Na Superliga feminina, vôlei do Sesi-SP vence Maranhão por 3 sets a 0

Amanda Santos, Agência Indusnet Fiesp

Em seu primeiro jogo em casa na edição 2014/15 da Superliga, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) impôs sua força e venceu o Cemar/Maranhão por 3 sets a 0 (25/12, 27/25 e 25/12), em partida realizada na noite desta sexta-feira (14/11) no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539873561

Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

A central Bia, com 15 pontos, ganhou o troféu Viva Vôlei. A oposta Monique teve 14 acertos.

Começando bem a partida, as meninas do técnico Talmo de Oliveira mostraram entrosamento e viraram as bolas com segurança. Após garantir o primeiro set, a equipe caiu um pouco de rendimento e sofreu com a pressão do Maranhão. Com bloqueios e ataques de Bia e Monique, o Sesi-SP virou o jogo, ganhou o segundo e terceiro set, recuperou-se e garantiu a partida.

“Pelo placar, o jogo foi bom e muito importante. Ganhamos por 3 sets a 0 e garantimos nossos três pontos. No primeiro set entramos bem, no segundo sofremos pressão e no terceiro buscamos a vitória. Acho que, em função da busca pela regularidade, nenhum time está na sua melhor forma ainda. Os jogos iniciais servem para cada um ir encorpando a sua equipe”, disse o técnico Talmo de Oliveira, feliz com o resultado.

Assim como Talmo, para a central Bia, maior pontuadora da partida, o time começou bem, sofreu um pouco mas soube administrar a partida e cravar o resultado. “Entramos concentradas para o jogo e fomos bem no primeiro set. Com o bom desempenho, a equipe se acomodou um pouco e o time do Maranhão atacou melhor e saiu na frente. Conseguimos fechar o segundo set e no terceiro a equipe se encontrou para ganhar o jogo. Agora é pensar na próxima partida, que será contra o Minas. Toda semana trabalhamos e pensamos no próximo adversário.”

A equipe jogou com a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Monique, as ponteiras Pri Daroit e Suelle, as centrais Fabiana e Bia, além da líbero Suelen. Entraram a oposta Liz, a levatadora Claudinha e a ponteira Mari.

Com a segunda vitória, a equipe chega aos seis pontos e lidera a competição.

O próximo confronto das meninas da Vila será na próxima sexta-feira (21/11), às 21h30, contra o Camponesa/Minas, na Vila Leopoldina.

O jogo

As meninas do Sesi-SP começaram o primeiro set bem entrosadas e abriram o placar em 04/01. Logo a equipe do Maranhão se organizou, aproveitou de alguns erros do lado paulista e encostou no placar. Com bons ataques as meninas da Vila fecharam o primeiro tempo técnico na frente (08/06). Trabalhando bem as bolas e com uma vantagem de quatro pontos, o técnico do Maranhão/Cemar, Jailson de Andrade, viu-se obrigado a pedir tempo para esfriar o jogo. Mantendo a dianteira e com uma boa diferença no placar, as donas da casa não só garantiram o segundo tempo técnico (16/11) como com uma defesa de Monique e ataque de Pri Daroit fecharam bem o primeiro set com 25/12 em 23 minutos.

O segundo set começou mais disputado com a equipe maranhense rendendo mais do que na primeira etapa. As adversárias estavam a frente no placar, mas logo as meninas do Sesi-SP voltaram a se impor no jogo e com ataques de Bia o time encostou no marcador. Além da central, Monique e Pri Daroit viraram bem as bolas e avançaram no placar. Viraram o jogo, forçaram o técnico Jailson pedir tempo e garantiram o segundo tempo técnico (16/13). Bloqueando forte em cima dos ataques do Sesi-SP, o Maranhão se recuperou no jogo e após dois aces seguidos, empataram o placar (20/20) e passaram à frente, forçando o técnico Talmo pedir tempo para quebrar o ritmo das adversárias. Com raça as meninas da Vila encostaram no placar. Após bloqueio de Bia e Monique, um erro de saque das adversárias e uma largada de segunda da Bia, o time garantiu mais um set, com 27/25 em 33 minutos de jogo.

No terceiro set, o Sesi-SP caiu um pouco de rendimento e o Maranhão abriu uma vantagem de cinco pontos, fazendo com que o técnico Talmo pedisse tempo logo no começo da partida. Com calma, as meninas da Vila se reorganizaram e passaram a pontuar. Subiram no placar e ficaram apenas um ponto atrás no primeiro tempo técnico (07/08). Bloqueando e atacando forte, as meninas da Vila cresceram e viraram o placar. Após disputa de bola e bloqueio de Bia e Suelle, as meninas abriram quatro pontos de vantagem e forçaram o técnico maranhense parar o jogo. Entrosadas e jogando bem, o segundo tempo técnico foi garantido pelo time da casa (16/09). Com força total, as guerreiras foram aumentando a vantagem a cada jogada e cravaram o final da partida com ataque de Monique e o placar em 25/12, com 24 minutos.

Na estreia pela Superliga feminina, vôlei do Sesi-SP vence São José por 3 sets a 0

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de São José dos Campos

Em seu primeiro jogo pela Superliga de vôlei, a equipe feminina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fez prevalecer o favoritismo e superou o São José por 3 sets a 0 (25/17, 25/16 e 25/11) na noite desta segunda-feira (10/11).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539873561

Equipe comemora ponto em jogo que se resolveu de forma relativamente tranquila. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Foi uma estreia tranquila, sem sustos. Jogando com seriedade, o time foi superior em todos os aspectos, dando pouquíssimos pontos de erros para as adversárias e impondo seu ritmo na casa do adversário.

No segundo set, foram 10 pontos “dados” pelo São José. O saque também entrou, com nove pontos em todo o jogo. A grande responsável nesse quesito foi a levantadora Carol Albuquerque, que marcou quatro aces só no início do segundo set – parecia que ela tinha um GPS na mão, encontrando os espaços na quadra adversária.

“A sequência inicial foi boa para abrir vantagem. Mas da mesma forma que a gente conseguiu abrir os pontos, também levou uns quatro em sequência. Foi um resultado muito bom para dar tranquilidade na estreia, conseguir os três pontos e se preparar para o próximo jogo, contra o Maranhão, que será mais difícil. Mas teremos a Fabi de volta, o entrosamento é cada vez melhor e só temos a crescer”, disse Carol, que jogou a partida inteira. Talmo quis dar ritmo e trocou Claudinha pela campeã olímpica de 2008, acenando com a possibilidade de repetir o revezamento ao longo da competição.

“Todo mundo tem que estar preparado. A Carol vinha treinando bem, a Claudinha também. Eu quis dar ritmo de jogo, deixar todo mundo pronto. A experiência da Carol é importante para as demais e todas têm que jogar. Posso fazer isso mais vezes, se achar necessário.”

A maior pontuadora da partida foi Monique, com 17 pontos, sendo um de saque e dois de bloqueio, e que levou o Viva Vôlei.

O time que jogou a partida inteira foi a levantadora Carol Albuquerque, a oposta Monique, as ponteiras Pri Daroit e Suelle, as centrais Bárbara e Bia, além da líbero Suelen. No final do terceiro set, Talmo fez a única inversão, colocando a levantadora Claudinha e a oposta Liz.

Agora, o time se prepara para o próximo confronto, sexta-feira (14/11), às 20h, na Vila Leopoldina, contra o Maranhão.

O jogo

Sem dar chances para surpresas, o Sesi-SP trabalhou sua superioridade desde o início. Sacando bem e atacando com precisão, a equipe da Vila Leopoldina tomou conta do set mantendo uma diferença de quatro a cinco pontos em boa parte da etapa. Após o segundo tempo técnico (16/11), o time deslanchou com Monique e Bia pontuando em todas as viradas, além dos erros cometidos pelo São José. A distância só aumentou e o time fechou em 25/17 em 25 minutos, após ataque de Pri Daroit.

O segundo set seguiu a mesma toada. Carol foi implacável no início, sacando muito bem e ajudando o time a abrir 08/02 no primeiro tempo técnico. Na volta, o time caiu um pouco o rendimento  tomou quatro pontos, forçando Talmo a pedir tempo. Casa arrumada e o ritmo voltou a crescer, novamente com Monique sobrando na saída de rede. O Sesi-SP travou o São José e chegou ao segundo tempo técnico com o dobro de pontos (16/08), mantendo o volume até fechar em 25/11, em 25 minutos.

Tamanha superioridade se fez presente mais uma vez no terceiro e último set. Mesmo empurradas pela torcida, as jogadoras do São José tinham muita dificuldade para superar o bloqueio e conseguir botar a bola no chão adversário. Enquanto isso, as Meninas da Vila não encontraram resistência na rede e seguiam pontuando. Novamente o primeiro tempo técnico foi de larga vantagem (08/02), o segundo foi ainda maior (16/06) e o resultado final de 25/11 apenas sacramentou a diferença técnica das equipes.

>> Acompanhe o vôlei do Sesi-SP no Facebook