com Ivna e Mari no lugar de Dayse e Suelle e conquistou com facilidade o primeiro tempo técnico em 07/02. O ímpeto se manteve, e com Mari puxando os ataques, o Sesi-SP segurou a vantagem e conseguiu o segundo tempo técnico em 14 x 10. A arbitragem tentou atrapalhar ao marcar ponto do rival em defesa espetacular de Pri Daroit e depois apontar como fora uma bola perfeita da mesma Pri, mas o time não se abalou e manteve a diferença segura até fechar em 21/16, abrindo 2 a 1 na partida.

No quarto set, novamente a equipe de Talmo dominou as ações. Com mais segurança no bloqueio e poucos erros no ataque, o Sesi-SP não deu chances ao São Bernardo, chegando a dobrar o marcador em 18/09. Bia, em ataque fulminante pelo meio e logo em seguida um ace, abriu 20 x 10. Fabi, em jogada pelo meio, se encarregou de dar números finais ao jogo. Sesi-SP 21/11, 3 sets a 0, e a volta da tranquilidade para a equipe.

O Sesi-SP começou o jogo com Dani Lins, Fabiana, Dayse, Suelle, Bia e Pri Daroit, além da líbero Suellen. Entraram Neneca, Carol Albuquerque, Mari e Ivna.

Com muitos desfalques, Sesi-SP não resiste ao Osasco e amarga derrota na Superliga

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

O time lutou, mas não deu. Com os desfalques de Suelle e Bia, em cima da hora, além de Ju Costa, ausente por lesão nas costas, o time feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fez o que pôde, mas a noite era mesmo do Osasco. Em jogo de nível abaixo do esperado para dois elencos tão fortes, a equipe de Talmo acabou derrotada por 3 sets a 1 (18/21, 19/21, 21/15, 16/21), e continua com 12 pontos na tabela, na oitava posição. O próximo confronto será contra o Unilever, na terça-feira, às 21h, na Vila Leopoldina.

Sobre a derrota, a capitã Fabiana disse que a equipe não soube se comportar na quadra, dando muitas oportunidades ao rival, o que não pode acontecer no resto da Superliga.

“O time não entrou em quadra como devia, não fizemos o que treinamos, respeitamos demais o Osasco. Nesses jogos, nós precisamos jogar mais e isso não está acontecendo. Precisamos entrar com essa consciência de agora em diante”, comentou a camisa 1.

Para o técnico Talmo, o que faltou ao time foi uma maior regularidade nos sets para conseguir abrir uma vantagem sobre o rival. Apenas na terceira etapa o time teve sucesso, mas não conseguiu repetir o nível no quarto set e acabou perdendo o jogo.

“O time delas é muito certo, com um bloqueio muito forte. Para uma partida como essa, precisamos manter um nível o tempo todo e conseguimos no terceiro set, mas não repetimos no quarto. E isso foi crucial”, apontou o treinador, que lamentou os desfalques e já pensa no Unilever, na terça-feira.

“Isso é Superliga, um jogo atrás do outro, tem que jogar agora e fazer o resultado em casa. Não dá para ficar lamentando calendário. Será um grande jogo de novo e temos que buscar o resultado”.

O Sesi-SP atuou com Fabiana, Dani Lins, Pri Daroit, Ivna, Mari e Barbara. Suelen de líbero.

Na próxima rodada, as meninas do Sesi-SP recebem o Unilever/Rio de Janeiro. O jogo está marcado para terça-feira (10/12), às 21h, no ginásio da Vila Leopoldina.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251886

Adenizia, central do Molico Osasco, supera bloqueio do Sesi-SP. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


O jogo

Com as duas equipes muito cansadas pelo calendário apertado, os erros se mostraram frequentes no primeiro set. O Sesi-SP abriu 2 a 0, mas saques errados e o bloqueio do Osasco reverteram o resultado a favor do time da casa. Porém, o Time da Indústria soube se controlar e procurar o resultado. A virada veio com Bárbara em mais um ataque eficiente pelo meio e marcando 11×10. O equilíbrio se manteve na etapa e com uma bomba de Ivna o Sesi-SP pegou o segundo tempo técnico em 14×12. Mas o cansaço e os erros voltaram fazendo com que o Osasco retomasse a vantagem no marcador até fechar o primeiro set em 21×18 após dois pontos de bloqueio.

O Sesi-SP começou o segundo set melhor abrindo 7/5, mas alguns erros custaram a vantagem e o Osasco virou a partida. Talmo mexeu no time colocando Neneca e Carol Albuquerque, que equilibraram a partida até o empate em 16/16. Mas com o elenco reduzido e as jogadoras cometendo erros por conta de cansaço, o Sesi-SP acabou perdendo a mão e no bloqueio de Adenízia o Osasco abriu 2 a 0.

O terceiro set era tudo ou nada. E foi tudo. As meninas de Talmo arrasaram o rival com um ritmo muito forte, sem dar brechas para Sheilla e cia e abriu 9×4. Osasco tentou reagir, mas Ivna começou a acertar as bolas em sequência e o time abriu 11/6, bastante apenas administrar a vantagem até fechar em 21/15 e botar fogo na partida.

Mas o ritmo imposto no terceiro set cobrou seu preço no seguinte. Começando com ritmo mais lento, o Sesi-SP perdeu bolas fáceis e viu o Osasco abrir uma larga vantagem em 10/5. Contando com o apoio vindo das arquibancadas, o time da casa manteve seu ritmo e fechou o set em 21/16 e a partida em 3/1.

O cenário foi o mesmo da final do Campeonato Paulista, mas o resultado não foi muito diferente. Atuando em casa, no ginásio José Liberatti, a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) foi batida pelo Molico/Osasco na noite desta sexta-feira (06/12). O placar foi 3 sets a 1 (21/18, 21/19, 15/21 e 21/16). O jogo foi válido pela oitava rodada da Superliga feminina 2013/14.