Em dia de campanha pela água, Sesi-SP atropela o Brasília na Superliga

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Com uma atuação de encher os olhos, o time feminino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) não deu chances para o azar e atropelou o Brasília Vôlei neste domingo (22/3), na Vila Leopoldina, por três sets a zero (25/18, 25/19, 25/12), saindo na frente nas quartas de final da Superliga 2014-2015. Fazendo valer o favoritismo e o fator de jogar em casa, com o ginásio lotado, as meninas da indústria não perderam o controle da partida em nenhum momento, sendo perfeitas em todos os fundamentos.

Bárbara, com 15 pontos, levou o Viva Vôlei, que foi entregue pelo presidente do Sesi-SP e da Fiesp, Paulo Skaf. Ele esteve presente no jogo para participar da divulgação da campanha Água na Medida, projeto da Fiesp e do Ciesp para ajudar na conscientização do uso racional da água. O time também vestiu camisas azuis, como forma de engajamento na ação.

A segunda partida da série será na quarta-feira (25/3), em Brasília, no ginásio do Sesi Taguatinga, às 21h30. Caso seja necessário, um terceiro jogo será disputado em São Paulo, dia 28 de março, às 16h.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540220515

Sesi-SP vence Brasília na Vila Leopoldina. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

O jogo

Embaladas pela torcida, pela camisa nova e querendo mostrar que o favoritismo não era por acaso, a equipe da Vila Leopoldina começou empurrando e pressionando o Brasília, abrindo logo seis pontos de vantagem no primeiro tempo técnico. Mas as visitantes empataram, dando a impressão que o jogo ganharia contornos de drama. O técnico Talmo de Oliveira colocou para jogar a levantadora Claudinha e a oposta Monique. E o time se acertou em quadra, disparando no placar até fechar em 25 a 18 pontos.

Com a jogadora Carol de volta no segundo set, o Sesi-SP se manteve na frente sem dar chances às rivais. Bárbara começou a aparecer e a saída de Roberta, machucada, pesou contra o Brasília. As visitantes erraram muito e viram o Sesi-SP ampliar a vantagem com tranquilidade, até fechar em 25 a 19 pontos, com Pri Daroit bloqueando e Michelle Pavão na saída de rede.

O Brasília não tinha mais braços para jogar no terceiro set e o Sesi-SP apenas seguiu o protocolo. Logo de cara, o time abriu sete pontos de diferença e seguiu com ponto atrás de ponto, sabendo que era apenas questão de tempo. Sérgio Negrão, técnico do Brasília, ainda tentou mexer com o time, mas não havia como. Suelle, Pri e Bárbara massacraram a defesa adversária e Monique, com ataque devastador, fechou em 25 a12 pontos, dando números finais à partida