Sesi-SP vence Rio de Janeiro em jogo com viradas, apagão e atropelamento no tie-break

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

A partida entre Rexona/Rio de Janeiro e Sesi-SP na noite desta sexta-feira (13/3), pela última rodada da fase de classificação da Superliga Feminina 2014/2015, mostrou porque as duas equipes sobraram na competição e terminaram na primeira e segunda colocação, respectivamente.

No lotado ginásio do Tijuca Tênis Clube, o time da Vila Leopoldina saiu na frente, abriu dois pontos de vantagem e parecia que encerraria de forma categórica a invencibilidade das cariocas. Porém, o técnico Bernardinho mexeu no seu time, empatou a partida e a levou para o quinto set. Mas foi o Sesi-SP que terminou o segundo turno de classificação com a moral desejada para começar os playoffs.

A levantadora Carol Albuquerque levou o Viva Vôlei e Suelle, com 18 pontos, foi destaque da noite.

O jogo

Mesmo não valendo nada, os dois times disputaram os pontos como se fosse final. E o equilíbrio se mostrava presente até a primeira parada técnica do primeiro set, quando o Rio fechou na frente. Na volta, uma pane sobre o time da Vila Leopoldina e as donas da casa abriram três pontos de vantagem, quando Talmo pediu tempo. Funcionou. Também graças a Fabiana, o Sesi-SP virou o marcador, quando Bernardinho parou o jogo. Na volta, Fabiana, em mais um bloqueio, o terceiro até o momento da etapa, marcou mais uma vez. Com a central inspirada, as Meninas da Vila levaram o segundo tempo técnico, mas não souberam manter e viram as cariocas passarem à frente, quando Mari e Monique salvaram os set points. Claudinha sacou bem e virou o jogo. O bloqueio de Fabiana e Suelle sobre Carol encerrou a etapa em 26 a 24 pontos a favor do Sesi-SP.

As donas da casa não sentiram a derrota e voltaram ligadas no segundo set, abrindo logo três pontos de vantagem e forçando o pedido de tempo de Talmo. Após a bronca, o time da indústria acordou e encostou usando principalmente o bloqueio. E o set seguiu com o Rio mantendo a liderança no placar, mas com o Sesi-SP sempre na cola. O empate veio com dois bloqueios de Fabiana, primeiro em cima de Gabi e depois sobre Natália. As cariocas seguiram na frente até o set point em 24 a 23 pontos. Novamente o Sesi-SP empatou e virou, mas dessa vez, Natália empatou. Porém, e equipe da Vila Leopoldina teve mais quatro set points e no último, o bloqueio de Carol sobre Gabi fechou a etapa em 29 a 27 pontos.

Jogando em casa, o Rio não queria ver a invencibilidade ir embora diante de sua torcida e veio disposto a levar o terceiro set. Ao mesmo tempo, contou com uma queda de produção do Sesi-SP, que não conseguiu diminuir a diferença no placar em nenhum momento, chegando a ter cinco pontos de diferença. Bernardinho mexeu na equipe e quem brilhou foi Drussyla, que sequer havia entrado no jogo até então e marcou cinco vezes no terceiro set, inclusive o ponto final em 25 a 20 pontos, dando a vitória na etapa para as cariocas.

Talmo percebeu que uma mexida resolveu do outro lado e também apostou no banco e colocou Monique no time. Mas os muitos erros de passe e contra-ataque entregaram pontos de graça para o Rio no início do quarto set, o que minou a confiança da equipe. Mais uma vez, o Sesi-SP se viu correndo atrás no placar durante toda a etapa, mas sem conseguir a virada nos momentos decisivos, como nos dois primeiros sets. E o banco carioca fez a diferença. Se na etapa anterior Drussyla brilhou, neste sete foi a vez de Mayhara, que marcou seis vezes e foi decisiva para o empate, após fechar o set em 25 a 20 pontos, levando a partida para o tie-break.

No quinto e decisivo set, só um time jogou. Carol começou sacando e quebrou a defesa do Rio. O Sesi-SP abriu seis pontos de vantagem e depois administrou o passeio. O Rio tentou, mas a diferença ainda era enorme para um set de apenas 15 pontos. No final, bloqueio de Fabiana, placar de 15 a 9 pontos e uma suada vitória para o time da indústria fechar o turno de classificação.